blog do Roberto Leite

Assuntos de interesses multiplos e atuais.

Estatuto do Menor e do Adolescente

Estatuto da Criança e do Adolescente.ECA

idade do crimeEm 2006, fiz uma pesquisa sobre o aumento exponencial da violência urbana, e constatei o seguinte:
Em três cidades onde foi possível conseguir dados mais ou menos confiáveis, Belo Horizonte, Salvador e Rio de janeiro, a violência e a criminalidade em geral aumentaram desde os anos 50, em ritmo de crescimento.
Isto é, se a cidade cresceu 10%, o crime e a violência também cresceram 10%. Este ritmo foi sendo seguido até os anos 90.
A partir desta data, nos próximos 10 anos. De 1990 até 1999, o crescimento da violência e da criminalidade nestas três cidades foi o dobro do crescimento demográfico e nos próximos cinco anos, quando foi encerrada a pesquisa havia crescido quatro vezes mais do que o crescimento demográfico.Criança ataca
De posse destes dados, fui procurar o catalisador que havia produzido repentinamente esta discrepância do crescimento tão rápido da violência urbana e da criminalidade em geral.
A única coisa que encontrei que pode ser constatada foi a aprovação do ECA.
Depois disto, a violência disparou.
De acordo com os legisladores, o ECA é a mais avançada lei sobre o comportamento de menores de idade no mundo e será seguida por muitos países.

Até agora, existe em toda a sua extensão somente no Brasil.
A violência aumentou de tal forma que os políticos oportunamente como fazem sempre estão falado em diminuir a idade penal, abolir o ECA, e outras coisas do gênero da demagogia.
maioridadepenalO ECA pode ser modificado como todas as leis deveriam ser para ficarem dinâmicas e não caducas ou datadas.
No texto de toda e qualquer lei deveria haver um ultimo artigo ou parágrafo que diria:
“Esta lei deverá ser revisada periodicamente, e o período deveria ser marcado de acordo com a Lei”. Um ano para as leis mais próximas do dinamismo social, dois anos para outras e três anos para as demais.

Assim se evitaria que as leis virassem elefantes brancos e pudessem acompanhar as mudanças sociais ficando sempre atuais.

No caso do ECA, deveria ser feito uma pequena modificação para enquadrar os menores de idade que cometessem crimes contra a vida e os crimes considerados hediondos.
Neste caso eles seriam punidos de acordo com as leis vigentes e com os direitos a todas as defesas, seriam condenados por um corpo de jurados por seus crimes e cumpririam a sentença inicial em uma casa de menores e quando ficassem maiores de idade passariam a cumprir o restante da sentença em uma penitenciária normal.justiça

impunidadeDesta forma a impunidade por crimes como latrocínio, homicídio, tentativa de homicídio e outros crimes contra a vida ou considerados hediondos como estupros e sequestros, teriam uma punição adequada e o sentimento de impunidade seria diminuído entre os cidadãos que cumprem as leis e pagam os impostos.

 

 

20 abr 2014 Publicado por | Crimes e emntiras, Justiça, POLÍTICA | , | Deixe um comentário

Coisas do ENEM

 

Coisas do ENEMsacanagem

No ano passado resolvi me inscrever e fazer as provas do ENEM. Cumpri todos os requisitos e no resultado final fiquei com uma média de 832 +/-.
Tudo bem, entre outras coisas bobas que fiz, foi confundir um gabarito e marquei coluna errada, ficando com isto com umas 15 respostas inutilizada, mas foi uma boa experiência no final.
Estou escrevendo este artigo para falar da redação.
O tema foi a lei seca.
O título pedido era:
“Efeitos da implantação da lei seca no Brasil”
Minha redação foi a seguinte:

sugeiras-2Devido ao elevado número de acidentes de trânsito envolvendo motoristas embriagados, foi elaborado e aprovado a toque de caixa, um projeto de lei que proibia terminantemente qualquer porcentagem de álcool no sangue de qualquer um na direção de um veiculo automotivo.

O motorista que fosse apanhado dirigindo um veiculo automotivo, com qualquer porcentagem de álcool em seu organismo, pagaria enormes multas, poderia perder o privilégio de dirigir veiculo, e se envolvido em acidente fatal, seria enquadrado no código criminal como homicídio culposo.
Depois de aprovada esta lei, houve no início uma decaída no número total de acidentes de transito, e uma enorme elevação nas cobranças de multas.

A meu ver, os efeitos desta lei foram muito relativos, pois com equipamentos feitos apenas para detectar o uso de álcool, os motoristas dirigindo sob os efeitos de outras drogas passariam incólumes pelas barreiras de “blitz”, mas pondo em risco igual ou maior os usuários das rodovias e os pedestres no Brasil.bons números -2

Os veículos pesados trafegam por nossas vias com motoristas obrigados a trabalhar horas a fio e que para conseguir ficar acordados usam o chamado “rebite” que deteriora consideravelmente os reflexos, e são estes veículos que causam a maioria dos acidentes fatais em nossas vias.
As outras drogas como maconha, crack, cocaína, heroína, alucinógenos com o LSD, entre tantos outros podem ser consumidos pelos motoristas sem nenhum problema, pois os “bafômetros” apenas detectam a presença de álcool.

Depois do primeiro susto, onde os motoristas se retraíram um pouco de beber, os números de acidentes voltaram a subir. O maior sucesso desta lei foi a arrecadação pecuniária pelos órgãos fiscalizadores.

governado - 2Bem, esta foi a minha redação onde me deram nota 700, e onde eu expressei a minha opinião sem puxar o saco do governo que fez esta lei.

Cumpri os requisitos estipulados, falei sobre o assunto em pauta, mantive o número de linhas e palavras, e não mencionei nada no texto que não fosse relativo ao mesmo.
Várias pessoas obtiveram a nota máxima, e aposto que escreveram algo favoravelmente à atuação do magnífico governo que criou esta lei estúpida e preconceituosa.
Volto a dizer como já disse várias vezes em outros posts, que este governo incompetente, tenta legislar os problemas nacionais como se com isto estes seriam resolvidos.
Se assim fosse, poderíamos fazer as seguintes leis:black blocks 2

1. É proibido ser pobre. Com isto estava resolvido o problema da pobreza.
2. É proibido não ter casa própria. Com isto estaria resolvido o problema da residência.
3. É proibido ser analfabeto. Com isto estaria resolvido o problema do analfabetismo.
4. E assim por diante.

O que falta no país é educação em geral. Nos Estados Unidos. A educação no trânsito faz parte do currículo escolar secundário e o aluno tem que fazer provas e se não passar é motivo de reprovação.
obediência 2Porque não fazem uma coisa destas por aqui, e durante estas aulas fica enfatizado o fato responsável de não beber e dirigir?
Eu respondo:

Não interessa, pois não teria resultados imediatos e isto não seria conveniente a um governo que pensa apenas em ficar no poder. As ações que pudessem beneficiar outros governos vindouros são desprezadas em detrimento do povo e do Brasil.

Eta Brasil – Vamo que vamo.

gato por lebre 2

 

reunião de familia 2

20 abr 2014 Publicado por | ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ARTIGOS, EDUCAÇÃO, POLÍTICA | Deixe um comentário

Voltei

verdades

Vou voltar a escrever, pois ficando apenas de espectador aumenta enormemente a minha frustração.
Não ia me cadastrar para votar pois aos 70 anos não seria obrigado a fazer-lo, mas mudei de idéia, fui lá e me cadastrei biometricamente.

Ficar somente de observador não é a minha praia.
Vou votar sim apesar de ter medo da idoneidade da urna eletrônica brasileira que de acordo com o TSE, é a “melhor e mais segura do mundo”, e por isto não necessita de aparelhagem de conferência física dos votos suspeitos. Ah bom!!!!!
O ultimo post escrito neste espaço foi no dia 21 de junho de 2012. Está próximo do segundo aniversário deste post.

Com os escândalos da Petrobras, que em vários posts anteriores previ que não demoraria a explodir, o que está se concretizando, resolvi escrever algo a respeito.
Na entrevista que hoje li na mídia, do procurados do TCU Marinus Marsico, um comentário dele me chamou particularmente a atenção:mamando
“ Esse mal de misturar o público com o privado é algo que sempre existiu, desde o surgimento dessa esdrúxula figura da sociedade de economia mista. Mas, ultimamente, essa situação aumentou muito, é só ver os escândalos.”
Em 1980, trabalhava com uma indústria no ramo petroleiro, que produzia equipamentos para a exploração e produção de petróleo. Era uma empresa relativamente pequena, de cunho muito internacional, com sedes em vários países.
Era eu, nesta ocasião, gerente internacional de vendas e serviços, e freqüentava regulamente os escritórios da empresa em vários países.
Tínhamos, um filial vem Zurique na Suíça. Era um escritório pequeno, com um representante e uma secretária. A principal função deste escritório ira o de receber pedidos de visitas de representantes ou requisito de algum serviço de nossos produtos.
QuadrillhaO edifício onde se encontrava, este escritório era ocupado por várias empresas do ramo petrolífero, ou de representantes de grandes clientes como Arábia Saudita, Iraque, Líbia, ETC, e tinha doze andares.
O nosso escritório ocupava uma sala no nono andar.
O oitavo andar era todo ocupado pela Braspetro, que era o nome da divisão internacional da Petrobras.
O nosso aluguel desta sala era pago em dólares, pois ainda não existia o euro e a moeda americana era ainda uma referencia internacional. Existia sim o Fraco Suíço, mas os contratos eram estabelecidos em Dólar. Pagávamos nesta época por esta sala um aluguel de R$ 10.000 dólares mensais Tinha aproximadamente 30m².
Por este preço podem imaginar o que a Petrobrás pagava pelo andar inteiro que ocupava.
Outra coisa interessante, quando estava por lá, a nossa empresa permitia o aluguel de automóveis para deslocamento, visita a clientes etc., mas o custo deste privilégio era controlado e o carro mais caro que eu poderia alugar naquela época era um Peugeot 305.
Quando os meus compatriotas, que trabalhavam na Petrobrás viram o meu carro, virou motivo de chacota, pois todos eles andavam de Mercedes ou BMW.
Eles diziam olha aí o Roberto Trabalhando em uma empresa americana e dirigindo esta porcaria…..
Bem isto descrito acima mostra o desperdício inerente de uma estatal que gasta muito e gasta mal.
Mas os acontecimentos recentes de uma investigação da PF mostram que os gastos anteriores, apesar de mal gerenciados, não chegam aos pés desta empresa administrada pelo governo do PT que de uma posição de 12ª maior empresa do ramo, passou subitamente a ser a 120ª com uma dívida impagável, superior ao patrimônio da empresa. comeram tudo
O valor acionário desta empresa administrada tão casualmente pelo governo do PT caiu pela metade, mesmo depois de subir alguma coisa quando a aprovação do governo caiu, em detrimento dos pequenos acionistas que acreditaram no potencial da empresa.
Em qualquer pais sério, quando o preço de algo orçado em projeto passa dos 400% do preço inicial, pessoas vão para a cadeia, são multados, isto se acontecer pois não deixariam chegar a este ponto parando a obra e investigando a fundo a causa do sobre preço.
Mas aqui é diferente, a “Transposição do Rio São Francisco”, foi orçada em 6,2 bilhões, foi iniciada sob a gerencia do baiano Gedel Vieira Lima e quando a operação atingiu um bilhão de reais em irregularidades fiscais, o TCU parou os repasses parando com isto a obra inacabada.
A única parte desta obra que foi acabada dentro do prazo e do orçamento foi o que foi feito pelo Corpo de Engenharia do Exercito Brasileiro.
Foi feito um inventário da situação por uma empresa independente e foi constatado que além do que foi feito pelo exercito nada se pode aproveitar e tem que ser destruído e refeito a um custo aproximado de 14 bilhões de Reais.Sabedoria

O porto de Mariel em Cuba, foi a maior obra terminada pelos doze anos de administração do PT, e até hoje não se sabe para que serviu esta obra e investimento brasileiro nesta ilha prisão.
O imposto recolhido dos brasileiros foi usado pelo governo do PT para uma obra faraônica em um país sem futuro para o que?
Todo o dinheiro investido na Venezuela vai ser perdido, pois o pais está nas ultimas e vai quebrar de uma forma ou de outra. Este regime que lá vigora é realmente insustentável. Uma revolta vai acontecer a qualquer hora e o nosso investimento vai ser totalmente ignorado seja qual for a nova força a assumir este pais.
Já escrevi muito a respeito da Venezuela, pois morei por lá algum tempo, e sei qual será o desfecho desta festança iniciada pelo Chávez.
Falando nisto as filhas do Chávez se recusaram a sair do palácio do governo, pois se sentem no direito de ficar por lá indefinidamente.
Espero que a PF, que é dirigida pelo Ministério da Justiça (Deveria ser independente) consiga chegar ao fundo desta investigação, e que o MP possa indiciar os culpados por esta gastança sejam eles quem for. O nosso povo que trabalha de janeiro ao dia cinco de junho para o governo, e que por todo este trabalho não recebe o devido que seria Educação de Qualidade, Segurança de Qualidade e Sistema de saúde de Qualidade não merece ser estuprado por esta quadrilha que se apossou do país.

 

 

13 abr 2014 Publicado por | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, AUTORITARISMO, ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

A carta aberta

A carta aberta

Este email de Gilberto Geraldo Garbi, está rolando por aí há algum tempo.

Na primeira vez que circulou, parecia muito radical para ser publicado, e esperei um pouco mas após ver o Lula abraçando o Maluf, depois de ver que a CPI instituída era para abafar e não desvendar, saltam às vistas as veracidades descritas nesta carta.

O Brasil da turma do Lula, somente pensa em tirar vantagens e ficarem ricos à custa do erário.

Por esta razão, vale à pena reler agora esta carta que foi escrita há algum tempo e cheia de verdades

Carta de Gilberto Geraldo Garbi para Lula.

Gilberto Geraldo Garbi foi um dos alunos classificados a seu tempo como UM DOS MELHORES ALUNOS DE MATEMÁTICA que já haviam adentrado o ITA, entre outras honrarias que recebeu daquela instituição. Depois de graduado, desenvolveu carreira na TELEPAR, onde chegou a Diretor Técnico e Diretor Presidente, sendo depois Presidente da TELEBRAS.

A CAMINHO DOS 99,9999995%
( Gilberto Geraldo Garbi )

Há poucos dias, a imprensa anunciou amplamente que, segundo as últimas pesquisas de opinião, Lula bateu de novo seus recordes anteriores de popularidade e chegou a 84% de avaliação positiva. É, realmente, algo “nunca antes visto nesse país” e eu fiquei me perguntando o que poderemos esperar das próximas consultas populares.

Lembro-me de que quando Lula chegou aos 70% achei que ele jamais bateria Hitler, a quem, em seu auge, a cultíssima Alemanha chegara a conceder 82% de aprovação.
Mas eu estava enganado: nosso operário-presidente já deixou para trás o psicopata de bigodinho e hoje só deve estar perdendo para Fidel Castro e para aquele tiranete caricato da Coreia do Norte, cujo nome jamais me interessei em guardar. Mas Lula tem uma vantagem sobre os dois ditadores: aqui as pesquisas refletem verdadeiramente o que o povo pensa, enquanto em Cuba e na Coreia do Norte as pesquisas de opinião lembram o que se dizia dos plebiscitos portugueses durante a ditadura lusitana: SIM, Salazar fica; NÃO, Salazar não sai; brancos e nulos sendo contados a favor do governo…(Quem nunca ouviu falar em Salazar, por favor, pergunte a um parente com mais de 60).

Portanto, a popularidade de Lula ainda “tem espaço” para crescer, para empregar essa expressão surrada e pedante, mas adorada pelos economistas. E faltam apenas cerca de 16% para que Lula possa, com suas habituais presunção e imodéstia, anunciar ao mundo que obteve a unanimidade dos brasileiros em torno de seu nome, superando até Jesus Cristo ou outras celebridades menores que jamais conseguiram livrar-se de alguma oposição…

Sim, faltam apenas 16% mas eu tenho uma péssima notícia a dar a seu hipertrofiado ego: pode tirar o cavalinho da chuva, cumpanhero, porque de 99,9999995% você não passa.

Como você não é muito chegado em Aritmética, exceto nos cálculos rudimentares dos percentuais sobre os orçamentos dos ministérios que você entrega aos partidos que constituem sua base de sustentação no Congresso, explico melhor: o Brasil tem 200.000.000 de habitantes, um dos quais sou eu. Represento, portanto, 1 em 200.000.000, ou seja, 0,0000005% enquanto os demais brasileiros totalizam os restantes 99,9999995%. Esses, talvez, você possa conquistar, em todo ou em parte. Mas meus humildes 0,0000005% você jamais terá porque não há força neste ou em outros mundos, nem todo o dinheiro com que você tem comprado votos e apoios nos aterros sanitários da política brasileira, não há, repito, força capaz de mudar minha convicção de que você foi o pior dentre todos os presidentes que tive a infelicidade de ver comandando o Brasil em meus 65 anos de vida.

E minha convicção fundamenta-se em um fato simples: desde minha adolescência, quando comecei a me dar conta das desgraças brasileiras e a identificar suas causas, convenci-me de que na raiz de tudo está a mentalidade dominante no Brasil, essa mentalidade dos que valorizam a esperteza e o sucesso a qualquer custo; dos que detestam o trabalho e o estudo; dos que buscam o acesso ao patrimônio público para proveito pessoal; dos que almejam os cabides de emprego, as sinecuras e os cargos fantasmas; dos que criam infindáveis dinastias nepotistas nos órgãos públicos; dos que desprezam a justiça desde que a injustiça lhes seja vantajosa; dos que só reclamam dos privilégios por não estar incluídos entre os privilegiados; dos que enriquecem através dos negócios sujos com o Estado; dos que vendem seus votos por uma camiseta, um sanduíche ou, como agora, uma bolsa família; dos que são de tal forma ignorantes e alienados que se deixam iludir pelas prostitutas da política e beijam-lhes as mãos por receber de volta algumas migalhas do muito que lhes vem sendo roubado desde as origens dos tempos; dos que são incapazes de discernir, comover-se e indignar-se diante de infâmias.

Antes e depois de mim, muitos outros brasileiros, incomparavelmente melhores e mais lúcidos, chegaram à mesma conclusão e, embora sejamos minoria, sinto-me feliz e honrado por estar ao lado de Rui Barbosa. Já ouviu falar nele? Como você nunca lê, eu quase iria sugerir-lhe que pedisse a algum de seus incontáveis assessores que lhe falasse alguma coisa sobre a Oração aos Moços… Mas, esqueça… Se você souber o que ele, em 1922, disse de políticos como você e dos que fazem parte de sua base de sustentação, terá azia até o final da vida.

Pense a maioria o que quiser, diga a maioria o que disser, não mudarei minha convicção de que este País só deixará de ser o que é – uma terra onde as riquezas produzidas pelo suor da parte honesta e trabalhadora é saqueada pelos parasitas do Estado e pelos ladrões privados eternamente impunes - quando a mentalidade da população e de seus representantes for profundamente mudada.
Mudada pela educação, pela perseverança, pela punição aos maus, pela recompensa aos bons, pelo exemplo dos governantes.
E você Lula, teve uma oportunidade única de dar início à mudança dessa mentalidade, embalado que estava com uma vitória popular que poderia fazer com que o Congresso se curvasse diante de sua autoridade moral, se você a tivesse.
Você teve a oportunidade de tornar-se nossa tão esperada âncora moral, esta sim, nunca antes vista nesse País.
Mas não, você preferiu o caminho mais fácil e batido das práticas populistas e coronelistas de sempre, da compra de tudo e de todos.
Infelizmente para o Brasil, mas felizmente para os objetivos pessoais seus e de seu grupo, você estava certo: para que se esforçar, escorado apenas em princípios de decência, se muito mais rápido e eficiente é comprar o que for necessário, nessa terra onde quase tudo está à venda?


Eu não o considero inteligente, no nobre sentido da palavra, porque uma pessoa verdadeiramente inteligente, depois de chegar aonde você chegou, partindo de onde você partiu, não chafurdaria nesse lamaçal em que você e sua malta alegremente surfam, nem se entregaria a seu permanente êxtase de vaidade e autoidolatria.
Mas reconheço em você uma esperteza excepcional: nunca antes nesse País um presidente explorou tão bem, em proveito próprio e de seu bando, as piores qualidades da massa brasileira e de seus representantes.
Esse é seu legado maior, e de longa duração: o de haver escancarado a lúgubre realidade de que o Brasil continua o mesmo que Darwin encontrou quando passou por essas plagas em 1832 e anotou em seu diário: “Aqui todos são subornáveis“.
Você destruiu as ilusões de quem achava que havíamos evoluído em nossa mentalidade e matou as esperanças dos que ainda acreditavam poder ver um Brasil decente antes de morrer.


Você não inventou a corrupção brasileira, mas fez dela um maquiavélico instrumento de poder, tornando-ageneralizada e fazendo-a permear até os últimos níveis da Administração.

O Brasil, sob você, vive um quadro que em medicina se chamaria de septicemia corruptiva.
Peça ao Marco Aurélio para lhe explicar o que é isso.
Você é o sonho de consumo da banda podre desse País, o exemplo que os funcionários corruptos do Brasil sempre esperaram para poder dar, sem temores, plena vazão a seus instintos.


Você faz da mentira e da demagogia seu principal veículo de comunicação com a massa.
A propósito, o que é que você sente, todos os dias, ao olhar-se no espelho e lembrar-se do que diz nos palanques?
Você sente orgulho em subestimar a inteligência da maioria e ver que vale a pena?

Você mentiu quando disse haver recebido como herança maldita a política econômica de seu antecessor, a mesma política que você manteve integralmente e que fez a economia brasileira prosperar…


Você mentiu ao dizer que não sabia do Mensalão
Mentiu quando disse que seu filho enriqueceu através do trabalho
Mentiu sobre os milhões que a Ong 13, de sua filha, recebeu sem prestar contas.

Mentiu ao afastar Dirceu, Palocci, Gushiken e outros cumpanheros pegos em flagrante.
Mente quando, para cada platéia, fala coisas diferentes, escolhidas sob medida para agradá-las.
Mentiu, mente e mentirá em qualquer situação que lhe convenha.

Por falar em Ongs, você comprou a esquerda festiva, aquela que odeia o trabalho e vive do trabalho de outros, dando-lhe bilhões de reais através de Ongs que nada fazem, a não ser refestelar-se em dinheiro público, viajar, acampar, discursar contra os exploradores do povo e desperdiçar os recursos que tanta falta fazem aos hospitais.

Você não moveu uma palha, em seis anos de presidência, para modificar as leis odiosas que protegem criminosos de todos os tipos neste País sedento de Justiça e encharcado pelas lágrimas dos familiares de tantas vítimas.
Jamais sua base no Congresso preocupou-se em fechar ao menos as mais gritantes brechas legais pelas quais os criminosos endinheirados conseguem sempre permanecer impunes, rindo-se de todos nós.
Ao contrário, o Supremo, onde você tem grande influência, por haver indicado um bom número de Ministros, acaba de julgar que mesmo os condenados em segunda instância podem permanecer em liberdade, até que todas as apelações, recursos e embargos sejam julgados, o que, no Brasil, leva décadas.
Isso significa, em poucas palavras, que os criminosos com dinheiro suficiente para pagar os famosos e caros criminalistas brasileiros podem dormir sossegados, porque jamais irão para a cadeia.
Estivesse o Supremo julgando algo que interessasse a seu grupo ou a suas inclinações ideológicas, certamente você teria se empenhado de corpo e alma.
Aliás, Lula, você nunca teve ideais, apenas ambições.
Você jamais foi inspirado por qualquer anseio de Justiça. Todas as suas ações, ao longo da vida, foram motivadas por rancores, invejas, sede pessoal de poder e irrefreável necessidade de ser adorado e ter seu ego adulado.

Seu desprezo por aquilo que as pessoas honradas consideram Justiça manifesta-se o tempo todo: quando você celeremente despachou para Cuba alguns pobres desertores que aqui buscavam a liberdade; quando você deu asilo a assassinos terroristas da esquerda radical; quando você se aliou à escória do Congresso, aquela mesma contra quem você vociferava no passado; quando concedeu aumentos nababescos a categorias de funcionários públicos já regiamente pagos, às custas dos impostos arrancados do couro de quem trabalha arduamente e ganha pouco; quando você aumentou abusivamente as despesas de custeio, sabendo que pouquíssimo da arrecadação sobraria para os investimentos de que tanto carece a população; quando você despreza o mérito e privilegia o compadrio e o populismo; e vai por aí…. Justiça, ora a Justiça, é o que você pensa…

Você tem dividido a nação, jogando regiões contra regiões, classes contra classes e raças contra raças, para tirar proveito das desavenças que fomenta.

Aliás, se você estivesse realmente interessado, como deveria, em dar aos pobres, negros e outros excluídos as mesmas oportunidades que têm os filhos dos ricos, teria se empenhado a fundo na melhoria da saúde e do ensino públicos.
Mas você, no íntimo, despreza o ensino, a educação e a cultura, porque conseguiu tudo o que queria, mesmo sendo inculto e vulgar. Além disso, melhorar a educação toma um tempo enorme e dá muito trabalho, não é mesmo?
E se há coisa que você e o Partido dos Trabalhadores definitivamente detestam é o trabalho: então, muito mais fácil é o atalho das cotas, mesmo que elas criem hostilidades entres as cores, que seus critérios sejam burlados o tempo todo e que filhos de negros milionários possam valer-se delas.


A Imprensa faz-lhe pouca oposição porque você a calou, manipulando as verbas publicitárias, pressionando-a economicamente e perseguindo jornalistas.

O que houve entre o BNDES e as redes de televisão?
O que você mandou fazer a Arnaldo Jabor, a Boris Casoy, a Salete Lemos?
Essa técnica de comprar ou perseguir é muito eficaz. Pablo Escobar usou-a com muito sucesso na Colômbia, quando dava a seus eventuais opositores as opções: “O plata, o plomo”. Peça ao Marco Aurélio para traduzir. Ele fala bem o Espanhol.


Você pode desdenhar tudo aquilo que aqui foi dito, como desdenha a todos que não o bajulem.

Afinal, se você não é o maior estadista do planeta, se seu governo não é maravilhoso, como explicar tamanha popularidade?
É fácil: políticos, sindicatos, imprensa, ONGs, movimentos sociais, funcionários públicos, miseráveis, você comprou com dinheiro, bolsas, cotas, cargos e medidas demagógicas.
Muita gente que trabalha, mas desconhece o que se passa nas entranhas de seu governo, satisfez-se com o pouco mais de dinheiro que passou a ganhar, em consequência do modesto crescimento econômico que foi plantado anteriormente, mas que caiu em seu colo..
Tudo, então, pode se resumir ao dinheiro e grande parte da população parece estar disposta a ignorar os princípios da honradez e da honestidade e a relevar as mentiras, a corrupção, os desperdícios, os abusos e as injustiças que marcam seu governo em troca do prato de lentilhas da melhoria econômica.


É esse, em síntese, o triste retrato do Brasil de hoje… E, como se diz na França, “l´argent n´est tout que dans les siècles où les hommes ne sont rien”.

Você não entendeu, não é mesmo? Então pergunte à Marta. Ela adora Paris e há um bom tempo estamos sustentando seu gigolô franco-argentino…

Gilberto Geraldo Garbi

 

 

21 jun 2012 Publicado por | ARTIGOS, ÉTICA, Cinismo, GOVERNO, POLÍTICA | 3 Comentários

Comparação justíssima

Realmente uma comparação justíssima

 

20 jun 2012 Publicado por | ANEDOTAS, Humor, POLÍTICA | Deixe um comentário

Uma foto vale mil palavras!

Uma foto vale mil palavras!

Não sei realmente de quem é esta frase, mas é verdade.

Você pode enganar muita gente durante muito tempo, mas nunca vai conseguir enganar todo mundo o tempo todo.

Esta eu sei de quem é: – Abraham Lincoln  

Também sempre se mostrou verdadeira.

Então aqui vamos ver:

Quando por interesse político, nos aproximamos dos párias da sociedade, de bandidos procurados por polícias do mundo inteiro, de pessoas da mais baixa espécie, estamos deixando entrever que somos iguais a eles os bandidos.

O Lula durante anos enganou muita gente, ganhou a confiança de brasileiros e foi eleito presidente por oito anos. Elegeu o seu substituto, usando todos os tipos de artimanha, propaganda irregular, dossiês falsos dos concorrentes, caixa dois de campanha, aviões do governo para fazer campanha, inaugurou obras já inauguradas para ter palanque para sua pupila, etc.

Agora quer eleger a toque de caixa, seu candidato para a prefeitura de São Paulo, o incompetente e presumido Fernando Haddad. Para isto está fazendo tudo quanto é manobra possível, pois seu candidato está se saindo bem fraquinho de voto.

A ultima foi abraçar o bandido Paulo Maluf, procurado pela Interpol por lavagem de dinheiro entre outras acusações. Quem ainda alimentava algum respeito por esta figura ridícula, se tiver ainda algum senso de decência humana, deve ser apegar nas fotos do evento para deixar de lado qualquer respeito por esta figura desprezível.

A Luisa Erundina finalmente enxergou a verdade, bom para ela…

 

Encontrei no meu email esta semana uma carta aberta de uma professora mineira como eu, aposentada, para a presidente Dilma.

Esta carta cheia de verdades vai publicada na íntegra para ilustrar mais uma verdade nas palavras do Lincoln. O texto é meio longo, mas vale à pena:

 

BRASIL  CARINHOSO

Bom dia, dona Dilma!

Eu também assisti ao seu pronunciamento risonho e maternal na véspera
do Dia das Mães. Como cidadã da classe média, mãe, avó e bisavó,
pagadora de impostos escorchantes descontados na fonte no meu
contracheque de professora aposentada da rede pública mineira e em
cada Nota Fiscal Avulsa de Produtora Rural, fiquei preocupada com o
anúncio do BRASIL CARINHOSO.

Brincando de mamãe Noel, dona Dilma? Em ano de eleição municipalista?
Faça-me o favor, senhora presidentA!  É preciso que o Brasil crie um
mecanismo bastante severo de controle dos impulsos eleitoreiros dos
seus executivos (presidente da república, governador e prefeito) para
que as matracas de fazer voto sejam banidas da História do Brasil.

Setenta reais per capita para as famílias miseráveis que têm filhos
entre 0 a 06 anos foi um gesto bastante generoso que vai estimular o
convívio familiar destas pessoas, porque elas irão, com certeza,
reunir sob o mesmo teto o maior número de dependentes para “engordar”
sua renda. Por outro lado mulheres e homens miseráveis irão correndo
para a cama produzir filhos de cinco em cinco anos. Este é, sem
dúvida, um plano qüinqüenal engenhoso de estímulo à vagabundagem,
claramente expresso nas diversas bolsas-esmola do governo do PT.

É muito fácil dar bom dia com chapéu alheio. É muito fácil fazer
gracinha, jogar para a platéia. É fácil e é um sintoma evidente de que
se trabalha (que se governa, no seu caso) irresponsavelmente.

Não falo pelos outros, dona Dilma. Falo por mim. Não votei na senhora.
Sou bastante madura,  bastante politizada, marxista, sobrevivente da
ditadura militar e radicalmente nacionalista. Eu jamais votei nem
votarei num petista, simplesmente porque a cartilha doutrinária do PT
é raivosa e burra. E o governo é paternalista, provedor, pragmático no
mau sentido, e delirante. Vocês são adeptos do “quanto pior, melhor”.
São discricionários, praticantes do “bullying” mais indecente da
História do Brasil.

Em 1988 a Assembléia Nacional Constituinte, numa queda-de-braço
espetacular, legou ao Brasil uma Carta Magna bastante democrática e
moderna. No seu Art. 5º está escrito que todos são iguais perante a
lei*.  Aí, quando o PT foi ao paraíso, ele completou esta disposição,
enfiando goela abaixo das camadas sociais pagadoras de imposto seu
modus governandi a partir do qual todos são iguais perante a lei,
menos os que são diferentes: os beneficiários das cotas e das
bolsas-esmola. A partir de vocês. Sr. Luís Inácio e dona Dilma, negro
é negro, pobre é pobre e miserável é miserável. E a Constituição que
vá para a pqp. Vocês selecionaram estes brasileiros e brasileiras,
colocaram-nos no tronco, como eu faço com o meu gado, e os marcaram
com ferro quente, para não deixar dúvida de que são mal-nascidos. Não
fizeram propriamente uma exclusão, mas fizeram, com certeza,
publicamente, uma apartação étnica e social. E o PROUNI se transformou
num balcão de empréstimo pró escolas superiores particulares de
qualidade bem duvidosa, convalidadas pelo Ministério de Educação.
Faculdades capengas, que estavam na UTI financeira e deveriam ter sido
fechadas a bem da moralidade, da ética e da saúde intelectual,
empresarial, cultural e política do País. A Câmara Federal endoidou?
O Senado endoidou? O STJ endoidou? O ex-presidente e a atual
presidentA endoidaram? Na década de 60 e 70 a gente lutou por uma
escola de qualidade, laica, gratuita e democrática. A senhora disse
que estava lá, nesta trincheira, se esqueceu disto, dona Dilma?  Oi,
por favor, alguém pare o trem que eu quero descer!

Uma escola pública decente, realista, sintonizada com um País
empreendedor, com uma grade curricular objetiva, com professores bem
remunerados, bem preparados, orgulhosos da carreira, felizes, é disto
que o Brasil precisa. Para ontem.  De ensino técnico,
profissionalizante. Para ontem. Nossa grade curricular é tão
superficial e supérflua, que o aluno chega ao final do ensino médio
incapaz de conjugar um verbo, incapaz de localizar a oração principal
de um período composto por coordenação. Não sabe tabuada. Não sabe
regra de três. Não sabe calcular juros.  Não sabe o nome dos Estados
nem de suas capitais. Em casa não sabe consertar o ferro de passar
roupa. Não é capaz de fritar um ovo. O estudante e a estudantA
brasileiros só servem para prestar vestibular, para mais nada. E tomar
bomba, o que é mais triste. Nossos meninos e jovens lêem (quando
lêem), mas não compreendem o que leram.  Estamos na rabeira do mundo,
dona Dilma. Acorde! Digo isto com conhecimento de causa porque domino
o assunto. Fui a vida toda professora regente da escola pública
mineira, por opção política e ideológica, apesar da humilhação a que
Minas submete seus professores. A educação de Minas é uma vergonha, a
senhora é mineira (é?), sabe disto tanto quanto eu. Meu contracheque
confirma o que estou informando.

Seu presente para as mães miseráveis seria muito mais aplaudido se
anunciasse apenas duas decisões: um programa nacional de planejamento
familiar a partir do seu exemplo, como mãe de uma única filha, e uma
escola de um turno só, de doze horas. Não sabe como fazer isto? Eu
ajudo. Releia Josué de Castro, A GEOGRAFIA DA FOME. Releia Anísio
Teixeira. Releia tudo de Darcy Ribeiro. Revisite os governos gaúcho e
fluminense de seu meio-conterrâneo e companheiro de PDT, Leonel
Brizola. Convide o senador Cristovam Buarque para um café-amigo, mesmo
que a Casa Civil torça o nariz. Ele tem o mapa da mina.

A senhora se lembra dos CIEPs? É disto que o Brasil precisa. De escola
em tempo integral, igual para as crianças e adolescentes de todas as
camadas, miseráveis ou milionárias. Escola com quatro refeições
diárias, escova de dente e banho. E aulas objetivas, evidentemente.
Com biblioteca, auditório e natação. Com um jardim bem cuidado,
sombreado, prazeroso. Com uma baita horta, para aprendizado dos alunos
e abastecimento da cantina. Escola adequada para os de zero a seis,
para estudantes de ensino fundamental e para os de ensino médio, em
instalações individuais para um máximo de quinhentos alunos por
prédio. Escola no bairro, virando a esquina de casa. De zero a
dezessete anos. Dê um pulinho na Finlândia, dona Dilma. No aerolula
dá pra chegar num piscar de olhos. Vá até lá ver como se gerencia a
educação pública com responsabilidade e resultado. Enquanto os
finlandeses amam a escola, os brasileiros a depredam. Lá eles
permanecem. Aqui a evasão é exorbitante. Educação custa caro? Depende
do ponto de vista de quem analisa. Só que educação não é despesa. É
investimento. E tem que ser feita por qualquer gestor minimamente
sério e minimamente inteligente. Povo educado ganha mais, consome
mais, come mais corretamente, adoece menos e recolhe mais imposto para
as burras dos  governos. Vale à pena investir mais em educação do que
em caridade, pelo menos assim penso eu, materialista convicta.

Antes que eu me esqueça e para ser bem clara: planejamento familiar
não tem nada a ver com controle de natalidade. Aliás, é a única medida
capaz de evitar a legalização do controle de natalidade, que é uma
medida indesejável, apesar de alguns países precisarem recorrer a ela.
Uberlândia, inspirada na lei de Cascavel, Paraná, aprovou, em novembro
de 1992, a lei do planejamento familiar. Nossa cidade foi a segunda do
Brasil a tomar esta iniciativa, antecipando-se ao SUS. Eu, vereadora à
época, fui a autora da mesma e declaro isto sem nenhuma vaidade,
apenas para a senhora saber com quem está falando.

Senhora PresidentA, mesmo não tendo votado na senhora, torço pelo
sucesso do seu governo como mulher e como cidadã. Mas a maior torcida
é para que não lhe falte discernimento, saúde nem coragem para
empunhar o chicote e bater forte, se for preciso. A primeira chibatada
é o seu veto a este Código Florestal, que ainda está muito ruim,
precisado de muito amadurecimento e aprendizado. O planeta terra é
muito mais importante do que o lucro do agronegócio e a histeria da
reforma agrária fajuta que vocês estão promovendo.  Sou  fazendeira e
ao mesmo tempo educadora ambiental. Exatamente por isto não perco a
sensatez.  Deixe o Congresso pensar um pouco mais, afinal, pensar não
dói e eles estão em Brasília, bem instalados e bem remunerados, para
isto mesmo. E acautele-se durante o processo eleitoral que se
aproxima. Pega mal quando um político usa a máquina para beneficiar
seu partido e sua base aliada. Outros usaram? E daí? A senhora não é
“os outros”. A senhora á a senhora, eleita pelo povo brasileiro para
ser a presidentA do Brasil, e não a presidentA de um partidinho de
aluguel, qualquer.

Se conselho fosse bom a gente não dava, vendia. Sei disto, é claro.
Assim mesmo vou aconselhá-la a pedir desculpas às outras mães
excluídas do seu presente: as mães da classe média baixa, da classe
média média, da classe média alta, e da classe dominante, sabe por
quê? Porque somos nós, com marido ou sem marido, que, junto com os
homens produtivos, geradores de empregos, pagadores de impostos,
sustentamos a carruagem milionária e a corte perdulária do seu governo
tendencioso, refém do PT e da base aliada oportunista e voraz.

A senhora, confinada no seu palácio, conhece ao vivo os beneficiários
da Bolsa-família? Os muitos que eu conheço se recusam a aceitar
qualquer trabalho de carteira assinada, por medo de perder o
benefício. Estou firmemente convencida de que este novo programa,
BRASIL CARINHOSO, além de não solucionar o problema de ninguém, ainda
tem o condão de produzir uma casta inoperante, parasita social, sem
qualificação profissional, que não levará nosso País a lugar nenhum.
E, o que é mais grave, com o excesso de propaganda institucional feita
incessantemente pelo governo petista na última década, o Brasil está
na mira dos desempregados do mundo inteiro, a maioria qualificada, que
entrarão por todas as portas e ocuparão todos os empregos disponíveis,
se contentando até mesmo com a informalidade. E aí os brasileiros e
brasileiras vão ficar chupando prego, entregues ao deus-dará, na
ociosidade que os levará à delinqüência e às drogas.

Quem cala, consente. Eu não me calo. Aos setenta e quatro anos, o que
eu mais queria era poder envelhecer despreocupada, apesar da
pancadaria de 1964. Isto não está sendo possível. Apesar de ter lutado
a vida toda para criar meus cinco filhos, de ter educado milhares de
alunos na rede pública, o País que eu vou legar aos meus descendentes
ainda está na estaca zero, com uma legislação que deu a todos a
obrigação de votar e o direito de votar e ser  votado, mas gostou da
sacanagem de manter a maioria silenciosa no ostracismo social,
desprecisada  e desinteressada de enfrentar o desafio de lutar por um
lugar ao sol, de ganhar o pão com o suor do seu rosto. Sem dignidade,
mas com um título de eleitor na mão, pronto para depositar um voto na
urna, a favor do político paizão/mãezona que lhe dá alguma coisa. Dar
o peixe, ao invés de ensinar a pescar, esta foi a escolha de vocês.

A senhora não pediu minha opinião, mas vai mandar a fatura para eu
pagar. Vai. Tomou esta decisão sem me consultar. Num país com taxa de
crescimento industrial abaixo de zero, eu, agropecuarista,
burro-de-carga  brasileiro, me dou o direito de pensar em voz alta e o
dever de me colocar publicamente contra este cafuné na cabeça dos
miseráveis. Vocês não chegaram ao poder agora. Já faz nove anos, pense
bem! Torraram uma grana preta com o FOME ZERO, o bolsa-escola, o
bolsa-família, o vale-gás, as ONGs fajutas e outras esmolas que tais.
Esta sangria nos cofres públicos não salvou ninguém? Não refrescou
niente?  Gostaria que a senhora me mandasse o mapeamento do Brasil
miserável e uma cópia dos estudos feitos para avaliar o quantitativo
de miseráveis apurado pelo Palácio do Planalto antes do anúncio do
BRASIL CARINHOSO. Quero fazer uma continha de multiplicar e outra de
dividir, só para saber qual a parte que me toca nesta chamada de
capital.  Democracia é isto, minha cara. Transparência. Não ofende.
Não dói.

Ah, antes que eu me esqueça, a palavra certa é PRESIDENTE.  Não sou
impertinente nem desrespeitosa, sou apenas professora de latim,
francês e português. Por favor, corrija esta informação.

Se eu mandar esta correspondência pelo correio, talvez ela pare na
Casa Civil ou nas mãos de algum assessor censor e a senhora nunca
saberá que desagradou alguém em algum lugar. Então vai pela internet.
Com pessoas públicas a gente fala publicamente para que alguém,
ciente, discorde ou concorde. O contraditório é muito saudável.

Não gostei e desaprovo o BRASIL CARINHOSO. Até o nome me incomoda.
R$2,00 (dois reais) por dia para cada familiar de quem tem em casa uma
criança de zero a seis anos, é uma esmolinha bem insignificante, bem
insultuosa, não é não, dona Dilma? Carinho de presidentA da república
do Brasil neste momento, no meu conceito, é uma campanha institucional
a favor da vasectomia e da laqueadura em quem já produziu dois filhos.
É mais creche institucional e laica. Mais escola pública e laica em
tempo integral com quatro refeições diárias. É professor dentro da
sala de aula, do laboratório, competente e bem remunerado. É ensino
profissionalizante e gente capacitada para o mercado de trabalho.

Eu podia vociferar contra os descalabros do poder público, fazer da
corrupção escandalosa o meu assunto para esta catilinária. Mas não.
Prefiro me ocupar de algo mais grave, muitíssimo mais grave, que é um
desvio de conduta de líderes políticos desonestos, chamado populismo,
utilizado para destruir a dignidade da massa ignara. Aliciar as
classes sociais menos favorecidas é indecente e profundamente
desonesto. Eles são ingênuos, pobres de espírito, analfabetos,
excluídos? Os miseráveis são.  Mas votam, como qualquer cidadão
produtivo, pagador de impostos. Esta é a jogada. Suja.

A televisão mostra ininterruptamente imagens de desespero social.
Neste momento em todos os países, pobres, emergentes ou ricos, a
população luta, grita, protesta, mata, morre, reivindicando
oportunidade de trabalho. Enquanto isto, aqui no País das Maravilhas,
a presidente risonha e ricamente produzida anuncia um programa de
estímulo à vagabundagem. Estamos na contramão da História, dona Dilma!

Pode ter certeza de que a senhora conseguiu agredir a inteligência da
minoria de brasileiros e brasileiras que mourejam dia após dia para
sustentar a máquina extraviada do governo petista.

Último lembrete: a pobreza é uma conseqüência da esmola. Corta a
esmola que a pobreza acaba, como dois mais dois são quatro.

Não me leve a mal por este protesto público. Tenho obrigação de
protestar, sabe por quê?  Porque, de cada delírio seu, quem paga a
conta sou eu.

Atenciosamente,

Martha de Freitas Azevedo Pannunzio

Fazenda Água Limpa, Uberlândia, em 16-05-2012

marthapannunzio@hotmail.com

CPF nº 394172806-78

*CONSTITUIÇÃO FEDERAL

TÍTULO II
Dos Direitos e Garantias Fundamentais
CAPÍTULO I
DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer
natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes
no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade,
à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

I – homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos
desta Constituição;

19 jun 2012 Publicado por | ARTIGOS, ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA | 2 Comentários

Advogado Criminoso

Advogado Criminoso

 A lei criminal brasileira, pode até estar um pouco defasada, mas ela é explicita.

Nesta lei, os crimes previstos contra uma harmonia social, são escritos, aprovados por representantes dos cidadãos, e entram em vigor após esta aprovação. As punições decorrentes do não cumprimento da lei aprovada são também explícitas, e estão expressas dentro do texto da lei.

Existe um pouco de jurisprudência sobre decisões jurídicas controversiais em casos pontuais, mas no caso de um trabalho bem feito da promotoria, onde as provas obtidas são legais, as perícias feitas com profissionalismos, onde o criminoso sendo julgado é plenamente desfavorecido de dúvidas quanto sua culpa, a condenação é simplesmente um fato, sem muita necessidade de um defensor muito experiente, pois nada pode ser feito. O principal trabalho de um defensor em um caso destes é apenas na aplicação da pena prevista, que dentro de todas as leis tem uma variação razoável. O defensor pode apenas tentar convencer o juiz, de que o réu merece uma pena branda e apresentar os motivos para tal.  

Nos países, onde o direito, ou a maioria deste, se baseia em costumes populares e decisões jurídicas anteriores, como no caso dos países de língua inglesa, o papel de um advogado criminal, é imprescindível, pois deve entender os meandros da jurisprudência e o trabalho de um procurador é muito maior, pois tem que prever tudo isto antes de acusar criminalmente o cidadão preso por ter supostamente cometido uma agressão ao sistema legal. Mesmo com um flagrante, o criminoso pode com ajuda de um bom advogado, no sistema com um inglês ser considerado inocente.

Ao contrário do nosso sistema, os bons advogados americanos, dão verdadeiros espetáculos dentro das cortes legais e isto já gerou muitos filmes interessantes sobre este assunto.

O que seria um bom advogado criminal no Brasil?

No nosso sistema, um bom advogado, pode descobrir erros ou falsidades dentro das acusações, confissões decorridas de tortura, coação de policiais, e dentro destas investigações, inocentar um suposto criminoso.

Se o trabalho da polícia e da procuradoria for bem feito, a lei tem que ser aplicada e as penas previstas devem ser cumpridas.

Como pode então adquirir fama um advogado criminal dentro do sistema brasileiro?

Na maioria dos casos, o advogado criminal fica famoso por comprar a inocência dentro das promotorias.

A corrupção pode acontecer em qualquer sistema, mas no nosso sistema legal, ela está enraizada profundamente, desde os primórdios de nossa história.

Uma condenação depende da promotoria. Se esta não apresentar uma acusação, não tem como se condenar um infrator. Os procuradores são poderosos neste sistema e se não quiserem apresentar a denuncia ninguém pode obrigá-los. Se o procurador for corrompido com dinheiro do acusado, ele simplesmente não apresenta a denúncia e o acusado é solto na sociedade. O procurador corrupto também, em casos de muita visibilidade na mídia, pode simplesmente apresentar um caso furado, onde a defesa consegue anular o caso e o criminoso escapa pelo vão deixado pela procuradoria.

Então os famosos advogados criminais do Brasil, são os que simplesmente encontraram os caminhos dentro da lama da corrupção do sistema jurídico brasileiro.

Podem existir pessoas contrárias a estas idéias minhas dizendo que o nosso arcaico sistema jurídico criminal, tem que ser revisto e que existem leis contraditórias dentro dele que podem ser usadas por um bom advogado. Isto pode até ser verdade, mas um bom procurador deve saber disto antes de apresentar a acusação e contemplar todas as versões dentro da lei para que esta possibilidade seja minimizada ou até excluída diante de uma boa acusação.  Estes bolsões de discrepância dentro do sistema produzem as janelas esquecidas abertas pela compra de uma promotoria corrupta.

Eu sempre desconfiei destes famosos advogados criminais, que cobram honorários altíssimos e conseguem “inocentar” seus clientes. Parte dos honorários certamente foi saciar a fome corrupta das promotorias regiamente pagas pelos pagadores de impostos.

Encabeçando a minha lista particular destes famosos defensores, está o Sr. Marcio Tomás Bastos.

Leia na íntegra um dos motivos da minha linha de pensamento apresentada por um procurador que definitivamente não faz parte do lamaçal do sistema jurídico:

Em meu artigo, uma das partes do nome do advogado citado foi propositalmente escrita de forma diferente por motivos pessoais.

MANOEL PASTANA, Procurador Regional da República, lotado na Procuradoria Regional da República da 4ª Região, localizada em Porto Alegre/RS, Rua Sete de Setembro, 1133, Centro, com supedâneo no artigo 236, inciso VII, da Lei Complementar 75/1993, artigo 27 do Código de Processo Penal e artigo 5º, inciso XXXIV, alínea a, da Constituição Federal, vem

 

R E P R E S E N T A R

 

Em face do advogado MÁRCIO THOMAZ BASTOS, ex-ministro da Justiça, que patrocina a defesa do Sr. CARLOS AUGUSTO DE ALMEIDA RAMOS, empresário de jogos ilegais, conhecido como Carlos ou Carlinhos Cachoeira. A qualificação e endereço do representado podem ser encontrados na procuração, presente nos procedimentos criminais defendidos por ele, que estão sob a atribuição funcional dessa Procuradoria da República.

 

DOS FATOS E DO DIREITO

Consoante investigação amplamente divulgada na imprensa, o contraventor Carlinhos Cachoeira é apontado como líder de uma gigantesca organização criminosa, com tentáculos na estrutura político-administrativa do Estado brasileiro. Cachoeira é suspeito da prática de diversos tipos de ilícitos penais, com envolvimento, segundo divulgado na mídia, de políticos, agentes públicos e empresários, todos unidos com o propósito de saquear os recursos públicos.

Não é ético nem moral alguém com potencial e alcance criminal desse jaez ser assistido por defensor que teve, pelo menos em tese, a missão de, como ministro da Justiça, defender o Estado brasileiro da ação deletéria de infratores perniciosos para a democracia, porquanto se tem notícia de que, além do saque a recursos do erário e corrupção de agentes públicos, Cachoeira teria influenciado processo político-eleitoral, assim como a indicação de agentes para cargos no serviço público, incluindo setores da polícia e do Ministério Público; daí, não é razoável que alguém como o representado, que, na titularidade da Pasta da Justiça, participou de indicações de autoridades para ocupar posições de destaque no combate e no julgamento de indivíduos com perfil do seu atual cliente, venha agora defendê-los. Isso fere de morte a ética e a moral.

Esta representação, contudo, embora enfatize o acutilo à ética e à moral, não tem por fundamento tais aspectos, mas o lado criminal. É que o cliente do representado não ostenta renda lícita, que justifique o pagamento de honorários de um advogado em início de carreira, a fortiori de um causídico do nível do ex-ministro da Justiça, que, segundo divulgado na imprensa, teria cobrado 15 milhões de reais a títulos de honorários advocatícios (doc. anexo).

Aliás, quando políticos brasileiros adoecem, eles não procuram hospitais públicos, tampouco colocam seus filhos nas escolas públicas. Da mesma forma, pessoas acusadas de corrupção, embora sem renda lícita declarada, não procuram os serviços da Defensoria Pública, que padece com falta de pessoal e de estrutura. Assim, os serviços públicos deficitários ficam para o cidadão que paga os impostos, que, pela elevadíssima carga tributária, deveriam ser de Primeiro Mundo. Daí concluir-se, sem muito esforço, que as montanhas de recursos, produto de cinco meses de trabalho por ano do contribuinte brasileiro, não vão para onde deveriam ir; pois, se o fossem, os serviços públicos seriam ótimos. Certamente esses recursos, produto do suor do extorquido contribuinte, vão para outros bolsos. É por isso que os titulares desses bolsos não usam os serviços públicos deficitários.

Embora haja informação de que os bens e recursos de Cachoeira estejam bloqueados, a medida restritiva parece não ter sido suficiente, porquanto, se o fosse, ele não teria condições de custear o contrato advocatício em epígrafe. Destarte, faz-se necessário aprofundar a investigação, incluindo o próprio advogado, ora representado. É que, conquanto o patrocínio do ex-ministro da Justiça não seja ilegal (embora ofenda a moral e a ética), o recebimento dos honorários em tais circunstâncias é ilegal, por configurar, em tese, ilícito penal, conforme se verá a seguir.

Cachoeira não tem renda lícita para justificar legalmente pagamento de honorários de advogado famoso. Ademais, ele está sendo investigado por vários ilícitos, tais como crimes contra a administração pública, o que enseja o delito de lavagem de dinheiro, nos termos do artigo 1º, inciso V, da Lei 9.613/1998. Além disso, como as atividades ilícitas em questão foram praticadas, segundo as investigações divulgadas, por organização criminosa, nos termos do inciso VII, do referido dispositivo legal, também são consideradas lavagem de dinheiro.

Assim, ao receber recursos provenientes de condutas insculpidas na referida Lei como lavagem de capitais, o Dr. Márcio Thomaz Bastos, em tese, pratica o ilícito previsto no artigo 1º,  parágrafo 1º, inciso II, da Lei 9.613/1998, que assim dispõe:

Art. 1º Ocultar ou dissimular a natureza, origem, localização, disposição, movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores provenientes, direta ou indiretamente, de crime:

(…)

V – contra a Administração Pública, inclusive a exigência, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, de qualquer vantagem, como condição ou preço para a prática ou omissão de atos administrativos;

(…)

VII – praticado por organização criminosa.

(…)

§ 1º Incorre na mesma pena quem, para ocultar ou dissimular a utilização de bens, direitos ou valores provenientes de qualquer dos crimes antecedentes referidos neste artigo:

(…)

II – os adquire, recebe, troca, negocia, dá ou recebe em garantia, guarda, tem em depósito, movimenta ou transfere;”

Ora, um dos objetivos do combate a crimes de lavagem de dinheiro é justamente impedir que o infrator tire proveito da prática criminosa. Aliás, enquanto nos crimes violentos como estupro, latrocínio, roubo e outros análogos dizem que “bandido bom é bandido preso” (há quem diga outra coisa), em crimes que envolvem manejo de recursos, que são utilizados para corromper agentes públicos, como no caso do famoso bicheiro, “bandido bom é bandido pobre”, pois, uma vez pobre, o infrator fica sem sua arma principal de atuação: o dinheiro. Prendê-lo é importante, mas o principal é fazê-lo ficar sem recursos, porquanto, mesmo preso, mas com recursos, ele continua forte. No entanto, sem recursos, ele não terá como pagar advogados caros, para encontrar brechas na lei e subterfúgios defensivos, a fim de livrá-lo impunemente, tampouco teria a fidelidade de amigos e colaboradores influentes, que o ajudam na esperança de serem contemplados com o dinheiro sujo que o suposto criminoso movimenta.

Nessa senda, deixar o Dr. Bastos receber os recursos de alguém que está sendo investigado por vários ilícitos, que dão ensejo ao crime de lavagem de dinheiro, sem que nada seja feito, estar-se-á permitindo, em tese, que Cachoeira tire proveito do produto do crime, e os recursos sujos ingressem no patrimônio do representado e passem a circular como capitais limpos, ganhos em atividade regular de advocacia, o que, a toda evidência, não é, porquanto salta aos olhos que o seu cliente não tem condições financeiras de pagar honorários, ainda que pequenos, com recursos legais. A propósito, permitir que o Dr. Márcio Thomaz Bastos usufrua de tais recursos, seria o mesmo que, mutatis mutandis, entender lícito que o advogado receba honorários de assassino, que paga sua defesa com o dinheiro recebido para matar a vítima.

De mais a mais, ainda que não se cogite de enquadramento na Lei de Lavagem de Dinheiro, a conduta do representado, Dr. Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça, enquadra-se no tipo incriminador do delito de receptação culposa, prevista no parágrafo 3º do artigo 180 do Código Penal:

Art. 180 – Adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar, em proveito próprio ou alheio, coisa que sabe ser produto de crime, ou influir para que terceiro, de boa-fé, a adquira, receba ou oculte: (Redação dada pela Lei nº 9.426, de 1996)

(…)

§ 3º Adquirir ou receber coisa que, por sua natureza ou pela desproporção entre o valor e o preço, ou pela condição de quem a oferece, deve presumir-se obtida por meio criminoso.” Grifo nosso.

Ora, ora, o Dr. Bastos, assim como toda a sociedade brasileira, sabe que Cachoeira não tem condições de pagar honorários elevados com renda lícita; logo, é de se presumir que os recursos foram obtidos por meio criminoso, o que atrai a aplicação do tipo que pune a receptação culposa. Ressalta-se que, no crime de receptação, o delito antecedente pode ser qualquer um, tal como peculato, corrupção, estelionato, sequestro, latrocínio, furto, roubo etc., bem como o objeto material do delito pode ser dinheiro, joias, veículos, imóveis etc. (há divergência doutrinária em relação ao bem imóvel, mas não há quanto ao dinheiro e outros recursos, uma vez que ativos financeiros são considerados “coisa”, para fins penais, aptos, portanto, a configurar a elementar do tipo).

De outro giro, verificou-se, na oitiva de Cachoeira, ou melhor, na ausência de oitiva perante a CPMI, que o seu advogado o orientou a permanecer calado, louvando-se do artigo 5º, inciso LXIII, da Constituição Federal e artigo 8º, item 2, alínea g, da Convenção Americana de Direitos Humanos(CADH), também conhecida como Pacto de San José da Costa Rica.

Nesse diapasão, em respeito à sociedade brasileira, que não entendeu por que Cachoeira tem o direito de não falar, sob o princípio nemo tenetur se detegere, previsto nos referidos dispositivos legais, o Ministério Público Federal, na condição de fiscal do cumprimento da ordem jurídica e defensor da sociedade, assustada com a impunidade, deve promover a responsabilidade do representado. Para isso, pode empregar o mesmo ordenamento jurídico que o representado utilizou para orientar a defesa do seu cliente; afinal, dispositivos legais e princípios jurídicos não devem ser aplicados somente quando favorecem a defesa, mas também quando reclamam tomadas de responsabilidades.

O mister de promovê-las, in casu, cabe ao Ministério Público Federal, uma vez que a infração penal a ser apurada é da competência federal, seja em decorrência do disposto na Lei de Lavagem de Capitais, seja porque, em se tratando de receptação culposa, vislumbrasse a ocorrência da conexão prevista no artigo 76, inciso II, do Código de Processo Penal.

Para que nenhuma dúvida reste, enfatizo que o objeto desta delatio criminis postulatória não é questionar o aspecto ético do mencionado patrocínio, até porque a ética em questão está relacionada a razões de foro íntimo. Também não se pretende instar o Ministério Público a interferir, de alguma forma, na relação do advogado com seu cliente, e muito menos embaraçar o direito de defesa. O objetivo é provocar o titular da ação penal a agir no sentido de aferir se os honorários pagos, que, segundo divulgado na imprensa, estariam cifrados em milhões de reais, são oriundos de fontes lícitas. Isso porque as condições do cliente indicam às escâncaras que provêm de fontes ilegais.

Sendo de fontes ilícitas, o representado estaria, em tese, incurso, ou no tipo incriminador que penaliza o delito de lavagem de dinheiro, ou no tipo penal da receptação culposa. Em qualquer das hipóteses, o crime é de ação penal pública incondicionada, reclamando a atuação do Ministério Público.

Em face do exposto, conforme demonstrado nesta representação, há indícios de que o representado já cometeu, ou está prestes a cometer o delito de lavagem de dinheiro, ou, no mínimo, receptação culposa, em decorrência da percepção de honorários advocatícios oriundos de atividades criminosas. Em tais situações, a prisão em flagrante é possível, caso o advogado seja pego recebendo os recursos oriundos de condutas ilícitas perpetradas por Cachoeira.

Não sendo possível o flagrante, a infração criminal pode ser apurada pelos meios normais de investigação, inclusive com a quebra dos sigilos bancário e fiscal do representado. Além disso, outros meios de apuração podem ser empregados, como prestação de informações pelo COAF, que deve ser perquirido sobre movimentação financeira ingressa na(s) conta(s) bancárias do ora requerido, consoante o disposto no artigo 14, parágrafo 2º e artigo 15, da Lei 9.613/1998.

Porto Alegre, 28 de maio de 2012.

MANOEL PASTANA

Procurador Regional da República

Esta acusação foi rebatida pela assessoria de imprensa do Márcio Thomaz Bastos, como se o procurador Manoel Pastana estivesse tentando cercear os direitos de defesa do acusado.

Isto foi propriamente rebatido aqui:

Assunto: Representação contra Márcio Thomaz Bastos

O Procurador Manoel Pastana, ao vislumbrar veracidade nas informações de que o advogado Márcio Thomaz Bastos teria cobrado R$ 15 milhões do acusado Carlinhos Cachoeira, para defendê-lo em processo criminal, que envolvem vários delitos, entre eles lavagem de dinheiro; por dever de ofício (art.236, inciso VII da LC 75/1993), representou para que seja apurada a origem dos recursos pagos a títulos de honorários.

O Dr. Pastana há quase duas décadas é procurador do Ministério Público Federal, atuando na área criminal; por isso, sabe que jamais conseguiria intimidar um advogado criminalista com a experiência de 60 anos. Ademais, nunca foi leviano e não tem interesse algum em prejudicar a defesa de quem quer que seja. Assim, causa espécie o tom da nota expedida pelo representado ao dizer: “Causa indignação, portanto, a tentativa leviana de intimidar o advogado, para cercear o direito de defesa de um cidadão.”

O exercício da advocacia não isenta o advogado, assim como qualquer profissional, de justificar que a renda recebida de seu trabalho provém de origem lícita. Não existe nenhum dispositivo legal que contemple o advogado com tal imunidade. Até porque, se houvesse, tornaria a Lei 9.613/98 (Lei de Lavagem de Dinheiro) letra morta, pois bastaria o criminoso celebrar um contrato milionário com o advogado. Este, sem ter que justificar a origem do dinheiro recebido a título de honorários, incluiria no seu patrimônio como renda lícita e, depois, poderia retornar mediante doação ao próprio infrator ou a quem ele indicasse.

Dessa forma, longe de ser leviano ou de querer atrapalhar a defesa do cidadão Cachoeira, o Procurador Pastana tenciona apenas que a lei seja cumprida, pois como há indícios de crime de lavagem de dinheiro ou de receptação, uma vez que a Lei Penal, neste último caso, presume que o recebimento de vultosa quantia de quem não tem renda lícita constitui crime de receptação culposa, representou para que seja apurada a origem dos recursos.

Considerando que há presunção relativa de que o recebimento do dinheiro em tal situação constitui ilícito penal, basta que o representado prove que o recurso recebido no pagamento dos seus honorários não é de origem ilícita e o problema está resolvido. Isso porque o questionamento não diz respeito ao patrocínio advocatício, mas ao vultoso recurso vindo de quem não tem renda lícita para arcar com tal patrocínio. Se o pagamento foi realizado por terceiros, basta provar que os pagantes têm renda para tanto.

Por fim, o fato de nunca ter sido questionado situação dessa natureza não impede que a lei seja cumprida neste caso, bem como não representa retrocesso, mas sim progresso no cumprimento da ordem jurídica.

TEREZINHA TARCITANO

Assessora de imprensa

 

Quando Ministro da Justiça, o senhor advogado criminal, encabeçou a famigerada campanha pelo desarmamento dos cidadãos honestos, como foi claramente expresso por ele mesmo em diversas ocasiões. A lei do desarmamento foi derrotada vergonhosamente em um milionário plebiscito patrocinado pelo mesmo vergonhoso governo que contratou um reconhecidamente corrupto advogado criminal para ministro da justiça.

Segundo ele, os bandidos teriam que ser desarmados pela polícia, mas os cidadãos de bem, deveriam entregar as suas armas para não se ferirem com elas…. Hah bom…..

Se tivessem sido acatadas as suas idéias sobre o direito do cidadão em possuir armas de defesa pessoal, o desfecho deste caso citado na reportagem abaixo poderia ter sido claramente outro em detrimento da corajosa idosa que manteve sua arma para se proteger.

Leiam no link abaixo:

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2012/06/mulher-de-87-anos-mata-assaltante-dentro-de-casa-em-caxias-do-sul-rs.html

 

 

 

10 jun 2012 Publicado por | ABUSOS LEGISLATIVOS, ARTIGOS, ÉTICA, Crimes e emntiras, GOVERNO, Justiça, POLÍTICA | Deixe um comentário

Enganação e hipocrisia.

Enganação e hipocrisia.

Os dirigentes da nação, comandados pela presidente que com o seu alto conhecimento da língua pátria criou uma nova categoria excluindo o substantivo comum de dois, onde o gênero fica explicito pelo artigo do sujeito e não pela terminação do substantivo, inventando para si mesma o honroso título de presidenta(?).

O professor Helio Fontes, suposto autor de um texto que recebi por email diz o seguinte sobre este assunto:

“SUA EXCELÊNCIA, A SENHORA PRESIDENTA DILMA”

Agora, o Diário Oficial da União adotou o vocábulo presidenta nos atos
e despachos iniciais de Dilma Rousseff.

As feministas do governo gostam de presidenta e as conservadoras
(maioria) preferem presidente, já adotado por jornais, revistas e
emissoras de rádio e televisão, afinal os veículos de comunicação têm a
ética de escrever e falar certo.

* * *

Na verdade, a ordem partiu diretamente de Dilma: ela quer ser chamada
de Presidenta. E ponto final.

Por oportuno, vou dar conhecimento a vocês de um texto sobre este
assunto e que foi enviado pelo leitor Hélio Fontes, de Santa Catarina,
intitulado “Olha a Vernácula”

Vejam:

No português existem os particípios ativos como derivativos verbais.
Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é
pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de
mendicar é mendicante.

Qual é o particípio ativo do verbo ser? O particípio ativo do verbo ser é
ente.
Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade.

Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a
ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os
sufixos ante, ente ou inte. Portanto, à pessoa que preside é
PRESIDENTE, e não “presidenta”, independentemente do sexo que tenha.

Se diz capela ardente, e não capela “ardenta”; se diz a estudante, e
não “estudanta”; se diz a adolescente, e não “adolescenta”; se diz a
paciente, e não “pacienta”.

Um bom exemplo seria:

“A candidata a presidenta se comporta como uma adolescenta pouco
pacienta que imagina ter virado eleganta para tentar ser nomeada
representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela
ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas
atitudes barbarizantas, não tem o direito de violentar o pobre
português, só para ficar contenta.”

Assim ela pareceria mais inteligenta e menos jumenta.

Não bastasse esta cretinice demagoga, inventaram agora, uma nova lei, proposta pelo excelentíssimo ministro que comprou o título de doutor, plagiando uma tese de outrem Aloísio Mercadante, e sancionada pela presidente (a) de que nos diplomas conste também o gênero feminino e não somente o masculino ou o comum de dois.

Coisa de maluco que não tem mesmo o que fazer.

De acordo com o colunista Celso Arnaldo de Veja on Line, um diploma de um homem que terminou o curso técnico de torneiro seja descrito como sua profissão, “Torneiro Mecânico” e uma mulher que terminar o mesmo curso seja classificada como “Torneira Mecânica”.

É mole minha gente, com tanta coisa a ser feita, esta administração está preocupada com estas mesquinharias que em vez de solucionar algum problema vai criar embaraços na vida da futura Torneira Mecânica.

A primeira vez em que me vi envolvido com um sufrágio nacional foi em 1960 na eleição do Jânio Quadros.

Com apenas 16 anos, eu ainda não votava, mas participava das opiniões em casa, onde o meu pai votaria no General Teixeira Lott e parte da família votaria no Jânio Quadros.

Como reza a história ganhou a esperança do povo de mudança ética personalizada pela vassoura do candidato Quadros, que jurava varrer para o lixo toda a corrupção existente no país desde ou antes da república.

Eleito o Professor de português Jânio Quadros, tomou posse democraticamente e se instalou no recém inaugurado palácio da Alvorada.

Logo se encantou pela mordomia e dizem os historiadores que passava horas em fio assistindo filmes de faroeste na sala de projeção do palácio e bebendo cachaça da boa.

Seus primeiros atos foram um desastre, pois em vez de se preocupar com os problemas sérios herdados de seu antecessor, ele se preocupou com ninharias como proibir brigas de galos, exibição de soutiens em vitrines e proibir mulheres de usar biquínis na praia pública, e outras besteiras como estas. Sua primeira obra civil foi à construção de um horrível pregador de roupa que está lá até hoje, para servir de moradia a centenas de pombos na praça dos três poderes.

O seu governo durou apenas sete meses. Houve até uma anedota de que a UDN (partido do Jânio) que levou vinte anos para fazer um filho e o fez de sete meses!

Este novo governo está nos mesmos moldes das imbecilidades.

E temos problemas de sobra, somos de acordo com as estatísticas internacionais a sexta economia do mundo. Isto não é mérito do governo, pois o nosso PIB (Produto Interno Bruto) cresceu por conta do preço das comodites que exportamos e que subiram vertiginosamente. A distribuição de renda continua desigual, a nossa infraestrutura de energia transportes, segurança e educação estão pela morte. E a nossa indústria está diminuindo ano a ano em favor das importações principalmente da China com produtos baratos feitos com mão de obra escava.

O Power Point abaixo ilustra uma das rodovias federais.

Veja se na sétima economia do mundo, a Inglaterra tem algo semelhante!!!

 

CUIABA-MT – SANTAREM – PA

15 abr 2012 Publicado por | ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ARTIGOS, CRESCIMENTO ECONÔMICO, GOVERNO, POLÍTICA | 2 Comentários

Fé e espiritualidade

Fé e espiritualidade

Eu realmente não tenho nenhuma religião ou fé religiosa, não acredito que haja um ser que controle a nossa vida, e achei sempre desde a mais tenra idade, que é o ser em si que determina o céu ou o inferno em sua vida e que estas posições são vividas aqui na terra durante a vida e não depois que esta termina.

Tenho tentado e com relativo sucesso viver em paz comigo e com outros, sem nenhuma necessidade de ajuda divina.

Ajudo a quem posso ajudar e como posso ajudar, sem pensar em nenhuma recompensa.

Isto reflete em minha vida desde o momento em que desperto pela manhã dia após dia e é suficiente para que eu sinta vontade de seguir vivendo.

Mas não sou contrário a nenhuma religião ou fé que possa trazer felicidade às pessoas que praticam estes ritos, desde que o pratiquem com verdadeira fé e com a mente voltada para o bem.

Mas a espiritualidade e a religião, apesar de parecerem andar de mãos dadas, são muito distante uma da outra, e encontrei em um blog uma boa definição destas diferenças.

Estou publicando com os devidos créditos:

O texto é do Prof. Dr. Guido Nunes Lopes, que escreve em seu blog:

A religião não é apenas uma, são centenas.

A espiritualidade é apenas uma.

A religião é para os que dormem.

A espiritualidade é para os que estão despertos.

A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que
fazer e querem ser guiados.

A espiritualidade é para os que prestam atenção à sua Voz Interior.

A religião tem um conjunto de regras dogmáticas.

A espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo.

A religião ameaça e amedronta.

A espiritualidade lhe dá Paz Interior.

A religião fala de pecado e de culpa.

A espiritualidade lhe diz: “aprenda com o erro”..

A religião reprime tudo, te faz falso.

A espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro!

A religião não é Deus.

A espiritualidade é Tudo e, portanto é Deus.

A religião inventa.

A espiritualidade descobre.

A religião não indaga nem questiona.

A espiritualidade questiona tudo.

A religião é humana, é uma organização com regras.

A espiritualidade é Divina, sem regras.

A religião é causa de divisões.

A espiritualidade é causa de União.

A religião lhe busca para que acredite.

A espiritualidade você tem que buscá-la.

A religião segue os preceitos de um livro sagrado.

A espiritualidade busca o sagrado em todos os livros.

A religião se alimenta do medo.

A espiritualidade se alimenta na Confiança e na Fé.

A religião faz viver no pensamento.

A espiritualidade faz Viver na Consciência..

A religião se ocupa com fazer.

A espiritualidade se ocupa com Ser.

A religião alimenta o ego.

A espiritualidade nos faz Transcender.

A religião nos faz renunciar ao mundo.

A espiritualidade nos faz viver em Deus, não renunciar a Ele.

A religião é adoração.

A espiritualidade é Meditação.

A religião sonha com a glória e com o paraíso.

A espiritualidade nos faz viver a glória e o paraíso aqui e agora.

A religião vive no passado e no futuro.

A espiritualidade vive no presente.

A religião enclausura nossa memória.

A espiritualidade liberta nossa Consciência.

A religião crê na vida eterna.

A espiritualidade nos faz consciente da vida eterna.

A religião promete para depois da morte.

A espiritualidade é encontrar Deus em Nosso Interior durante a vida

 

15 abr 2012 Publicado por | ARTIGOS, religião | , , , , | 3 Comentários

Irritação.

Irritação.

Recebi a algum tempo um email de um de meus amigos com a história abaixo.

Não mencionava o autor. Procurei na internet e encontrei várias menções ao mesmo conto, sem nenhuma indicação de sua autoria.

Então por achar relevante o exemplo deste conto estou também publicando em um de meus posts.

O homem que não se irritava

Em cidade interiorana havia um homem que não se irritava e não discutia com ninguém. Sempre encontrava saída cordial, não feria a ninguém, nem se aborrecia com as pessoas.

Morava em modesta pensão, onde era admirado e querido. Para testá-lo, um dia seus companheiros combinaram levá-lo à irritação e à discussão numa determinada noite em que o levariam a um jantar.

Trataram todos os detalhes com a garçonete que seria a responsável por atender a mesa reservada para a ocasião. Assim que iniciou o jantar, como entrada foi servida uma saborosa sopa, que o homem gostava muito.

A garçonete chegou próxima a ele, pela esquerda, e ele, prontamente, levou seu prato para aquele lado, a fim de facilitar a tarefa. Mas ela serviu todos os demais e, quando chegou a vez dele, foi embora para outra mesa.

Ele esperou calmamente e em silêncio, que ela voltasse. Quando ela se aproximou outra vez, agora pela direita, para recolher o prato, ele levou outra vez seu prato na direção da jovem, que novamente se distanciou, ignorando-o.

Após servir todos os demais, passou rente a ele, acintosamente, com a sopeira fumegante, exalando saboroso aroma, como quem havia concluído a tarefa e retornou à cozinha.

Naquele momento não se ouvia qualquer ruído. Todos observavam discretamente, para ver sua reação. Educadamente ele chamou a garçonete, que se voltou, fingindo impaciência e lhe disse:

- O que o senhor deseja?

Ao que ele respondeu, naturalmente:

- A senhora não me serviu a sopa.

Novamente ela retrucou, para provocá-lo, desmentindo-o:

- Servi sim senhor!

Ele olhou para ela, olhou para o prato vazio e limpo e ficou pensativo por alguns segundos. Todos pensaram que ele iria brigar… Suspense e silêncio total.

Mas o homem surpreendeu a todos, ponderando tranquilamente:

- A senhorita serviu sim, mas eu aceito um pouco mais!

Os amigos, frustrados por não conseguir fazê-lo discutir e se irritar com a moça, terminaram o jantar, convencidos de que nada mais faria com que aquele homem perdesse a compostura.

Bom seria se todas as pessoas agissem sempre com discernimento em vez de reagir com irritação e impensadamente. Ao protagonista da nossa singela história, não importava quem estava com a razão, e sim evitar as discussões desgastantes e improdutivas.

Quem age assim sai ganhando sempre, pois não se desgasta com emoções que podem provocar sérios problemas de saúde ou acabar em desgraça. Muitas brigas surgem motivadas por pouca coisa, por coisas tão sem sentido, mas que se avolumam e se inflamam com o calor da discussão. Isso porque algumas pessoas têm a tola pretensão de não levar desaforo para casa, mas acabam levando para a prisão, para o hospital ou para o cemitério. Por isso a importância de aprender a arte de não se irritar, de deixar por menos ou encontrar uma saída inteligente como fez o homem no restaurante.

A pessoa que se irrita aspira o tóxico que exterioriza em volta, e envenena-se a si mesma. Queridos amigos!! Que possamos tirar ensinamentos dessa história. Vamos tentar não nos irritarmos por coisas poucas, vamos fazer esse bem para nosso próprio ser.

Quando alguém quiser lhe irritar não entre em seu jogo, encontre uma saída diferente, façamos como o homem no restaurante, tenhamos serenidade e calma diante das situações.

“ONDE HÁ RESPEITO HÁ PAZ”.

“Para compreender as pessoas devo tentar escutar o que elas não estão dizendo, o que elas talvez nunca venham a dizer.”

John Powell

E finalmente, encontrei um dia a frase que também não conheço o autor, mas vale para finalizar este artigo:

“Guardar raiva a alguém ou alguma coisa, é como beber veneno e esperar que o outro morra”

15 abr 2012 Publicado por | ARTIGOS, CURIOSIDADES, exemplos | , , | 1 Comentário

Outra vez a educação básica.

Outra vez a educação básica.

Já escrevi vários artigos sobre a deficiência educacional no Brasil.

Já comentei sobre os gastos, sobre os métodos sobre os salários, sobre os méritos, e sempre todos estes tópicos, que são os alicerces de uma educação básica e onde esta é o alicerce da cultura de uma nação, mas estão sempre a desejar. E não é por falta de conhecimento sobre o assunto, porque os parlamentares sabem muito bem do problema, e como o resolver. Quase todos os parlamentares têm currículo razoável, alguns deles com currículo admirável, mas deixam o barco correr ao sabor da correnteza, sem realmente fazer coisa alguma.

Durante o governo do FHC, os gastos com a educação em geral eram bem mirrados, acho que somavam pouco mais de 2% do PIB (Produto Interno Bruto). No seu segundo mandato, houve por intermédio do Ministro Paulo Renato, uma decisão recomendável que foi a criação do sistema de Verba Direta para a escola básica cadastrada, sem passar pelas burocracias existentes até então.

No programa, bastava a escola se cadastrar, abrir uma conta bancária e solicitar a verba para qualquer melhoria, salários, programa docente, ou qualquer benefício para a instituição, e a verba era depositada. A escola então executaria o programa previsto nesta verba e mandaria um relatório da execução ou do resultado desta implementação.

O TCU iria supervisionar estes gastos e se tudo fosse feito de forma correta e legal, a escola poderia continuar a receber verbas que iriam melhorar o estabelecimento.

Eu creio que isto foi feito em 1996, e começou a dar resultados positivos, mas foi interrompido no governo Lula.

Outro dia escutando a radio CBN, ouvi uma notícia que o programa iria ser reaberto. Menos mal.

Como já mencionado em outros posts, a verba para educação melhorou no governo Lula chegando a 7% de um PIB bem maior.

Mas estes gastos foram com o ensino técnico, superior, ou a distancia, geralmente comandados por ONGs, ou o Pro Uni, onde as irregularidades são marcantes. O ensino básico continua desdenhado pelas autoridades, com salários da fome, prédios inadequados, professores sem condições de dar aulas e outras mazelas.

Outro dia passeando pelo blog do Giulio Sanmartini (http://prosaepolitica.wordpress.com), encontrei em um de seus artigos um comentário de um leitor que se identifica como “Joszef Janosek”. Este comentário se resumiu em um lindo artigo de autoria da professora,  Sandra Cavalcanti.Artigo repleto de verdades e que reproduzo agora:

Você pode gostar ou não da autora deste texto, mas aí está a colocação perfeita do regime de cotas.

POBRES ALUNOS, BRANCOS E POBRES…
Entre as lembranças de minha vida, destaco a alegria de lecionar Português e Literatura no Instituto de Educação, no Rio.

Começávamos nossa lida, pontualmente, às 7h15.
Sala cheia, as alunas de blusa branca engomada, saia azul, cabelos arrumados.

Eram jovens de todas as camadas.
Filhas de profissionais liberais, de militares, de professores, de empresários, de modestíssimos comerciários e bancários.

Elas compunham um quadro muito equilibrado.

Negras, mulatas, bem escuras ou claras, judias, filhas de libaneses e turcos, algumas com ascendência japonesa e várias nortistas com a inconfundível mistura de sangue indígena.

As brancas também eram diferentes.

Umas tinham ares lusos, outras pareciam italianas.

Enfim, um pequeno Brasil em cada sala.
Todas estavam ali por mérito!
O concurso para entrar no Instituto de Educação era famoso pelo rigor e pelo alto nível de exigências.

Na verdade, era um concurso para a carreira de magistério do primeiro grau, com nomeação garantida ao fim dos sete anos.
Nunca, jamais, em qualquer tempo, alguma delas teve esse direito, conseguido por mérito, contestado por conta da cor de sua pele!

Essa estapafúrdia discriminação nunca passou pela cabeça de nenhum político, nem mesmo quando o País viveu os difíceis tempos do governo autoritário.
Estes dias compareci aos festejos de uma de minhas turmas, numa linda missa na antiga Sé, já completamente restaurada e deslumbrante.

Eram os 50 anos da formatura delas!

Lá estavam as minhas normalistas, agora alegres senhoras, muitas vovós, algumas aposentadas, outras ainda não.

Lá estavam elas, muito felizes.

Lindas mulatas de olhos verdes. Brancas de cabelos pintados de louro. Negras elegantérrimas, esguias e belas. Judias com aquele ruivo típico. E as nortistas, com seu jeito de índias. Na minha opinião, as mais bem conservadas.
Lá pelas tantas, a conversa recaiu sobre essa escandalosa mania de cotas raciais.

Todas contra! Como experimentadas professoras, fizeram a análise certa.
Estabelecer igualdade com base na cor da pele?

A raiz do problema é bem outra.

Onde é que já se viu isso?

Se melhorassem de fato as condições de trabalho do ensino de primeiro e segundo graus na rede pública, ninguém estaria pleiteando esse absurdo.
Uma das minhas alunas hoje é titular na Uerj. Outra é desembargadora. Várias são ainda diretoras de escola. Duas promotoras.

As cores, muitas. As brancas não parecem arianas. Nem se pode dizer que todas as mulatas são negras.

Afinal, o Brasil é assim. A nossa mestiçagem aconteceu.

O País não tem dialetos, falamos todos a mesma língua. Não há repressão religiosa. A Constituição determina que todos são iguais perante a lei, sem distinção de nenhuma natureza!

Portanto, é inconstitucional querer separar brasileiros pela cor da pele.

Isso é racismo! E racismo é crime inafiançável e imprescritível.
Perguntei: qual é o problema, então?
É simples, mas é difícil.
A população pobre do País não está tendo governos capazes de diminuir a distância econômica entre ela e os mais ricos. Com isso se instala a desigualdade na hora da largada. Os mais ricos estudam em colégios particulares caros. Fazem cursinhos caros. Passam nos vestibulares para as universidades públicas e estudam de graça, isto é, à custa dos impostos pagos pelos brasileiros, ricos e pobres.

Os mais pobres estudam em escolas públicas, sempre tratadas como investimentos secundários, mal instaladas, mal equipadas, mal cuidadas, com magistério mal pago e sem estímulos.
Quem viveu no governo Carlos Lacerda se lembra ainda de como o magistério público do ensino básico era bem considerado, respeitado e remunerado.
Hoje, com a cidade do Rio de Janeiro devastada após a administração de Leonel Brizola, com suas favelas e seus moradores entregues ao tráfico e à corrupção, e com a visão equivocada de que um sistema de ensino depende de prédios e de arquitetos, nunca a educação dos mais pobres caiu a um nível tão baixo.

Achar que os únicos prejudicados por esta visão populista do processo educativo são os negros é uma farsa. Não é verdade.
Todos os pobres são prejudicados: os brancos pobres, os negros pobres, os mulatos pobres, os judeus pobres, os índios pobres!
Quem quiser sanar esta injustiça deve pensar na população pobre do País, não na cor da pele dos alunos.
Tratem de investir de verdade no ensino público básico.
Melhorar o nível do magistério. Retornar aos cursos normais. Acabar com essa história de exigir diploma de curso de Pedagogia para ensinar no primeiro grau. Pagar de forma justa aos professores, de acordo com o grau de dificuldades reais que eles têm de enfrentar para dar as suas aulas. Nada pode ser sovieticamente uniformizado. Não dá.
Para aflição nossa, o projeto que o Senado vai discutir é um barbaridade do ponto de vista constitucional, além de errar o alvo. Se desejarem que os alunos pobres, de todos os matizes, disputem em condições de igualdade com os ricos, melhorem a qualidade do ensino público. Economizem os gastos em propaganda. Cortem as mordomias federais, as estaduais e as municipais. Impeçam a corrupção. Invistam nos professores e nas escolas públicas de ensino básico.
O exemplo do esporte está aí: já viram algum jovem atleta, corredor, negro ou não, bem alimentado, bem treinado e bem qualificado, precisar que lhe dêem distâncias menores e coloquem a fita de chegada mais perto?
É claro que não.
É na largada que se consagra a igualdade.
Os pobres precisam de igualdade de condições na largada. Foi isso o que as minhas normalistas me disseram na festa dos seus 50 anos de magistério! Com elas, foi assim.

*Sandra Cavalcanti, professora, jornalista, foi deputada federal constituinte, secretária de Serviços Sociais no governo Carlos Lacerda, fundou e presidiu o BNH no governo Castelo Branco.

 

 

 

15 abr 2012 Publicado por | ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ARTIGOS, EDUCAÇÃO, GOVERNO | , , | 2 Comentários

Heranças

Heranças

Em 2007, quando o Lula disse que foi o governo dele, ou melhor, que foi ele mesmo, que com toda sua falta de cultura, que havia acabado com uma dívida externa que há cinqüenta anos assombrava o Brasil, eu corri atrás dos fatos para verificação do fenômeno.

Consultei vários economistas on line, e a opinião geral era que ele havia trocado a dívida externa com um juro médio anual de 2% por uma dívida interna com um juro de 14% (isto naquela época de 2007).

Com os fatos constatados escrevi um post sobre este assunto.

Depois, encontrei um gráfico no site Contas Abertas, em que depois de transferir a dívida externa para os bancos brasileiros, a lucratividade destes bancos cresceu assustadoramente, em uma economia que na época cresceu 5%, o Bradesco, o Itaú, e o BB cresceram em média 300%. E ainda pior, outro gráfico no mesmo artigo mostrava que toda a arrecadação de imposto no Brasil, a segunda maior do mundo, 48,5% era para pagar os juros desta dívida interna.

Bem, hoje tem um título na Veja on line, que é preocupante:

Investimento do governo recua 16% no primeiro trimestre

Apenas no Ministério dos Transportes a queda chega a 51% na comparação com o mesmo período de 2011

Quem quiser ler todo o texto o link é:

http://veja.abril.com.br/noticia/economia/investimento-publico-cai-16-no-primeiro-trimestre

 

Recebi pela manhã um email de meu irmão Guilherme sobre o mesmo assunto, porém muito mais sintetizado e esclarecido sobre as dívidas brasileiras.

Na íntegra o email que recebi:

Veja abaixo !

Leia e observe a análise ponderada, muito bem explicada pelo economista Waldir Serafim.

SAIBA O QUE LULA FEZ DE 2002 A 2010 COM A “DÍVIDA INTERNA/EXTERNA” DO BRASIL

Você ouve falar em DÍVIDA EXTERNA e DÍVIDA INTERNA em jornais e TV e não entende direito.
Vamos explicar a seguir:

DIVIDA EXTERNA
é uma dívida com os Bancos, Mundial, o FMI e outras Instituições, no exterior em moeda externa.

DIVIDA INTERNA

é uma dívida com Bancos em R$ (moeda nacional) no país.

Então, quando LULA assumiu o Brasil, em 2002, devíamos:

ü Dívida externa = 212 Bilhões
ü Dívida interna = 640 Bilhões
ü Total da Dívida = 851 Bilhões

Em 2007 Lula disse que tinha pago a dívida externa.

E é verdade, só que ele não explicou que,
para pagar a dívida externa,

ele aumentou a dívida interna
:

Em 2007 no governo Lula:
ü Dívida Externa = 0 Bilhões
ü Dívida Interna = 1.400 Trilhão
ü Total da Dívida = 1.400 Trilhão
ou seja, a Dívida Externa foi paga, mas a dívida interna mais que dobrou.

Agora, em 2010, você pode perceber que não se vê mais na TV e em jornais algo dito que seja convincente sobre a Dívida Externa quitada.

Sabe por quê?
É que ela voltou…

Em 2010 no governo Lula:
ü Dívida Externa = 240 Bilhões
ü Dívida Interna = 1.650 Trilhão
ü Total da Dívida = 1.890 Trilhão

ou seja, no governo LULA, a dívida do Brasil aumentou em 1 Trilhão!!!

Daí é que vem o dinheiro que o Lula está gastando no PAC, bolsa família, bolsa educação, bolsa faculdade, bolsa cultura, bolsa para presos, dentre outras mais bolsas…
E de onde tirou 30 milhões de brasileiros da pobreza !!!
E não é com dinheiro do crescimento, mas sim, com dinheiro de ENDIVIDAMENTO.

Compreenderam?
Ou ainda acham que Lula é mágico?
Ou que FHC deixou um caminhão de dólares para Lula gastar?

Quer mais detalhes, sobre dívida interna e externa do Brasil?
acesse o site:

www.sonoticias.com.br/opiniao/2/100677/divida-interna-perigo-a-vista

Os brasileiros, vão pagar muito caro pela atitude perdulária do governo Lulla, que não está conseguindo pagar os juros dessa “Dívida trilhardária” tendo que engolir um “spread”(txa. juros) muito caro para refinanciar os “papagaios”, sem deixar nenhum benefício para o povo, mas apenas DIVIDAS A PAGAR por todos os brasileiros,
que pagam seus impostos…!!!

A pergunta que não quer calar é:
Dilma continua esta gastança?

(Dilma já disse por todo o país que seu governo é a continuação do governo Lula…)


REPASSE PELO BEM DO PAÍS

!!! ACORDA, BRASIL !!!

” O maior castigo para os que não se interessam por política, é que serão governados pelos que se interessam.”
(Arnold Toynbee)

… e fazendo as contas, cada cidadão brasileiro tem uma dívida , feita pelo Lula, de quase 1.0 MILHÃO DE REAIS.

Entendeu pq querem ressuscitar a CPMF ?

“Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida…”

Bem, este foi o email na íntegra.

Eu refiz as contas e não bate, se dividir 1 trilhão e oitocentos bilhões, que é a dívida atual, por 190 milhões de brasileiros não dá 1 milhão para cada um, e sim R$10.000 o que não é pouco.

Quando o FHC saiu do governo cada um de nós devia R$ 4.500,00

Resumindo a história com uma questão

O que foi a herança maldita?

 

12 abr 2012 Publicado por | ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, ECONOMIA, GOVERNO, lucros | , , , , , | Deixe um comentário

Dedicação exclusiva

Dedicação exclusiva

Meu amigo Carlos Alberto me enviou uma sugestiva foto ilustrando a dedicação

exclusiva do Sir Ney nestes 54 anos de vida pública. Tanta dedicação assim foi o que propiciou o Lula a

classificá-lo como uma pessoa realmente diferente!!!

 

12 mar 2012 Publicado por | ANEDOTAS, CURIOSIDADES, POLÍTICA | Deixe um comentário

Eike e sua súbita riqueza!!!

Eike e sua súbita riqueza!!!

Recebi este Email do meu irmão José, recentemente mas eu já havia recebido de outra pessoa  da qual não me recordo agora, em uma data mais próxima da entrevista.

A data não importa nem muda os gravíssimos fatos nela contidos.

Não publiquei na época pois estava muitíssimo ocupado e depois foi mesmo esquecimento.

Com a repetição do assunto neste novo email, estou publicando.

Os relatos têm uma ordem pragmática e parecem genuínos, mas na internet nunca se sabe, prevalecendo os fatos mencionados da inexplicável fortuna do Sr. Eike.

Ele já era muito rico, pois o seu pai quando ministro militar das minas e energia, se apoderou do muitas terras que continham minas de minerais valiosos e deixou este pé de meia para o filho.

Agora o salto recente foi mesmo fabuloso.

Leiam esta entrevista:  

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Ido Sauer denuncia como José Dirceu entregou o Pré-Sal para Eike Batista

I (Parte final – Os leilões dos campos da Petrobras)

Para quem não sabe o Prof. Dr. Ildo Sauer é respeitado internacionalmente como autoridade

em energia. É professor catedrático da USP e é petista militante e juramentado. O Plano de

energia do Governo Lula, apresentado nas campanhas do candidato a presidente Lula,

sempre foi elaborado pelo Dr. Sauer. Ele foi diretor de Gás e Energia da PETROBRAS no

primeiro mandato do governo Lula. Após sua saída da diretoria da empresa esta engajado

juntamente com a Associação dos Engenheiros da Petrobras – AEPET, na divulgação e

esclarecimento da campanha o PRÉ SAL TEM QUE SER NOSSO.

sexta-feira, 02 de dezembro de 2011 | 04:12

Ildo Sauer denuncia como José Dirceu entregou o Pré-Sal para Eike Batista (Parte final – Os

leilões dos campos da Petrobras)

Agradecendo ao comentarista Mario Assis, que nos enviou a matéria, publicamos hoje a

segunda parte da importantíssima entrevista do professor Ildo Sauer, diretor do Instituto de

Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo, concedida a Pedro Estevam da Rocha

Pomar e Thaís Carrança, da revista da Associação dos Docentes da USP (ADUSP).

Considerado um dos maiores especialistas em energia do país, ex-diretor da Petrobras no

primeiro governo Lula, Sauer conta como foi descoberto o Pré-Sal e denuncia o lobby feito por

José Dirceu para entregar a Eike Batista a maior parte das reservas.

Revista ADUSP: Você ainda estava na Petrobras, quando o Pré-Sal foi descoberto?

Ildo Sauer – Eu ajudei a tomar essa decisão. Nós tomamos essa decisão, não sabíamos quanto

ia custar. O poço de Tupi custou US$ 264 milhões, para furar os 3 km de sal e descobrir que

tinha petróleo.

O Lula foi avisado em 2006 e a Dilma também, de que agora um novo modelo geológico havia

sido descoberto, cuja dimensão era gigantesca, não se sabia quanto.

Então, obviamente, do ponto de vista político, naquele momento a nossa posição, de muitos

diretores da Petrobras, principalmente eu e Gabrielli, que tínhamos mais afinidade política

com a proposta do PT de antigamente, a abandonada, achávamos que tinha que parar com

todo e qualquer leilão, como aliás foi promessa de campanha do Lula.

Na transição, ainda a Dilma falou, “não vai ter mais leilão”. 

Mas se subjugaram às grandes pressões e mantiveram os leilões.

Fernando Henrique fez quatro, Lula fez cinco.

Lula entregou mais áreas e mais campos para a iniciativa privada do petróleo do que Fernando

Henrique.

Um ex-ministro do governo Lula e dois do governo FHC foram assessorar Eike Batista.

O que caberia a um governo que primasse por dignidade?

Cancelar o leilão.

Por que não foi feito?

Porque tanto Lula, quanto Dilma, quanto os ex-ministros, estavam nessa empreitada”.

Revista ADUSP : Mas Gabrielli era contra e acabou concordando?

Ildo Sauer – Não. A Petrobras não manda nisso, a Petrobras é vítima, ela não era ouvida.

Quem executa isso é a ANP [Agência Nacional do Petróleo], comandada pelo PCdoB, e a mão

de ferro na ANP era da Casa Civil.

Então a voz da política energética era a voz da Dilma, ela é que impôs essa privatização na

energia elétrica e no petróleo. Depois do petróleo já confirmado em 2006, a ANP criou um

edital pelo qual a Petrobras tinha limitado acesso.

Podia ter no máximo 30% ou 40% dos blocos, necessários para criar concorrência.

Porque, em 2006, Tupi já havia sido furado e comunicado.

O segundo poço de Tupi, para ver a dimensão, foi feito mais adiante, esse ficou pronto em

2007.

Só que o Lula e a Dilma foram avisados pelo Gabrielli em 2006.

Muitos movimentos sociais foram a Brasília, nós falávamos com os parlamentares, os

sindicatos foram protestar.

O Clube de Engenharia, que é a voz dos engenheiros, mandou uma carta ao Lula, em 2007,

pedindo para nunca mais fazer leilão.

Em 2005-6, o [Rodolfo] Landim, o queridinho do Lula e da Dilma, saiu da Petrobras.

Porque o consultor da OGX, do grupo X, do senhor [Eike] Batista, era o ex-ministro da Casa

Civil (José Dirceu), e ele sugeriu então que Eike entrasse no petróleo.

Aí ele contratou o Landim, que começou a arquitetar.

Como o centro nevrálgico da estratégia da Petrobras é a gerência executiva de exploração, o

geólogo Paulo Mendonça, nascido em Portugal, formado aqui na USP, e o Landim, articularam

para em 2007 criar uma empresa nova, a partir dos técnicos da Petrobras.

E o senhor Batista queimou alguns milhões de dólares para assinar os contratos e dar as luvas

desses novos cargos, que estavam dentro da Petrobras mas, desde que o Landim foi trabalhar

com o senhor Batista, ele já estava lá para arrancar de dentro da Petrobras esses técnicos.

Aí chegou o fim de 2007, todos nós pressionando para não ter mais leilão, o Lula tira 41

blocos… Mas vamos voltar a 2006. 

Em 2006, quem anulou o leilão foi a Justiça, por discriminação contra a Petrobras fazer essas

coisas.

Ouvi isso da Jô Moraes, num debate na Câmara dos Deputados.

Só que aí se criou o seguinte imbróglio: um ex-ministro do governo Lula e dois do governo

Fernando Henrique, Pedro Malan e Rodolpho Tourinho, foram assessorar o Eike Batista.

Ele já tinha gasto um monte para criar sua empresa de petróleo.

Se o leilão fosse suspenso, ele ia ficar sem nada, e já tinha aliciado toda a equipe de exploração

e produção da Petrobras.

O que caberia a um governo que primasse por um mínimo de dignidade para preservar o

interesse público?

Cancelar o leilão e processar esses caras que saíram da Petrobras com segredos estratégicos.

Por que não foi feito?

Porque tanto Lula, quanto Dilma, quanto os ex-ministros, os dois do governo anterior e um do

governo Lula, estavam nessa empreitada.

Revista ADUSP: Quem era o ex-ministro?

Ildo Sauer – O ex-chefe da Casa Civil, antecessor de Dilma.

Revista Adusp: José Dirceu?

Ildo Sauer – É, ele foi assessor do Eike Batista, consultor.

Para ele, não era do governo, ele pegou contrato de consultoria, para dar assistência nas

negociações com a Bolívia, com a Venezuela e aqui dentro.

Ele [Dirceu] me disse que fez isso.

Do ponto de vista legal, nenhuma recriminação contra ele, digamos assim.

Eu tenho (recriminação)contra o governo que permitiu se fazer.

E hoje ele [Eike] anuncia ter 10 bilhões de barris já, que valem US$ 100 bilhões.

Até então, esse senhor Batista era um milionário, tinha cerca de US$ 200 milhões.

Todo mundo já sabia que o Pré-Sal existia, menos o público, porque o governo não anunciou

publicamente.

As empresas que operavam sabiam, tanto que a Ente Nazionale Idrocarburi D’Italia (ENI) pagou 

US$ 300 milhões por um dos primeiros poços leiloados em 2008.

Três ou quatro leilões foram feitos quando o leilão foi suspenso pela justiça.

Até hoje, volta e meia o [ministro] Lobão ameaça retomar o leilão de 2008, 2006.

A oitava rodada.

Para entregar.

Tudo em torno do Pré-Sal estava entregue naquele leilão.

No leilão seguinte, o governo insiste em leiloar.

E leiloou.

E na franja do Pré-Sal é que tem esse enorme poderio.

Como é que pode?

A empresa dele (Eike) foi criada em julho de 2007. Em junho de 2008 ele fez um Initial Public

Offering, arrecadou R$ 6,71 bilhões por 38% da empresa, portanto a empresa estava valendo

R$ 17 bilhões, R$ 10 bilhões dele.

Tudo que ele tinha de ativo: a equipe recrutada da Petrobras e os blocos generosamente

leiloados por Lula e Dilma.

Só isso.

Eu denunciei isso já em 2008.

Publicamente, em tudo quanto é lugar que eu fui, eu venho falando para que ficasse registrado

antes que ele anunciasse as suas descobertas.

Porque fui alertado pelos geólogos de que lá tinha muito petróleo.

Foi um acordo que chegaram a fazer, numa conversa entre Pedro Malan, Rodolpho Tourinho e

a então ministra-chefe da Casa Civil (Dilma), em novembro, antes do leilão.

O Lula chegou a concordar, segundo disse o pessoal do MST e os sindicalistas, em acabar com

o leilão.

Mas esse imbroglio, de o empresário ter gasto dezenas de milhões de dólares para recrutar

equipe e apoio político nos dois governos fez com que eles mantivessem…. 

Tiraram o filé-mignon, mas mantiveram o contra-filé.

O contra-filé é alguém que hoje anuncia ser o oitavo homem mais rico do mundo.

E tudo foi mediante essa operação no seio do governo.

Contra a recomendação dos técnicos da Petrobras, do Clube de Engenharia, do sindicalismo.

Foi a maior entrega da história do Brasil.

O ato mais entreguista da história brasileira, em termos econômicos.

Pior, foi dos processos de acumulação primitiva mais extraordinários da história do capitalismo

mundial.

Alguém sai do nada e em três anos tem uma fortuna de bilhões de dólares.

A Petrobras durante a vida inteira conseguiu descobrir 20 bilhões de barris de petróleo, antes

do Pré-Sal.

Este senhor, está no site da OGX, já tem 10 bilhões de barris consolidados.

Os Estados Unidos inteiros têm 29,4 bilhões de barris.

Ele anuncia que estará produzindo, em breve, 1,4 milhão de barris por dia — o mesmo que a

Líbia produz hoje.

É esse o quadro.

Ou a população brasileira se dá conta do que está em jogo, ou o processo vai ser o mesmo de

sempre.

Do jeito que foi-se a prata, foi-se o ouro, foram-se as terras, irão também os potenciais

hidráulicos e o petróleo, para essas negociatas entre a elite.

O modelo aprovado não é adequado.

Mantém-se uma aura de risco sem necessidade, para justificar que o cara está “correndo 

risco”, mas um risco que ele já sabe que não existe.

Qual é a nossa proposta?

Primeiro, vamos mapear as reservas: saber se temos 100 bilhões, 200 bilhões, 300 bilhões de

barris.

Segundo, vamos criar o sistema de prestação de serviço: a Petrobras passa a operar, recebe

por cada barril de petróleo produzido US$ 15 ou US$ 20, e o governo determina o ritmo de

produção.

Porque há um problema: a Arábia Saudita produz em torno de 10 milhões de barris, a Rússia

uns 8 milhões de barris, depois vêm os outros, com 2 a 4 milhões de barris por dia: Venezuela,

Iraque, Irã.

O Eike Batista anuncia a produção de 1,4 milhão de barris, a Petrobras anuncia 5 milhões de

barris e pouco.

Significa que o Brasil vai exportar uns 3 ou 4 milhões de barris.

Já é o terceiro ator.

Não se pode fazer mais isso.

Fonte: de 02/12/2011

http://www.tribunadaimprensa.com.br/?p=26923

&

http://www.claudiohumberto.com.br/bronca_geral

de 02/12/2011.

http://brazilianvoices.wordpress.com

/2011/12/11/os-leiloes-dos-campos-da-petrobras-parte-

 

final/

 

VOCÊ NÃO ACHA QUE DEVE DIVULGAR ISSO PARA OS SEUS AMIGOS ????

12 mar 2012 Publicado por | ABUSOS LEGISLATIVOS, ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA | 2 Comentários

Fazer cumprir…

Fazer cumprir…

Recebi de meu amigo Marcelo uma pequena história que vou compartilhar com os leitores.

Vejamos:

 

Existem pessoas que têm o dom da síntese.

Esse Abraham Shapiro conseguiu em poucas palavras explicar, através de uma historinha, como funciona o governo Dilma!

então vejamos:

 

ABRAHAM SHAPIRO
Navegando há vários meses sem que os marujos tomassem banho ou trocassem de roupas, o que não era novidade na Marinha Mercante britânica, o navio fedia.
O Capitão chama seu Imediato:
Mr. Simpson, o navio fede. Mande os homens trocarem de roupa!
Yes, Sir!
Simpson reúne seus homens e diz:
Sailors, o Capitão está se queixando do fedor a bordo e manda todos trocarem de roupa. David troque a camisa com John. John troque a sua com Peter. Peter troque a sua com Alfred. Alfred troque a sua com Fred…
E assim prosseguiu. Quando todos tinham feito as devidas trocas, ele retorna ao Capitão e diz:- — Sir, todos já trocaram de roupa.
O Capitão, visivelmente aliviado, manda prosseguir a viagem.

 

Você acaba de entender exatamente o que é o Brasil no governo atual. 

 

 

12 mar 2012 Publicado por | ARTIGOS, GOVERNO, História, Humor, POLÍTICA | Deixe um comentário

Uma visão da realidade

Uma visão da realidade

Estou publicando esta coluna que me foi enviada por email, pelo meu primo Camilo, sem realmente pesquisar se a autoria é realmente do alegado Marcelo Tas.

Apesar de não possuir os fatos documentados na presente coluna, publico por concordar totalmente com o que está relatado.

Pelo conteudo, nota-se que é um artigo um pouco datado, escrito ha alguns anos, mas isto não retira dele as realidades retratadas.

Se alguém discordar ou comprovar que não seja dele(Marcelo), é somente me mandar algum comentário com as correções que eu corrijo. Apenas a autoria, pois o fato relatado está totalmente de acordo com os meus pensamentos.

Uma maneira de olhar o significado de PT, segundo Marcelo Tas do CQC

 

“Por não ser petista, sempre fui considerado “de direita” ou “tucano”
pelos meus amigos do falecido Partido dos Trabalhadores.”

Vejam, nunca fui “contra” o PT. Antes dessa fase arrogante
mercadântica-genoínica, tinha respeito pelo partido e até cheguei a
votar nos “cumpanheiro”.
A produtora de televisão que ajudei a fundar no início da década de
80, a Olhar Eletrônico, fez o primeiro programa de TV do PT. Do qual
aliás, eu não participei.

Desde o início, sempre tive diferenças intransponíveis com o Partido
dos Trabalhadores. Vou citar duas.

Primeira: nunca engoli o comportamento homossexual dos petistas.
Explico: assim como os viados, os petistas olham para quem não é
petista com desdém e falam: deixa pra lá, um dia você assume e vira um
dos nossos.

Segunda: o nome do partido. Por que “dos Trabalhadores”? Nunca
entendi. Qual a intenção? Quem é ou não é “trabalhador”? Se o PT
defende os interesses “dos Trabalhadores”, os demais partidos defendem
o interesse de quem? Dos vagabundos?

E o pior, em sua maioria, os dirigentes e fundadores do PT nunca trabalharam.
Pelo menos, quando eu os conheci, na década de 80, ninguém trabalhava.
Como não eram eleitos para nada, o trabalho dos caras era ser
“dirigentes do partido”. Isso mesmo, basta conferir o currículum vitae
deles.

Repare no choro do Zé Genuíno quando foi ejetado da presidência do
partido. Depois de confessar seus pecadinhos, fez beicinho para a
câmera e disse que no dia seguinte ia ter que descobrir quem era ele.
Ia ter “que sobreviver” sem o partido. Isso é: procurar emprego. São
palavras dele, não minhas.

Lula é outro que se perdeu por não pegar no batente por mais de 20,
talvez 30 anos… Diga-me, qual foi a última vez, antes de virar
presidente, que Luis Ignácio teve rotina de trabalhador? Só quando
metalúrgico em São Bernardo. Num breve mandato de deputado, ele fugiu
da raia. E voltou pro salarinho de dirigente de partido. Pra rotina
mole de atirar pedra em vidraça.

Meus amigos petistas espumavam quando eu apontava esse pequeno detalhe
no curriculum vitae do Lula. O herói-mor do Partido dos Trabalhadores
não trabalhava!!!
Peço muita calma nessa hora. Sem nenhum revanchismo, analisem a
enrascada em que nosso presidente se meteu e me respondam. Isso não é
sintoma de quem estava há muito tempo sem malhar, acordar cedo e ir
para o trabalho. Ou mesmo sem formar equipes e administrar os rumos de
um pequeno negócio, como uma padaria ou de um mísero botequim?

Para mim, os vastos anos de férias na oposição, movidos a cachaça e
conversa mole são a causa da presente crise. E não o cuecão cheio de
dólares ou o Marcos Valério.
A preguiça histórica é o que justifica o surto psicótico em que vive
nosso presidente e seu partido. É o que justifica essa ilusão em
Paris…misturando champanhe com churrasco ao lado do presidente da
França…outro que está mais enrolado que espaguete.

Eu não torço pelo pior. Apesar de tudo, respeito e até apoio o esforço
do Lula para passar isso tudo a limpo. Mesmo, de verdade.

Mas pelamordedeus, não me venham com essa história de que todo mundo é
bandido, todo mundo rouba, todo mundo sonega, todo mundo tem caixa
2…

Vocês, do PT, foram escolhidos justamente porque um dia conseguiram
convencer a maioria da população (eu sempre estive fora desse transe)
de que vocês eram diferentes. Não me venham agora querer recomeçar o
filme do início jogando todos na lama.
Eu trabalho desde os 15 anos. Nunca carreguei dinheiro em mala. Nunca
fui amigo dessa gente.

Pra terminar uma sugestão para tirar o PT da crise. Juntem todos os
“dirigentes”, “conselheiros”, “tesoureiros”, “intelectuais” e demais
cargos de palpiteiros da realidade numa grande plenária. Juntos,
todos, tomem um banho gelado, olhem-se no espelho, comprem o jornal,
peguem os classificados e vão procurar um emprego para sentir a
realidade brasileira.

Vai lhes fazer muito bem. E quem sabe depois de alguns anos pegando no
batente, vocês possam finalmente, fundar de verdade um partido de
trabalhadores.

11 mar 2012 Publicado por | ARTIGOS, GOVERNO, POLÍTICA, TRABALHO | Deixe um comentário

Que a Força esteja com você…..

Que a Força esteja com você..

A operação Santa Tereza da PF foi lançada em 2008.

A Operação Santa Tereza investigou uma organização criminosa que fazia uso de pessoas com influência política no BNDES para conseguir a liberação de empréstimos para as prefeituras e empresas e que se aproveitavam de projetos falsos elaborados por uma empresa de consultoria. O dinheiro recebido do BNDES, segundo o MPF, era usado em uma casa de prostituição e de tráfico de mulheres, em São Paulo, chamada de W.E., quando então era lavado (legalizado).

E não é somente ele, é a família toda:

O Ministério Público Federal (MPF) ampliou a denúncia contra os envolvidos no esquema de desvio de verbas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) na Operação Santa Tereza. Mais quatro pessoas foram incluídas na acusação.

A mulher do deputado Paulinho (PDT-SP), da Força Sindical, – Elza Pereira -, e o ex-prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão, foram denunciados por lavagem de dinheiro e desvios na aplicação de recursos.

http://noticias.pgr.mpf.gov.br/noticias/noticias-do-site/copy_of_criminal/sta-tereza-mpf-denuncia-mulher-de-paulinho-e-ex-prefeito-de-praia-grande/

O Paulo Pereira da Silva foi investigado como sendo o responsável pela liberação dos empréstimos junto ao BNDES, e em um dos diálogos atribuídos como sendo ele um dos dialogantes, a PF gravou quando ele se referiu mais ou menos assim:

“Bem, temos que conseguir dinheiro do BNDES, porque a maioria deste dinheiro vem do FAT (Fundo de Auxilio ao Trabalhador), e isto quer dizer quer é nosso, pois nós somos os trabalhadores”

Com este diálogo, foi pedida a sua cassação como deputado federal, e que com suborno político foi abortada pelo conselho de ética.

O supremo não quis abrir um processo contra ele, porque com seu privilégio denominado “Imunidade Parlamentar” (Vergonha Nacional), e como a operação chamada Santa Tereza não foi dedicada exclusivamente para investigar o parlamentar, a escuta com seu diálogo, não poderia ser usada como uma prova contra ele.

Grande merda esta decisão, isto se equivale a dizer que se por um acaso, uma destas escutas legais, pegar alguma confissão de alguém que não esteja sendo diretamente investigado, esta escuta não serve!!!!

Esta operação se deu em 2008, mas a Folha de São Paulo tem 2.072 notícias sobre o “Paulinho da Força”, e 80% são notícias desabonadoras onde o parlamentar e sindicalista está envolvido em atos suspeitos.

Quem tiver curiosidade (e tempo) para pesquisar, o link é:

http://search.folha.com.br/search?q=%22Paulo%20Pereira%20da%20Silva%22&site=online&sr=1

A verdade é que perto dele o Ricardo Teixeira deveria ser canonizado pelo Papa.

Bem hoje recebi por email do meu primo Camilo, um interessante comentário sobre o “Paulinho” esta vergonha nacional. Este comentário está muito bom e estou publicando. Exatamente como recebi e na integra:

Texto que merece ser repassado

 

Humberto de Luna Freire Filho para O Estado de São Paulo <forum@grupoestado.com.br>

 

O deputado Paulo Pereira da Silva, o tal Paulinho da Força, acaba de mostrar quantos neurônios tem, ao pronunciar a seguinte frase: “Não dá para aceitar que a imprensa fique derrubando ministro de 15 em 15 dias.” Uma frase histórica, digna de placas a serem fixadas na CUT e na Câmara. Nobre deputado, quem derruba ministro não é a imprensa, não lhe informaram isso? Eles estão caindo porque são ladrões do erário e foram denunciados por uma imprensa não comprometida com esse governo corrupto. E mais, um rato decapitado a cada 15 dias é pouco. Se o Judiciário fosse independente, se o Legislativo não tivesse sido comprado e o Executivo perdesse a chave do cofre, todo o governo seria derrubado em um só dia. E as quadrilhas (inclusive a sua), eufemisticamente chamadas de partidos políticos, seriam imediatamente extintas para o bem do Brasil e em respeito ao cidadão.

 

Humberto de Luna Freire Filho

04 mar 2012 Publicado por | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, Cinismo, Justiça, POLÍTICA | Deixe um comentário

O PODER DA COMUNICAÇÃO

O PODER DA COMUNICAÇÃO

O ministro da educação Fernando Haddad, de acordo com ele mesmo, fez um ótimo trabalho em sua gestão, trabalho este que vai ser o carro chefe em sua campanha para a prefeitura de São Paulo.

De acordo com ele, antes haviam trevas na maneira do brasileiro se comunicar, e ele trouxe a luz, a compreensão, a igualdade, e nunca na história deste país o brasileiro pode se comunicar tão bem, e sem nenhuma classe de preconceito.

Se por acaso falar um português um pouco fora das regras, não tem importância, pois o importante é se comunicar sem preconceito.

Se na  matemática ele errar por um algarismo ou dois, também não poderá ser criticado pois realmente são algarismos demais para se guardar e um ou dois não podem fazer muita falta.

Para iluminar a sua campanha para a prefeitura, o Fernandinho Beir….. desculpe Haddad, vai expor pela maior cidade do Brasil um dos resultados do sucesso de sua gestão como ministro.

Vejam uma amostra abaixo:

A comunicação está em cima

                                                                                                                                                              

A pamonha foi inventada pelos Árabes?

Esta vitrine espelha perfeitamente a especialidade da loja….

Asfalto cebrado – não entendeu, não fale nada pois pode ser interpretado como Preconceito gramatical

Sem comentários – Pergunte ao Feranando Haddad

Se estiver morto leve à funerária.

Bem, este novo e raro metal é produzido apenas no Brasil

A vaca realmente foi para o brejo……

A nova forma de comunicação para a classe emergente Celular com fio (fio da put….)

por acaso seria mousse ou será pó de rato mesmo?

Será que faltou tinta para escrever “Carta do Amante”?

Novo filme de terror baseado na história do Chuck – Barbie a assassina……

Por favor tenha pena d’eu…..

Não bastasse o “Barbie Kill” agora tem o Baby Kio… Alguma relação?

Nova raça, super brava e perigosa – Muito Rara aliás o único exemplar se encontra por aqui

Nova receita da Vovó – Aproveitem

Nova maneira de escrever “Halls” mais fácil. Gente! nem copiando acertaram. Ninguém mereçe

As fraudas são feitas com semi penas dos semi frangos. Semi Caipiras! por favor.

Novo tipo de material – Tapoé – pode ser que seja uma aglutinação?

Está um pouco difícil de se ler, ou eu entendí errado “Monstruario”? Que monstro…..

Novo cereal – Muito nutritivo – Reparem a originalidade da grafia. Os “N” são lindos

Coitado do Guraná, Agora virou flôr, e de quem? – ora!! do Ziaco evidente…

Você deixaria este empresário “Estalar”algo em seu telhado? Liguem para o Fernando Haddad

Estou Xokado!!!!!!

Escola superior para a dor – exelente iniciativa do governo Lula

A comunicação é imprescindível!!!!

Que maravilha de empreendimento – Vai encarar?

Nem que seja no inferno!!!!!!

Seria a cor do carro ou a cor da inteligência do individuo compreto?

Obstetra? Ginecologista?

Eu tenho a imprenssão que este artista graduou em uma das universidades inauguradas pelo Lula

A minha famlia ficaria feliz em receber açua – Que emoção ver que a nova cartilha do Fernando Haddad está em pleno uso, e que os brasileiros agora estão livres da discriminação gramatical…..

Ficamos auto suficientes em petróleo mas estamos também produzindo “GAZO LINA”.

Sem comentário – Seria discriminação gramatical!!!!!!!!!

Também nós estamos entendendo a nova gramática. Paciência! vai levar algum tempo mas a gente chega lá…

Tempo verbal nem se fala – emoção pura.

Nova maneira de servir comida. Se serve então serve!!!!

Nova comida. Traduzindo: Bancon = Bacon e Ergues = Eggs

O grande comunicador !!!!!!

Imagine porque o Lula fugiu desta escola!!!!!

Sem comentários

Este está bem clássico – A comunicação é imprescindível….

Não reclame se não entender. Vá comprar a nova cartilha da língua portuguesa.

07 dez 2011 Publicado por | ABOBRINHAS, ANEDOTAS, CURIOSIDADES, GOVERNO, Humor, POLÍTICA | Deixe um comentário

Comentários

COMENTÁRIOS

Eu leio constantemente a coluna do Reinaldo de Azevedo, na Veja on Line.

Este profissional escreve muito bem, mostra os fatos coerentes com o que escreve, e os pontos que escolhe sempre são relevantes aos problemas diários do Brasil, e a meu ver seus artigos buscam uma forma de alertar a quem os lê para o futuro do país em que nossos filhos devem amadurecer.

Ele pega pesado na turma da esquerda brasileira  que de esquerda tem somente o nome, mas no momento que assumiu o poder mostrou a que veio, banalizando a criminalidade e institucionalizando o crime executivo, o crime extorsivo, o crime político, e promovendo a impunidade e se vangloriando disto.

Não bastando, esta esquerda, institucionalizou a manutenção da ignorância promovendo pelo MEC a aprovação de livros gramaticais que incitam os erros gramaticais chamando-os de “Língua do Povo” e denominando o ato de quem os tenta corrigir de “Preconceito Gramatical”.

O MEC aprovou livros de matemática onde os gritantes erros são tolerados como somas de 2+2= 5. Os livros de história recente citam o Grupo MST como “lutadores pela igualdade social” quando na realidade eles são um bando de foras da lei, que aterrorizam os honestos fazendeiros e produtores rurais em nome de “igualdade Social”.

Também nos livros de História aparecem os assassinos que aterrorizaram o Brasil, como os revolucionários que tentavam implantar uma ditadura comunista, como lutadores contra a ditadura e pro democracia, uma tremenda distorção da verdade. Esta parte da história fez parte de minha vida e eu sei a verdade, mas os jovens que lêem estas distorções históricas, vão viver com idéias erradas dos fatos reais que ocorreram no seu país.

Bem tem muito mais, mas esta amostra é apenas para enfatizar a razão pela qual eu entrevejo a ojeriza que o Reinaldo sente pela esquerda brasileira. E mais, ele já foi militante de esquerda. Sendo assim, eu penso que além da aversão, ele também sente frustração em ver no que suas idéias antigas de esquerda se transformaram no Brasil.

Ao ler seus artigos, eu leio vários comentários de outros leitores, mas raramente faço algum comentário.

Recentemente, porém, exatamente ontem, dia 06 de dezembros de 2011, eu comentei no seu post do dia 05/12 – 6,35.

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/se-voce-nao-conhece-a-historia-de-orlando-lovecchio-vai-conhecer-agora-e-um-enredo-em-que-a-vitima-e-punida-e-o-bandido-beneficiado/#comments

O meu comentário foi o seguinte:

Anda rolando na NET a informação abaixo, o que pode explicar a tremenda proliferação destas indenizações milionárias, com altas pensões vitalícias, incluindo na lista o Carlos Heitor Cony, o Ziraldo entre outros.

Aí publiquei  o que vem abaixo, excluindo as fotos, porque no setor “Comentários” a formatação é simples e não permite fotos.

Meu comentário foi censurado pela coluna do Reinaldo.

Gostaria de saber o motivo

ESSE GOLPE BILIONÁRIO ESTÁ SENDO FINANCIADO POR TODOS NÓS

P: Vocês sabem quem é o advogado que representa todas as causas de pedido de indenização às “vítimas da ditadura militar” no Brasil?

R: O Sr. Luis Eduardo Greenhalgh.

P: Vocês sabem qual a participação ou “taxa de sucesso” do Sr. Greenhalgh em cada indenização concedida?

R: 30%

P: Vocês sabem qual o lucro obtido até agora pelo Sr. Greenhalgh com a máquina de indenizações que montou com conivência do Planalto?

   R: Cerca de R$ 900.000.000,00. Sim é isto mesmo que vocês leram –  900 milhões de  reais!

P: Vocês sabem qual é a estimativa de lucro prevista para ser obtido pelo Sr. Greenhalgh em cima do restante dos processos indenizatórios existentes?


R: Cerca de outros R$ 2.000.000.000,00. Não, não é engano de digitação não, são 2 bilhões de reais mesmo!!! 

Ou seja, o homem que defendeu os seqüestradores de Abílio Diniz com argumentos do naipe de que eles deveriam ter atenuantes, pois as motivações do seqüestro eram políticas (como se, para a vítima de seqüestro fizesse alguma diferença ser seqüestrado e mantido dentro de um buraco imundo no fundo de um barraco por causa política, social ou criminal).

Pois este mesmo  homem montou um esquema azeitado com a ajuda do Partido dos Trabalhadores e vai amealhar um patrimônio aproximadamente igual ao que um empresário como Antônio Ermírio de Morais obteve em algumas gerações de trabalho duro e competente.

Isto está ocorrendo em nossas barbas, nas barbas do povo brasileiro e nas barbas da imprensa!

E o dinheiro que está sendo desviado, roubado sob esse pretexto ridículo de indenização, é nosso, é meu, é seu! Nunca houve no Brasil um processo tão  escrachado de desvio de verbas!

Esse mesmo homem por pouco não foi eleito presidente da câmara dos deputados.

O que mais “eles” poderiam armar comandando executivo e legislativo?

“DEFENDO CAUSAS E NÃO CASOS ”  - Suas palavras

ISSO É UM CASO SÉRIO DE POUCA VERGONHA !!!

Como é que um deputado tem tanta força e prestígio para aprovar lei e liberar bilhões do orçamento?

O advogado Greenhalgh tirando Lula da cadeia na década de 80

VOCÊ ENTENDEU AGORA?

 

Outras coisas sobre esta pessoa:

  1. 1.       Foi ele que defendeu e livrou da cadeia o famigerado e inescrupuloso José Rainha Jr. Do MST, e o deixou livre para cometer mais crimes.

  2. 2.       No assassinato do ex-prefeito Celso Daniel, a investigação foi seguida de perto pelo Greenhalgh, conseguindo com manobras espúrias, manipular a investigação, que no começo tinha toda a assinatura de um crime político envolvendo figuras da cúpula do PT, transformado em crime comum, pela delegada Elizabeth Sato, que coincidentemente é tia do genro do Lula.

 

 

 

06 dez 2011 Publicado por | ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, CENSURA, GOVERNO, lucros, POLÍTICA | Deixe um comentário

 

Enviaram-me esta sugestão no email.

Achei interessante e estou publicando

 

 

“Já que colocam fotos de gente morta nos maços de cigarros, por que não colocar também: de gente obesa em pacotes de batata frita, de animais torturados nos cosméticos, de acidentes de trânsito nas garrafas e latas de bebidas alcoólicas, de gente sem teto nas contas de água e luz, e de políticos corruptos nas guias de recolhimento de impostos?”

01 dez 2011 Publicado por | ANEDOTAS, ÉTICA, Humor, POLÍTICA | Deixe um comentário

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: