blog do Roberto Leite

Assuntos de interesses multiplos e atuais.

dilmachuck - 6

Mais uma das incríveis e indecifráveis narrações da presi-Danta.orelha queimando - 6

O Lula, é um imbecil, fala besteiras por atacado, mas pelo menos você sabe o que ele está dizendo: Se o mundo fosse quadrado, levar o SUS para o Obama aprender o que é saúde pública, ETC., mas a Anta, não se sabe realmente o que ela diz. E fala desta forma em qualquer lugar.

Em Davos, os tradutores simultâneos não sabiam como traduzir mais da metade de seu discurso, pois nada fazia sentido.
Agora encontrei esta na coluna do Augusto Nunes, e está imperdível.

Quem decifrar o Enigma de Feira de Santana ganhará um diploma de doutor em dilmês
O jornalista Celso Arnaldo Araújo acaba de ordenar a internação de Dilma Rousseff amparado em outro trecho do atordoante palavrório produzido em Feira de Santana. Na primeira leitura da frase entre aspas, bateu-me a suspeita de que faltaram algumas palavras. Na segunda, desconfiei que o grande caçador de cretinices estava brincando comigo. Na terceira, achei melhor passar a bola para o timaço de comentaristas.
O neurônio solitário, como sabem os leitores da coluna, é um craque insuperável na arte de não falar coisa com coisa. Mas quase sempre fornece indícios e pistas que permitem suspeitar do que queria explicar à plateia. Desta vez, nada encontrei que me ajudasse a decifrar o enigma.dilmalinda - 6
Na justificativa da internação, Celso Arnaldo informa que a paciente decidiu “dar um exemplo dramático de como é complicado negociar com bancos no Brasil”. É isso, mas talvez existam mais recados submersos na sopa de letras servida abaixo:
“Quando você chega no banco, ele (sic) vai te perguntar: ’Qual é a garantia que você me dá? Eu vou pagar a vocês, para me aceitar te emprestar um dinheiro para você me pagar’”.
Quero saber o que cada um de vocês imagina o que a presidente quis dizer. Quem desvendar o mistério vai ganhar um diploma de doutor honoris causa em dilmês.
• RECADO DO CELSO ARNALDO dilma 1
No começo desta tarde, nosso PhD em dilmês enviou a seguinte mensagem:
Consegui enfim ouvir o áudio do discurso de Feira de Santana e, de fato, ao vivo, tudo é ainda pior que na transcrição do Portal do Planalto. Especificamente na frase deste post, eis o original literal e apavorante:
“Quando você chega no banco, ele vai te perguntá qual é a garantia que cê me dá. Eu vô pagá vocês pra mim, aliás, pra me aceitá ti emprestar um dinheiro procê me pagar”.
Lamento não ter podido solucionar o enigma que você propõe em seu post – ao contrário, agravei-o. Mas podia ser pior: já imaginou essa senhora comandando a sétima economia do mundo? Epa! Ela comanda a sétima economia do mundo!dilma cega - 6

 

03 maio 2014 Posted by | ABOBRINHAS, ARTIGOS, GOVERNO, POLÍTICA | , , , | Deixe um comentário

Rir é o melhor remédio

Encontrei isto hoje no Blog do Giulio Sanmartinipapuda
http://prosaepolitica.wordpress.com
Quase morri de rir. É bem triste, eu sei disto, mas as vezes rir é o melhor remédio.
O comentário do Anhanguera esta impecável.

MAIS PÉROLAS… DA GOVERN ANTA
________________________________________

Ih! A coisa tá fedendo…ta fedendo
Adoro a eloqüência desta Presidenta… é dilmais, como se expressa bem!
TEORIA GERAL DA DILMA
“O início do Brasil e o fim do Brasil e o meio do Brasil são os municípios, porque não existe, de fato… nem é União, nem é um estado, um estado fisicamente. Existem, fisicamente, os municípios, as cidades e as zonas rurais”.
PRA FRENTE, PARÁ
“Então, eu vou concluir dizendo para a maioria e para a minoria, para todos, por que é que eu dei esse exemplo? Eu dei esse exemplo pelo seguinte, eu quero dizer para vocês que o Brasil só vai para frente se o Pará for para frente”.
________________________________________
Anhangüera comenta: – A culpa do Brasil ter parado, então é do Pará, porque se o Pará parou, o Brasil parou junto. Puta que o parou… paralisou, pariu. A perua pirou. Do Chauí ao Óia a porcaria que ela arrumou… existem os municípios, fisicamente, quimicamente e matematicamente. Já a União fabricava açúcar e está quase falindo, e os Estados, como o próprio nome indica, estão em péssimo estado.
Postado por Anhangüerapetralha

 

 

 

02 maio 2014 Posted by | ABOBRINHAS, ANEDOTAS, ARTIGOS, Cinismo, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

O PODER DA COMUNICAÇÃO

O PODER DA COMUNICAÇÃO

O ministro da educação Fernando Haddad, de acordo com ele mesmo, fez um ótimo trabalho em sua gestão, trabalho este que vai ser o carro chefe em sua campanha para a prefeitura de São Paulo.

De acordo com ele, antes haviam trevas na maneira do brasileiro se comunicar, e ele trouxe a luz, a compreensão, a igualdade, e nunca na história deste país o brasileiro pode se comunicar tão bem, e sem nenhuma classe de preconceito.

Se por acaso falar um português um pouco fora das regras, não tem importância, pois o importante é se comunicar sem preconceito.

Se na  matemática ele errar por um algarismo ou dois, também não poderá ser criticado pois realmente são algarismos demais para se guardar e um ou dois não podem fazer muita falta.

Para iluminar a sua campanha para a prefeitura, o Fernandinho Beir….. desculpe Haddad, vai expor pela maior cidade do Brasil um dos resultados do sucesso de sua gestão como ministro.

Vejam uma amostra abaixo:

A comunicação está em cima

                                                                                                                                                              

A pamonha foi inventada pelos Árabes?

Esta vitrine espelha perfeitamente a especialidade da loja….

Asfalto cebrado – não entendeu, não fale nada pois pode ser interpretado como Preconceito gramatical

Sem comentários – Pergunte ao Feranando Haddad

Se estiver morto leve à funerária.

Bem, este novo e raro metal é produzido apenas no Brasil

A vaca realmente foi para o brejo……

A nova forma de comunicação para a classe emergente Celular com fio (fio da put….)

por acaso seria mousse ou será pó de rato mesmo?

Será que faltou tinta para escrever “Carta do Amante”?

Novo filme de terror baseado na história do Chuck – Barbie a assassina……

Por favor tenha pena d’eu…..

Não bastasse o “Barbie Kill” agora tem o Baby Kio… Alguma relação?

Nova raça, super brava e perigosa – Muito Rara aliás o único exemplar se encontra por aqui

Nova receita da Vovó – Aproveitem

Nova maneira de escrever “Halls” mais fácil. Gente! nem copiando acertaram. Ninguém mereçe

As fraudas são feitas com semi penas dos semi frangos. Semi Caipiras! por favor.

Novo tipo de material – Tapoé – pode ser que seja uma aglutinação?

Está um pouco difícil de se ler, ou eu entendí errado “Monstruario”? Que monstro…..

Novo cereal – Muito nutritivo – Reparem a originalidade da grafia. Os “N” são lindos

Coitado do Guraná, Agora virou flôr, e de quem? – ora!! do Ziaco evidente…

Você deixaria este empresário “Estalar”algo em seu telhado? Liguem para o Fernando Haddad

Estou Xokado!!!!!!

Escola superior para a dor – exelente iniciativa do governo Lula

A comunicação é imprescindível!!!!

Que maravilha de empreendimento – Vai encarar?

Nem que seja no inferno!!!!!!

Seria a cor do carro ou a cor da inteligência do individuo compreto?

Obstetra? Ginecologista?

Eu tenho a imprenssão que este artista graduou em uma das universidades inauguradas pelo Lula

A minha famlia ficaria feliz em receber açua – Que emoção ver que a nova cartilha do Fernando Haddad está em pleno uso, e que os brasileiros agora estão livres da discriminação gramatical…..

Ficamos auto suficientes em petróleo mas estamos também produzindo “GAZO LINA”.

Sem comentário – Seria discriminação gramatical!!!!!!!!!

Também nós estamos entendendo a nova gramática. Paciência! vai levar algum tempo mas a gente chega lá…

Tempo verbal nem se fala – emoção pura.

Nova maneira de servir comida. Se serve então serve!!!!

Nova comida. Traduzindo: Bancon = Bacon e Ergues = Eggs

O grande comunicador !!!!!!

Imagine porque o Lula fugiu desta escola!!!!!

Sem comentários

Este está bem clássico – A comunicação é imprescindível….

Não reclame se não entender. Vá comprar a nova cartilha da língua portuguesa.

07 dez 2011 Posted by | ABOBRINHAS, ANEDOTAS, CURIOSIDADES, GOVERNO, Humor, POLÍTICA | Deixe um comentário

As palestras do Lula

As palestras do Lula.

Eu fico intrigado com o cachê das palestras do Lula.

Ele está faturando mais do que o dobro do FHC por palestras nacionais e internacionais.

Como será isto cabível, se nem com os dois títulos demagógicos que ele tem em Honoris Causa, pela Universidade de Coimbra e pela Universidade da Bahia!!!!!,  justificam se  estes preços?

Honoris Causa do latim, que traduzido para o português seria por causa da honra, qual seria a honra do Lula para merecer este título?

Na página da UNB (Universidade Nacional de Brasília) tem uma definição do mérito para este reconhecimento:

Doutor Honoris Causa é o titulo atribuído à personalidade que se tenha distinguido pelo saber ou pela atuação em prol das artes, das ciências, da filosofia, das letras ou do melhor entendimento entre os povos.”

Bem por esta definição fica a pergunta:

Em qual atribuição se distinguiu o Lula para merecer estes títulos?

O Lula está no mesmo nível do Ronaldinho Gaucho, recebendo a comenda Machado de Assis da Academia Brasileira de Letras, honra esta dedicada aos que prestaram distinto serviço à língua brasileira.

Eu sou capaz de apostar que o Ronaldinho não conhece nem o título de alguma obra de Machado de Assis, ou que indo mais longe não sequer pode mencionar alguma obra literária que tenha lido inteiramente.

Tomei a iniciativa, de conseguir algumas das recentes palestras do Lula (Encontrei algumas no youtube) e com muita paciência ouvi o que consegui, para tentar entender o valor pago ao Lula para fazer palestras.

Sinceramente e sem nenhum preconceito, não consegui ver nada de fantástico ou construtivo ou novidades em sua fala. Em uma delas na África do Sul, o Lula visivelmente embriagado, falava coisas relacionadas a uma propaganda turística em favor do Brasil.

Não havia nada relevante, nada instrutivo ou nenhuma novidade sobre o Brasil, fez para variar suas cansativas metáforas futebolísticas, mais no nível do Faustão, só que o Faustão é menos cansativo do que o Lula bêbado. Não havia nada que justificasse um cachê milionário.

Então fui ver os patrocinadores:

  • Odebrecht

  • LG

  • Claro

  • Samsung

  • Carlos Sim

  • Eike Batista

Entre outros que se beneficiaram e muito com o governo Lula.

Se você tiver paciência e escutar uma palestra do FHC, e uma do Lula, seja você simpatizante ou não do Lula, pode notar a diferença de qualidade inclusive na pronúncia das palavras, no conteúdo, e no todo.

Então qual seria o incentivo destas empresas em bancar um apedeuta bêbado falando bobagens e coisas sem nenhuma importância com um preço bem superior ao de um acadêmico comprovado, falando corretamente vários idiomas e com vários livros publicados?

Fiquei matutando e cheguei a uma conclusão para mim muito óbvia:

As empresas, não pagam nada, apenas bancam a viagem do Lula.

Anunciam com estardalhaço que estão pagando um alto cachê.

Conseguem um recibo de pagamento da parte do Lula,

Descontam de seus impostos o montante pago em nome de propaganda ou seja lá o que  se encaixar nas despesas  de conferências.

E o Lula, com estas palestras idiotas, vai lavando o dinheiro que roubou descaradamente quando presidente, para justificar no futuro, o patrimônio não condizente com os seus ganhos salariais.

Esta solução explica o valor das palestras, onde tudo é fictício:

O valor do palestrante,

E os pagamentos milionários.

Parece até coisa mancomunada pelo Zé Dirceu.

Eta Brasil

12 set 2011 Posted by | ABOBRINHAS, ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA | 2 Comentários

PEROLAS.

PEROLAS.

Recebi da Pernelle, uma amiga e leitora deste blog este email com as pérolas do ENEM de 2009.

Quem comentou realmente tem senso de humor, mas se realmente isto for verdadeiro temos mais é que ficar de luto permanente.

As gerações futuras podem ter como mestres estas sumidades que escreveram estas asneiras.

Mas, também podem se tornar presidentes da republica……….

Ou organizar os fundos da campanha como o Delúbio que já é  professor de matemática.

AS PÉROLAS DO ENEM 2009

Demorou, mas saiu!

As pérolas do ENEM 2009

O tema da redação do Enem 2009 foi Aquecimento Global, e como acontece todo ano, não faltaram preciosidades. Lá vão:

1) “o problema da amazônia tem uma percussão mundial. Várias Ongs já se estalaram na floresta.” (percussão e estalos. Vai ficar animado o negócio)


2) “A amazônia é explorada de forma piedosa.” (boa)

3) “Vamos nos unir juntos de mãos dadas para salvar planeta.” (tamo junto nessa, companheiro. Mais juntos, impossível)

4) “A floresta tá ali paradinha no lugar dela e vem o homem e créu.” (e na velocidade 5!)

5) “Tem que destruir os destruidores por que o destruimento salva a floresta.” (pra deixar bem claro o tamanho da destruição)

6) “O grande excesso de desmatamento exagerado é a causa da devastação.” (pleonasmo é a lei)

7) “Espero que o desmatamento seja instinto.” (selvagem)

8) “A floresta está cheia de animais já extintos. Tem que parar de desmatar para que os animais que estão extintos possam se reproduzirem e aumentarem seu número respirando um ar mais limpo.” (o verdadeiro milagre da vida)

9) “A emoção de poluentes atmosféricos aquece a floresta.” (também fiquei emocionado com essa)

10) “Tem empresas que contribui para a realização de árvores renováveis.” (todo mundo na vida tem que ter um filho, escrever um livro, e realizar uma árvore renovável)

11) “Animais ficam sem comida e sem dormida por causa das queimadas.” (esqueceu que também ficam sem o home theater e os dvd’s da coleção do Chaves)

12) “Precisamos de oxigênio para nossa vida eterna.” (amém)

13) “Os desmatadores cortam árvores naturais da natureza.” (e as renováveis?)

14) “A principal vítima do desmatamento é a vida ecológica.” (deve ser culpa da morte ecológica)

15) “A amazônia tem valor ambiental ilastimável.” (ignorem, por favor)

16) “Explorar sem atingir árvores sedentárias.” (peguem só as que estiverem fazendo caminhadas e flexões)

17) “Os estrangeiros já demonstraram diversas fezes enteresse pela amazônia.” (o quê?)

18) “Paremos e reflitemos.” (beleza)

19) “A floresta amazônica não pode ser destruída por pessoas não autorizadas.” (onde está o Guarda Belo nessas horas?)

20) “Retirada claudestina de árvores.” (caráulio)

21) “Temos que criar leis legais contra isso.” (bacana)

22) “A camada de ozonel.” (Chris O’Zonnell?)

23) “a amazônia está sendo devastada por pessoas que não tem senso de humor.” (a solução é colocar lá o pessoal da Zorra Total pra cortar árvores)

24) “A cada hora, muitas árvores são derrubadas por mãos poluídas sem coração.” (para fabricar o papel onde ele fica escrevendo asneiras)

25) “A amazônia está sofrendo um grande, enorme e profundíssimo desmatamento devastador, intenso e imperdoável.” (campeão da categoria “maior enchedor de lingüiça”)

26) “Vamos gritar não à devastação e sim à reflorestação.” (NÃO!)

27) “Uma vez que se paga uma punição xis, se ganha depois vários xises.” (gênio da matemática)

28) “A natureza está cobrando uma atitude mais energética dos governantes.” (red bull neles – dizem as árvores)

29) “O povo amazônico está sendo usado como bote expiatório” (ótima)

30) “O aumento da temperatura na terra está cada vez mais aumentando.” (subindo!)

31) “Na floresta amazônica tem muitos animais: passarinhos, leões, ursos, etc.” (deve ser a globalização)

32) “Convivemos com a merchendagem e a politicagem.” (gzus)

33) “Na cama dos deputados foram votadas muitas leis.” (imaginem as que foram votadas no banheiro deles)

34) “Os dismatamentos é a fonte de inlegalidade e distruição da froresta amazonia.” (oh god)

35) “O que vamos deixar para nossos antecedentes?” (dicionários)

27 dez 2009 Posted by | ABOBRINHAS, EDUCAÇÃO, Humor | 2 Comentários

O dono do Brasil – II

O dono do Brasil – IIrafale

Já tenho um outro post com este título:

https://rleite.wordpress.com/2007/04/20/o-dono-do-brasil/

Depois do prematuro e imaturo anuncio da compra dos Rafales franceses pelo Brasil, o Lula provavelmente aconselhado por algum assessor com algo na cabeça, voltou atrás e disse mais asneiras, para justificar a decisão já tomada.

Ele já se considerando dono do Brasil e de todo o dinheiro brasileiro disse que não importa os detalhes técnicos da aeronáutica ou os preços favoráveis de algum outro candidato, um americano e outro sueco.

A decisão final é estratégica e cabe apenas a mim como presidente.repasse de propina

Para quem entendeu, está tudo muito claro. Ele já se comprometeu de alguma forma, com os franceses. Eu vou ser pouco elegante, mas conhecendo bem as manobras da turma da cachaça, eu estou apostando que as comissões para a compra já foram pagas pelos franceses, e estão em contas numeradas e em nome de laranjas, bem seguras em algum banco em paraíso fiscal.

Foi assim com o Aero lula, que preteriu um bom Embraer, por um francês defasado e fora de linha, com uma desculpa esfarrapada de autonomia que não existe. O Roberto Teixeira intermediou o negocio!!!! Algo de novo?

O apedeuta está tentando fazer as forças armadas de besta e pode se dar mal. Deveria se dar mal. Em qualquer outro lugar teria este negocio muito bem investigado.

A revista de defesa de maior crédito no mundo, a “Janes’s Defense Weekly” – http://jdw.janes.com/public/jdw/index.shtmljanes -2

já deu como certa a compra pelo Brasil dos jatos franceses. E esta revista muito bem conceituada erra muito pouco.

E então o resumo fica assim:

A thurma do Lula vai para a França, fecha o negócio sem o congresso participar de nada, recebe a comissão adiantada, faz a presepada no Brasil para engabelar a todos, Forças Armadas, Congresso e o povo. Recebe seu dinheirinho sujo e parte para o abraço.

Se aparecer algum outro negócio melhor para o Brasil, ele apenas diz que o negocio com os franceses era estratégico e pronto acabou. Do mesmo jeito que fez para esconder as compras pela primeira baranga com os cartões corporativos.

Segurança nacional

Que tal? Gostaram?

12 set 2009 Posted by | ABOBRINHAS, GOVERNO, POLÍTICA | 3 Comentários

O pastel sem recheio

O pastel sem recheioverdade

De acordo com as definições do Houaiss, existem nove definições para “Mentira”:

n substantivo feminino

1 ato ou efeito de mentir; engano, falsidade, fraude

2 hábito de mentir

Ex.: <vive na m.> <a m. lhe é odiosa>

3 afirmação contrária à verdade a fim de induzir a erro

Ex.: <m. grosseira> <contar m.>

4 qualquer coisa feita na intenção de enganar ou de transmitir falsa impressão

Ex.: uma teoria elaborada à base de mentiras

5 pensamento, opinião ou juízo falso

Ex.: neste país, tudo é m. e presunção

6 Derivação: por extensão de sentido.

aquilo que é enganador, que ilude, que se aproxima da verdade ou é real apenas na aparência; ilusão, fábula, ficção

Ex.: a felicidade é uma m.

7 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

pequena mancha branca nas unhas; albugem, leuconiquia

8 Rubrica: culinária. Regionalismo: Rio de Janeiro.

biscoito preparado com massa de pão-de-ló, na forma de um pequeno disco; mentirinha

9 Rubrica: culinária. Regionalismo: Minas Gerais.

pastel desprovido de recheio

Dentre todas elas, as únicas que não descrevem a personalidade do presidente brasileiro, o apedeuta Lula, são sétima e a oitava, porque são alusivas a outra coisa como mancha nas unhas e um tipo de rosquinha preparada com massa de pão-de-ló.

A ultima, apesar de se referir também à culinária, em meu ver, é a que ilustra melhor o desempenho de governo do Lula:

“Um pastel sem recheio”pintando o sete

É incrível, como tudo que sai da administração não tem nenhum fundamento, nenhuma substância. Quando fica muito grotesco, é desmentida prontamente com outra mentira, e depois simplesmente esquecida encoberto por outra mentira ou fato desgarrado ou modificado para impressionar. Como as caríssimas propagandas dos feitos do governo e as obras do PAC, que são em sua maioria feitas pelos estados e municípios apenas com financiamento federal, porque todos os financiamentos deste tipo são federais.

Seria como se você fizesse um empréstimo na Caixa e com este empréstimo construísse a sua casa. Este empréstimo tem que ser pago por você como foi pago o projeto os engenheiros, etc.

E de repente aparecesse nas propagandas da Caixa, as fotos da sua casa, de sua construção, sem mencionar o seu nome e dizendo que era uma obra da Caixa.

Até que indiretamente poderia ser pensado assim, pois o dinheiro foi conseguido na Caixa, mas os créditos para isto são seus, o projeto e as idéias são suas, os pagamentos e os juros são pagos por você, e na propaganda nada disto aparece fazendo crer para quem assiste que a Caixa foi  que fez tudo e pagou por tudo.

Notaram a diferença? E tudo neste governo é feito neste princípio, onde a dissimulação parece até ser verdadeira, mas no fundo é tudo uma grande enganação.

Deve ser por esta razão que a popularidade do apedeuta está em nível tão alto, pois a propaganda do governo leva aos brasileiros a idéia de que o que está dando certo no país são as ações deste governo.

Bem, se estes forem os motivos da popularidade apedeuta, uma das ações, justamente as propagandas enganosas, estão realmente dando certo.

Recentemente houve uma pequena queda na popularidade, e pode ser que finalmente as mentiras depois de tantos anos estão atropelando umas às outras, e abrindo os olhos dos eleitores. Tomara.

Hoje, passeando pelos blogs de política encontrei um artigo no blog da Adriana – http://www.prosaepolitica.com.br/

Assinado por Peter Wilm Rosenfeld, que fala exatamente sobre isto, e com um posicionamento muito realista.

Estou publicando este artigo na íntegra e de acordo com o texto é o segundo artigo sobre o mesmo assunto.

Não li nem encontrei o primeiro artigo, mas se eu encontrar prometo publicar também.

Mentiras II

Por Peter Wilm Rosenfeldindependência

Sou obrigado a voltar ao mesmo assunto que abordei na semana passada, já que o abuso de mentir para os brasileiros está se tornando a marca registrada do governo do Sr. da Silva.

O grande vilão (ou herói para o governo) do momento é o pré-sal. Mas não o único.

É certo que todos os brasileiros que assistem televisão e prestam atenção em anúncios já viram a propaganda da Petrobrás, em que a apresentadora (ou apresentador) diz claramente que o Brasil é o primeiro país do mundo a extrair petróleo do pré-sal!!!!

Sim, isso mesmo, o Brasil já estaria extraindo o petróleo!!!!!

Até hoje, e nos próximos 10 ou mais anos, nenhum óleo sairá de lá, porque ainda não existe a tecnologia para isso.

A produção de equipamentos a serem utilizados nesse processo está longe de sequer começar. Haverá um enorme trabalho de pesquisa para a definição e posterior produção de todo o material que possa operar na enorme profundidade (7 mil metros, ou sete quilômetros) em que começa a camada de pré-sal.

O Brasil sequer foi pioneiro na descoberta de que na camada pré-sal há abundância de óleo. Isso já se sabia. O que os brasileiros descobriram é que a cerca de 300 km de parte da costa brasileira existe petróleo.

É muito recomendável que se dê um basta a esse ufanismo para que todos os envolvidos no processo possam trabalhar com serenidade e seriedade.!

A mentira presidencial chega ao ponto em que o Sr. da Silva está presenteando autoridades e, certamente, um ou outro amigo do peito, com garrafinhas contendo petróleo, dizendo que esse é do pré-sal. !!!!

O velho Gepetto estaria arrancando seus parcos cabelos para poder produzir tantos narizes imensos, tão grandes quanto a mentira. E o maior de todos certamente iria para o Sr. da Silva.

Posso dizer, com tranqüilidade, que o Sr. da Silva está cometendo um crime tão grande, ou até maior do que o acima, ao enviar ao Congresso quatro projetos de lei para definir o marco regulador (a palavra “regulatório”, que vem sendo usada, não existe, de acordo com os dicionários Houaiss e Aurélio) do processo pré-sal, estabelecendo regime de urgência para os mesmos.

Pergunto: qual a razão da urgência? Certamente para não dar oportunidade para que o assunto possa ser estudado e analisado com a calma que o problema requer. O início de um processo mais intenso de trabalho em laboratórios não depende de marco regulador algum. Esse trabalho requererá recursos muito vultosos (com o perdão da redundância…), a serem usados com seriedade.

Atropelando o processo o governo certamente quer deixar brechas para que muitos dos apaniguados – e até alguns não tanto, mas igualmente amigos dos dinheiros da viúva, possam buscar e levar o que pensam ser seu, e não do povo em geral.

Que me perdoe o Sr. da Silva. Mas a tramitação em regime de urgência, no caso do pré-sal, é extremamente suspeita.

E mais: para que criar uma nova empresa (Petro-Sal, ou coisa parecida) quando a Petrobrás, com suas dezenas de mil funcionários, pode perfeitamente cuidar desse assunto? É muito suspeito!

Parece que o governo não mais tem qualquer interesse no bio-diesel, que até há pouco tempo era apregoado como sendo o salvador da pátria. Não mais se fala nele, apesar de ser um combustível limpo, renovável (ao contrário do petróleo) e o Brasil ser o País em melhores condições no mundo de folgadamente liderar nesse setor.

Ou será que o que se dizia até agora também era mentira?

Penso que essa perda de interesse se deva ao fato de que no processo de produção de bio-diesel os valores envolvidos não sejam tão facilmente acessíveis a pessoas que nada têm que ver com isso (se entendem o que quero dizer…).

Outra mentira monumental do governo é a de que é necessária a admissão de mais 70.000 (sim, setenta mil) funcionários no próximo ano.

Em minha opinião, assim como o Congresso emprega mais do que o dobro de funcionários do que efetivamente necessita (e continua admitindo), o governo do Sr. da Silva já admitiu em seus quase sete anos mais funcionários do que qualquer um de seus antecessores, inclusive e principalmente nos palácios do Planalto e da Alvorada.

E isso ao mesmo tempo em que a informática coloca a nossa disposição equipamentos cada vez mais capazes de substituir mão de obra; os sistemas de telecomunicações são tão sofisticados e confiáveis que nos Estados Unidos da América, quando o Presidente viaja ao exterior, continua no poder; o Vice-Presidente não assume a Presidência. O Presidente está em permanente, e de forma confiável, contato com o País.

Será que estamos tão atrasados em telecomunicações que não podemos fazer o mesmo? Nego-me a crer nisso!

Eram essas minhas grandes preocupações no momento! Por que o governo não pode falar a verdade?

ET: Grafei “governo” sempre em minúsculas propositadamente! a visita

12 set 2009 Posted by | ABOBRINHAS, ÉTICA, Cinismo, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

O Brasil e a saúva II.

desordem

Este post foi escrito e publicado em junho de 2007, e continua muito atual. As coisas e os fatos sim mudaram, mas para pior. Os personagens ficaram desde então mais ousados, o cinismo aumentou, e as maracutaias estão a céu aberto.  Os políticos estão tratando povo como idiotas, o povo está tratando os políticos como se fossem de outro país.

As notícias, as entrevistas, são reais e estão acontecendo no Brasil.

Não é possível que os cidadãos que estão pagando por tudo isto estejam observando tudo como se estivesse acontecendo na China, no Iraque ou mesmo em Israel.

Quando um político diz em alto e bom tom que está se lixando para a opinião pública e sai rindo, é um sinal de que algo está muito errado.

Este tal de Paulo Duque, de 81 anos de idade, com cara de mascate, é o suplente do suplente, não recebeu nem um simples voto, e já anuncia antes de conhecer todos os fatos que irá arquivar todas as denúncias contra seu patrão o Zé Sir Ney.

Bem leiam o artigo abaixo com mais de dois anos de publicação, assim como os artigos no conteúdo que são de outros autores e julguem vocês mesmos se algo está diferente ou pior

etica e decouro

O Brasil e a saúva.

Ou o Brasil acaba com a Saúva ou a Saúva acaba com o Brasil.

Esta frase, de autor desconhecido, era propagada com afinco nos anos 60, e hoje está comprovado que era um equívoco total por parte dos pesquisadores.

Leiam sobre a saúva aqui:o senhor dos pasteis

http://fgaia.org.br/texts/brasil.html

Atualmente, existe uma linha de pensamento que até explora a possibilidade de que a frase seja de autoria de uma campanha dos produtores de agrotóxicos para justificar a venda dos seus produtos.

Agora, eu vou aproveitar esta frase equivocada para construir outra parecida, mas que não vai estar nunca equivocada, e vai permanecer atual para sempre.

Retirando-se a presunção aqui vai:

“Ou o Brasil acaba com a corrupção endêmica ou a corrupção acaba com o Brasil.”

O Lula em vez de mandar investigar a fundo o mensalão, abraçou o Roberto Jefferson e disse que confiaria sua vida à ele.

Disse algo parecido com ocaso do Palocci.

Agora vem falando o mesmo do seu irmão Vavá pela segunda vez, pois este já foi investigado por tráfico de influência e a investigação foi “influenciada” pelo ex-ministro da justiça.

Agora vem o caso do Renan Calheiros, que em uma averiguação fajuta pelo congresso, apresentou provas de que financeiramente poderia estar bancando a sua ex-amante e sua filha com esta. Este não é o caso, poderia é claro que poderia, pois ganha suficiente para isto. Mas se faria é outra coisa, pois a ganância não tem limites e como a revista veja publicou, o congresso tem é que vasculhar os extratos bancários dos dois para ver se saiu de um para ir para no outro. Existem inúmeras maneiras de se fazer isto, e uma delas é pelos pagamentos do CPMF. Pelo menos este imposto indecente deveria servir para algo decente.

Acorda Brasil, isto tem que acabar senão estamos perdidos.

Onde tem fumaça, certamente tem fogo.

Uma coisa o Brasil tem de sobra, são bons escritores e jornalistas falando sobre este assunto.sessão aberta

Liam o artigo do Jarbas logo abaixo:

Opinião: Endemia da ladroagem

Jarbas passarinho escreve:

Ao pregar diante de Dom João IV e sua corte, na Igreja da Misericórdia, o padre Vieira iniciou audaciosamente o sermão dizendo ser a Capela Real, e não aquela a que assomara, porque falaria de coisas atinentes à Sua Majestade Real e não de piedade, pois nem os reis podem ir ao paraíso sem levar consigo os ladrões, nem os ladrões podem ir ao inferno sem levar, com eles, os reis.

Louvado em São Tomás de Aquino e Santo Agostinho, vergastou os grandes que sabia ladrões, parte deles na Corte Real. Sem nomear quem quer que fosse, muitos que o ouviam sabiam ser seus alvos. Como vários santos trataram de ladrões protegidos pelos reis, advertiu: “O que vemos praticar em todos os reinos do mundo é, em vez de os reis levarem consigo os ladrões ao paraíso, os ladrões são os que levam consigo os reis ao inferno”.

Concluídas as invectivas, disse estar respondendo a Sua Majestade, que lhe perguntava se havia ou não conveniência de unirem-se as duas capitanias, do Maranhão e do Pará, em um só governo ou em dois. Menos mal – disse ele – será melhor um ladrão que dois, já que é mais difícil achar dois homens de bem.

Temos, hoje, 27 governadores e 38 ministros de Estado. Padre Vieira teria de mudar seus exemplos, pensando quão difícil é indicar não dois, mas muitos homens de bem para assessorarem Suas Excelências, sem o receio de desagradáveis procedimentos que os levem, junto com os protegidos, ao inferno. Há que fugirem de tal futuro os três poderes da República, bem assim as organizações sindicais patronais, até de terceiro grau, a representar milhares de empresários.

O quadro atual da desalentadora corrupção, que parece endêmica, bem mereceria uma defesa de tese de doutorado, receita para prevenir, evitar e impedir que o inferno do padre Vieira venha a ter dificuldade de alojá-los, tantos são. A triste realidade brasileira pode ser objeto não das increpações substantivas do padre Vieira, mas as adjetivas de seu contemporâneo Souza Macedo, o verdadeiro autor de A arte de furtar.

Não temos reis para ouvir, ao lado de seus ladrões, fingindo não saber nada, mas render-se aos indícios escandalosos de desonra, de pérfido exemplo, sobretudo para os jovens. São tantos, de pertinente autoridade não honrada, que, parodiando Norberto Bobbio, já não despertam a “santa indignação” que os provocava o furto do dinheiro público.

Repetir-se-ia, séculos depois, a engenhosa imaginação de Machado ao comparar as diversas fraudes com a conjugação dos tempos e modos do verbo rápio, de que derivam nosso rapinar e o substantivo rapina. Furtam pelo modo indicativo presente, quando, noviços, louvam os veteranos nas lições de como furtar nas licitações; pelo modo imperativo, mandando terceiros receber a propina depositada nos bancos ou no cofre das secretárias dos grandes empresários, e especialmente o imperativo negativo, ao bradarem, ofendidos, nunca terem recebido propina nem conhecerem sequer o propinador; pelo conjuntivo, lobistas experientes, que conjuntam a sua argúcia ao cabedal de magistrados, negociando suas sentenças, ou ao parlamentar zeloso e habilidoso a aprovar emendas para obras em que tem generosa participação e, descarado, ainda tenta chantagear o governo a cuja bancada pertence; pelo modo permissivo porque permitem que se furte, desde que se reparta o furto; pelo modo infinitivo, quando acha pouco e pede mais; e finalmente furtam pelo modo mais-que-perfeito, construindo pontes que ligam o nada ao nada coniventes com governador.

Mas o que essa novela Gautama mais estranha são os substantivos cuja significação varia com a mudança do gênero, em que Zuleide muda em Zuleido, original na troca e nada original na arte de furtar. Tantos se anteciparam, a ele, como os graúdos petistas, por exemplo, que surrupiaram, através de um intermediário experimentado na profissão de fraudador, muitos milhões de reais e quase mais ninguém se lembra disso. Talvez porque foram modestos e não furtaram o bilhão e meio de reais que o masculino de Zuleide amealhou em inocentes relações com seis ministérios e dezenas de honestos representantes de nosso povo.

Jarbas Passarinho foi ministro, senador, governador e é escritor

Agora, temos um excelente artigo do Laurence:ame-o ou...

Por Laurence Bittencourt Leite, jornalista

A política brasileira caberia num romance de Dostoievski, mas não certamente em “Crime e Castigo”. Aqui só há o crime. Lembrei-me dessa frase lendo a primorosa crônica do jornalista Woden Madruga do último sábado sobre a “mentira” no nosso mundo (ou seria submundo?) político. Lembrei-me também que no Brasil nunca (já imagino os defensores!) ganhamos um prêmio Nobel. Vale acrescentar: em nada. Nadica de nada. Talvez muitos quisessem acabar até mesmo com a Física e a Química porque seus cientistas criaram a energia a vapor que criou a revolução industrial. Quanta, quanta picaretagem. Mas haveria um Nobel que se fosse instituído nós seriamos imbatíveis: Nobel de corrupção. Nesse nós somos Phd, com todos os “méritos”. Nesse nós exportamos “tecnologia”. O crime da corrupção, esse, esse é o nosso grande “patrimônio cultural”, acrescido do dificílimo mérito de não haver o castigo.

Lembro agora que na década de 80, Henry Kissinger, em entrevista a jornalistas brasileiros, disse que o Brasil era o maior potencial econômico do mundo. Sequer falava-se em China ou Índia. Percebam. No entanto, outra figura notável, essa do mundo das letras, Stefan Zweig escreveu um livro chamado “Brasil, o país do futuro”. O primeiro, Kissinger, hoje, ninguém mais fala. E Zweig suicidou-se. Como acréscimo aconselho a leitura do livro biográfico do jornalista Alberto Dines sobre Zweig chamado “Morte no paraíso”. O paraíso, claro, é o Brasil. O paraíso fiscal, o paraíso das incoerências, da corrupção.

Mas numa coisa eu posso concordar tanto com Kissinger quanto com Zweig. Nossas riquezas são imensas, inúmeras. Mas estão enterradas. De que valem? A questão é que para desenterrá-las nos falta cabeça. Falta “cérebro” para explorá-las. Não conheço nenhuma árvore, que sozinha produza papel, é preciso a parte do homem, para explorar a árvore, que se faz o papel que se faz o jornal, por exemplo. Mas nosso cérebro só funciona quando é para a exploração política. Exploração, mentira e corrupção. Ai, ele é imbatível. Eis a nossa civilização. Uma civilização sem culpa.

E qual a raiz a sociológica ou psicológica para não mentir? Sem dúvida, o medo da punição. Esse é outro nosso grande mérito: nós abolimos a punição. Somos um país livre. É outro nosso paradoxo. Aqui se muda de ideologia como se muda de roupa. Aqui se muda de partido sem nenhum constrangimento. E nesse momento, eu fico me perguntando para aqueles que defendem a sociedade: onde está a força da nossa sociedade para punir a mentira, o excesso? Essa sociedade é uma miragem? Ou justamente pelo (excesso) de miséria se torna manipulável? Algo natural ou premeditado?

Aqui o que temos é o Estado gastador, assistencialista e provedor. Que vai entregar casa, comida e roupa lavada. Mas sem acabar com a miséria. Percebem a contradição? É a saída marota? Os pobres se avolumam com seus pedidos porque a idéia não é acabar com a miséria e sim “explorar” a miséria. A nossa política se faz com o assistencialismo que nunca termina com a miséria. É o Estado gerador da dependência.mamando

O incrível é que passamos mais de vinte anos de ditadura militar combatendo e criticando a dependência educacional, a dependência financeira, a dependência econômica da miséria, dos pobres ingnorantes e miseráveis. O combate, Jesus, hoje sabemos, era apenas para mudar de “dono” do Estado, ou de “dono” do poder. Resolver e acabar com a miséria pela geração de emprego e trabalho eles não querem nunca. Eles vivem de “dar” as coisas, mas esse “dar” é com o dinheiro dos outros, e pressupõe a continuação, a perpetuação da miséria. Pobre dependência.

Quem foi mesmo que disse que o homem se tornava homem quando recebia seu primeiro salário? Ah sim, foi Sartre. Ok. Mas repito: o nosso Nobel disparado seria o da corrupção. Esse é nosso eternamente.

Se não houver uma reforma política profunda, feita e comandada

pelos eleitores, a tendência é de um quadro pior no futuro

próximo, e de uma revolução violenta e sangrenta para tirar do

poder estes verdadeiros sanguesugas e carrapatos que não

querem largar o conforto de sugar o sangue dos brasileiros sem

serem importunados

cosa nostra

07 ago 2009 Posted by | ABOBRINHAS, ABUSOS LEGISLATIVOS, ARTIGOS, ÉTICA, Crimes e emntiras, GOVERNO, POLÍTICA | 3 Comentários

Os incríveis?

Os incríveis?obras clásicas

É mesmo impressionante a passividade dos brasileiros.

Nós pagamos direta e indiretamente a maior carga tributária do

mundo civilizado, e não recebemos em troca absolutamente nada.

Deveríamos ser sem nenhuma dúvida, o país com a melhor

educação básica, a melhor saúde pública e o país de melhor

segurança no mundo.tranquilidade

Somos acreditem ou não exatamente o contrário. Somos na visão

do resto do mundo, um país de otários, que elegemos para

presidente um imbecil que roda o mundo inteiro falando

abobrinhas e que para representantes no congresso mantemos de

forma coagida pelas atuais leis os mesmos corruptos que deram o

Brasil o título de campeão de corrupção no mundo.

E os incríveis sofredores, deram ao Lula mais de 80% de

aprovação. Inrível, incrível mesmoseguindo lula

Depois de assistir na mídia local, e também na mídia

internacional, os escândalos cometidos dentro do senado federal.

Depois de ouvir nas rádios, o presidente do congresso contratar

sem concurso o namorado de sua neta para trabalhar no senado

federal, dizendo em alto e bom tom que a vaga existente é mesmo

da família, como se o voto de confiança recebido sem merecer do

estado do Amapá, também lhe dava o direito vitalício de um

pedaço do Senado Federal.   Depois de ouvir o presidente do

conselho de ética do Senado Federal, que não representa

ninguém, pois não recebeu nenhum voto para ocupar a posição

ocupada, adiantou para os eleitores a remissão do Senador

Sarney de qualquer culpa seja lá o que for.

O povo não faz nada.mausoleo

Em um país mais sério, este crápula do Duque seria linchado em

praça pública.

Mas este começo de post, nada tem haver com o assunto que me

trouxe hoje por aqui.

O povo brasileiro, além de pagar estes impostos abusivos, ainda

paga mais em forma de várias multas.

É verdade que as multas mais freqüentes atingem mais a classe

média, nas formas de multas de trânsito, mas também é a classe

média que suporta a maior carga tributária.

É também a classe média que tem maior acesso à mídia de todas

as formas e está mais informada sobre todos os assuntos.

E mesmo assim, esta classe tão sofrida, paga sem muito

questionar, este abuso que é a indústria das multas de trânsito.

E as administrações locais, principalmente as administrações

municipais, estão inventando a cada dia, mais uma maneira de

cobrar mais multas para poder financiar e saciar a sua fome por

recursos que são usados espuriamente da forma que lhes convier.

É também verdade, que o Código de Transito Brasileiro (CTB),

prevê que as multas de trânsito devam ser usadas na melhoria no

trânsito.mudando o senado

Esta disposição, é muito vaga e apesar de bem intencionada, leva

a más interpretações do assunto, deixando aberta a porta da

informalidade.

Por exemplo, no DF, o governador anuncia que as multas de

trânsito estão ajudando na implementação da segurança no

trânsito. Com este dinheiro, que não é pouco (aproximadamente

500 milhões de reais ao ano), ele contrata mais agentes para

multar, instala mais radares para multar mais, e a segurança está

em baixa, pois os acidentes continuam acontecendo, os roubos de

veículos aumentaram escandalosamente e as infrações que

causam muitos problemas com estacionamentos proibidos, estão

acontecendo em todos os recantos do DF.

E esta arrecadação escandalosa de multas, inconstitucionalmente

já faz parte da receita do DF.

Pensem como isto está totalmente errado.o pinto

A receita de qualquer município, estado ou da nação tem que ser

feita antecipadamente em forma de previsão orçamentária, que

deve ser aprovada, pelas câmaras de representantes, de cada

unidade.

Portanto esta arrecadação de multas, não pode ser parte da

receita, pois, teoricamente, não deveria existir se o povo se

educasse e parassem de cometer infrações.

Mas, com a fome de arrecadar cada vez mais, inventam há todos

os instantes, maneiras, regras idiotas, apenas para poderem ter

uma desculpa para continuar a usufruir desta arrecadação

espúria.

Esta arrecadação também promove outra infração como o

suborno que freqüentemente acontece quando um oficial recebe

do cidadão alguma recompensa para não emitir a multa.

E esta situação está em tendência de alta, sem muita perspectiva

de acabar.

Isto precisa acabar sim. Esta indústria da multa, qualquer multa,

tem que ser coibida de alguma forma.

Realmente, a multa tem que existir, pois sem ela os abusos

tendem a aumentar.

O que fazer então????

Eu tive outro dia uma idéia, que precisa ser difundida e encontrar

algum representante honesto o suficiente para apresentar no

congresso.

Seria criado o Fundo Nacional da Multa.

Toda e qualquer multa aplicada punitivamente a qualquer

cidadão ou pessoa jurídica, seria depositado neste fundo único.

Isto se aplica a qualquer unidade federativa seja município,

estado ou união.

Os recursos arrecadados neste fundo seriam distribuídos

diretamente e, igualmente no Ensino Básico e na Saúde Pública.

O TCU, o Ministério Público e uma comissão de representantes,

iriam fiscalizar esta distribuição, ficando totalmente proibido,

repassar estes fundos para qualquer ministério, secretaria ou

qualquer outro órgão que não o usuário final, como uma escola

ou hospital público que deveria apresentar ao fundo uma

necessidade emergencial, que seria analisada pelo conselho

dentro do fundo.

Os motivos poderiam ser os mais diversos, como uma melhoria

nos salários, dos médicos e professores para incentivar médicos

e professores decentes em municípios mais pobres.

A compra de materiais de emergência para escolas e municípios

pobres.

Não poderiam ser usados estes recursos para obras inteiras como

construção de hospitais ou escolas novas, pois isto poderia

reverter em distorções nas distribuições e em corrupção durante

as obras como super faturamento, etc.

Os membros e diretores deste fundo seriam remunerados pelos

órgãos a que pertencerem sem retirar do fundo absolutamente

nenhum centavo para o funcionamento deste.

As medidas legais e os estatutos do fundo seriam criados por

entidades com experiência jurídica legal como a OAB ou algo

parecido.

Com esta medida, a fome arrecadatória seria amainada, e as

escolas e hospitais públicos iriam se beneficiar destas multas.

Vamos gente, vamos deixar de ficar incrivelmente passivos, e

mostrar para os incrivelmente corruptos que o povo também tem

vontade de fazer as coisas acontecerem, sem legislar em causa

própria.

E para dar um exemplo de alguém que não está na impassividade,

leiam este Email que recebi, dando credito a este professor da

USP.

FORREST LULA (o professor foi genial)

Finalmente alguém abordou o tema com uma simplicidade

franciscana, foi direto ao ponto.

O melhor de tudo é que o autor é docente de uma grande

universidade onde, via de regra, a grande maioria é de esquerda,

festiva, burra e eleitora de LULA.

APROVEITEM A ANALISE INTELIGENTE DO PROFESSOR DA

USP Wagner Valenti*

Professor da USP / Departamento de Biologia Aplicada. Esse

professor da USP fez um belo resumo, que aí vai ….

‘Todos conhecem o filme Forrest Gump , que narra a história de

um imbecil que sobe na vida auxiliado por circunstâncias a ele

absurdamente favoráveis.

Pois nós brasileiros temos aqui nosso Forrest Lula, pelas razões

que apresentarei abaixo.

1) Ele pensa que chegou a presidente pela competência, mas foi

por uma junção entre sua persistência malufiana e o

‘mudancismo’ do eleitor, que só pelo desejo de mudar nem se

sabe o quê vota alternadamente em candidatos como Collor e

Maluf, e depois em Lula & companhia.

2) Ele pensa que é respeitado lá fora, mas não passa de uma

curiosidade zoológica, como o mico-leão dourado. A esquerda

romântica de lá acha lindo um operário do terceiro mundo ter

virado presidente: Se ele é competente ou não, o terceiro mundo

que se dane. Ele recebe essa corda toda e acredita.

3 ) Ele pensa que trouxe programas sociais, mas a única coisa que

o PT fez foi proteger os terroristas sem-terra, e transformar o

bolsa-escola em bolsa-esmola.

4) Ele pensa que faz sucesso com a imprensa, mas na verdade

contou, pelo menos até os recentes escândalos, com uma

imprensa domesticada e cordial.

5) Ele pensa que não existe ninguém que possa questioná-lo tanto

em ética quanto em política, mas isso só acontece por que ele

nunca se expôs a entrevistas coletivas sérias, com jornalistas

especializados, onde teria de dar uma satisfação objetiva de seu

desempenho.

6) Ele pensa que é imune a essa crise porque seu percentual de

aprovação ainda é alto, mas as pessoas que ainda confiam nele são

aquelas tão avessas à leitura quanto seu presidente, e por isso

nem sabem o que acontece.

7) Ele pensa que é responsável pelo sucesso da política

econômica, mas isso aconteceu porque a diretriz econômica foi a

única herança do governo anterior que ele não estragou.

8) Ele pensa que causou o aumento das exportações, embora isso

tenha sido

conseqüência de uma série de fatores anteriores a seu governo,

mais as circunstâncias favoráveis no cenário internacional.

9) Ele pensa que não sofrerá impeachment por estar acima de

tudo o que acontece, embora Collor tenha sido defenestrado por

muito menos. Na verdade, ele só vai ficar lá porque não interessa

a ninguém transformá-lo em mártir,

dando-lhe chance de retornar à cena política, ao mesmo tempo

que ninguém quer ver o escroto do Alencar tomar o poder e

arruinar a política macro-econômica..

Wagner Valenti* Professor da USP / Departamento de Biologia

Aplicada ‘ ..

(*) é um bom prof. de Biologia, pois, mostrou que entende bem

de moluscos, vermes e parasitas…

ditadura

05 ago 2009 Posted by | ABOBRINHAS, ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, ECONOMIA, EDUCAÇÃO, TRABALHO | Deixe um comentário

Perguntas respostas e lorotas.

Perguntas respostas e lorotas.mais-marolinha-1

Encontrei este artigo na coluna da Miriam Leitão. Este foi seu comentário hoje na CBN.

Achei muito bem balanceado e verdadeiro, além de óbvio. Eu continuo perguntando novamente, porque é que as pessoas em geral não conseguem enxergar o rumo que este idiota está levando o Brasil?

Leiam a coluna da Mirian:

É hora de mais seriedade

O presidente Lula adotou uma nova metáfora para falar da crise. Disse que ela não passa de uma gripe, e que brasileiro “cabra macho” não pode deixar de trabalhar por conta disso. O presidente deveria, primeiramente, se lembrar das mulheres, já que grande parte da força de trabalho do país não é composta de “cabras machos”.mais-marolinha

A declaração é politicamente incorreta e é economicamente equivocada. Não estamos passando por uma gripe, o Brasil teve uma queda muito forte de produção industrial e ainda sofreu uma retração de 3,6% do PIB.

O grande problema dessa análise populista do presidente é que ela subestima a crise. E quando você subestima uma crise, você não se prepara para ela, o diagnóstico está errado. Falando em português claro, para que o presidente compreenda, se o paciente tem uma pneumonia e o médico receita remédios para gripe, é certo que ele vai piorar.

A crise é forte e é preciso remédios fortes. Como qualquer infecção, ela é oportunista e vai atrás das fragilidades do organismo. E o Brasil tem várias fragilidades, entre elas um governo que gasta demais e tributa demais todos os setores da economia.

Melhor seria dizer: “a crise é grave, mas vamos trabalhar para vencê-la”. É preciso confiança, mas com um discurso que tempere a gravidade da situação para a população.

É hora de mais seriedade, presidente. Vamos trabalhar, mas isso não significa subestimar a crise. Essa é a função do líder.brasil-no-lixo

O meu amigo Maninho me enviou por e-mail, um Power-Point com várias perguntas. Como este programa fica muito grande e difícil de colocar no Blog, reverti AM formato DOC e vou responder a estas perguntas.

1. Por que o presidente do povo usa terno Armani?

Resposta: – como mandatário principal, que recebeu 60 milhões de votos, seja ele do povo ou não, deve sempre se apresentar de maneira impecável, para que os outros países vejam o presidente como uma figura de destaque. Até aí bem esta é a razão da existência do fato que gerou a pergunta. Mas o Lula tem um problema, o Armani nele parece que saiu de um espantalho, ou de outra pessoa porque ele não tem nenhum porte para usar ternos ou coandoosacooutra roupa de mais luxo. lula-mostrando-o-cerebrolulaO Armani no Lula parece um diamante no rabo de um bode. Puro desperdício.

2. Por que o presidente do povo pode ter ensino fundamental incompleto e um gari necessita de ensino fundamental completo?

Resposta: – Não existe em nenhuma lei, nenhum requisito para que o candidato tenha que ter ensino superior ou médio ou qualquer outro, apenas para que não seja analfabeto, o que o Lula apenas cumpre. Eu nunca vi nada escrito por ele, e ele detesta ler qualquer coisa até jornal de esporte, como ele admitiu. Quem não gosta de ler, é um analfabeto funcional. Quanto ao gari, o concurso para o cargo exige ensino fundamental, então tem que ter.o-livro-do-lula

Eu já postei vários artigos com uma mudança política onde qualquer cargo político ou contratação política, como ministro ou secretários, deva ter um diploma de educação política, ética e administração pública. Sem estes requisitos, não poderia ser candidato. Se existisse algo assim, o Lula não estaria aí envergonhando tudo e todos.

3. Por que o presidente do povo acumula aposentadoria por invalidez, aposentadoria de dep. federal, pensão vitalícia de ‘perseguido político isento de Imposto de Renda, salário de presidente de honra do PT e salário
de presidente da república?

Resposta: – O Brasil é o país da lei de Gerson, onde algumas pessoas incluindo o presidente têm que tirar proveito de qualquer ocasião e como o Lula não acredita emfora-a-etica ética, e a lei permitindo, ele nada de braçada engordando o patrimônio. Tem que haver mudanças na lei para coibir este tipo de coisas. Mesmo sendo contra a lei, eles incluindo o presidente vão continuar agindo, mas pelo menos existe a oportunidade de ser pego.

4. Por que o presidente do povo é perseguido político, sendo que passou apenas UMA noite no DOPS?

Resposta: – Outra vez os furos na legislação permitem então ele esbanja. Mas não é somente ele, o seu irmão mais velho, o tal Frei Chico que não é nem frei nem Chico, passou 15 dias preso por baderna e desacato às autoridades, e recebeu uma indenização e um salário vitalício mensal. Até o Cony, recebeu, o Ziraldo, a Zélia, é tudo uma festa. O advogado das indenizações, que pega 20% dos ganhos, não é outro que o Greenhalg, sabe quem é? Foi ele que ajudou a enterrar o caso do Celso Daniel e foi ele que defendeu e soltou o José Rainha, assassino e líder dos sem terra.

E corrigindo a pergunta, o Lula passou 31 dias preso, mas com muita mordomia, e nunca foi torturado. Durante a sua prisão, a sua mãe faleceu e ele foi solto para comparecer ao velório.

5. Por que o presidente do povo comprou um avião da concorrente da Embraer?

Resposta: – Eu já expliquei esta em alguns artigos no blog, mas vou fazer um resumo. A compra do AB 319, uma aeronave fora de linha e defasada, foi arranjada pelo compadre do Lula, o Roberto Teixeira, que está no ramo da aviação. Se um jato da Embraer fosse comprado, haveria mais transparência e as comissões e superfaturamentos ficariam mais difíceis. E então. Entra o Dirceu, o Okamoto, e o Compadre arruma tudo. Compra-se uma aeronave antiga e defasada, por um preço muito mais caro, e divide-se a comissão e o suborno pelos arquitetos da maracutaia.aerolula A desculpa de que se necessitaria de uma aeronave moderna para poder ir de Brasília à Europa sem reabastecer, é lorota. O AF51, não consegue levantar de Brasília, que está a 1000 metros de altitude com o tanque cheio. Então tem que fazer escala no Rio de Janeiro, nível do mar para poder levantar com toda a carga de combustível. E tem mais, o antigo sucatão, um Boeing 707, é muito mais avião do que o AF51. Na época da compra eu pesquisei e por 12 milhões de dólares, poderia modernizar totalmente o sucatão com motores tubo-fan, os mesmos do Airbus, só que quatro, em vez de dois, com maior velocidade e autonomia do que o atual Airbus. A empresa que faria as conversões tem páginas na internet, e existem vários destes aviões voando sem nenhum caso de acidente. Mas as comissões e suborno seriam bem menos.

6. Por que o presidente do povo se aposentou por invalidez apenas por ter um dedo a menos e hoje trabalha como presidente do Brasil?

Resposta: – Ele não trabalha e nem nunca trabalhou em sua vida. Sempre foi um jeitinhoas-qualidades-do-lula para cá, ou para lá e ele sempre se acomodou sem trabalhar. Ele realmente não é chegado. Quanto à aposentadoria, é novamente a legislação que permite e pronto lá vai o Lula tirando todas as vantagens.

7. Por que o presidente do povo protege seus amigos comprovadamente corruptos e nunca aconteceu nada com ele?

Resposta: – Porque a gente deixa, não existe oposição, e a legislação é muito fraca. Apenas o PT, motivou as massas e conseguiu os caras pintadas para saírem às ruas e fazer pressão para o impedimento do Collor. Este foi expulso por muito menos do que o Lula fez. Aparte disto, o FHC mudou a lei do impeachment durante o seu governo e ficou realmente mais difícil se expulsar um presidente.

8. Por que o presidente do povo se vangloria de não ter estudo e ser filho de mãe analfabeta e acha normal ter filhos estudando fora do Brasil?

Resposta: – Eu acredito que o Lula, seja mais uma vítima da precariedade do ensino no Brasil. Ajuntando esta precariedade com a falta de força de vontade para estudar, deu no que deu e temos um presidente que nos enche de vergonha. Quanto aos seus filhos estudarem no exterior, tendo as oportunidades é válido. O Roberto Teixeira, que ficou muito rico com os contratos superfaturados nas prefeituras do PT no ABC paulista, e em Ribeirão Preto com o Palocci, mostrou um pouco de gratidão, e pagou os estudos dos filhos do Lula.

9. Por que o presidente do povo quando do seu mandato de Dep. Federal, não participou da vida parlamentar do Congresso?

Resposta: – Esta é fácil, ele não sabia o que fazer e para continuar enganando, ficou de longe, apenas observando. De vez em quando, quando tinha certeza que não seria interrompido e nem argüido ele fazia algum discurso inflamado, sem nenhum nexo aparente e cheio de erros gramaticais e concordância. No Youtube aparecem alguns destes

10. Por que o partido do presidente do povo tem ligação com as FARC e ninguém comenta isto?

Resposta: – Comentam sim, existem vários blogs que comentam e mostram os fatos. Mas entra novamente a legislação brasileira, onde para se investigar qualquer destas ligações tem que se pedir muita permissão, e no primeiro mandato, o Lula convidou para o ministério da justiça, que manda na Polícia Federal, um brilhante advogado criminal, que soube tirar vantagens dos furos legais e parou qualquer investigação que poderia atingir o presidente ou o seu partido.

O Dr. Márcio Thomas Bastos, quase se estrepou no caso Palocci e logo depois se afastou. Para não ser atingido pelos respingos daquele caso foi muito difícil.

11. Por que a mulher do presidente do povo não faz absolutamente nada?mudancas

Resposta: É a mesma coisa, ela é totalmente incompetente e coitada ela é apenas uma baranga que casou com um líder sindical que virou presidente. Ela costurou a primeira bandeira do PT. Coisa de baranga. Depois, com a estrela vermelha habitando o seu cérebro, não pode produzir mais nada. Tentou destruir um patrimônio tombado, desfigurando um dos jardins do Burle Max, com uma estrela vermelha.estrelanojardim Corrigiram este problema e depois disto foi somente fazer caipirinha e curar as ressacas do Lula.

12. Por que o presidente do povo não sofreu impeachment como o Collor sofreu?

Resposta: – Esta eu já respondi acima. Houve uma mudança na legislação desta competência no governo FHC.

13. Por que a candidata Heloísa Helena foi expulsa do PT e o José Dirceu (dep. cassado) e Antonio Palocci (indiciado por quebra ilegal de sigilo bancário e outros crimes) não o foram?

Resposta: – Esta é novamente uma diferença em ideologia. A Tuma da Heloisa e do Babá, queriam a maneira radical e ideológica da esquerda tradicional. O estado mandando em tudo, estatizando tudo de volta, não pagando compromissos. Não havia em seus planos tirar vantagens pessoais nem ficarem ricos. Como a turma do Lula não entrou na deles, eles começaram a boicotar votações, e criarem dificuldades para a turma do mensalão. Aí na teve jeito, tiveram de se livrar deles

14. Por que o presidente do povo nunca soube das coisas do partido e do governo dele, MAS SABE DE TUDO SOBRE OS GOVERNOS ANTERIORES?

Resposta: – Ele sabe melhor do que ninguém. Sabe de tudo. Sabe tudo sobre a morte do Celso Daniel. Sobre a morte do Toninho do PT, sabe tudo sobre o mensalão, sabe de tudo sobre o dinheiro dos aloprados, sabe de tudo sobre a compra do Aero lula, e dos governos anteriores, ele não sabe quase nada. As asneiras que ele diz sobre o JK ou o Getúlio Vargas podem encher de vergonha até os ignorantes como ele. Acontece que durante debates e alguns discursos escritos por outros, ele é ligeiramente instruído a dizer coisas de efeito sobre governos imediatamente anteriores aos dele. Como por exemplo, chamar o governo do FHC de herança maldita.

15. Finalmente, a pergunta mais difícil de todas: Por que tantos intelectuais, cientistas, professores universitários, reitores e outros membros da nata do país continuam apoiando o presidente do povo?

Resposta: – Fanatismo, ignorância ou cumplicidade

25 mar 2009 Posted by | ABOBRINHAS, ÉTICA, CRESCIMENTO ECONÔMICO, CRISE ECONÔMICA, ECONOMIA, EDUCAÇÃO, GOVERNO, POLÍTICA, Respostas | 5 Comentários

Acordei invocado.

Acordei invocado.garfield

Esta é uma das frases preferidas do Lula, quando se encontra em algum problema e não tem alguma resposta apropriada.

Realmente, ele não tem resposta para quase nada, gosta de fazer metáforas idiotas, como a do “SIFU”, ou a do J. Bush, onde disse que acordou invocado e ligou para o Bush.

Pode ser que para alguns de seus eleitores com pouca educação isto possa parecer verdade, mas a realidade é que para ligar para o Bush, primeiro tinha que falar inglês o que o Lula não fala, e nem o bush fala português. Aí a mentira cai por terra ou caiu antes de ser anunciada.

Mas algo o Lula está fazendo certo, não sei bem o que será, mas 85% de aprovação de seu governo está duro de engolir.

Hoje lendo o Blog da Adriana, (http://www.prosaepolitica.com.br/) encontrei este artigo do Chico Bruno que está muito bem escrito e atual de verdade.

Leiam o Texto do Chico:

ppernas-curtasÉ por isso que acordei invocado

Por Chico Bruno

Hoje acordei invocado, como diz o presidente que nos guia. Passei uma vista d’olhos nas primeiras páginas dos jornalões e fiquei mais invocado ainda.

É que as manchetes dos paulistas Folha e Estadão e do carioca JB tratam de dar vazão a megalomania lulista. Nosso Guia, como diz o Elio Gaspari, antes de tomar o Aerolula arrotou um monte de bravatas para cima do presidente dos EUA.

Ora, todo mundo que tem juízo, sabe que Lula fala da boca para fora, que ao ficar frente a frente com Obama vai se comportar como manda o figurino de todos os presidentes de todos os presidentes brasileiros que bateram as portas da Casa Branca.

No popular, vai colocar o galho dentro ou o rabo entre as pernas. É assim que as coisas funcionam.

A nossa metamorfose ambulante saiu do país ciscando para dentro e quando chegar a Casa Branca vai ciscar para fora. Vale frisar, que o verbo ciscar foi reintroduzido pelo Collor no linguajar diário do país, no momento em que ele era reintroduzido no noticiário graças ao perdão de Lula aos seus antigos desafetos. Interessante que a cada dia essa lista só cresce.

A jornalista Mônica Bergamo publicou que o Lula anda descendo a ripa no camarada Fidel pelo tratamento dado a dois ministros exonerados pelo Raul Castro. Isso é apenas uma amostra da megalomania que atinge a nossa metamorfose ambulante.

A última piada do governo é a criação da carteirinha do torcedor, o que me deixou muito irritado, por que descobri que a idéia foi vendida ao Orlandinho, aquele que é ministro do Esporte por obra e graça do PC do B, por um lobista de uma empresa que fornece torniquetes e cartões magnéticos para universidades e colégios particulares só permitirem o ingresso as aulas de quem esteja em dia com as mensalidades.

Imaginem quando esse pessoal vai faturar e quando vai render para a próxima campanha eleitoral.

A sacanagem vai funcionar assim:dando-instrucoes

Cada torcedor vai se cadastrar e receber uma carteirinha. De posse do “documento” ele vai comprar o ingresso (cartão magnético) em qualquer casa lotérica, que carregará eletronicamente, como ocorre com um telefone celular, o dito cujo.

Como a divisão do bolo é grande, o cartão magnético será de uso obrigatório para todas as pessoas que quiserem frequentar estádios com capacidade superior a 10 mil a partir do Brasileiro de 2010, valendo para as séries A e B, pois abaixo disso não valerá a pena.

Agora, imaginem se isso não é abolir o direito de ir e vir aos estádios.

É por essas e outras sacanagens, como a insistência da VEJA em misturar alhos com bugalhos no que tange a Operação Satiagraha, como esclarece o jornalista Leandro Fortes, em matéria (abaixo) na Carta Capital, que acordei invocado e com vontade de distribuir bordoadas a torto e a direito.

É mole ou quer mais! Se quiser veja o vídeo.

Memória: Visita de Lula a Bush não rendeu nada

O primeiro encontro do presidente Lula com o então presidente dos EUA George W. Bush, em 20 de junho de 2003, terminou sem resultados concretos.

O Brasil prometeu “cooperar para a conclusão exitosa” da Alca (Área de Livre Comércio das Américas) até 2005, o que não aconteceu, e pediu apoio para obter uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU, que nunca se concretizou.

Bush disse a Lula que os dois tinham de mudar sua imagem: “Você, de esquerdista que não entende de economia, e eu, de fanático que não tem interesse pelo social”. O brasileiro foi o primeiro presidente de um país a se opor à Guerra no Iraque a encontrar Bush após a invasão.

Lula disse a ele que a relação entre os países poderia “surpreender o mundo” e o convidou a visitar o Brasil, que, “além de Carnaval e futebol, tem coisas maravilhosas”. Bush riu e afirmou que Lula tinha “um grande coração”. (Folha de São Paulo)

conversa-com-obama

15 mar 2009 Posted by | ABOBRINHAS, AUTORITARISMO, ÉTICA, Cinismo, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

O Lula, o Câncer e o Tsunami.

O Lula, o Câncer e o Tsunami.uma-bonita-historia

Outro dia, lendo com sempre faço as repercussões e o pulso da mídia geral encontrei um artigo do coronel, (http://coturnonoturno.blogspot.com/) muito bem escrito e apropriado para a atual situação.

O Blog do Coronel tem sido chamado de “Apócrifo”, pois o autor é apenas parcialmente identificado como Coronel e se proclama professor.

Seria muito bom que ele se identificasse totalmente para dar mais transparência aos seus bons artigos como este que vou reproduzir abaixo.

O Roque Sponholz , sem nenhum medo se identifica totalmente e suas criticas ao governo são realmente pesadas e muito bem feitas.

Lula e o câncer.pego-na-mentira

Lula disse ontem a empresários que a “coragem” do vice-presidente José Alencar deve servir de “inspiração” para vencer os obstáculos da crise. Na sua luta contra o câncer, Alencar recentemente passou 27 dias internado por conta de uma cirurgia no abdôme para retirar nove tumores cancerígenos.A seguir, Lula narrou a volta de Alencar ao Planalto, sorridente e bem-disposto. “O caso dele deve me inspirar, inspirar os ministros e toda a iniciativa privada”, disse. Se para Lula o Brasil está com câncer, ele não foi contraído nos últimos seis meses, mas sim nos últimos seis anos em que o aparelho petista está no comando do país. Não podemos esquecer que enquanto o câncer roía a economia por dentro, Lula comemorava a ausência dos seus efeitos, espalhando aos quatro ventos o famoso “nunca na história deste país”. O remédio lulista contra o câncer que aí está sempre foi anestésico ou de uso tópico. A Bolsa Família. Os empréstimos consignados. O empreguismo dos 200 mil companheiros. O mensalão. O loteamento do país com os corruptos do PMDB. A roubalheira dos fundos de pensão. Os juros estratosféricos. A dívida pública interna impagável. O deficit público que cresce 10% mais do que o PIB. E, por último, um coquetel de drogas denominado PAC. Mesmo com o câncer se espalhando por todo o corpo, Lula continua tratando o doente com o remédio do populismo e do curandeirismo político. Não vem aí a casa de graça para o moribundo? O câncer petista está levando o país para um estado terminal. Ao contrário de Alencar, que tem o Sírio-Libanês, o povo brasileiro tem apenas a fila do SUS. Desejamos que, pelo menos lá, os 84% finalmente descubram quem vem há seis anos matando o país. O nome deste câncer é Luiz Inácio Lula da Silva e extirpar este imenso tumor é a única chance de sobrevivência.

Postado por Coronel às 08:07:00eleitores-do-lula

Eu tenho criticado em vários artigos as coisas mencionadas no artigo do coronel, a falta de transparência, a falta de programas, o PAC, uma grande enganação, a falta de ética e honestidade, e principalmente a falta de capacidade de administrar o país.

Enquanto a coisa ia de carona na maré mansa do crescimento global, o Brasil ia de carona, e aproveitando a marola positiva. Se houvesse um pessoal competente para administrar a boa onda, em vez de estatizar tudo novamente, em vez de se concretizar dando esmolas, em vez de falar tantas mentiras, em vez de criar um programa mentiroso como o PAC onde os investimentos agendados nada mais são do que o que se haveria de fazer normalmente com os projetos de longo e médio prazo da Petrobras, que são 70% dos investimentos do PAC, o Brasil estaria bem melhor, e em situação de encarar esta crise olhando de cima para baixo em vez de se sentir acuado, e sem nenhum plano diretor para gerenciar esta crise.

O Grande enganador, primeiro chamou a crise de marolinha, depois ameaçou ligar para o Bush e mandar-lo cuidar de seus problemas sem envolver o Brasil, depois disse que o Natal deveria ser dos melhores já visto pelo povo brasileiro que deveria gastar sem dó nem piedade porque a crise não se instalaria no Brasil. Este discurso foi depois da CVRD a Vale ter despedido mais de cinco mil trabalhadores. Ele disse que esta ação era falta de cidadania por parte da Vale. Ah bom, os impostos que a Vale paga ao governo e os dividendos que o governo tira, de lá de dentro, são conseguidos com uma administração enxuta e coerente, não com cabide para empregos como era antes.

Os fornecedores internacionais cancelaram todas as ordens futuras e o Magnânimo gostaria que a Vale continuasse minerando apenas para que não houvesse desemprego.

Por causa disto é que as estatais não podem dar certo.

O mesmo discurso foi feito depois que a Embraer, sem nenhum pedido novo e com os antigos cancelados despediu 4.000 funcionários.

E ainda o único plano para contornar esta crise foi fazer de conta que ela não existe.

E seu competente ministério, para puxar saco bateu em cima desta tese aclamando uma previsão de crescimento de 4/5% ao ano para 2009. O MMM, ou seja, Ministro Mantega Mentira, quando confrontado com a verdade pelos repórteres sobre as previsões de menos de 1%, saiu com esta pérola: lula-e-deus

– “A nossa meta continua sendo 4% de crescimento para 2009, se existem previsões diferentes, é problema das previsões, eu garanto que não vamos nos afastar de nossas metas”.

Que beleza ministro que beleza…..

No Estadão de hoje encontrei um bom artigo:

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20090313/not_imp338121,0.php

o Autor , *Dionísio Dias Carneiro, economista, é diretor da Galanto Consultoria e do IEPE/CdG

terminou com um parágrafo interessante, e que poderia servir de modelo para os incompetentes que andam falando abobrinhas por todo o congresso e ministérios:

“O Brasil precisa de um diagnóstico realista. A exemplo de outros países, há um excesso de marketing político (“ a crise é dos ricos, eles que resolvam”, agora eles precisam do Estado”). Mas não há marketing bem-sucedido se não houver produto a vender. No caso da política, sem capacidade de processar os conflitos e encontrar uma estratégia nacional a partir de um diagnóstico adequado, não há como convidar empresários e consumidores a surfar uma onda que pode ser um tsunami.”

tsunami4

13 mar 2009 Posted by | ABOBRINHAS, CRESCIMENTO ECONÔMICO, CRISE ECONÔMICA, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

Mais crise

Mais crisefalando-merda


Se o Lula tivesse um pouco de cultura, qualquer quantidade, poderia enxergar muita verdade no conselho abaixo. A frase fez parte de um discurso de Roosevelt. Franklin Delano Roosevelt o mesmo que o Lula citou quando na emana passada tentou explicar  a anatomia da crise atual e suas possíveis soluções

“A liberdade de palavra não tem qualquer utilidade para

um homem que nada tem a dizer” (Roosevelt)


Depois de desdenhar a crise atual, chamando-a de marolinha, entre outras boçalidades, e ante o fato inegável de que a crise realmente está batendo forte às nossas portas, o apedeuta começou a entender que teria que mudar o discurso, levando em conta a seriedade do problema que se aproxima célere.

E mudou escolhendo para isto, o momento histórico (Segundo ele) na semana passada durante a posse dos novos diretores do SEBRAE.

E assim disse o Lula:inteligencia-privilegiada

“Temos que reconhecer que a situaçãoé delicada, que essa crise é possivelmente maior que acrise de 29 e temos que reconhecer que o Roosevelt sóconseguiu resolver a crise de 29 por causa da Segunda GuerraMundial. Como não queremos guerra, queremos paz, nós vamo ter que ter mais ousadia, mais sinceridade, mais inteligência porque eu não admito que uma guerra para resolver um problema econômico tenha 6 milhões de mortos”.

Deu para entender? Faltou pontuação?

Nada disto, a manifestação da ignorância, é o resultado da falta de conhecimento que poderia vir com um pouco de estudo que o cretino do Lula não tolera e ler para ele é um martírio. Em que ele errou? Em tudo que disse.

Lula perdeu uma ótima oportunidade para ficar calado.bom-de-governo

1º – A segunda guerra mundial, que durou de 1939 a 1945, nada teve a ver com a crise econômica americana, nem com sua solução, embora quando entraram na guerra os EEUU estavam se recuperando da crise e o movimento patriótico ocorrido com a entrada dos EEUU no conflito ajudou a sanar os efeitos da crise e promoveram um grande progresso no pós-guerra. O Lula confundiu tudo e misturou os fatos.

A Alemanha foi levada para a guerra por fanatismo do partido nazista, que nasceu dentro do partido trabalhista alemão. As condições impostas pelos aliados à Alemanha após a primeira guerra, pelos vencedores deram força ao partido dos trabalhadores, de se organizar em um movimento patriótico refazer o exercito alemão e invadir os países vizinhos começando com a Polônia.

O apedeuta fundou o partido dos trabalhadores, ouviu o galo cantar e sem nenhuma pesquisa, mudou a história de acordo com sua mente distorcida, para tentar refazer a sua primeira opinião sobre a crise que não existia.

Em seu afã de mostrar quanto conhecia, confundiu o holocausto com as casualidades da guerra, e destilou mais asneira. A segunda Guerra mundial a que se referiu em seu discurso, ocasionou mais de 52 milhões de mortos, e dentre estes se encontram os seis milhões de judeus que foram exterminados e que se chamou de holocausto.


Provavelmente, a sua assessoria o informou dos fatos corretos, mas, também provavelmente, sob os efeitos da “Marvada” e sob a influência da ignorância compulsiva a que se submete, recusando a se ilustrar, o imbecil ficou com as calças na mão tentando se apresentar muito conhecedor da história.

Em 1929, toda a economia do mundo era localizada, e isolada, separada por oceanos e etnias, nunca se ouvindo falar em globalização como hoje.

E se o Lula imbecil tivesse tido o trabalho de apenas ler sobre a solução da crise de 29, teria aprendido que a solução da crise passou por contenção drástica de despesas do governo, redução de custos e impostos, e que é exatamente o oposto de que o apedeuta e seus ministros gastostrapalhões estão fazendo.

Pelo conteúdo de seu discurso, o apedeuta está sugerindo que a solução da atual crise deve passar invariavelmente por uma guerra mundial, mas que ele, muito inteligentemente e magnanimamente pacifista vai evitar a qualquer custo, e vai encontrar outra solução.

E para concluir, o autor deste comentário ainda acha difícil que um imbecil destes possa ter 84% de aprovação em seu governo.

Se por acaso, a CNT sensus, uma empresa do Clésio Andrade, ex sócio do Marcus Valério e cntsensusatolada até os cotovelos no mensalão estiver correta, o Brasil “SIFU”. Eu sinceramente acredito que esta pesquisa foi muito preparada e sem validade, pelo bem do futuro do Brasil

Não é possível que 84% dos pesquisados não consigam enxergar que o governo do PT não governa o Brasil. Que o governo do PT, é apenas uma máquina suprapartidária para tirar no menor tempo possível todas as vantagens que as maracutaias dentro do congresso e dos ministérios possam proporcionar.

obras-do-pac

fora-ladroes

05 mar 2009 Posted by | ABOBRINHAS, CRISE ECONÔMICA, EDUCAÇÃO, GOVERNO, POLÍTICA | 3 Comentários

Podem escrever….

Podem escrever….

Quando perguntaram ao Lula sobre as eleições em São Paulo para prefeito, ele saiu com esta:

“- Vocês podem escrever isto, a próxima prefeita de São Paulo será a Marta.”

Isto é uma afirmativa muito forte, para quem sabia que nas pesquisas de preferência, naquele momento, a Marta andava mal, uns 16 pontos abaixo de seu opositor o atual prefeito Kasab.

Ou o Lula não acredita nas pesquisas, onde ele tem uma aprovação de 80% (eu não acredito também), ou ele sabe que de uma forma ou de outra eles vão virar a mesa e ganhar na marra.

Isto me faz lembrar uma anedota muito contada em Nova York.

Nos Estados Unidos, principalmente na parte nordeste, o emigrante polonês leva afama de ser burro. (como o português no Brasil).

Então aí vai a piada:

Com se reconhece o polonês em uma rinha de galos?

Resposta:

È o que tem o pato debaixo do braço.

E como se sabe que a máfia está controlando a rinha?

Resposta:

O pato ganhou a briga.

Se a Marta levar esta eleição em Sampa, as cartas foram marcadas.

Se não levar, o Lula perdeu uma boa oportunidade em ficar calado.

E como bem sabemos não foi a única e nem será a ultima.

Falar asneiras é com ele mesmo.

Além de falastrão, ignorante e presunçoso, o Lula também é um hipócrita, e lendo a coluna da Adriana http://www.prosaepolitica.com.br/index.php

Encontrei este artigo do Raphael Curvo que fala justamente desta hipocrisia:

Hipocrisia, eu?

Por Raphael Curvo (*)

Estranhos movimentos estão a volver as ações e medidas legais, em tramitação, pelos bastidores do Congresso Nacional voltadas a “amparar” o sistema financeiro nacional contra a crise que, segundo o presidente, ainda não chegou ao Brasil. São “marolinhas”. Mal sabe que o “tsuname” econômico vem precedido de algumas marolas financeiras. Em seus discursos sempre prega a solidez do nosso mercado, das instituições bancárias e empresariais. No estilo do Galo da Madrugada, do carnaval de Recife, o governo botou o bloco da MP 443 na rua.

É notório que o discurso presidencial não tem seu devido lastro na realidade brasileira. O temor do resultado desta crise econômica nas eleições de 2010 está levando o governo à um processo de desespero político muito cedo. Isto se deve a aura criada em torno do mantra “nunca antes neste País”, que levou o governo e seus séquitos a imaginar longos anos no poder sob a égide do “mito”. Os processos e resultados eleitorais de 2008 estão traduzindo o momento político do Brasil. Percebe-se, com claridade, que a transferência de dinheiro, dos programas sociais e outros, não implica, necessariamente, em transferências de votos. Aí está o elo do desespero político atual e de 2010.

O presidente procura a todo custo desvincular a sua aprovação popular deste procedimento de distribuição de dinheiro. Quer fazer entender que, os índices das pesquisas, têm muito ou só a ver com a sua capacidade e competência de governar. Os seus ataques estão nitidamente inseridos de insegurança na manutenção do poder em 2010, via este fator. Fórmulas como as que foram apresentadas pelo governador Blairo Maggi, estender os mandatos até 2012, são de alta potência resolutória ao governo neste ponto e, também, para os acontecimentos que ainda estão a caminho em 2009 e seus efeitos nas próximas eleições.

Não é difícil entender, penso, que ao tomar tais atitudes contidas na MP 443, estas vão além do simples fato da crise. Há algo de podre no bojo dessa Maldade Pública 443. Basta atentar um pouquinho e veremos que lembra a “habilitante chavista” para o setor e perfumada com saudosas rosas vermelhas. Traz no seu bojo um forte cheiro de estatização. Não estabelece o retorno da participação, de forma concreta e real, às empresas atingidas pelos tentáculos oficiais. Oficializa, entendo, de forma disfarçada, a compra de empresas, financeiras ou de serviços, sem necessidade de qualquer ato legal de aprovação.

Essa história de que a MP 443 “é mais um instrumento de ajuda às instituições financeiras com problema de liquidez provocadas pela crise internacional” é a pura indicação da esperteza que está em curso para manutenção do controle do Poder nas próximas eleições. O sistema de apoio existente é suficiente para o atendimento das necessidades na área econômica e perfeitamente controlável.

Qual empresário da construção civil não vai querer a CEF como sócia? É um monstruoso arranjo financeiro e que tem um forte odor de caixa de campanha. Onde estão a robustez do mercado e a sólida economia esbravejadas nos discursos do presidente e nas entrevistas do ministro da Fazenda? Era mentira?

A verdade, que sempre esconderam e escondem, virá à tona antes do Natal de 2008. O Sr. Mantega será um dos bodes. Não é um exercício de adivinhação, é o sentido lógico dos acontecimentos. O nosso Ministro da Fazenda é uma fraude. Assim será considerado para proteger o “enganado”, que nada sabe. Alimentou falsas esperanças em toda população. Os interesses eleitorais e de poder, razão maior no cerne do governo, não permitiram a decência política em ser transparente à população. O desespero é grande. Já sabem o tamanho da pedra que engoliram, mas não avaliaram se tinham um canal de saída compatível.

A campanha do pré-sal foi ladeira abaixo. Este fato me leva a pensar que o governo e seus auxiliares nada sabiam do que andava se passando na economia mundial. Deixaram o presidente sonhando com o dinheiro do pré-sal, impossível àquela época e muito menos agora e por muitos anos. Presidente, onde está o hipócrita?

(*) Raphael Curvo é jornalista, advogado pela PUC-RJ e pos graduado pela Cândido Mendes-RJ.

26 out 2008 Posted by | ABOBRINHAS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

Certamente, talvez…..

Certamente, talvez…..

Certamente, talvez seja uma das maiores crises que o mundo já viveu”.(Lula da Silva)

Que tremenda falta faz uma escolinha básica ao seu presidente.

Sem uma boa escola básica, que o presidente menospreza e despreza as 300.000 vagas universitárias que ele está apregoando vão ser preenchidas por pessoas como ele e o que sair destas vagas universitárias estarão envergonhando o mundo com suas asneiras.

Exatamente como ele.

E as obras do PAC (Programa de Aceleração da Corrupção)?

Desde que foi implementado, não pararam de sair notícias sobre as irregularidades nas obras do PAC.

Para início de conversa, o tal PAC, nada mais é do que as obrigatoriedades orçamentárias do governo sob um novo nome de mercado. 70% destes investimentos serão feitos pela Petrobrás, que já constavam de seus planos orçamentários de longo prazo. Os restantes 30%, são as obras que deveriam ter sido feitas no primeiro mandato, que foram esquecidas em favor do aparelhamento da máquina e o inchaço no governo.

Depois que a infra-estrutura desabou, o governo resolve fazer a toque de caixa o que deveria ter feito e que não foi feito e chama isto de PAC.

O resultado é o que se esperava, sem controle e com metas impossíveis de serem cumpridas, os recibos e notas são esquecidos em favor da urgência, o superfaturamento vira uma constante, e o contribuinte se encarrega de cobrir este enriquecimento ilícito.

Este enriquecimento não é privilégio das obras do PAC, o Flavio Luiz da Silva, não está executando nenhuma obra do PAC e se enriqueceu repentinamente, e provavelmente ilicitamente.

Na inútil e perigosa OBRA DA TRRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS DO RIO SÃO FRANCISCO, o encarregado da obra, Agatunado Gedel Vieira Lima, gastou os primeiros 90 milhões com poucas ou nenhuma nota fiscal ou empenho regularizado e a obra foi embargada pelo TCU.

Vocês estão lembrado da famosa operação de emergência “Tapa Buracos” pouco antes das eleições de 2006 ?

Pois é 90% destas obras estão em dívida com o TCU, por falta de justificativa dos gastos.

O seu presidente (meu eu garanto que não é) como recompensa por este escalavro, por suas famosas abobrinhas ganha em uma pesquisa (questionável) 80% de aprovação do seu governo.

É mole?

Para não ficar como apenas fofoca reproduzo uma recente reportagem sobre as obras deste governo, e apenas a mais recente de várias que geralmente aparecem nas notícias.

Com estas freqüentes notícias e esta aprovação de 80%, fica evidente que 80% dos eleitores usam o jornal apenas para limpar o rabo

Leiam a reportagem:

TCU pede a paralisação de 48 obras da União

LORENNA RODRIGUES
da Folha Online, em Brasília

Atualizada às 16h26

O TCU (Tribunal de Contas da União) recomendou nesta terça-feira a paralisação de 48 obras federais, sendo 13 do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). A recomendação foi feita ao Congresso Nacional, que é quem decidirá pela paralisação ou não das obras.

Entre as obras do PAC está a construção do terceiro terminal de passageiros em Guarulhos (SP). O tribunal encontrou sobrepreço no projeto básico, além de restrições à competição no edital e outras irregularidades no documento. O tribunal pediu também a paralisação da reforma do aeroporto Santos Dumont (RJ), que, de acordo com o tribunal, apresentou alterações indevidas no projeto.

O tribunal pediu ainda a retenção do pagamento de 12 obras. O órgão encontrou ainda 78 obras com irregularidades, mas não recomendou a paralisação. Das 153 obras fiscalizadas, apenas 15 não tinham ressalvas.

A previsão é que as recomendações do tribunal tragam uma economia de R$ 3 bilhões aos cofres públicos. O total de obras fiscalizadas soma R$ 26 bilhões.

No ano passado, o tribunal determinou a paralisação de 77 obras, entre as quais a transposição do rio São Francisco

02 out 2008 Posted by | ABOBRINHAS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, CRESCIMENTO ECONÔMICO, GOVERNO, PAC, POLÍTICA | Deixe um comentário

Brasil um país de todos!!!!!!

Brasil um país de todos!!!!!!

De acordo com as propagandas milionárias do governo federal, o Brasil é um país de todos.

Será?

O Daniel Dantas quebrou todos os recordes de velocidade na emissão de um HC não por uma comissão do Supremo, mas por um juiz que sem verificar qualquer possibilidade de periculosidade estando solto ( um criminoso com tremendo poder econômico que podia como pode prejudicar o andamento das investigações de seus crimes) deu não um HC mas dois seguidos e ainda disse que o juiz dando ordem de prisão estaria descumprindo uma ordem do supremo.

Para nós mortais comuns, o supremo deve ser uma espécie de Deus onipotente, que de acordo com o poder do capital fala mais alto em circunstâncias estranhas e específicas.

E veja esta reportagem de hoje sobre a justiça para todos no Brasil:

Homem acusado de roubar R$ 20 é condenado a 5 anos de prisão

A família e a defesa de Cleiton Aparecido alegam a inocência dele.

Assalto teria sido cometido por amigos da vítima, no ABC, em 2007.

Carolina Iskandarian Do G1, em São Paulo

Podem ler a reportagem completa aqui:

http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL756676-5605,00-HOMEM+ACUSADO+DE+ROUBAR+R+E+CONDENADO+A+ANOS+DE+PRISAO.html

E no Brasil de todos, ainda temos o MMM (Ministro Mantega Mentira) dizendo que o Brasil está blindado pelas ações pragmáticas do governo Lula está incólume contra os problemas da crise mundial.

E o Lula ordenou muito seriamente que o Bush conserte o seu problema porque o Brasil não tirou dinheiro emprestado para comprar casas nos Estados Unidos.

Como faz falta um pouco de educação primária.

Vejam também esta coluna do Sardenberg sobre a crise:

Crise afeta o Brasil, e muito

Carlos Alberto Sardenberg

Eis como a crise mundial chega ao Brasil, em primeiro lugar. Aliás, já chegou: pela falta e/ou encarecimento de capitais e financiamentos para novos investimentos.

Um exemplo que interessa diretamente: as empresas brasileiras que já ganharam licitações da Petrobrás para a construção de navios e sondas de exploração de petróleo estão, neste momento, negociando financiamentos de bancos internacionais.

Segundo reportagem do jornal “Valor Econômico” de hoje, bancos estrangeiros suspenderam, provisoriamente, por enquanto, operações para financiar R$ 12 bilhões – operações que já estavam em andamento.

Isso porque, no mercado internacional, a taxa de juros pela qual os bancos captam dinheiro subiu fortemente, pela simples razão de que há menos dinheiro disponível.

Eis um exemplo da alta dos juros. A companhia brasileira Braskem fechou recentemente um financiamento internacional, pagando taxa de juros de 1,75% ao ano acima da Libor, taxa de juros que os bancos cobram entre si no mercado de Londres. É a taxa de referência. Pois bem, no empréstimo que fez à seguradora AIG, o Fed, banco central dos EUA, cobrou Libor mais 8,5% ao ano.

Outro exemplo: o risco Brasil, que havia caído para 190 pontos, subiu para perto dos 350 pontos – isso significa que as empresas brasileiras, ao tomarem empréstimos externos, pagam agora a taxa de juros dos títulos americanos, mais 3,5% ao ano, contra 1,9% antes da crise.

Para um país que necessita de capitais para novos investimentos – e que não os tem no país – a crise financeira internacional afeta , e muito.

17 set 2008 Posted by | ABOBRINHAS, ÉTICA, Cinismo, ECONOMIA, GOVERNO, POLÍTICA | 1 Comentário

O povo sempre tem o presidente que……

O povo sempre tem o presidente que……

Passando os olhos pelas notícias na rede, depois de ver o treino da fórmula 1, encontrei estas duas referencias na coluna do Cláudio Humberto:

País de lorotas

Se JK fez Brasília em três anos, não custa perguntar: qual universidade, estrada, usina, hospital, qualquer coisa, construída na era Lula?

JK era outro

O deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) não agüenta a insistência de Lula de comparar-se a Juscelino Kubitschek: “A história não registra que JK tenha sido obrigado a demitir os principais auxiliares”.

Com referencia à primeira delas, podem procurar que não tem.

O Lula inaugurou algumas obras iniciadas no governo passado, como a estrada de Brasília/Goiânia, duplicação da Fernão Dias ( esta realmente não sei se inaugurou) e coisas assim. Mas obra iniciada e terminada nos dois governos Lula, isto não tem.

A especialidade dele é inaugurar canteiros de obra.

Na segunda referencia, com autoria dada pelo CH ao deputado baiano José Carlos Aleluia, é bem verdade o que foi dito apenas que não somente o JK, mas nenhum outro governante brasileiro teve que trocar seus principais colaboradores por ilegalidades cometidas.

E quero fazer uma observação, que apesar de não ser apenas minha, não encontra hospedagem na mídia nacional.

Vocês se lembram da luta do governo para manter a CPMF? Luta esta até irregular, usando os ministérios, principalmente o da Fazenda e o da Saúde, para mentirem descaradamente até fazendo ameaças pela não continuação da CPMF.

Pois uma das causas desta boa onda da economia é a ausência deste imposto nojento que punia principalmente os pobres. O governo nunca irá admitir isto, mas vários economistas podem confirmar esta situação.

Esta crise mundial que aos poucos nos vai atingindo já estaria a pleno vapor se existisse a CPMF.

E segue o mistério!!!!

Como pode ser possível esta aprovação recorde do Lula?

64% – Data Folha –

Será possível que somente eu esteja errado?

Será que o bom trabalho reconhecido seja: roubar, dar cobertura a criminosos, não fazer absolutamente nada, promover o imbecil do filho a empresário de sucesso com o dinheiro do erário, deixar a esposa

detonar o jardim tombado do Burle Max no palácio da alvorada com uma estrela do PT, passear pelo mundo com sua galega à custa do povo, falar abobrinhas e mentiras, se comparar idiotamente a líderes do passado, doar as coisas do povo brasileiro à Bolívia (Refinarias da Petrobrás), construir estradas e pontes na Venezuela, com o dinheiro do BNDES, que é dos trabalhadores (75% do BNDES é do FAT), perdoar dívidas nos países africanos, vender para a Argentina energia mais barata do que custa gerar, e dizer todos os tipos de grosserias aos seus auxiliares e ministros, e mais outras barbaridades?

Este é o Lula que eu vejo, e que nos moldes de uma nação decente, já estaria fora há muito tempo.

Eta Brasil…..

13 set 2008 Posted by | ABOBRINHAS, ÉTICA, CRESCIMENTO ECONÔMICO, GOVERNO, POLÍTICA | 1 Comentário

Revista velha…

Revista velha…

Outro dia, exatamente no dia 10 de agosto de 2008, fui a Belo Horizonte MG, para renovar a CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Este ano houve uma novidade, como a minha carteira é de 1962, tive de cumprir uma nova exigência do DETRAN e participar de 15 horas de curso de “Direção Defensiva”, fazer uma pequena prova sobre o assunto ensinado, e fazer o exame médico normal. Devo dizer que não foi uma coisa totalmente inútil como poderia ter sido. No pequeno tempo disponível, houve até muita informação trocada sobre o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), e algo de útil ficou gravado na memória minha e espero de outras pessoas que participaram do mesmo curso. Pelo preço pago, R$ 43,00 foi uma educação barata e pela duração periódica do evento, de cinco em cinco anos, não é uma coisa muito exagerada como algumas coisas inúteis e burocráticas e caras, fruto das mentes doentias dos legisladores brasileiros. (eu por completar 65 anos no ano que vem, devo depois de 2009 fazer esta reciclagem de três em três anos – Acho justo).

Outra coisa antes de entrar no assunto do título. Foi em um dos exames médicos do DETRAN, em 1994, que descobri a minha hipertensão e iniciei o tratamento.

E também foi durante a espera para efetuar este novo exame médico, que deparei com uma edição de “VEJA” esquecida na cadeira ao meu lado. Fiquei surpreso pela capa, pois se tratava de grampos no supremo, e do Ministro Gilmar Mendes. Assuntos muito atuais e isto me fez pensar que fosse a VEJA da semana que alguém havia esquecido no consultório médico. Como sempre faço (eu e muitas pessoas que conheço) abri na parte da entrevista das páginas amarelas, e era uma entrevista de cunho científico, e um assunto também atual e li esta interessante entrevista, ainda pensando estar lendo uma revista nova. O entrevistado, o primatologista holandês “Frans de Waal”, tem muitas coisa novas e interessantes e atuais, portanto não levantou suspeita de que fosse uma entrevista antiga.

Depois, fui à coluna do Millor onde na maioria das vezes ele fala de algo ocorrido durante a semana ou pouco antes, dando assim uma dica sobre a data da revista. Desta vez, ele não falou sobre nada disto e falou sobre a crase e sua idéia sobre ela.

Do Millor, pulei para o Radar do Lauro Jardim – aí, não teve jeito as notícias pareciam um caso de “Deja vu”. Li sobre a compra da Suzano Petroquímica, sobre o Renan Calheiros dando calote no IPTU (Realmente ele pode – somente ele) sobre Luiz Paulo Conde e Furnas, sobre o padre Marcelo Rossi e pensei será? Voltei então para a capa da revista VEJA em minhas mãos e procurei a data – 22 de agosto de 2007 – edição 2022 – incrível, esta revista tinha quase exatamente um ano e as notícias estavam muito atuais, os assuntos dos colunistas, tudo parecia dentro das datas atuais um ano depois. Incrível. Na sessão “CARTAS”, um leitor comparou o governo Lula ao de Getúlio Vargas. Um entregou Olga Benário para ser torturada e morta e o outro fez o mesmo com os refugiados boxeadores cubanos. Outro leitor, desta vez um português disse com certa dose de propriedade, que o Brasil é um país de primeiríssimo mundo com políticos de terceiro mundo.

Uma interessante visão do motivo de nossos problemas.

Na parte internacional, sobre as eleições americanas, dava como certa a vitória da Hillary que teria uma disputa com o Ex-prefeito Rudolph Giuliani, para disputar aparentemente o cargo com o ex-governador de Massachusets Mitt Romney pelos republicanos. Nada disto aconteceu e nesta parte a história teve outro desfecho.

Na parte econômica, falou-se sobre a primeira crise do século e que é a mesma que continua a movimentar as especulações atuais. Sobre este assunto poderia alguém um pouco desinformado pensar se tratar de assunto atual.

Nas entrevistas a outros economistas sobre o assunto, incrivelmente todos acertaram em uma forma ou de outra.

Sobre o “Recall de Brinquedos”, acaba de haver outro pela mesma empresa, “MATELL”. Assunto atual novamente. Em “DATAS”, quero enfatizar um assunto curioso. Em 1979, quando o Maluf fundou a Paulipetro, eu trabalhava para uma empresa americana de porte médio para grande no ramo de exploração de petróleo. Na época eu fazia parte de um corpo de 9.000 empregados em todo o mundo o que não é pouco. Esta empresa publicava mensalmente uma revista sobre o nosso assunto, mas era uma revista de variedades e curiosidades e tinha a parte de economia e investimentos. Na época da fundação da Paulipetro, a nossa revista aconselhava muita caução em investir na empresa de Maluf, pois possuíamos relatórios sobre as pesquisas na área da Paulipetro, e todos eles demonstravam a não existência de petróleo na área. Na época a nossa revista dizia ser um provável “SCAM” que quer dizer um golpe. E assim foi.

No Mainardi, este assunto de bater no PT, é comum e está atual em qualquer época, portanto não houve nenhuma surpresa por ali.

Agora, como a veja faz, deixei para o ultimo um dos colunistas favoritos. Roberto Pompeu de Toledo.

Não é por ele ser um exímio escritor que realmente o é. Não é por dizer coisas novas e sensacionais por que de vez em quanto ele faz isto. O meu favoritismo em sua coluna, é que Roberto é um escritor muito eclético, aborda qualquer assunto com maestria, e em seus artigos, ele sempre compõe certa dose de justiça. Não chega a ser um justiceiro, mas um apaziguador. Sua posição sobre vários temas é uma posição correta sempre. Isto promove ao ler os seus artigos uma leveza de opinião sobre os mesmos por parte do leitor.

Pelo menos no que me toca é assim.

Este artigo da revista velha também está atual e por isto publiquei na íntegra. Em um país no qual o principal mandatário, ao inaugurar o início de uma obra (aqui somente se inaugura o início) abre o seu discurso com a singela frase:

“- Aqui está o meu discurso que mandei imprimir com letras bem grande pra mim não errar”

Antes de abrir o discurso ( que provavelmente alguém escreveu para ele) ele errou pelo menos duas vezes.

Realmente parece que o Brasil acabou.

Ensaio: Roberto Pompeu de Toledo

“O Brasil é isso mesmo que está aí”

Terrível parecer, de alguém que conhece o assunto, reforça uma sensação que paira no ar

Os distraídos talvez ainda não tenham percebido, mas o Brasil acabou. Sinais disso foram se acumulando, nos últimos meses: a falência do Congresso e de outras instituições, a inoperância do governo, a crise aérea, o geral desarranjo da infra-estrutura. A esses fatores, evidenciados por acontecimentos recentes, somam-se outros, crônicos, como a escola que não ensina, os hospitais que não curam, a polícia que não policia, a Justiça que não faz justiça, a violência, a corrupção, a miséria, as desigualdades. Se alguma dúvida restasse, ela se desfaz no parecer autorizado como poucos de um Fernando Henrique Cardoso, cujas credenciais somam oito anos de exercício da Presidência da República a mais de meio século de estudo do Brasil. “Que ninguém se engane: o Brasil é isso mesmo que está aí”, declara ele, numa reportagem de João Moreira Salles na revista Piauí.

Ora, direis, como afirmar que o Brasil acabou? Certo perdeste o senso, pois, se estamos todos ainda morando, comendo, dormindo, pagando as contas, indo às compras, nos divertindo, sofrendo, amando e nos exasperando num lugar chamado Brasil, é porque ele ainda existe. Eu vos direi, no entanto, que, quando acaba a esperança, junto com ela acaba a coisa à qual a esperança se destinava. É à esperança no Brasil que o sociólogo-presidente se refere. Para ele, o Brasil jamais conhecerá um crescimento como o da China ou o da Índia. “Continuaremos nessa falta de entusiasmo, nesse desânimo”, diz. O prognóstico é tão mais terrível quanto coincide com – e reforça – o sentimento que ultimamente tomou conta mesmo de quem não é sociólogo nem nunca conheceu por experiência própria os mecanismos de governo e de poder.

O Brasil que “é isso mesmo” é o das adolescentes grávidas e dos adolescentes a serviço do tráfico, das mães que tocam lares sem marido, das religiões que tomam dinheiro dos fiéis, dos recordes mundiais de assassinatos e de mortos em acidentes automobilísticos, dos presos que comandam de suas células o crime organizado, dos trabalhadores que gastam três horas para ir e três horas para voltar do trabalho, das cidades sujas, das ruas esburacadas.

Procura-se o governo e… não há governo. Há muito que nem o presidente, nem os governadores, nem os prefeitos mandam. Quem manda é a trindade formada pelas corporações, máfias e cartéis. Não há governo que se imponha a corporações como a dos policiais, ou a dos professores, ou a dos funcionários das estatais. Não há o que vença as máfias dos políticos craques em arrancar para seus apaniguados cargos em que possam distribuir favores e roubar. Para enfrentar – ou, humildemente, tentar enfrentar – cartéis como o das companhias aéreas, só em época em que elas estão fragilizadas, como agora. Às vezes os cartéis se aliam às máfias, em outras se transmudam nelas. Em outras ainda são as corporações que, quando não se aliam, se transformam em máfias. Em todos os casos, o interesse público, em tese corporificado pelos governos, não é forte o bastante para dobrar os fragmentados interesses privados.

A tais males soma-se o cinismo. Não há outra palavra para descrever o projeto, supostamente de fidelidade partidária, aprovado na semana passada na Câmara. O projeto, muito ao contrário de punir ou coibir os trânsfugas, perdoa-lhes o passado e garante-lhes o futuro. Quanto ao passado, estão anistiados os parlamentares que trocaram de partido e que por isso, no entendimento do Tribunal Superior Eleitoral, deveriam perder o mandato. No que concerne ao futuro, o projeto estabelece que a cada quatro anos os parlamentares terão folga de um mês na regra da fidelidade partidária, pois ninguém é de ferro, e estarão abertos a negócios e oportunidades. Estamos diante de uma das mais originais contribuições da imaginação brasileira ao repertório universal de regras político-eleitorais. Para concorrer a uma eleição, o candidato deve estar filiado a um partido há pelo menos um ano. Mas, segundo o projeto, no mês que antecede a esse ano de jejum o candidato pode trocar o partido pelo qual foi eleito por outro. Como a eleição é sempre em outubro, esse mês será o setembro do ano anterior. Eis o Carnaval transferido para setembro. O projeto é uma esposa compreensiva que, no Carnaval, libera o marido para a gandaia.

FHC não era tão descrente. No parágrafo final do livro A Arte da Política, em que rememora os anos de Presidência, escreveu: “Se houve no passado recente quem empunhasse a bandeira das reformas, da democracia e do progresso, não faltará quem possa olhar para a frente e levar adiante as transformações necessárias para restabelecer a confiança em nós mesmos e no futuro desse grande país”. Na reportagem da revista Piauí, ele não poupa nem seu próprio governo: “No meu governo, universalizamos o acesso à escola, mas pra quê? O que se ensina ali é um desastre”. Pálidos de espanto, como no soneto de Bilac, assistimos à desintegração da esperança na pátria, o que equivale a dizer que é a pátria mesma que se desintegra aos nossos olhos.

Outro assunto sem nenhum vínculo ao artigo do presente post mas que quero comentar, porque não sai de minha mente, é a coluna do Roberto Pompeu sobre a morte de D. Ruth Cardoso, que foi sensacional.

Acho que futuramente vou publicar este artigo.

Agora um pouco de humor para não deixar o Brasil acabar completamente.

Recebi por Email a seguinte frase muito sugestiva.

80% dos eleitores brasileiros não usam ler o jornal.

Usam sim o jornal para limpar o rabo.

Aí está simplesmente a razão do atual congresso.

14 ago 2008 Posted by | ABOBRINHAS, ANEDOTAS, ARTIGOS, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

A revolução ética.


A revolução ética.

O povo tem que acordar.

Eu não morava no Brasil na época do Fernando Collor. Acompanhei os fatos da época nas revistas que eu conseguia ler nos consulados do Brasil. Acompanhei com surpresa, de que os brasileiros resolveram sair do ostracismo e demandar um pouco de ética nas políticas publicas. Os brasileiros foram às ruas e pintaram as caras e forçaram o congresso a fazer as coisas como era a vontade popular.

É bem verdade de que naquela época existia uma militância de esquerda, comandada pelo PT que era o partido mais popular. Esta militância está hoje com a alma partida, também depois de todos os esforços do passado, a mesma militância viu o seu partido, o PT cometer as mesmas vigarices ou muito pior do que as cometidas pelo governo Collor.

Não estou querendo dizer que os erros do presente possam ser comparados com os erros do passado como justificativa ou vice versa, os erros do passado possam justificar os erros do presente, mas se naquela época as malandragens do Collor indignaram a população, estas pilantragens do governo Lula, estas mentiradas empurradas goela abaixo da população, deveriam ser suficientes para um grito de “BASTA CAMBADA DE LADRÕES”.

Os cinqüenta e oito milhões de votos não deram o Lula o direito de fazer o que quiser. Existe, além da constituição e as leis do código civil e criminal, uma ética moral com o povo que o elegeu como, por exemplo, cumprir as promessas de campanha. Uma delas, e que gerou milhares de votos foi a de diminuir a carga tributária.

Ele além de não fazer nem a tentativa de diminuir, aumentou descaradamente os impostos .

Os mais fanáticos dos eleitores do Lula continuam a querer justificar estas pilantragens, estas mentiras, estes gastos abusivos esta falta de iniciativa, este abandono da infra-estrutura, este descaso com a saúde pública e com a educação básica, usando o fato de ele ter sido eleito democraticamente e estar com uma aprovação acima de 60% da população.

Sadan Hussein foi eleito democraticamente e tinha uma aprovação de 99,5%.

Para não ser totalmente radical, temos no Brasil o Getúlio Vargas. Foi eleito democraticamente e tinha antes de se tornar ditador uma aprovação de mais de 70% da população votante.

Eu não consigo encontrar dentro do meu circulo de relações nem uma só pessoa que tenha respondido ao questionário de uma destas pesquisas de opinião. E não adianta dizer que estas pesquisas são éticas, porque não o são. Por dinheiro eles fazem as pesquisas onde o cliente quiser. Eu me recordo da eleição do segundo mandato do FHC, quando as pesquisas indicavam uma eleição sem segundo turno com a vitória de FHC e quando o Lula em um de seus discursos inflamados chamou a pesquisa de “Pesquisa Chapa Branca” e de “Pesquisa Fajuta”.

O Lula poderia até ter razão na época, mas agora, com o teto de vidro a coisa muda, a pesquisa é uma coisa séria.

Os inconformados eleitores do Lula ficam com vergonha das abobrinhas que o imbecil irradia todos os dias e promove a mídia a chamá-lo de ignorante e apedeuta, e os chargistas com insinuações de burro e imbecil, e dizem para se consolarem de que o imbecil ganhou democraticamente (com o voto obrigatório) do PHD Geraldo.

Mas não foi uma competição de sabedoria nem de preparo, foi uma competição de popularidade.

Eu, constantemente comparo o espetáculo da política brasileira com o BBB da Rede Globo.

Apenas neste ultimo episódio, um imbecil, e uma modelo sem nenhum preparo formal, sem saber conversar, não somente conseguiram uma votação maior do que a do Lula em um tempo de campanha muito menor. No processo e caminho da vitória, deixaram para trás, várias pessoas com muito mais preparo inclusive um médico formado. E no mesmo final a modelo apesar de despreparada tinha muito mais preparo do que o imbecil, e perdeu para ele. Assim é o Brasil.

O governo Lula botou a mão já sabe…..

Agora, eu não me conformo com a apatia destes eleitores do Lula, perante a demonstração de falta de caráter, lisura, atitude, hombridade, deste presidente.

Será que o fato deles terem acreditado que votando no Lula estariam melhorando o Brasil, e insistido no voto mesmo diante dos fatos do mensalão e das mentiras do dossiê, justifique esta insistência em defender um governo sem defesa?

Esta atitude seria como especular na bolsa, e com pouca sorte e ou conhecimento e preparo ver seus investimentos caírem, e insistirem em vender as ações pelo preço que pagaram dizendo que pagaram com bom dinheiro então elas valem.

O maior valor das ações Lula era a ética na política e a administração honesta, com reforma política e tributária.

Estes valores não apareceram e era uma mentira. E agora? Quanto vale estas ações sem as tangentes que lhe deram os valores iniciais?

Voltando à bolsa de valores, uma empresa de tecnologia anuncia que acabou de descobrir um carro que anda sem combustível e que o governo acreditou e vai comprar a idéia.

As suas ações sobem instantaneamente, e a empresa fica bem no pedaço.

Um ano depois se descobre de que era tudo uma farsa e que foi planejado para lesar o investidor.

O que acontece?

O preço das ações despenca, e os agentes reguladores entram com processo para punir a empresa mentirosa.

Provavelmente os investidores lesados, arcam com o prejuízo.

Porque será que os investidores que investiram no Lula,

não arcam com os seus prejuízos e metem este FDP na cadeia?

Seria muito melhor para o Brasil e para a democracia.

E no rastro dele, metessem também na cadeia, os representantes

corruptos que andam dando apoio a este governo de merda.

E também os corruptos que fazem oposição a este governo de merda.

Este artigo abaixo foi o que ocasionou o meu comentário e encontrei em outro blog:

http://pep-home.blogspot.com/

E foi postado por Giulio Sanmartini.

Sexta-Feira, 11 de Abril de 2008 | Versão Impressa

Estadão

Uma questão de respeito

João Mellão Neto

Há poucas semanas, eu dava conta, aqui, da lassidão moral, do sentimento generalizado de indulgência que, de uns três anos para cá, vêm tomando conta da opinião pública brasileira. Que não venham alegar que a moralidade está fora de moda em todo o mundo, ou que as pessoas, na verdade, nunca se incomodaram para valer com a existência ou não de um mínimo de ética no trato da coisa pública. Há menos de 16 anos, quando fui ministro do então presidente Fernando Collor, vivenciei de perto um desses surtos de demanda ética que, de quando em quando, acometem toda a Nação, forçando a ocorrência de mudanças profundas. Por mais que se argumentasse, com pragmatismo, que os males do governo já haviam sido todos corrigidos, ou que se procurasse demonstrar que um trauma político de tais proporções jamais seria benéfico para a sociedade, nada disso adiantava. Ninguém estava disposto a perdoar Collor. Com o tempo, fui-me conformando com a queda iminente do presidente, o que eu considerava lastimável, uma vez que todas as medidas já haviam sido tomadas para que aquele governo, dali em diante, fosse um dos melhores de toda a História republicana.

Napoleão, num de seus momentos de reflexão, reconhecera, com toda a crueza, que havia vertido muito sangue, e talvez ainda vertesse mais, “não com ódio ou revanchismo, mas, tão-somente, porque a sangria faz parte da medicina política”. Conformei-me, então, com o óbvio: era crucial, naquele momento, para a auto-estima nacional, que a sacralidade do mandato presidencial fosse violada. Aquele povo que, por tantas décadas, fora espezinhado, despojado e vilipendiado em seus mais elementares direitos necessitava agora – como prova maior de sua cidadania – consumar um processo de impeachment.

Hoje em dia, mais e mais estou convicto de que, o que quer que Collor tenha feito, o problema, em 1992, não era ele, mas sim as circunstâncias. O Brasil ansiava por confrontar supremos mandatários. E o Fernando das Alagoas era a bola da vez.

Embora polêmica, essa tese não é de difícil comprovação. Basta comparar o que acontecia naqueles dias com o que ocorre hoje. Desde os escândalos do mensalão até agora, todas as feridas, embora continuem abertas, curiosamente jamais infeccionaram. Nesse ínterim, o próprio presidente Lula ainda foi premiado com a reeleição. Por muito menos o presidente Collor foi impiedosamente apeado do poder. O tempora, o mores…

O que mudou? O que ocorreu para que, em tão pouco tempo, os brios cívicos dos brasileiros se tivessem abrandado tanto? Há duas explicações, que se complementam.

A primeira é a de que Lula descobriu, meio sem querer, que custa muito barato comprar a consciência das camadas mais destituídas da população – R$ 70 por mês é o que o governo transfere para as cerca de 11 milhões de unidades familiares mais pobres do País. É discutível a eficácia de programas de transferência de renda como o Bolsa-Família na promoção econômica dos seus beneficiários. Como as contrapartidas das famílias-alvo não são fiscalizadas, tudo não passa de mero assistencialismo. Trata-se de uma “mãozinha” que o governo dá para atenuar as carências dos mais pobres. Não é tanto dinheiro assim, uma vez que tais dispêndios cabem folgadamente no Orçamento da Nação. O problema maior é que, se esmola curasse pobreza, há muito não haveria mais miseráveis no mundo. Lincoln, há um século e meio, já advertia sobre quão enganoso é acreditar que se ajudam efetivamente os cidadãos “fazendo por eles o que eles podem e devem fazer por si próprios”. As conseqüências diretas dessa política são a eterna dependência, o conformismo e o total aniquilamento do que ainda restava da ética do trabalho.

O problema é que esses R$ 70, que parecem muito pouco para uma família urbana do Sul ou do Sudeste, fazem toda a diferença quando o beneficiário habita as regiões mais pobres do Brasil. Volta e meia nos chegam notícias sobre a “falta de mão-de-obra” em certas comunidades pobres do País. Não se trata de falta de trabalhadores. A falta é de gente que queira trabalhar. Para muitos, os R$ 70 que o governo dá são mais do que suficientes para que os indivíduos deixem de procurar alguma outra forma de auferir renda. Essas pessoas formam uma clientela política extremamente fiel ao governo. Como são muitas, elas também ajudam a diluir e amortecer, na consciência geral, o impacto de eventuais transgressões morais por parte dos governantes. Tudo isso é muito conveniente ao status quo, mas a pergunta que não quer calar continua a ser a seguinte: existe, na História universal, o registro de um único povo que tenha prosperado por meio de esmolas? Não, não existe. E essa, sem dúvida, será a mais maldita das heranças legadas pela gestão Lula.

A outra explicação para a absoluta complacência moral em que vivemos advém do fato de que, em raras ocasiões, a economia internacional passou por uma fase tão próspera. O Brasil foi muito beneficiado com isso. Aos olhos de muitos se atribui tal afluência às virtudes do governo atual. Esse é outro poderoso fator que faz muitos relevarem ou mitigarem as recorrentes notícias de escândalos.

Esses fatores explicam, mas nem de longe justificam o torpor moral atual dos brasileiros. A história é uma só: todos os povos que, por um motivo ou outro, abriram mão de seus valores e convicções ou descuidaram de seus brios cívicos acabaram pagando um alto preço por isso. Quem no mundo haverá de respeitar um povo que, em troca de migalhas, deixou de se respeitar a si próprio? O tempo, como sempre, haverá de dar a resposta. Ai de ti, Brasil!

João Mellão Neto, jornalista, deputado estadual, foi deputado federal, secretário e ministro de Estado

E-mail: j.mellao@uol.com.br

Fone-fax: (11) 3845 1794

Lula vai realizar uma reforma geral no Palácio da Alvorada.

Ele e a sua súcia estão de mudança para o Palácio do Buriti.

Deveria ser uma reforma geral na praça dos três poderes

12 abr 2008 Posted by | ABOBRINHAS, ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA | 1 Comentário

Menos fiscalização.

Menos fiscalização.

Esta é a meta do governo Lula.

Seria muito bom se esta meta fosse para diminuir a burocracia, e o governo se meter menos na vida dos cidadãos honestos que pagam os custos desta praga desnecessária que é o tamanho do governo se metendo em tudo e na vida de todos.

Mas com o demonstrado pelo veto presidencial na fiscalização pelo TCU no dinheiro repassado aos sindicatos, indica que a desburocratização que ele prima é apenas nas contas em que existe interesse pessoal como nos sindicatos.

Em suas palavras

“[Quando] vieram me trazer para assinar, eu me lembrei que passei 30 anos da minha vida lutando por liberdade e autonomia sindical, e eu não podia compactuar com o fato de tirar do Ministério do Trabalho e colocar no Tribunal de Contas da União, para ficar fiscalizando o sindicato”.

O nosso imbecil presidente perdeu uma grande chance de fazer a coisa certa.

Quando se tentou desvincular de obrigatoriedade o pagamento por parte do trabalhador da contribuição sindical, poderia ter sido um grande avanço em direção a uma democracia de fato, democracia que atualmente não existe no Brasil.

E seria a única possibilidade de autonomia sindical.

Como pode falar o idiota do presidente de autonomia vinculada a uma obrigatoriedade constitucional.

É a mesma autonomia que ele deseja com os cartões corporativos.

“O dinheiro vem do povo e eu fui eleito pelo povo para gastar com o que eu quiser!!!”

“Eu fui eleito pela maioria do povo, e agora posso fazer o que quiser com o dinheiro que eles pagam.”

Esta é a mensagem gritante que este molusco está divulgando.

Ele foi eleito com 58 milhões de votos em um universo de 120 milhões de eleitores, o que deixa de fora 62 milhões de eleitores.

Se ele quer gastar sem dar satisfação o dinheiro dos contribuintes, que seja o dinheiro dos que votaram nele e deixe os outros 62 milhões de brasileiros isentos de qualquer tributação.

Eu por exemplo estou entregando para ele gastar 80% do que eu produzo. Poderia me deixar de fora. A família agradeceria.

Ele com sua política de destilar ódio e separação dos brasileiros formando uma casta de pessoas e segregando outras (A Zelite) os paulistas e paranaenses, ele está acendendo um pavio em um paiol de munições.

A pressão sindical contra a medida criando o fim da obrigatoriedade foi tremenda, pois perderiam muito dinheiro que entra sem nenhum trabalho por parte do sindicato, mas por força da lei o que torna a maioria dos sindicatos um cabide de vantagens para os dirigentes e nenhuma contrapartida para o trabalhador que está pagando.

Agora, por lei e por definição, dinheiro pago por obrigação é imposto e imposto tem que ser fiscalizado pelo TCU, que é o órgão criado para este fim.

Então, o veto do presidente foi imoral e ilegal, e deve ser contestado na justiça.

Se a contribuição sindical fosse voluntária, seria como em uma agremiação onde os fundos que entram são pertinentes apenas para os associados desta agremiação como um clube, um condomínio e onde a fiscalização ficaria apenas por conta dos associados.

Agora cobram um imposto (imposto = imposição, obrigatoriedade) e imposto tem que ser fiscalizado pelo órgão criado para este fim e isto deveria ser a posição do presidente se este fosse ético, preparado, inteligente, e disposto a dar pelo Brasil e pela democracia, um passo à frente.

Leia um artigo sobre este assunto na Folha de São Paulo:

DEM vai ao STF contra veto de Lula à fiscalização de centrais sindicais pelo TCU

Publicidade

da Folha Online

O presidente do DEM, o deputado federal Rodrigo Maia (RJ), disse hoje que o seu partido vai ao STF (Supremo Tribunal Federal) nos próximos dias para questionar o veto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao artigo do projeto de lei que regulamenta a atividade das centrais sindicais. O artigo vetado previa que o TCU (Tribunal de Contas da União) iria fiscalizar a utilização do imposto sindical repassado para as centrais sindicais.

Em nota, Maia diz que o veto de Lula contraria o que foi negociado no Congresso durante a aprovação do projeto de lei. “O Congresso estabeleceu a fiscalização do TCU”, afirma Maia. “O Congresso agiu de forma correta. Como se trata de contribuição obrigatória, imposta por lei, a cobrança de um dia de salário do trabalhador se transforma em um tributo. E todo tributo tem de ter a aplicação fiscalizada. Além do mais, até sindicalistas concordam em um ponto: o veto do presidente Lula beneficia a banda podre dos sindicatos.”

O procurador do Ministério Público junto ao TCU (Tribunal de Contas da União), Marinus Marisco, criticou o veto do presidente Lula ao artigo da lei que possibilitava ao TCU fiscalizar as contas de sindicatos, confederações e federações.

Segundo o “Jornal Nacional”, Marisco chamou a decisão de retrocesso. “São milhares de sindicatos, milhares de documentos de despesa. Se isso fosse sistematizado pelos sindicatos, naturalmente ficaria muito mais fácil fiscalizar”, afirmou o procurador do TCU.

O veto também foi criticado por especialistas. Para o professor Pedro Serrano, da PUC-SP, “deve ser papel do TCU fiscalizar a aplicação de qualquer verba pública, em especial em entidades que são privadas, mas têm caráter comunitário”.

Segundo Serrano, o ponto central está na obrigatoriedade do pagamento da contribuição sindical. “Qualquer contribuição compulsória do dinheiro das pessoas ao governo é dinheiro público. Seria diferente se fosse pagamento voluntário”, afirma.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem que vetou o artigo do projeto de lei que determinava ao TCU (Tribunal de Contas da União) o poder de fiscalizar as centrais sindicais por acreditar que os trabalhadores podem desempenhar essa função –por meio das categorias e entidades sindicais. Segundo ele, sua decisão foi tomada porque, assim, os trabalhadores ficarão resguardados.

“Não tem porque não acreditar que o trabalhador não é capaz de fazer a fiscalização. Por isso que eu vetei. É um mérito da persistência de vocês”, disse o presidente, no encontro que reuniu líderes de diversas centrais sindicais, no Palácio do Planalto.

Em março, a Câmara aprovou o projeto de lei que regulamenta as centrais sindicais. O texto previa que o TCU passaria a fiscalizar o uso do dinheiro arrecadado com o imposto sindical.

“Se nós não tomássemos o cuidado de vetar a fiscalização, eu já fico sabendo em cima de quem e em que momento iria a fiscalização”, afirmou o presidente, na cerimônia, referindo-se indiretamente às ameaças a que estariam submetidos os trabalhadores.

Em seguida, Lula afirmou: “Imagina se a cada vez que chegar uma eleição, uma campanha eleitoral no sindicato, alguém toma a decisão de fiscalizar, quanto nós estaremos tirando do trabalhador o direito de propor em assembléia mecanismo de fiscalização”.

Anteontem, ao anunciar o veto, o presidente contou ter sido influenciado por sua história como sindicalista. “[Quando] vieram me trazer para assinar, eu me lembrei que passei 30 anos da minha vida lutando por liberdade e autonomia sindical, e eu não podia compactuar com o fato de tirar do Ministério do Trabalho e colocar no Tribunal de Contas da União, para ficar fiscalizando o sindicato”, disse.

07 abr 2008 Posted by | ABOBRINHAS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, Cinismo, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: