blog do Roberto Leite

Assuntos de interesses multiplos e atuais.

A porta da salvação

A porta da salvação

Não sei de quem foi a ideia, mas foi genial e maquiavélica.o rebanho

Pode ter sido do Tarso Genro também cidadão italiano e de descendência judia.

Quando o Lula optou por não deportar o assassino Baptiste para a Itália para cumprir sua merecida prisão perpétua, eu realmente não pude vislumbrar por que um sujeito pragmático e esperto como o Lula, de dispunha a um desgaste desnecessário, entrando em conflito jurídico com um país amigo e com tantos vínculos com o Brasil.

Depois de tanto zunzum, o assunto passou a fazer parte do passado e se congelou ficando apenas nos domínios de alguns historiadores e também em alguns jornalistas e blogueiros.

Agora vem o caso do Pisollato de volta, e a justiça italiana se nega a deportar o criminoso brasileiro, com sentença transitada em julgado para cumprir sua pena no Brasil,

Eles estão corretos, não devolvemos o deles e eles não devolvem o nosso. Em linguagem diplomática isto é reciprocidade de procedimento.

E aí minha gente, eu entendi porque o Lula não se importou em sofrer um pouco de desgaste no caso do Battisti.

Toda a família direta do Lula, inclusive ele próprio, adquiriram a cidadania italiana através dos laços familiares da galega dele e agora são todos cidadãos italianos.minto sim

E então todos já vislumbraram o assunto. Se alguém da família, o Lulinha, ou ele próprio forem condenados no Brasil pelos desmandos como este processo em investigação na Petrobrás, eles simplesmente vão para a Itália e pronto estão a salvo por causa da decisão de não deportar o Baptiste.

Se eu estiver errado, o governo Dilma poderia reverter a ordem e deportar o Baptiste recebendo de volta o Pisollato para cumprir sua pena no Brasil.

Mas isto não vai acontecer, porque o Pisollato é outro arquivo de impropriedades que pode ser aberto, levando para outro território o julgamento do mensalão.

pedra no sapato

29 out 2014 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

A recusa de mudanças.

Encontrei no blog do Giulio esta reportagem de Rapphel Curvo.
Achei excelente e reproduzo com os créditos.
O mais incrível é que todos sabem dos problemas, querem soluções, e nada acontece. O ECA. Está totalmente exagerado, e necessita de alguma mudança urgente, O Senador Aécio, em um discurso recente, disse o que já comentei neste espaço inúmeras vezes: “os crimes praticados contra a vida, ou crimes hediondos, Têm que ser punido com a força da lei existente”
Isto quer dizer o seguinte:

Existem leis severas no Brasil e devem ser aplicadas às pessoas de qualquer idade que cometem estes crimes e ponto final. Se um menor de 14 anos pega uma arma assalta e mata, tem que cumprir a pena inteira. Fica em um lugar diferenciado até os 18 anos e depois cumpre pena na penitenciária junto com os adultos iguais a ele.
Não se mexe em nada da “Idade Penal”.
Se isto for feito, se resolve praticamente todo o problema da impunidade infanto/juvenil.
Vejam por exemplo o nosso código de transito, esta aberração que foi relatada em 2005 pelo deputado paulista dono da verdade, Ary Kara. Foi modificado inúmeras vezes para poder funcionar mediocremente. Mas melhorou.
Por esta e outras vejo que o título do artigo do Rapphel está correto.
Existe uma recusa de mudança no Brasil, e isto está matando o país. Tem que haver mudanças profundas em nossa sociedade.

Blog do Giulio Sanmartini (1944/2013) evolução - 8
RECUSA DE MUDANÇA
A COLUNA DE RAPPHAEL CURVO
________________________________________
Existe uma grande dificuldade no Brasil em se produzir propostas e projetos inovadores. O País não é adepto da criatividade, muito menos ainda a estrutura administrativa de governo. Inovar parece algo agressivo a população e aos governantes. Mesmo nas empresas brasileiras da iniciativa privada há certa aversão a pesquisa e a aplicação de novas idéias a sua forma de administrar e mesmo na sua produção. Propostas e projetos inovadores que poderiam resultar em avanços ao desenvolvimento das empresas ou Instituições, são bloqueados pela insegurança provocada pelo fator mudança que é um processo temeroso aos administradores, sejam públicos ou privados.

visita - 8Há muita reserva e desconfiança a qualquer idéia que possa mudar o traçado evolutivo com maior dinâmica e eficiência. Acredito que este estado refratário tem sua origem na falta de um estado jurídico mais imperativo, firme e reto. O cidadão não estabelece crença no seu cotidiano, repleto de acontecimentos hostis em, praticamente, todos os campos de sua relação social. Existe, mais forte ainda, um estado beligerante nas relações dos negócios empresariais e econômicos. Cada qual estabelece seu arsenal competitivo como se ele fosse o único e não um grupo, o que prejudica, sobremaneira, a troca de informações e conhecimentos tão importante ao crescimento da economia como um todo.
Isto é muito visível no mercado produtivo e os reflexos são intensos nas relações comerciais até entre países. Essa composição de competição não é a movedora principal do desenvolvimento, mas sim, da imposição dominadora, de conquistas e domínios, traduzidos em submissão de povos, nada diferente da época romana. Trocaram-se apenas as armas e a estratégia, a finalidade é a mesma, subjugar. Aí está um dos pontos que atravanca o crescimento do Mercosul e ainda provoca danos no mercado comum europeu. No caso dos subdesenvolvidos, existe uma frente dos demais países do Mercosul que temem pelo poderio brasileiro e este, dominado pelo sentimento da parceria ideológica bolivariana, submete o Brasil a irrisórios índices de crescimento ao frear a expansão de suas relações comerciais. Lulla e Dillma são as causas ante a obediência cega ao reduto cubano e as inadmissíveis linhas de ação política do Foro São Paulo.tucano - 8
Vemos em grande parte da Europa problemas da população no mercado de trabalho, a Espanha, Grécia e Portugal chamam a atenção com o alto índice de desemprego. Lá também aparece com muita força o lado da vaidade da população a qual recusa aceitar outras experiências em nome da homogeneidade cultural e patamar evolutivo. Os chamados especialistas da Espanha ou Grécia, como exemplos, não conseguiram estabelecer caminhos que minorasse a sofrida situação de desemprego do povo. Tanto lá como cá, recusam escutar e avaliar propostas e projetos em razão de auto-suficiência dos dirigentes e governantes. São incapazes de promover debates e reuniões com finalidade de estimular a criatividade para dar maior celeridade à solução dos problemas. Ainda vivemos a fase pré histórica do “nós” e “eles”.
Assim então, vamos vivendo a ineficiência dos transportes para o escoamento de nossa produção o que resultou em ação dos produtores de soja ao criar proposta e projeto para uma solução ante as condições deploráveis de nossas estradas, com a construção de ferrovias. Assim, continuamos nos últimos lugares de avaliação internacional na área da Educação e submetendo nossas crianças ao massacre físico de escolas sem carteiras e roubando-lhes o seu futuro, jogando-os na vala dos desesperançados como se descartados das possibilidades de uma vida melhor. Assim vemos nossa Justiça caminhar pelo aparelhamento e com isso transmitir insegurança e descrença. Vemos os descalabros administrativos grassando por toda administração governamental sem qualquer penalidade aos seus praticantes. Desvios de dinheiro, corrupção e por ai vai, tornaram-se normalidade.
Existe solução? Existe, para tudo há uma solução. No nosso caso ela é urgente. Ainda há tempo para mudar, só não pode existir a recusa de mudança.caindo  - 8

 

10 maio 2014 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ARTIGOS, ÉTICA, ideologias, Justiça, POLÍTICA | | Deixe um comentário

Voltei

verdades

Vou voltar a escrever, pois ficando apenas de espectador aumenta enormemente a minha frustração.
Não ia me cadastrar para votar pois aos 70 anos não seria obrigado a fazer-lo, mas mudei de idéia, fui lá e me cadastrei biometricamente.

Ficar somente de observador não é a minha praia.
Vou votar sim apesar de ter medo da idoneidade da urna eletrônica brasileira que de acordo com o TSE, é a “melhor e mais segura do mundo”, e por isto não necessita de aparelhagem de conferência física dos votos suspeitos. Ah bom!!!!!
O ultimo post escrito neste espaço foi no dia 21 de junho de 2012. Está próximo do segundo aniversário deste post.

Com os escândalos da Petrobras, que em vários posts anteriores previ que não demoraria a explodir, o que está se concretizando, resolvi escrever algo a respeito.
Na entrevista que hoje li na mídia, do procurados do TCU Marinus Marsico, um comentário dele me chamou particularmente a atenção:mamando
“ Esse mal de misturar o público com o privado é algo que sempre existiu, desde o surgimento dessa esdrúxula figura da sociedade de economia mista. Mas, ultimamente, essa situação aumentou muito, é só ver os escândalos.”
Em 1980, trabalhava com uma indústria no ramo petroleiro, que produzia equipamentos para a exploração e produção de petróleo. Era uma empresa relativamente pequena, de cunho muito internacional, com sedes em vários países.
Era eu, nesta ocasião, gerente internacional de vendas e serviços, e freqüentava regulamente os escritórios da empresa em vários países.
Tínhamos, um filial vem Zurique na Suíça. Era um escritório pequeno, com um representante e uma secretária. A principal função deste escritório ira o de receber pedidos de visitas de representantes ou requisito de algum serviço de nossos produtos.
QuadrillhaO edifício onde se encontrava, este escritório era ocupado por várias empresas do ramo petrolífero, ou de representantes de grandes clientes como Arábia Saudita, Iraque, Líbia, ETC, e tinha doze andares.
O nosso escritório ocupava uma sala no nono andar.
O oitavo andar era todo ocupado pela Braspetro, que era o nome da divisão internacional da Petrobras.
O nosso aluguel desta sala era pago em dólares, pois ainda não existia o euro e a moeda americana era ainda uma referencia internacional. Existia sim o Fraco Suíço, mas os contratos eram estabelecidos em Dólar. Pagávamos nesta época por esta sala um aluguel de R$ 10.000 dólares mensais Tinha aproximadamente 30m².
Por este preço podem imaginar o que a Petrobrás pagava pelo andar inteiro que ocupava.
Outra coisa interessante, quando estava por lá, a nossa empresa permitia o aluguel de automóveis para deslocamento, visita a clientes etc., mas o custo deste privilégio era controlado e o carro mais caro que eu poderia alugar naquela época era um Peugeot 305.
Quando os meus compatriotas, que trabalhavam na Petrobrás viram o meu carro, virou motivo de chacota, pois todos eles andavam de Mercedes ou BMW.
Eles diziam olha aí o Roberto Trabalhando em uma empresa americana e dirigindo esta porcaria…..
Bem isto descrito acima mostra o desperdício inerente de uma estatal que gasta muito e gasta mal.
Mas os acontecimentos recentes de uma investigação da PF mostram que os gastos anteriores, apesar de mal gerenciados, não chegam aos pés desta empresa administrada pelo governo do PT que de uma posição de 12ª maior empresa do ramo, passou subitamente a ser a 120ª com uma dívida impagável, superior ao patrimônio da empresa. comeram tudo
O valor acionário desta empresa administrada tão casualmente pelo governo do PT caiu pela metade, mesmo depois de subir alguma coisa quando a aprovação do governo caiu, em detrimento dos pequenos acionistas que acreditaram no potencial da empresa.
Em qualquer pais sério, quando o preço de algo orçado em projeto passa dos 400% do preço inicial, pessoas vão para a cadeia, são multados, isto se acontecer pois não deixariam chegar a este ponto parando a obra e investigando a fundo a causa do sobre preço.
Mas aqui é diferente, a “Transposição do Rio São Francisco”, foi orçada em 6,2 bilhões, foi iniciada sob a gerencia do baiano Gedel Vieira Lima e quando a operação atingiu um bilhão de reais em irregularidades fiscais, o TCU parou os repasses parando com isto a obra inacabada.
A única parte desta obra que foi acabada dentro do prazo e do orçamento foi o que foi feito pelo Corpo de Engenharia do Exercito Brasileiro.
Foi feito um inventário da situação por uma empresa independente e foi constatado que além do que foi feito pelo exercito nada se pode aproveitar e tem que ser destruído e refeito a um custo aproximado de 14 bilhões de Reais.Sabedoria

O porto de Mariel em Cuba, foi a maior obra terminada pelos doze anos de administração do PT, e até hoje não se sabe para que serviu esta obra e investimento brasileiro nesta ilha prisão.
O imposto recolhido dos brasileiros foi usado pelo governo do PT para uma obra faraônica em um país sem futuro para o que?
Todo o dinheiro investido na Venezuela vai ser perdido, pois o pais está nas ultimas e vai quebrar de uma forma ou de outra. Este regime que lá vigora é realmente insustentável. Uma revolta vai acontecer a qualquer hora e o nosso investimento vai ser totalmente ignorado seja qual for a nova força a assumir este pais.
Já escrevi muito a respeito da Venezuela, pois morei por lá algum tempo, e sei qual será o desfecho desta festança iniciada pelo Chávez.
Falando nisto as filhas do Chávez se recusaram a sair do palácio do governo, pois se sentem no direito de ficar por lá indefinidamente.
Espero que a PF, que é dirigida pelo Ministério da Justiça (Deveria ser independente) consiga chegar ao fundo desta investigação, e que o MP possa indiciar os culpados por esta gastança sejam eles quem for. O nosso povo que trabalha de janeiro ao dia cinco de junho para o governo, e que por todo este trabalho não recebe o devido que seria Educação de Qualidade, Segurança de Qualidade e Sistema de saúde de Qualidade não merece ser estuprado por esta quadrilha que se apossou do país.

 

 

13 abr 2014 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, AUTORITARISMO, ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

Advogado Criminoso

Advogado Criminoso

 A lei criminal brasileira, pode até estar um pouco defasada, mas ela é explicita.

Nesta lei, os crimes previstos contra uma harmonia social, são escritos, aprovados por representantes dos cidadãos, e entram em vigor após esta aprovação. As punições decorrentes do não cumprimento da lei aprovada são também explícitas, e estão expressas dentro do texto da lei.

Existe um pouco de jurisprudência sobre decisões jurídicas controversiais em casos pontuais, mas no caso de um trabalho bem feito da promotoria, onde as provas obtidas são legais, as perícias feitas com profissionalismos, onde o criminoso sendo julgado é plenamente desfavorecido de dúvidas quanto sua culpa, a condenação é simplesmente um fato, sem muita necessidade de um defensor muito experiente, pois nada pode ser feito. O principal trabalho de um defensor em um caso destes é apenas na aplicação da pena prevista, que dentro de todas as leis tem uma variação razoável. O defensor pode apenas tentar convencer o juiz, de que o réu merece uma pena branda e apresentar os motivos para tal.  

Nos países, onde o direito, ou a maioria deste, se baseia em costumes populares e decisões jurídicas anteriores, como no caso dos países de língua inglesa, o papel de um advogado criminal, é imprescindível, pois deve entender os meandros da jurisprudência e o trabalho de um procurador é muito maior, pois tem que prever tudo isto antes de acusar criminalmente o cidadão preso por ter supostamente cometido uma agressão ao sistema legal. Mesmo com um flagrante, o criminoso pode com ajuda de um bom advogado, no sistema com um inglês ser considerado inocente.

Ao contrário do nosso sistema, os bons advogados americanos, dão verdadeiros espetáculos dentro das cortes legais e isto já gerou muitos filmes interessantes sobre este assunto.

O que seria um bom advogado criminal no Brasil?

No nosso sistema, um bom advogado, pode descobrir erros ou falsidades dentro das acusações, confissões decorridas de tortura, coação de policiais, e dentro destas investigações, inocentar um suposto criminoso.

Se o trabalho da polícia e da procuradoria for bem feito, a lei tem que ser aplicada e as penas previstas devem ser cumpridas.

Como pode então adquirir fama um advogado criminal dentro do sistema brasileiro?

Na maioria dos casos, o advogado criminal fica famoso por comprar a inocência dentro das promotorias.

A corrupção pode acontecer em qualquer sistema, mas no nosso sistema legal, ela está enraizada profundamente, desde os primórdios de nossa história.

Uma condenação depende da promotoria. Se esta não apresentar uma acusação, não tem como se condenar um infrator. Os procuradores são poderosos neste sistema e se não quiserem apresentar a denuncia ninguém pode obrigá-los. Se o procurador for corrompido com dinheiro do acusado, ele simplesmente não apresenta a denúncia e o acusado é solto na sociedade. O procurador corrupto também, em casos de muita visibilidade na mídia, pode simplesmente apresentar um caso furado, onde a defesa consegue anular o caso e o criminoso escapa pelo vão deixado pela procuradoria.

Então os famosos advogados criminais do Brasil, são os que simplesmente encontraram os caminhos dentro da lama da corrupção do sistema jurídico brasileiro.

Podem existir pessoas contrárias a estas idéias minhas dizendo que o nosso arcaico sistema jurídico criminal, tem que ser revisto e que existem leis contraditórias dentro dele que podem ser usadas por um bom advogado. Isto pode até ser verdade, mas um bom procurador deve saber disto antes de apresentar a acusação e contemplar todas as versões dentro da lei para que esta possibilidade seja minimizada ou até excluída diante de uma boa acusação.  Estes bolsões de discrepância dentro do sistema produzem as janelas esquecidas abertas pela compra de uma promotoria corrupta.

Eu sempre desconfiei destes famosos advogados criminais, que cobram honorários altíssimos e conseguem “inocentar” seus clientes. Parte dos honorários certamente foi saciar a fome corrupta das promotorias regiamente pagas pelos pagadores de impostos.

Encabeçando a minha lista particular destes famosos defensores, está o Sr. Marcio Tomás Bastos.

Leia na íntegra um dos motivos da minha linha de pensamento apresentada por um procurador que definitivamente não faz parte do lamaçal do sistema jurídico:

Em meu artigo, uma das partes do nome do advogado citado foi propositalmente escrita de forma diferente por motivos pessoais.

MANOEL PASTANA, Procurador Regional da República, lotado na Procuradoria Regional da República da 4ª Região, localizada em Porto Alegre/RS, Rua Sete de Setembro, 1133, Centro, com supedâneo no artigo 236, inciso VII, da Lei Complementar 75/1993, artigo 27 do Código de Processo Penal e artigo 5º, inciso XXXIV, alínea a, da Constituição Federal, vem

 

R E P R E S E N T A R

 

Em face do advogado MÁRCIO THOMAZ BASTOS, ex-ministro da Justiça, que patrocina a defesa do Sr. CARLOS AUGUSTO DE ALMEIDA RAMOS, empresário de jogos ilegais, conhecido como Carlos ou Carlinhos Cachoeira. A qualificação e endereço do representado podem ser encontrados na procuração, presente nos procedimentos criminais defendidos por ele, que estão sob a atribuição funcional dessa Procuradoria da República.

 

DOS FATOS E DO DIREITO

Consoante investigação amplamente divulgada na imprensa, o contraventor Carlinhos Cachoeira é apontado como líder de uma gigantesca organização criminosa, com tentáculos na estrutura político-administrativa do Estado brasileiro. Cachoeira é suspeito da prática de diversos tipos de ilícitos penais, com envolvimento, segundo divulgado na mídia, de políticos, agentes públicos e empresários, todos unidos com o propósito de saquear os recursos públicos.

Não é ético nem moral alguém com potencial e alcance criminal desse jaez ser assistido por defensor que teve, pelo menos em tese, a missão de, como ministro da Justiça, defender o Estado brasileiro da ação deletéria de infratores perniciosos para a democracia, porquanto se tem notícia de que, além do saque a recursos do erário e corrupção de agentes públicos, Cachoeira teria influenciado processo político-eleitoral, assim como a indicação de agentes para cargos no serviço público, incluindo setores da polícia e do Ministério Público; daí, não é razoável que alguém como o representado, que, na titularidade da Pasta da Justiça, participou de indicações de autoridades para ocupar posições de destaque no combate e no julgamento de indivíduos com perfil do seu atual cliente, venha agora defendê-los. Isso fere de morte a ética e a moral.

Esta representação, contudo, embora enfatize o acutilo à ética e à moral, não tem por fundamento tais aspectos, mas o lado criminal. É que o cliente do representado não ostenta renda lícita, que justifique o pagamento de honorários de um advogado em início de carreira, a fortiori de um causídico do nível do ex-ministro da Justiça, que, segundo divulgado na imprensa, teria cobrado 15 milhões de reais a títulos de honorários advocatícios (doc. anexo).

Aliás, quando políticos brasileiros adoecem, eles não procuram hospitais públicos, tampouco colocam seus filhos nas escolas públicas. Da mesma forma, pessoas acusadas de corrupção, embora sem renda lícita declarada, não procuram os serviços da Defensoria Pública, que padece com falta de pessoal e de estrutura. Assim, os serviços públicos deficitários ficam para o cidadão que paga os impostos, que, pela elevadíssima carga tributária, deveriam ser de Primeiro Mundo. Daí concluir-se, sem muito esforço, que as montanhas de recursos, produto de cinco meses de trabalho por ano do contribuinte brasileiro, não vão para onde deveriam ir; pois, se o fossem, os serviços públicos seriam ótimos. Certamente esses recursos, produto do suor do extorquido contribuinte, vão para outros bolsos. É por isso que os titulares desses bolsos não usam os serviços públicos deficitários.

Embora haja informação de que os bens e recursos de Cachoeira estejam bloqueados, a medida restritiva parece não ter sido suficiente, porquanto, se o fosse, ele não teria condições de custear o contrato advocatício em epígrafe. Destarte, faz-se necessário aprofundar a investigação, incluindo o próprio advogado, ora representado. É que, conquanto o patrocínio do ex-ministro da Justiça não seja ilegal (embora ofenda a moral e a ética), o recebimento dos honorários em tais circunstâncias é ilegal, por configurar, em tese, ilícito penal, conforme se verá a seguir.

Cachoeira não tem renda lícita para justificar legalmente pagamento de honorários de advogado famoso. Ademais, ele está sendo investigado por vários ilícitos, tais como crimes contra a administração pública, o que enseja o delito de lavagem de dinheiro, nos termos do artigo 1º, inciso V, da Lei 9.613/1998. Além disso, como as atividades ilícitas em questão foram praticadas, segundo as investigações divulgadas, por organização criminosa, nos termos do inciso VII, do referido dispositivo legal, também são consideradas lavagem de dinheiro.

Assim, ao receber recursos provenientes de condutas insculpidas na referida Lei como lavagem de capitais, o Dr. Márcio Thomaz Bastos, em tese, pratica o ilícito previsto no artigo 1º,  parágrafo 1º, inciso II, da Lei 9.613/1998, que assim dispõe:

Art. 1º Ocultar ou dissimular a natureza, origem, localização, disposição, movimentação ou propriedade de bens, direitos ou valores provenientes, direta ou indiretamente, de crime:

(…)

V – contra a Administração Pública, inclusive a exigência, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, de qualquer vantagem, como condição ou preço para a prática ou omissão de atos administrativos;

(…)

VII – praticado por organização criminosa.

(…)

§ 1º Incorre na mesma pena quem, para ocultar ou dissimular a utilização de bens, direitos ou valores provenientes de qualquer dos crimes antecedentes referidos neste artigo:

(…)

II – os adquire, recebe, troca, negocia, dá ou recebe em garantia, guarda, tem em depósito, movimenta ou transfere;”

Ora, um dos objetivos do combate a crimes de lavagem de dinheiro é justamente impedir que o infrator tire proveito da prática criminosa. Aliás, enquanto nos crimes violentos como estupro, latrocínio, roubo e outros análogos dizem que “bandido bom é bandido preso” (há quem diga outra coisa), em crimes que envolvem manejo de recursos, que são utilizados para corromper agentes públicos, como no caso do famoso bicheiro, “bandido bom é bandido pobre”, pois, uma vez pobre, o infrator fica sem sua arma principal de atuação: o dinheiro. Prendê-lo é importante, mas o principal é fazê-lo ficar sem recursos, porquanto, mesmo preso, mas com recursos, ele continua forte. No entanto, sem recursos, ele não terá como pagar advogados caros, para encontrar brechas na lei e subterfúgios defensivos, a fim de livrá-lo impunemente, tampouco teria a fidelidade de amigos e colaboradores influentes, que o ajudam na esperança de serem contemplados com o dinheiro sujo que o suposto criminoso movimenta.

Nessa senda, deixar o Dr. Bastos receber os recursos de alguém que está sendo investigado por vários ilícitos, que dão ensejo ao crime de lavagem de dinheiro, sem que nada seja feito, estar-se-á permitindo, em tese, que Cachoeira tire proveito do produto do crime, e os recursos sujos ingressem no patrimônio do representado e passem a circular como capitais limpos, ganhos em atividade regular de advocacia, o que, a toda evidência, não é, porquanto salta aos olhos que o seu cliente não tem condições financeiras de pagar honorários, ainda que pequenos, com recursos legais. A propósito, permitir que o Dr. Márcio Thomaz Bastos usufrua de tais recursos, seria o mesmo que, mutatis mutandis, entender lícito que o advogado receba honorários de assassino, que paga sua defesa com o dinheiro recebido para matar a vítima.

De mais a mais, ainda que não se cogite de enquadramento na Lei de Lavagem de Dinheiro, a conduta do representado, Dr. Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça, enquadra-se no tipo incriminador do delito de receptação culposa, prevista no parágrafo 3º do artigo 180 do Código Penal:

Art. 180 – Adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar, em proveito próprio ou alheio, coisa que sabe ser produto de crime, ou influir para que terceiro, de boa-fé, a adquira, receba ou oculte: (Redação dada pela Lei nº 9.426, de 1996)

(…)

§ 3º Adquirir ou receber coisa que, por sua natureza ou pela desproporção entre o valor e o preço, ou pela condição de quem a oferece, deve presumir-se obtida por meio criminoso.” Grifo nosso.

Ora, ora, o Dr. Bastos, assim como toda a sociedade brasileira, sabe que Cachoeira não tem condições de pagar honorários elevados com renda lícita; logo, é de se presumir que os recursos foram obtidos por meio criminoso, o que atrai a aplicação do tipo que pune a receptação culposa. Ressalta-se que, no crime de receptação, o delito antecedente pode ser qualquer um, tal como peculato, corrupção, estelionato, sequestro, latrocínio, furto, roubo etc., bem como o objeto material do delito pode ser dinheiro, joias, veículos, imóveis etc. (há divergência doutrinária em relação ao bem imóvel, mas não há quanto ao dinheiro e outros recursos, uma vez que ativos financeiros são considerados “coisa”, para fins penais, aptos, portanto, a configurar a elementar do tipo).

De outro giro, verificou-se, na oitiva de Cachoeira, ou melhor, na ausência de oitiva perante a CPMI, que o seu advogado o orientou a permanecer calado, louvando-se do artigo 5º, inciso LXIII, da Constituição Federal e artigo 8º, item 2, alínea g, da Convenção Americana de Direitos Humanos(CADH), também conhecida como Pacto de San José da Costa Rica.

Nesse diapasão, em respeito à sociedade brasileira, que não entendeu por que Cachoeira tem o direito de não falar, sob o princípio nemo tenetur se detegere, previsto nos referidos dispositivos legais, o Ministério Público Federal, na condição de fiscal do cumprimento da ordem jurídica e defensor da sociedade, assustada com a impunidade, deve promover a responsabilidade do representado. Para isso, pode empregar o mesmo ordenamento jurídico que o representado utilizou para orientar a defesa do seu cliente; afinal, dispositivos legais e princípios jurídicos não devem ser aplicados somente quando favorecem a defesa, mas também quando reclamam tomadas de responsabilidades.

O mister de promovê-las, in casu, cabe ao Ministério Público Federal, uma vez que a infração penal a ser apurada é da competência federal, seja em decorrência do disposto na Lei de Lavagem de Capitais, seja porque, em se tratando de receptação culposa, vislumbrasse a ocorrência da conexão prevista no artigo 76, inciso II, do Código de Processo Penal.

Para que nenhuma dúvida reste, enfatizo que o objeto desta delatio criminis postulatória não é questionar o aspecto ético do mencionado patrocínio, até porque a ética em questão está relacionada a razões de foro íntimo. Também não se pretende instar o Ministério Público a interferir, de alguma forma, na relação do advogado com seu cliente, e muito menos embaraçar o direito de defesa. O objetivo é provocar o titular da ação penal a agir no sentido de aferir se os honorários pagos, que, segundo divulgado na imprensa, estariam cifrados em milhões de reais, são oriundos de fontes lícitas. Isso porque as condições do cliente indicam às escâncaras que provêm de fontes ilegais.

Sendo de fontes ilícitas, o representado estaria, em tese, incurso, ou no tipo incriminador que penaliza o delito de lavagem de dinheiro, ou no tipo penal da receptação culposa. Em qualquer das hipóteses, o crime é de ação penal pública incondicionada, reclamando a atuação do Ministério Público.

Em face do exposto, conforme demonstrado nesta representação, há indícios de que o representado já cometeu, ou está prestes a cometer o delito de lavagem de dinheiro, ou, no mínimo, receptação culposa, em decorrência da percepção de honorários advocatícios oriundos de atividades criminosas. Em tais situações, a prisão em flagrante é possível, caso o advogado seja pego recebendo os recursos oriundos de condutas ilícitas perpetradas por Cachoeira.

Não sendo possível o flagrante, a infração criminal pode ser apurada pelos meios normais de investigação, inclusive com a quebra dos sigilos bancário e fiscal do representado. Além disso, outros meios de apuração podem ser empregados, como prestação de informações pelo COAF, que deve ser perquirido sobre movimentação financeira ingressa na(s) conta(s) bancárias do ora requerido, consoante o disposto no artigo 14, parágrafo 2º e artigo 15, da Lei 9.613/1998.

Porto Alegre, 28 de maio de 2012.

MANOEL PASTANA

Procurador Regional da República

Esta acusação foi rebatida pela assessoria de imprensa do Márcio Thomaz Bastos, como se o procurador Manoel Pastana estivesse tentando cercear os direitos de defesa do acusado.

Isto foi propriamente rebatido aqui:

Assunto: Representação contra Márcio Thomaz Bastos

O Procurador Manoel Pastana, ao vislumbrar veracidade nas informações de que o advogado Márcio Thomaz Bastos teria cobrado R$ 15 milhões do acusado Carlinhos Cachoeira, para defendê-lo em processo criminal, que envolvem vários delitos, entre eles lavagem de dinheiro; por dever de ofício (art.236, inciso VII da LC 75/1993), representou para que seja apurada a origem dos recursos pagos a títulos de honorários.

O Dr. Pastana há quase duas décadas é procurador do Ministério Público Federal, atuando na área criminal; por isso, sabe que jamais conseguiria intimidar um advogado criminalista com a experiência de 60 anos. Ademais, nunca foi leviano e não tem interesse algum em prejudicar a defesa de quem quer que seja. Assim, causa espécie o tom da nota expedida pelo representado ao dizer: “Causa indignação, portanto, a tentativa leviana de intimidar o advogado, para cercear o direito de defesa de um cidadão.”

O exercício da advocacia não isenta o advogado, assim como qualquer profissional, de justificar que a renda recebida de seu trabalho provém de origem lícita. Não existe nenhum dispositivo legal que contemple o advogado com tal imunidade. Até porque, se houvesse, tornaria a Lei 9.613/98 (Lei de Lavagem de Dinheiro) letra morta, pois bastaria o criminoso celebrar um contrato milionário com o advogado. Este, sem ter que justificar a origem do dinheiro recebido a título de honorários, incluiria no seu patrimônio como renda lícita e, depois, poderia retornar mediante doação ao próprio infrator ou a quem ele indicasse.

Dessa forma, longe de ser leviano ou de querer atrapalhar a defesa do cidadão Cachoeira, o Procurador Pastana tenciona apenas que a lei seja cumprida, pois como há indícios de crime de lavagem de dinheiro ou de receptação, uma vez que a Lei Penal, neste último caso, presume que o recebimento de vultosa quantia de quem não tem renda lícita constitui crime de receptação culposa, representou para que seja apurada a origem dos recursos.

Considerando que há presunção relativa de que o recebimento do dinheiro em tal situação constitui ilícito penal, basta que o representado prove que o recurso recebido no pagamento dos seus honorários não é de origem ilícita e o problema está resolvido. Isso porque o questionamento não diz respeito ao patrocínio advocatício, mas ao vultoso recurso vindo de quem não tem renda lícita para arcar com tal patrocínio. Se o pagamento foi realizado por terceiros, basta provar que os pagantes têm renda para tanto.

Por fim, o fato de nunca ter sido questionado situação dessa natureza não impede que a lei seja cumprida neste caso, bem como não representa retrocesso, mas sim progresso no cumprimento da ordem jurídica.

TEREZINHA TARCITANO

Assessora de imprensa

 

Quando Ministro da Justiça, o senhor advogado criminal, encabeçou a famigerada campanha pelo desarmamento dos cidadãos honestos, como foi claramente expresso por ele mesmo em diversas ocasiões. A lei do desarmamento foi derrotada vergonhosamente em um milionário plebiscito patrocinado pelo mesmo vergonhoso governo que contratou um reconhecidamente corrupto advogado criminal para ministro da justiça.

Segundo ele, os bandidos teriam que ser desarmados pela polícia, mas os cidadãos de bem, deveriam entregar as suas armas para não se ferirem com elas…. Hah bom…..

Se tivessem sido acatadas as suas idéias sobre o direito do cidadão em possuir armas de defesa pessoal, o desfecho deste caso citado na reportagem abaixo poderia ter sido claramente outro em detrimento da corajosa idosa que manteve sua arma para se proteger.

Leiam no link abaixo:

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2012/06/mulher-de-87-anos-mata-assaltante-dentro-de-casa-em-caxias-do-sul-rs.html

 

 

 

10 jun 2012 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ARTIGOS, ÉTICA, Crimes e emntiras, GOVERNO, Justiça, POLÍTICA | Deixe um comentário

Eike e sua súbita riqueza!!!

Eike e sua súbita riqueza!!!

Recebi este Email do meu irmão José, recentemente mas eu já havia recebido de outra pessoa  da qual não me recordo agora, em uma data mais próxima da entrevista.

A data não importa nem muda os gravíssimos fatos nela contidos.

Não publiquei na época pois estava muitíssimo ocupado e depois foi mesmo esquecimento.

Com a repetição do assunto neste novo email, estou publicando.

Os relatos têm uma ordem pragmática e parecem genuínos, mas na internet nunca se sabe, prevalecendo os fatos mencionados da inexplicável fortuna do Sr. Eike.

Ele já era muito rico, pois o seu pai quando ministro militar das minas e energia, se apoderou do muitas terras que continham minas de minerais valiosos e deixou este pé de meia para o filho.

Agora o salto recente foi mesmo fabuloso.

Leiam esta entrevista:  

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Ido Sauer denuncia como José Dirceu entregou o Pré-Sal para Eike Batista

I (Parte final – Os leilões dos campos da Petrobras)

Para quem não sabe o Prof. Dr. Ildo Sauer é respeitado internacionalmente como autoridade

em energia. É professor catedrático da USP e é petista militante e juramentado. O Plano de

energia do Governo Lula, apresentado nas campanhas do candidato a presidente Lula,

sempre foi elaborado pelo Dr. Sauer. Ele foi diretor de Gás e Energia da PETROBRAS no

primeiro mandato do governo Lula. Após sua saída da diretoria da empresa esta engajado

juntamente com a Associação dos Engenheiros da Petrobras – AEPET, na divulgação e

esclarecimento da campanha o PRÉ SAL TEM QUE SER NOSSO.

sexta-feira, 02 de dezembro de 2011 | 04:12

Ildo Sauer denuncia como José Dirceu entregou o Pré-Sal para Eike Batista (Parte final – Os

leilões dos campos da Petrobras)

Agradecendo ao comentarista Mario Assis, que nos enviou a matéria, publicamos hoje a

segunda parte da importantíssima entrevista do professor Ildo Sauer, diretor do Instituto de

Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo, concedida a Pedro Estevam da Rocha

Pomar e Thaís Carrança, da revista da Associação dos Docentes da USP (ADUSP).

Considerado um dos maiores especialistas em energia do país, ex-diretor da Petrobras no

primeiro governo Lula, Sauer conta como foi descoberto o Pré-Sal e denuncia o lobby feito por

José Dirceu para entregar a Eike Batista a maior parte das reservas.

Revista ADUSP: Você ainda estava na Petrobras, quando o Pré-Sal foi descoberto?

Ildo Sauer – Eu ajudei a tomar essa decisão. Nós tomamos essa decisão, não sabíamos quanto

ia custar. O poço de Tupi custou US$ 264 milhões, para furar os 3 km de sal e descobrir que

tinha petróleo.

O Lula foi avisado em 2006 e a Dilma também, de que agora um novo modelo geológico havia

sido descoberto, cuja dimensão era gigantesca, não se sabia quanto.

Então, obviamente, do ponto de vista político, naquele momento a nossa posição, de muitos

diretores da Petrobras, principalmente eu e Gabrielli, que tínhamos mais afinidade política

com a proposta do PT de antigamente, a abandonada, achávamos que tinha que parar com

todo e qualquer leilão, como aliás foi promessa de campanha do Lula.

Na transição, ainda a Dilma falou, “não vai ter mais leilão”. 

Mas se subjugaram às grandes pressões e mantiveram os leilões.

Fernando Henrique fez quatro, Lula fez cinco.

Lula entregou mais áreas e mais campos para a iniciativa privada do petróleo do que Fernando

Henrique.

Um ex-ministro do governo Lula e dois do governo FHC foram assessorar Eike Batista.

O que caberia a um governo que primasse por dignidade?

Cancelar o leilão.

Por que não foi feito?

Porque tanto Lula, quanto Dilma, quanto os ex-ministros, estavam nessa empreitada”.

Revista ADUSP : Mas Gabrielli era contra e acabou concordando?

Ildo Sauer – Não. A Petrobras não manda nisso, a Petrobras é vítima, ela não era ouvida.

Quem executa isso é a ANP [Agência Nacional do Petróleo], comandada pelo PCdoB, e a mão

de ferro na ANP era da Casa Civil.

Então a voz da política energética era a voz da Dilma, ela é que impôs essa privatização na

energia elétrica e no petróleo. Depois do petróleo já confirmado em 2006, a ANP criou um

edital pelo qual a Petrobras tinha limitado acesso.

Podia ter no máximo 30% ou 40% dos blocos, necessários para criar concorrência.

Porque, em 2006, Tupi já havia sido furado e comunicado.

O segundo poço de Tupi, para ver a dimensão, foi feito mais adiante, esse ficou pronto em

2007.

Só que o Lula e a Dilma foram avisados pelo Gabrielli em 2006.

Muitos movimentos sociais foram a Brasília, nós falávamos com os parlamentares, os

sindicatos foram protestar.

O Clube de Engenharia, que é a voz dos engenheiros, mandou uma carta ao Lula, em 2007,

pedindo para nunca mais fazer leilão.

Em 2005-6, o [Rodolfo] Landim, o queridinho do Lula e da Dilma, saiu da Petrobras.

Porque o consultor da OGX, do grupo X, do senhor [Eike] Batista, era o ex-ministro da Casa

Civil (José Dirceu), e ele sugeriu então que Eike entrasse no petróleo.

Aí ele contratou o Landim, que começou a arquitetar.

Como o centro nevrálgico da estratégia da Petrobras é a gerência executiva de exploração, o

geólogo Paulo Mendonça, nascido em Portugal, formado aqui na USP, e o Landim, articularam

para em 2007 criar uma empresa nova, a partir dos técnicos da Petrobras.

E o senhor Batista queimou alguns milhões de dólares para assinar os contratos e dar as luvas

desses novos cargos, que estavam dentro da Petrobras mas, desde que o Landim foi trabalhar

com o senhor Batista, ele já estava lá para arrancar de dentro da Petrobras esses técnicos.

Aí chegou o fim de 2007, todos nós pressionando para não ter mais leilão, o Lula tira 41

blocos… Mas vamos voltar a 2006. 

Em 2006, quem anulou o leilão foi a Justiça, por discriminação contra a Petrobras fazer essas

coisas.

Ouvi isso da Jô Moraes, num debate na Câmara dos Deputados.

Só que aí se criou o seguinte imbróglio: um ex-ministro do governo Lula e dois do governo

Fernando Henrique, Pedro Malan e Rodolpho Tourinho, foram assessorar o Eike Batista.

Ele já tinha gasto um monte para criar sua empresa de petróleo.

Se o leilão fosse suspenso, ele ia ficar sem nada, e já tinha aliciado toda a equipe de exploração

e produção da Petrobras.

O que caberia a um governo que primasse por um mínimo de dignidade para preservar o

interesse público?

Cancelar o leilão e processar esses caras que saíram da Petrobras com segredos estratégicos.

Por que não foi feito?

Porque tanto Lula, quanto Dilma, quanto os ex-ministros, os dois do governo anterior e um do

governo Lula, estavam nessa empreitada.

Revista ADUSP: Quem era o ex-ministro?

Ildo Sauer – O ex-chefe da Casa Civil, antecessor de Dilma.

Revista Adusp: José Dirceu?

Ildo Sauer – É, ele foi assessor do Eike Batista, consultor.

Para ele, não era do governo, ele pegou contrato de consultoria, para dar assistência nas

negociações com a Bolívia, com a Venezuela e aqui dentro.

Ele [Dirceu] me disse que fez isso.

Do ponto de vista legal, nenhuma recriminação contra ele, digamos assim.

Eu tenho (recriminação)contra o governo que permitiu se fazer.

E hoje ele [Eike] anuncia ter 10 bilhões de barris já, que valem US$ 100 bilhões.

Até então, esse senhor Batista era um milionário, tinha cerca de US$ 200 milhões.

Todo mundo já sabia que o Pré-Sal existia, menos o público, porque o governo não anunciou

publicamente.

As empresas que operavam sabiam, tanto que a Ente Nazionale Idrocarburi D’Italia (ENI) pagou 

US$ 300 milhões por um dos primeiros poços leiloados em 2008.

Três ou quatro leilões foram feitos quando o leilão foi suspenso pela justiça.

Até hoje, volta e meia o [ministro] Lobão ameaça retomar o leilão de 2008, 2006.

A oitava rodada.

Para entregar.

Tudo em torno do Pré-Sal estava entregue naquele leilão.

No leilão seguinte, o governo insiste em leiloar.

E leiloou.

E na franja do Pré-Sal é que tem esse enorme poderio.

Como é que pode?

A empresa dele (Eike) foi criada em julho de 2007. Em junho de 2008 ele fez um Initial Public

Offering, arrecadou R$ 6,71 bilhões por 38% da empresa, portanto a empresa estava valendo

R$ 17 bilhões, R$ 10 bilhões dele.

Tudo que ele tinha de ativo: a equipe recrutada da Petrobras e os blocos generosamente

leiloados por Lula e Dilma.

Só isso.

Eu denunciei isso já em 2008.

Publicamente, em tudo quanto é lugar que eu fui, eu venho falando para que ficasse registrado

antes que ele anunciasse as suas descobertas.

Porque fui alertado pelos geólogos de que lá tinha muito petróleo.

Foi um acordo que chegaram a fazer, numa conversa entre Pedro Malan, Rodolpho Tourinho e

a então ministra-chefe da Casa Civil (Dilma), em novembro, antes do leilão.

O Lula chegou a concordar, segundo disse o pessoal do MST e os sindicalistas, em acabar com

o leilão.

Mas esse imbroglio, de o empresário ter gasto dezenas de milhões de dólares para recrutar

equipe e apoio político nos dois governos fez com que eles mantivessem…. 

Tiraram o filé-mignon, mas mantiveram o contra-filé.

O contra-filé é alguém que hoje anuncia ser o oitavo homem mais rico do mundo.

E tudo foi mediante essa operação no seio do governo.

Contra a recomendação dos técnicos da Petrobras, do Clube de Engenharia, do sindicalismo.

Foi a maior entrega da história do Brasil.

O ato mais entreguista da história brasileira, em termos econômicos.

Pior, foi dos processos de acumulação primitiva mais extraordinários da história do capitalismo

mundial.

Alguém sai do nada e em três anos tem uma fortuna de bilhões de dólares.

A Petrobras durante a vida inteira conseguiu descobrir 20 bilhões de barris de petróleo, antes

do Pré-Sal.

Este senhor, está no site da OGX, já tem 10 bilhões de barris consolidados.

Os Estados Unidos inteiros têm 29,4 bilhões de barris.

Ele anuncia que estará produzindo, em breve, 1,4 milhão de barris por dia — o mesmo que a

Líbia produz hoje.

É esse o quadro.

Ou a população brasileira se dá conta do que está em jogo, ou o processo vai ser o mesmo de

sempre.

Do jeito que foi-se a prata, foi-se o ouro, foram-se as terras, irão também os potenciais

hidráulicos e o petróleo, para essas negociatas entre a elite.

O modelo aprovado não é adequado.

Mantém-se uma aura de risco sem necessidade, para justificar que o cara está “correndo 

risco”, mas um risco que ele já sabe que não existe.

Qual é a nossa proposta?

Primeiro, vamos mapear as reservas: saber se temos 100 bilhões, 200 bilhões, 300 bilhões de

barris.

Segundo, vamos criar o sistema de prestação de serviço: a Petrobras passa a operar, recebe

por cada barril de petróleo produzido US$ 15 ou US$ 20, e o governo determina o ritmo de

produção.

Porque há um problema: a Arábia Saudita produz em torno de 10 milhões de barris, a Rússia

uns 8 milhões de barris, depois vêm os outros, com 2 a 4 milhões de barris por dia: Venezuela,

Iraque, Irã.

O Eike Batista anuncia a produção de 1,4 milhão de barris, a Petrobras anuncia 5 milhões de

barris e pouco.

Significa que o Brasil vai exportar uns 3 ou 4 milhões de barris.

Já é o terceiro ator.

Não se pode fazer mais isso.

Fonte: de 02/12/2011

http://www.tribunadaimprensa.com.br/?p=26923

&

http://www.claudiohumberto.com.br/bronca_geral

de 02/12/2011.

http://brazilianvoices.wordpress.com

/2011/12/11/os-leiloes-dos-campos-da-petrobras-parte-

 

final/

 

VOCÊ NÃO ACHA QUE DEVE DIVULGAR ISSO PARA OS SEUS AMIGOS ????

12 mar 2012 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA | 2 Comentários

Que a Força esteja com você…..

Que a Força esteja com você..

A operação Santa Tereza da PF foi lançada em 2008.

A Operação Santa Tereza investigou uma organização criminosa que fazia uso de pessoas com influência política no BNDES para conseguir a liberação de empréstimos para as prefeituras e empresas e que se aproveitavam de projetos falsos elaborados por uma empresa de consultoria. O dinheiro recebido do BNDES, segundo o MPF, era usado em uma casa de prostituição e de tráfico de mulheres, em São Paulo, chamada de W.E., quando então era lavado (legalizado).

E não é somente ele, é a família toda:

O Ministério Público Federal (MPF) ampliou a denúncia contra os envolvidos no esquema de desvio de verbas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) na Operação Santa Tereza. Mais quatro pessoas foram incluídas na acusação.

A mulher do deputado Paulinho (PDT-SP), da Força Sindical, – Elza Pereira -, e o ex-prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão, foram denunciados por lavagem de dinheiro e desvios na aplicação de recursos.

http://noticias.pgr.mpf.gov.br/noticias/noticias-do-site/copy_of_criminal/sta-tereza-mpf-denuncia-mulher-de-paulinho-e-ex-prefeito-de-praia-grande/

O Paulo Pereira da Silva foi investigado como sendo o responsável pela liberação dos empréstimos junto ao BNDES, e em um dos diálogos atribuídos como sendo ele um dos dialogantes, a PF gravou quando ele se referiu mais ou menos assim:

“Bem, temos que conseguir dinheiro do BNDES, porque a maioria deste dinheiro vem do FAT (Fundo de Auxilio ao Trabalhador), e isto quer dizer quer é nosso, pois nós somos os trabalhadores”

Com este diálogo, foi pedida a sua cassação como deputado federal, e que com suborno político foi abortada pelo conselho de ética.

O supremo não quis abrir um processo contra ele, porque com seu privilégio denominado “Imunidade Parlamentar” (Vergonha Nacional), e como a operação chamada Santa Tereza não foi dedicada exclusivamente para investigar o parlamentar, a escuta com seu diálogo, não poderia ser usada como uma prova contra ele.

Grande merda esta decisão, isto se equivale a dizer que se por um acaso, uma destas escutas legais, pegar alguma confissão de alguém que não esteja sendo diretamente investigado, esta escuta não serve!!!!

Esta operação se deu em 2008, mas a Folha de São Paulo tem 2.072 notícias sobre o “Paulinho da Força”, e 80% são notícias desabonadoras onde o parlamentar e sindicalista está envolvido em atos suspeitos.

Quem tiver curiosidade (e tempo) para pesquisar, o link é:

http://search.folha.com.br/search?q=%22Paulo%20Pereira%20da%20Silva%22&site=online&sr=1

A verdade é que perto dele o Ricardo Teixeira deveria ser canonizado pelo Papa.

Bem hoje recebi por email do meu primo Camilo, um interessante comentário sobre o “Paulinho” esta vergonha nacional. Este comentário está muito bom e estou publicando. Exatamente como recebi e na integra:

Texto que merece ser repassado

 

Humberto de Luna Freire Filho para O Estado de São Paulo <forum@grupoestado.com.br>

 

O deputado Paulo Pereira da Silva, o tal Paulinho da Força, acaba de mostrar quantos neurônios tem, ao pronunciar a seguinte frase: “Não dá para aceitar que a imprensa fique derrubando ministro de 15 em 15 dias.” Uma frase histórica, digna de placas a serem fixadas na CUT e na Câmara. Nobre deputado, quem derruba ministro não é a imprensa, não lhe informaram isso? Eles estão caindo porque são ladrões do erário e foram denunciados por uma imprensa não comprometida com esse governo corrupto. E mais, um rato decapitado a cada 15 dias é pouco. Se o Judiciário fosse independente, se o Legislativo não tivesse sido comprado e o Executivo perdesse a chave do cofre, todo o governo seria derrubado em um só dia. E as quadrilhas (inclusive a sua), eufemisticamente chamadas de partidos políticos, seriam imediatamente extintas para o bem do Brasil e em respeito ao cidadão.

 

Humberto de Luna Freire Filho

04 mar 2012 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, Cinismo, Justiça, POLÍTICA | Deixe um comentário

PAGAMOS, PAGAMOS E ….PAGAMOS

PAGAMOS,  PAGAMOS  E ….PAGAMOS

Nós estamos sustentando os políticos mais caros do planeta.

O congresso custa R$ 11.000,00 por minuto.

A prefeituras e assembléias estaduais seguem o exemplo, e a câmara distrital do df (minúsculas de propósito) consome mais do que todo o congresso de vários países de porte grande e médio.

Hoje me enviaram um vídeo de uma reportagem do Bom dia Brasil da Rede Globo, sobre os salários dos parlamentares e dá nojo e vergonha estar pagando esta fortuna para estes gaiatos ficarem legislando em Causa Própria,  impunemente rindo na nossa cara.

http://www.youtube.com/watch?v=2ii3mGUD-l4

A proposta de reforma política apresentada pelo deputado gaucho pelo PT Henrique Fontana, somente beneficia os caciques donos dos partidos grandes e a tal lista fechada é uma palhaçada digna de circo.

O digníssimo  deputado teve o descaramento de ir no programa matinal da CBN defender a democracia e alegar fortalecimento desta com um voto em lista fechada.

De acordo com ele, o eleitor seria  democraticamente obrigado a votar duas vezes. Uma em seu candidato e outra em um partido político de sua escolha. O partido então teria uma lista secreta, onde os deputados escolhidos dentro do partido seriam eleitos em segredo.

Isto é uma calamidade pior do que o que temos no momento. É um retrocesso do sistema democrático.

A única maneira de limpar o congresso é tirar de lá os não votados que atualmente é a maioria, sem que povo seja representado por esta corja.

Dos 513 deputados apenas 36 foram eleitos pelo voto direto, os demais ou são suplentes ou são eleitos por legenda. Esta palhaçada vai ficar pior com o projeto defendido pelo PT.

Para começar a moralizar o congresso, tem que haver um voto distrital simples e direto e uma votação voluntária com deve ser em uma democracia.

Depois vem o caso da suplência no senado federal, que deve ser abolida em favor do segundo mais votado.

Isto corrigiria um pouco as distorções existentes.

Agora tem muito mais. Tem que acabar este tal “FORO PRIVILEGIADO”. A minha sugestão neste sentido é que se crie um “Foro Parlamentar”, onde o parlamentar eleito pelo povo  em caso de denuncia pelo MP,  teria um julgamento célere e exemplar, com duração de não mais de 60 dias e com júri popular pois foi eleito pelo povo.

Além disto, se a denuncia for por corrupção e ganhos ilegais, no momento da denuncia seu salário seria suspenso e suas contas bancárias seriam bloqueadas. Sua defesa seria pela defensoria pública, pois ele foi eleito pelo público.

Isto sim seria um avanço em matéria de justiça e ética em política.

E com um congresso mais decente se poderia alcançar reformas tão necessárias como por exemplo uma real reforma tributária tipo o “Imposto Único” do ex deputado e economista da FGV, Marcos Cintra, que já foi examinado pelas comissões apropriadas foi aprovado e engavetado por interesses contrários à modernização do sistema tributário.

Com o imposto único, a arrecadação poderia ser o que é hoje sem isto que está aí em baixo:

IBPT – INSTITUTO BRASILEIRO DE PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

Percentual de Tributos sobre O Preço Final

PRODUTO % Tributos/preço final

Description: cid:2__=0CBBF384DFD03BC38f9e8a93df93869@mpsa.com

Mesa de Madeira 30,57%
Cadeira de Madeira 30,57%
Sofá de Madeira/plástico 34,50%
Armário de Madeira 30,57%
Cama de Madeira 30,57%
Motocicleta de até 125 cc 44,40%
Motocicleta acima de 125 cc 49,78%
Bicicleta 34,50%
Vassoura 26,25%
Tapete 34,50%
Passagens aéreas 8,65%
Transporte Rod. Interestadual Passageiros 16,65%
Transporte Rod. Interestadual Cargas 21,65%
Transporte Aéreo de Cargas 8,65%
Transp. Urbano Passag. – Metropolitano 22,98%
MEDICAMENTOS 36%
CONTA DE ÁGUA 29,83%
CONTA DE LUZ 45,81%
CONTA DE TELEFONE 47,87%
Cigarro 81,68%
Gasolina 57,03%

PRODUTOS ALIMENTÍCIOS BÁSICOS

Carne bovina 18,63%

Frango 17,91%
Peixe 18,02%
Sal 29,48%
Trigo 34,47%
Arroz 18%
Óleo de soja 37,18%
Farinha 34,47%
Feijão 18%
Açúcar 40,4%
Leite 33,63%
Café 36,52%
Macarrão 35,20%
Margarina 37,18%
Margarina 37,18%
Molho de tomate 36,66%
Ervilha 35,86%
Milho Verde 37,37%
Biscoito 38,5%
Chocolate 32%
Achocolatado 37,84%
Ovos 21,79%
Frutas 22,98%
Álcool 43,28%
Detergente 40,50%
Saponáceo 40,50%
Sabão em barra 40,50%
Sabão em pó 42,27%
Desinfetante 37,84%
Água sanitária 37,84%
Esponja de aço 44,35%

PRODUTOS BÁSICOS DE HIGIENE

Sabonete 42%
Xampu 52,35%
Condicionador 47,01%
Desodorante 47,25%
Aparelho de barbear 41,98%
Papel Higiênico 40,50%
Pasta de Dente 42,00%

MATERIAL ESCOLAR

Caneta 48,69%
Lápis 36,19%
Borracha 44,39%
Estojo 41,53%
Pastas plásticas 41,17%
Agenda 44,39%
Papel sulfite 38,97%
Livros 13,18%
Papel 38,97%
Agenda 44,39%
Mochilas 40,82%
Régua 45,85%
Pincel 36,90%
Tinta plástica 37,42%

BEBIDAS

Refresco em pó 38,32%
Suco 37,84%
Água 45,11%
Cerveja 56%
Cachaça 83,07%
Refrigerante 47%
CD 47,25%
DVD 51,59%
Brinquedos 41,98%

LOUÇAS

Pratos 44,76%
Copos 45,60%
Garrafa térmica 43,16%
Talheres 42,70%
Panelas 44,47%

PRODUTOS DE CAMA, MESA E BANHO
Toalhas – (mesa e banho) 36,33%
Lençol 37,51%
Travesseiro 36%
Cobertor 37,42%
Automóvel 43,63%

ELETRODOMÉSTICOS

Fogão 39,50%
Microondas 56,99%
Ferro de Passar 44,35%
Telefone Celular 41,00%
Liquidificador 43,64%
Ventilador 43,16%
Refrigerador 47,06%
Vídeo-cassete 52,06%
Aparelho de som 38,00%
Computador 38,00%
Batedeira 43,64%
Roupas 37,84%
Sapatos 37,37%

MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

Casa popular 49,02%
Telha 34,47%
Tijolo 34,23%
Vaso sanitário 44,11%
Tinta 45,77%
Fertilizantes 27,07%
Móveis (estantes, cama, armários) 37,56%
Mensalidade Escolar 37,68% (ISS DE 5%)

ALEM DESTAR COISAS, VOCÊ AINDA:

1) PAGA DE 15% A 27,5% DO SEU SALÁRIO DE I.R.

2) PAGA O SEU PLANO DE SAUDE, O COLEGIOS DO SEUS FILHOS,  INSS,
      FGTS ETC.

3) PAGA MULTAS DE TRÂNSITO.

4) PAGA  IPTU,

5) PAGA IPVA,

6) PAGA TAXA DE EMPLACAMENTO,

7) PAGA PEDÁGIO,

8) PAGA SUBORNO

9) O PEQUENO EMPRESÁRIUO NO DF, PAGA TAXA DE FISCALIZAÇÃO,

10)  PAGA ESMOLA NOS SEMÁFOROS,

11) PAGA OS JUROS MAIS ALTOS DO MUNDO,

12) PAGA FLANELINHAS

13) PAGA SEGURO (OBRIGATÓRIO E OUTROS NÃO OBRIGATÓRIOS)

14) PAGA IMPOSTOS EM CASCATA E AINDA QUEREM VOLTAR COM CPMF

ISTO TEM QUE ACABAR

06 out 2011 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CPMF, GOVERNO, IMPOSTO ÚNICO, POLÍTICA, REFORMA POLÍTICA | Deixe um comentário

O enterro do congresso!

O enterro do congresso!

Encontrei hoje no email uma nota interessante da minha amiga Jurema Capelletti.

http://puteiro-nacional.blogspot.com/

Espelha o absurdo de uma votação na CCJ.

A CCJ significa Comissão de Constituição e Justiça. Qual a função desta comissão?

Todos os projetos propostos pelos parlamentares ou pelo governo, antes de serem analisados para votação em outra comissão, ou plenário, passam pela CCJ, para serem conferidos  por esta comissão da legalidade constitucional ou legal deste projeto.

Se for um projeto que esteja ferindo a constituição ou uma lei existente, ele tem que ser revisto, ou descartado. Assim, não corre o risco de ser votado e mais tarde contestado juridicamente e descartado quando for verificada na prática sua ilegalidade.

É sem dúvida uma importante comissão, Talvez a mais importante da casa, pois um projeto inconstitucional votado e aprovado, pode conter clausulas que quando implementadas possam causar prejuízos a alguma pessoa ou alguma empresa, que teria que entrar na justiça para revogar este projeto irregular que lhe estaria causando danos. Isto implicaria perda de tempo e dinheiro para pessoas e ou empresas o que poderia ser evitado se a CCJ descobrisse antes da aprovação uma irregularidade no projeto e ou o cancelasse ou sanasse a irregularidade.

Com esta explicação das funções da CCJ, e devido principalmente à complexidade de nossa constituição e da enormidade de nossos códigos penais e civil, já dá para entender, mesmo para leigos, o trabalho minucioso a que têm que se sujeitarem os membros da CCJ.

Agora, na ultima semana, a CCJ, aprovou em pouco mais de três minutos 118 projetos. E com a presença de apenas um deputado, que foi chamado às pressas para integrar a comissão.

Veja o que eu encontrei no blog do Ferra Mula:

http://ferramula.blogspot.com/2011/09/comissao-de-constituicao-e-justica-ccj.html

Sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, numa sessão-relâmpago de pouco mais de três minutos, aprovou 118 projetos na manhã de quinta-feira. Vai para o GUINNESS, o livro dos recordes, se o país fosse sério, esse congresso iria para a GUI. . .GUI . . . GUILHOTINA.

Repórter demonstra a irresponsabilidade com que se aprovam os projetos na Comissão de Justiça da Câmara.

Carlos Newton

É deprimente a notícia de que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, numa sessão-relâmpago de pouco mais de três minutos, aprovou 118 projetos na manhã de quinta-feira. O repórter Evandro Eboli, de O Globo, acompanhou tudo e simplesmente reproduziu o que aconteceu nessa falsa reunião, que demonstra o grau de irresponsabilidade a que chegou o Congresso Nacional, que mais parece um deserto de homens e idéias, como dizia Oswaldo Aranha.

Para abrir uma sessão na CCJ, a mais numerosa e mais importante da Câmara, são necessárias assinaturas de 36 deputados. Esse quórum existia, mas todos assinaram e foram embora, como geralmente ocorre às quintas-feiras, quando os parlamentares debandam do Congresso e correm para o aeroporto.

Eboli relata que o deputado Luiz Couto (PT-PB), o único presente, foi chamado com urgência na comissão para ter pelo menos um parlamentar no plenário da CCJ. Quem presidiu a sessão foi o deputado Cesar Colnago (PSDB-ES), terceiro vice-presidente. Quando Couto chegou, Colnago declarou: “Havendo número regimental, declaro aberta a reunião”.

Na desértica e meteórica sessão, os 118 projetos foram votados em quatro blocos: de 38 (concessão de radiodifusão), de 9 (projetos de lei), de 65 (renovação de concessão de radiodifusão) e de 6 (acordos internacionais).

O atento repórter conta que, a cada rodada de votação, Colnago consultava o plenário, como se estivesse lotado: “Os deputados que forem pela aprovação, a favor da votação, permaneçam como se encontram”.

 Sentado na primeira fileira, Luiz Couto nem se mexia.

 Em outro momento, Colnago fez outra consulta ao plenário: “Em discussão. Não havendo quem queira discutir, em votação. Aprovado!”

 Declarada encerrada a sessão, Colnago dirigiu-se a Couto:

– Um coroinha com um padre, podia dar o quê?!.

Couto é padre e Colnago revelou ter sido coroinha na infância.

A secretária da CCJ também fez um comentário:

– Votamos 118 projetos!

E Colnago continuou, falando com Couto:

– Depois diz que a oposição não ajuda…

Além das centenas de concessões e renovações de radiodifusão, a CCJ aprovou, neste pacote, acordos bilaterais do Brasil com a Índia, Libéria, Congo, Belize, Guiana e República Dominicana. Entre os projetos de lei, há um que trata de carteira de habilitação especial para portadores de diabetes e até a regulamentação da profissão de cabeleireiro, manicure, pedicura e “profissionais de beleza em geral, vejam a que ponto chegamos.

Agora no email da Jurema:

Atenção, pessoal de cidadão@camara :

não podem, em hipótese alguma, se sentir ofendidos,

porque ofendidos somos nós QUE OS SUSTENTAMOS.

Sem contar que qualquer tipo de reação servirá apenas como divulgação, sendo, portanto, muito bem recebida.

Missa de sétimo dia – próxima quinta-feira – (ontem )

Enquanto isso, no velório… (hoje)

… do Congresso Nacional:

Da mesma forma que menininhos pegam uma nave de plástico e brincam de astronauta, ou menininhas brincam de mamãe com uma bonequinha, o pessoal que se elegeu brinca de parlamentar, como vimos na situação ridícula a que se expuseram os deputados na última quinta-feira.

Para deixar uma imagem ainda mais patética, um dia a Câmara Federal forjou um vídeo para fingir que havia gente na votação relâmpago do CCJ, e, no outro, admitiu que a sessão poderá ser anulada. Não se sabe ainda se foi por medo da mídia ou de algum fantasma, afinal não deve ser muito confortável competir com o sobrenatural. Ainda mais para quem só sabe competir por dinheiro, que para os fantasmas não significa nada.

Para deixar registrado o que se apagará da memória dos eleitores:

    Para manter alguma credibilidade, o presidente da Câmara criticou a presença de apenas dois parlamentares. E ainda teve a coragem de pedir que seja analisada a freqüência da votação do CCJ, quando seria mais adequado que analisassem a completa ausência. Mas seria muito exigir que compreendam tal coisa.

    Para evitar que torne a ocorrer a vergonhosa falta de compromisso parlamentar, disse o presidente que haverá uma conversa com João Paulo Cunha (PT-SP) para resolver o assunto. O mesmo João Paulo Cunha que já fez a mesmíssima coisa: assinar presença e ir embora.

    Disse ainda que é necessário avaliar se as matérias têm impacto na sociedade, ou implicariam em algum tipo de problema. “Não estou com uma preocupação exagerada porque ali foram (votadas) concessões de rádio, cabia análise constitucional. “ Marco Maia ignora que o problema maior nem é o que foi votado, mas a falta de compromisso parlamentar com o cargo que exercem.

É nisso que dá padre com coroinha de um lado,

um presidente sem escrúpulos do outro

e vabagundos no meio.

27 set 2011 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ÉTICA, Reforma eleitoral, REFORMA POLÍTICA | Deixe um comentário

Serviço comunitário….

Serviço comunitário

Certo dia um florista foi ao barbeiro para cortar seu cabelo. Após o corte perguntou ao barbeiro o valor do serviço e o barbeiro respondeu:

– Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana.
O florista ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um buquê com uma dúzia de rosas na porta e uma nota de agradecimento do florista.

Mais tarde no mesmo dia veio um padeiro para cortar o cabelo. Após o corte, ao pagar, o barbeiro disse:

– Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana.

O padeiro ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um cesto com pães e doces na porta e uma nota de agradecimento do padeiro.

Naquele terceiro dia veio um deputado para um corte de cabelo. Novamente, ao pedir para pagar, o barbeiro disse:

– Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana.

O deputado ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, quando o barbeiro veio abrir sua barbearia havia uma dúzia de secretários parlamentares guardando lugar na fila para 12 deputados que vinham cortar cabelo, à tarde.

Essa história ilustra bem a grande diferença entre os cidadãos do

nosso país e os políticos que o “administram.”

POLÍTICOS E FRALDAS DEVEM SER TROCADOS COM FREQUÊNCIA… E PELO MESMO MOTIVO!

15 set 2011 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ÉTICA, Cinismo, Humor, POLÍTICA | Deixe um comentário

Descontentamento

Existe entre os brasileiros honestos que trabalham, pagam um imposto cruel, não recebem por isto nem o mínimo necessário para justificar tal cobrança, uma sensação de que estão fazendo papel de bobo da corte, e uma mudança tem que ser feita no nosso sistema para compensar esta injustiça.

Tem pessoas que falam em injustiça social, se referindo aos que vivem miseravelmente (e que não são poucos), mas a maior injustiça é feita à classe pagadora de impostos, onde se trabalha por seis longos meses para sustentar um sistema que não retorna aos contribuintes quase nada.

Pagamos por que somos obrigados, mas vivemos sem segurança, sem uma educação decente, e sem um sistema de saúde que funcione, e estamos sustentando uma classe política que recebe regalias dignas de monarcas da idade média.

Por enquanto, as revoltas se espalham apenas pela rede de computadores (net), mas pode-se vislumbrar entre as linhas cômicas que a plebe não está muito contente.

Estou publicando na íntegra este email que recebi onde se espelha este descontentamento:

 Urgente ( PCC )

O PCC, facção do crime organizado de São Paulo, sequestrou ontem, em Brasília, 24 deputados da Câmara Federal e alguns Senadores. Eles estão solicitando US$ 1.000.000,00 para sua libertação.
Se o valor de resgate não for cumprido em 24 horas, vão banhá-los com combustível e os queimarão vivos. Estamos organizando uma coleta e necessitamos da sua ajuda! Veja o que conseguimos até agora:


– 580 litros de Gasolina Aditivada
– 320 litros de gasolina Premium
– 175 litros de gasolina convencional
– 125 litros de diesel
– 98 litros de Biodisel
– 380 maços de caixas de fósforos
– 214 isqueiros
– 7 lança-chamas
– 108 sacos de carvão

– 20  metros de lenha seca
– 1  retroescavadeira

Pedimos para que não mandem álcool, pois há o risco do mesmo ser consumido por parte dos deputados.

Se você apagar essa mensagem é porque não tem coração… Por favor, leia e repasse para no mínimo 10 pessoas.

Fiz a minha parte!!!

O BRASIL PRECISA DE VOCÊ!

 

10 set 2011 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ANEDOTAS, ÉTICA, Humor, POLÍTICA | Deixe um comentário

A tecla maldita

Eu tenho repetido nos inúmeros artigos deste blog sobre o assunto que encontrei hoje no blog do Giulio, e escrito pelo jornalista Laurence Bittencourt.

A nossa pobreza, digo a miséria existente na nosso país, é e sempre foi conveniente aos senhores de engenho, aos políticos, e as migalhas que se estendem a estes pobres e miseráveis durante as campanhas políticas, servem mais é para esconder os milhões roubados do erário. Milhões estes que se usados racionalmente, melhoraria o sistema de saúde, melhoraria a educação, e melhoraria o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) brasileiro que é uma vergonha internacional.

Recentemente, na primeira campanha do Lula, foi o tal “Fome Zero”, o carro chefe da campanha dele, que simploriamente o  levou a almejar até um prêmio Nobel pelo programa, que tentou estender para os outros países pobres.

Bem o IBGE, (órgão do próprio governo) seis meses dentro do governo Lula, publica uma estatística que o maior problema no Brasil não era a fome e sim a obesidade. Isto matou o tal programa.

Não sem antes de morrer, este programinha para inglês ver, gerou uma ONG, comandada pela Lurian Carneiro (Cordeiro?), filha ilegítima do Lula e pela distinta Idelí Salvati. Esta ONG, denominada “Rede 13” recebeu do governo Lula 7 milhões de reais, e arrecadou de empresários no sul, outros 20 milhões.

Não prestaram conta de nada, todo o dinheiro sumiu, e o tal arrumador das merdas do governo, o tal com nome de chuveiro, Lorenzetti, foi por lá, sumiu com todas as provas e acabou sorrateiramente com esta ONG.

A fome dos brasileiros que não existia, ELEGEU o Lula e enriqueceu parte de sua família.

 E por aí vai, na segunda campanha, foi a tal Bolsa família, que sim melhorou algumas famílias com migalhas, enquanto distribuía milhões para os empresários, banqueiros, e que foi crivada de ilegalidades e roubos descarados.

Com toda a distribuição de renda apregoada pelo governo, a melhora no IDH foi mínima, e o tal crédito que possibilitou a classe mais pobre melhorar o conforto de sua vida diária, agora está criando uma bolha inflacionária que preocupa o governo e que resulta no maior juro cobrado no mundo enriquecendo ainda mais os banqueiros.

Escolas, nada. Educação nada.  E agora vem a copa e as olimpíadas, para enganar ainda mais os brasileiros desinformados, e colocar mais dinheiro roubado nas mãos dos espertalhões.

Eta Brasil…..

Agora leiam o artigo:

A POBREZA E A CORRUPÇÃO SERVEM A QUEM?

01/09/2011 por Giulio Sanmartini Deixe um comentário

Laurence Bittencourt (*)

Nunca a máxima “a pobreza só serve mesmo aos políticos” esteve tão presente nas nossas vidas. A exploração da miséria, da falta de independência financeira, sempre foi uma constante na vida cotidiana dos brasileiros, no entanto, nunca pareceu tão evidente como agora em tempos de corrupção e impunidades visíveis.

Como não engulo a explicação de que “é porque agora se apura mais”, o que a meu ver, só serve para aumentar e consolidar as resistências para a manutenção do status quo atual, ou seja, em última analise só serve para manter a corrupção e a miséria, cujos beneficiários são os mesmos, os políticos.

Ora, é fácil por dedução perceber que nossas resistências ao capitalismo vêm dessa absorção de que é a manutenção da “política pela política” que iremos resolver os nossos problemas. A pergunta é: por que não resolvemos?

Muito da história da humanidade se deu com a passagem dos sistemas feudais e aristocráticos (sem falar da escravidão) para o sistema capitalista. Não vou mencionar o comunismo (ou socialismo) porque simplesmente ruiu no mundo, ou seja, não deu certo. Ah, eu conheço o argumento (resistência?) de que é porque aonde foi “implantado” o que houve não foi o “verdadeiro comunismo”. Essa é ainda a mística mantida a ferro e fogo em países, por exemplo, como os da América Latina.

Bom, mas voltando a minha linha de raciocínio, penso que a não adoção do pensamento moderno, capitalista, democrático, continua sendo o grande entrave ao nosso real desenvolvimento. O incrível e o paradoxo é que, por mais incipiente que seja, é esse mesmo capitalismo que continua financiando o Estado e conseqüentemente a “vida burguesa” dos nossos políticos. Ou você tem dúvidas do padrão de “vida burguesa” dos nossos políticos? Incluindo, claro, os de “esquerda”?

Temos uma democracia que não é democracia (somos obrigados a votar) por culpa dos políticos, temos um padrão de comportamento amoral visivelmente por culpa dos políticos (que se auto protegem e se impõem a própria impunidade), temos uma exploração da miséria (e não só em época de campanha “oficial”) por culpa dos nossos políticos. E, no entanto, temos que conviver com essa mesma classe política.

Ok, o povo também é responsável por que “vende seu voto”. Mas pense comigo de quem realmente é a culpa: quem pode mudar esse quadro? São os miseráveis que estão necessitando ou seria a chamada classe dominante? Penso também que temos um povo passivo (é muito do nosso caráter), mas é possível se esperar mais de quem teve e tem condições de alimento, de boas escolas, para mudar esse quadro. Eles querem? Vá lá: nós queremos?

01 set 2011 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, CRESCIMENTO ECONÔMICO, EDUCAÇÃO, ELEIÇÕES, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

VOZ DE PRISÃO

VOZ DE PRISÃO

Encontrei esta reportagem, escrita pelo jornalista Mino Pedrosa,

Se realmente isto for verdadeiro, melhor se tiver 10% de verdades, a podridão dentro do governo do Distrito Federal, está tão enraizada, que somente uma intervenção severa e séria poderia colocar nos eixos esta política nojenta que há anos solapa o dinheiro público no DF.

De acordo com esta reportagem, não escapa ninguém.

É cobra comendo cobra.

Vamos a ela:

 

 

Esquema com doleiro no DF é denunciado

Qui, 25 de Agosto de 2011 12:18 Escrito por Mino Pedrosa

A disputa pelo Governo do Distrito Federal nas eleições de 2010 trouxe à tona um processo volumoso de desvio de milhões em verbas públicas na gestão de Agnelo Queiroz no Ministério dos Esportes. O processo, que ainda tramita na Justiça, começou com exploração sexual de crianças e adolescentes, queima de arquivo com assassinato e fechou com um grande escândalo de ONGs fantasmas e está recheado de provas contra o atual governador do DF. Se fosse um filme, poderia se chamar Guerra entre Gangsters.

O processo, um dos mais rumorosos dos últimos anos envolvendo autoridades e empresários, teve um agente da Polícia Civil infiltrado na chamada Operação Shaolin, que foi assassinado, segundo a perícia, por alguém com o domínio das artes marciais.

Na campanha de 2010, Agnelo contou com a ajuda de Tadeu Filipelli, vice na chapa que hoje dirige o GDF. O argumento desse filme partiu de um vídeo onde Michael Vieira da Silva, um faz tudo da ONG Instituto Novo Horizonte, aparece no programa eleitoral do adversário Joaquim Roriz reiterando denuncias contra Agnelo e sua turma no Esporte.

Michael explicava, em horário nobre, como eram feitos os repasses de dinheiro desviado dos cofres do Ministério do Esporte e como Agnelo recebia a sua parte do leão.

Abatido, Agnelo contou com a ajuda de Filipelli para montar  estratégia para desqualificar Michael, e dar a volta por cima na campanha. Mas, o plano custava dinheiro.

A esta altura do roteiro, só quem tinha dinheiro em espécie, capaz de resolver tamanho problema, era o doleiro Fayed Antoine Traboulsi, muito conhecido nos meandros da política na Capital da República.

Naquele momento os responsáveis pela arrecadação de  dinheiro para a campanha de Agnelo e Filipelli, através de caixa 2, eram o delegado e ex-chefe da Inteligência da Polícia Civil, Miguel Lucena, e o hoje secretário de Saúde Rafael Barbosa. A mando de Agnelo e Filipelli, os “malas” procuraram Marcelo Toledo e Fayed, a fim de levantar a verba para comprar o depoimento de Marlene Vieira da Silva Santos, tia de Michael, e desqualificar o depoimento do rapaz.

Aí o roteiro do filme passa a esquentar. O doleiro, então, financiou a estratégia de Filipelli e Agnelo através de seu amigo Marcelo Toledo. Na mesa de negociações, ficou acertado que com a vitória de Agnelo e Filipelli a autarquia DF Trans –Transporte Urbano do Distrito Federal e a Corretora de Seguros do BRB, ficariam sob o comando de Toledo, que nomearia as diretorias, enquanto Lucena ficaria com a Secretaria de Segurança Pública.

Lucena e Rafael receberam das mãos do doleiro R$ 500 mil na hora, como uma parcela para engordar o Caixa 2 da campanha. O delegado saiu do primeiro encontro e convocou um amigo para testemunhar o pagamento de Marlene. João Dias, o homem que tem o domínio das artes marciais em Brasília, preside a Federação Brasiliense de Karatê e é o suspeito número um na morte do agente da Polícia Civil infiltrado na Operação Shaolin, que desvendou o esquema das ONGs no Ministério dos Esportes.

Dos R$ 500 mil repassados pelo doleiro, Marlene ficou com R$ 200 mil e a promessa de um cargo no novo governo. O vídeo já estava gravado e foi ao ar no programa eleitoral de Agnelo e Filipeli, como contra ataque ao depoimento de Michael.

A operação foi um sucesso. A campanha de Agnelo conseguiu estancar uma série de denuncias que seriam feitas por Michael.

Agnelo e Filipelli, vitoriosos, teriam que cumprir com os compromissos assumidos durante a campanha. O que não aconteceu. Lucena viajou para o exterior para descansar e se preparar para assumir a Secretaria de Segurança. Mas no retorno encontrou outro no seu lugar.

Lucena procurou Toledo e Fayed  para chorar as mágoas. Entre uma lamentação e outra desabafou e revelou todo o esquema do Caixa 2 da campanha minuciosamente explicado como operava junto com o já nomeado secretário de Saúde Rafael Barbosa. O assunto era dinheiro. E Fayed e Toledo, experientes, gravaram toda a conversa.

No primeiro encontro, a gravação tem o tempo de 46 minutos. Depois, Toledo e Fayed tiveram mais três encontros com Lucena, todos devidamente registrados.

Lucena então cobrou de Agnelo e Filipelli uma solução. Imediatamente foi nomeado presidente da Codeplan. Aí, o filme mudaria de nome: De volta ao Passado. Lucena passou a ocupar o mesmo cargo de Durval Barbosa, no Governo Arruda. Lembrando também que Durval foi o arrecadador de dinheiro do caixa 2 de Arruda.

Começa o jogo perigoso. Entra em campo outro personagem: Paulo Tadeu, secretário de Governo e responsável pela distribuição dos cargos no GDF. Com Filipelli e Agnelo, Paulo Tadeu resolveu enfrentar Marcelo Toledo e não cumpriu o acordo firmado na campanha, descartou o doleiro e o amigo. Toledo e Fayed procuraram Lucena, o avalista da operação. E começaram a cobrar: os cargos ou o dinheiro com juros e correção. Já não eram mais R$500 mil. Passavam de R$ 3 milhões.

Lucena, Filipelli e Agnelo resolveram montar um flagrante de extorsão e levar Toledo e Fayed pra cadeia. Encontro marcado, Fayed revelou a Lucena que o esquema para montagem do caixa 2 de Agnelo e Filipelli contado pelo delegado estava todo documentado.

Aí, Lucena convocou como testemunha novamente o policial militar e professor de artes marciais João Dias, e sua turma de caratecas para garantir a prisão de Toledo e Fayed no flagrante de extorsão. Mas o que Lucena e João não contavam é que do outro lado havia uma turma de policiais civis para “garantir” a conversa.

O bate papo aconteceu no Sudoeste, bairro classe A de Brasília, no Café Pães e Vinhos. Ali, Toledo e Fayed cobraram a fatura combinada. Sentados, a conversa começou a esquentar, e Toledo, percebendo que não sairia nem cargo nem dinheiro, com voz alterada ameaçou colocar na rua as gravações que tinha em seu poder. Lucena, com João preparado para o flagrante de extorsão, deu voz de prisão a dupla de cobradores. A confusão estava armada.

Turma de Toledo…Turma de João. Policiais e caratecas…Começam os empurrões e… chegam rapidamente as viaturas da PM, como que aguardassem a voz de prisão a qualquer momento. Todos para o 3º  Distrito Policial. Na chegada da Delegacia, procuraram Lucena e ele havia fugido.

Toledo e Fayed estavam detidos. João Dias fazia escândalo na Delegacia. No corre-corre, Fayed ainda dentro do carro, uma BMW vermelha, gritava , com sotaque árabe,“estou sendo preso por tentar recuperar meu dinheiro roubado por vocês! Quem tem que ir pra cadeia são vocês !”. Um dos policiais que fazia a escolta de Fayed e Marcelo sacou uma arma e deu fuga para o doleiro.

Dentro da Delegacia, João Dias, vestido de colete de proteção de luta e jeans, gritava e dava ordens para os agentes exigindo a prisão de Toledo e Fayed, e ameaçava telefonar para o secretário de Segurança, Sandro Avelar. O delegado titular, Onofre de Moraes, foi acordado1h15 da madrugada para tentar resolver o problema. Onofre disse a João que não poderia fazer a ocorrência policial porque Lucena e Fayed haviam fugido da Delegacia. João Dias revoltado disse ao Delegado que levaria o caso para o Ministério Público e abriria o verbo.

Na manhã seguinte, o delegado Onofre de Moraes se dirigiu ao local onde a voz de prisão foi dada a Fayed e Toledo, em busca de imagens que comprovassem a discussão. Onofre tentou juntar provas para guardar na gaveta, porque sabia que o desenrolar dessa história pode gerar um processo de prevaricação. Portanto, na gaveta do delegado pode estar um Boletim de Ocorrência contando toda a história.

Toda esta cena já tinha se passado no filme do Governo de José Roberto Arruda:Durval era o arrecadador e caixa 2 da campanha, assumiu a Codeplan, filmou e denunciou todo o esquema do Governo e se escorou numa delação premiada.

Agora Lucena, no mesmo papel, foi o caixa 2 e arrecadador da campanha de Agnelo e Filipelli, assumiu a Codeplan, foi parar na delegacia e também existem gravações de todos os lados que revelam as mazelas do Governo Agnelo e Filipeli. Só que Lucena tentou mudar a história colocando de imediato Toledo e Fayed na cadeia como chantagistas. Mas o plano falhou. Por equanto.

Aliás, nessa história a única pessoa que teve o prometido foi a tia de Michael, a 2º sargento da QPPMC Marlene Vieira da Silva Santos, matrícula 154.175-7, que foi nomeada conforme publicação na página 35 do Diário Oficial do DF, do dia 31 de março de 2011, “para exercer o Cargo em Comissão, Símbolo DFG-14, de Diretor, da Diretoria de Integração e Articulação Comunitária, da Subsecretaria de Programas Comunitários, da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Distrito Federal, no lugar do major da PMPM Hélio de Almeida Jardim, matrícula 190.732-8.”

Agnelo e Filipelli, na tentativa de abafar escândalos, além pagar os serviços sujos, estão acomodando, aqueles que chamam chantagistas, em cargos no Governo.

 

28 ago 2011 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ARTIGOS, ÉTICA, Cinismo, GOVERNO, POLÍTICA | 1 Comentário

Ministro Esperança

26 ago 2011 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, Cinismo, GOVERNO | Deixe um comentário

Atitude Suspeita…

Atitude Suspeita…

Está ocorrendo no país uma tentativa geral de mudar o rumo da tendência corruptiva, para uma moralidade mais condizente com o que nos foi ensinado pelos pais e mestres.

O que está ocorrendo atualmente com a banalização da criminalidade, o descaramento moral e o cinismo, não pode ser uma ocorrência normal.

Ao imperar estas circunstâncias em uma sociedade grande como a nossa, o resultado final pode apenas ser uma barbárie e um caos totalmente fora de controle.

As autoridades encarregadas de garantir que as leis estão e vão ser cumpridas, devem dar o exemplo, e para isto as polícias, todas elas, têm que ser muito corretas e exalar honestidade.

Não é o que ocorre, ao cumprir sua obrigação, no estado do Rio de Janeiro, uma juíza foi brutalmente assassinada e tudo aponta que este crime foi comandado por policiais que faziam parte de um grupo podre da polícia que estava sendo julgado por esta juíza.

Nas grandes cidades com Rio e São Paulo, e também em várias outras, o contingente policial é muito grande e se não houver um controle estrito sobre eles, alguns deles podem se mover para o lado do crime, e levar com eles mais alguns, e em pouco tempo todo o destacamento fica fora de controle.

Em São Paulo, houve uma tendência positiva para filtrar e eliminar das forças policiais, os maus policias, e os corruptos.

As corregedorias de polícias são feitas para policiar os policiais, e devem ser totalmente independentes para se evitar o corporativismo, e durante o governo Serra, se verificou que a corregedoria estava sendo coagida e ameaçada por policiais corruptos e impedida de funcionar corretamente.

Então, foi feito por decreto, uma mudança de posicionamento. A corregedoria não mais ficaria dentro da própria polícia, mas sim dentro do gabinete do secretário de segurança.

Esta mudança foi crucial para o bom desempenho da corregedoria, que depois disto passou a funcionar como deve e todas as denuncias de corrupção começaram a ser investigadas e a moralização da tropa foi exemplarmente instalada.

O esquema abaixo, retirado de uma reportagem de revista Veja, mostra a significância do decreto que instituiu a mudança:

  1. 1.     • A Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo foi anexada ao gabinete do secretário de Segurança em agosto de 2009, por decreto do então governador José Serra

  2. 2.     • De 2007 a 2008, antes de a corregedoria funcionar sob comando do secretário da Segurança, foram demitidos por faltas graves 182 policiais

  3. 3.     • De 2009 e 2010, com a corregedoria já anexa ao gabinete do secretário, o número de policiais demitidos foi de 290 – aumento de 60% em relação ao período anterior

  4. 4.     • Trabalham na corregedoria 544 funcionários, sendo 133 delegados. Boa parte desses servidores foram trocados na configuração atual do órgão

  5. 5.     • A função da corregedoria é apurar abusos e crimes cometidos por policiais civis. Os malfeitos mais graves podem ser punidos com a demissão do policial. São eles: corrupção e agressão física

  6. 6.     • Por dia, o órgão recebe de cinco a oito denúncias. Todas são apuradas e, se houver indícios da irregularidade, se transformam em sindicâncias ou inquéritos

  7. 7.     • Denúncias contra maus policiais podem ser feitas de forma anônima pelo plantão 24 horas da corregedoria, no (11) 3231-5536

 

Bem isto é a notícia boa.

Agora vem a pior parte, um deputado antigo, do PTB que foi eleito para o sexto mandato, com 214.519 votos, iniciou uma campanha para enfraquecer a corregedoria, exigindo que seja voltada ao que era antes, quando não funcionava tão bem.

Este deputado, que foi afilhado político do Jânio Quadros, não tem explicações a dar sobre sua atitude, apenas retruca que a lei deve ser cumprida e que a mudança por decreto está contra a lei.

Contra a lei deputado é a coação pela parte podre da polícia encima da corregedoria, impedindo esta de fazer o seu trabalho, e a sua atitude em atrapalhar o que está funcionando, somente pode ser interpretado como que Vossa Excelência está sendo pessoalmente prejudicado pela atuação da corregedoria, fazendo parte da pilantragem e sendo conivente com a podridão dentro da polícia.

Será que os seus 214.519 votos também estão dentro da banda podre da polícia ou estão desapontados com a sua atitude?

Eu, não sendo apostador, sou capaz de apostar que,se uma enquete fosse realizada entre os seus eleitores, Vossa Excelência ficaria surpreso com o resultado.

Os outros deputados que votaram a favor de vossa iniciativa, são:

DEM

Estevam Galvão de Oliveira – egalvao@al.sp.gov.br

Gil Arantes – garantes@al.sp.gov.br

Milton Vieira – miltonvieira@al.sp.gov.br

 

PC do B

Pedro Bigardi – pabigardi@al.sp.gov.br

 

PDT

Olímpio Gomes – molimpio@al.sp.gov.br

 

PMDB

Baleia Rossi – baleiarossi@al.sp.gov.br

Itamar Borges – itamarborges@al.sp.gov.br

Jooji Hato – hato@al.sp.gov.br

Jorge Caruso – jcaruso@al.sp.gov.br

Vanessa Damo – vdamo@al.sp.gov.br

 

PT

Adriano Diogo – adiogo@al.sp.gov.br

Antonio Mentor – amentor@al.sp.gov.br

Donisete Pereira Braga – dpbraga@al.sp.gov.br

Edinho Silva – edinhosilva@al.sp.gov.br

Enio Tatto – eniotatto@al.sp.gov.br

Geraldo Cruz – geraldocruz@al.sp.gov.br

João Antonio – joaoantoniosilvafilho@al.sp.gov.br

João Paulo Rillo – joaopaulorillo@al.sp.gov.br

Luiz Cláudio Marcolino – lcmarcolino@al.sp.gov.br

Marco Aurélio de Souza – marcoaurelio@al.sp.gov.br

Telma de Souza – telmadesouza@al.sp.gov.br

 

PTB

Campos Machado – cmachado@al.sp.gov.br

Heroilma Soares Tavares – heroilmastavares@al.sp.gov.br

Roque Barbiere – rbarbiere@al.sp.gov.br

Interessante, é que a maior bancada a ser favorável à iniciativa do deputado em destruir a moralização da polícia, foi o PT, indiscutivelmente em uma tentativa idiota de enfraquecer o governo do PSDB, em detrimento à melhoria da sociedade.

Fazer oposição desta forma, incendiando o circo, é prejuízo certo para todos, e oposição se faz com propostas positivas e não destruído o que está melhorando a sociedade.

Eu estou publicando todos os emails dos deputados para que os leitores do blog, mandem mensagens a estes políticos para que façam a coisa correta e não votem nesta medida idiota.

Se o deputado fosse bem intencionado, poderia ter feito uma proposta para ratificar com votação na Câmara do decreto do governador, dando mais força legal a este decreto, e não para devolver a situação anterior que não estava funcionando.

Esta atitude mostra claramente que o funcionamento correto da corregedoria está de alguma forma prejudicando o deputado.

 Vamos entupir a caixa de mensagem deste cara.

 cmachado@al.sp.gov.br

24 ago 2011 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, Crimes e emntiras, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

Algemados

O país dos tolos

O clichê é antigo e desgastado mas se justifica pela realidade explícita dos acontecimentos diários.

O cinismo e a impunidade de uma sociedade e a conseqüência da falta de consciência (Sem intenção), da presença incabível de demagogia, de presunção política e outros males parasíticos que crescem em nosso meio sem maneira de contenção.

As pessoas que cometem crimes estão conscientes dos riscos envolvidos, incluindo risco de prisão, com uso de algemas.

A lei diz que todas as pessoas são inocentes até que se prove a sua culpa. Tudo bem até aí, mas as prisões são necessárias por que se continuar esta sanha de direitos humanos, em pouco tempo não se pode nem prender, terá que haver um julgamento prévio, onde se prove sem sombra de dúvida a culpa da pessoa envolvida e depois se leva o culpado julgado, preso, docilmente, para sua reclusão social.

Sinceramente gente vocês acham que isto funcionaria?

Pode ser que se vote uma lei, em nosso congresso magnânimo onde os colarinhos brancos deveriam ser tratados assim. Teriam que ser julgados à priori.

Esta invenção de fórum privilegiado, já é uma excrescência da justiça, e para que haja outra no mesmo nível não custaria nada.

Eu tenho dito neste blog, em várias ocasiões, que os políticos eleitos pelo  povo, deveriam ser julgados pelo povo em regime de urgência.

Haveria uma investigação pelo Ministério Público, e comprovado os indícios de crime, haveria em trinta dias um júri popular para então se julgar o político eleito.

Este sim deveria ser o caminho para uma regularização do sistema legal no Brasil.

Hoje recebi de meu sobrinho o José Melo (http://zefonseca.com/blogs/ze/) este email sobre os presos de la´ e os de cá.

Está um pouco longo mas vale a pena acompanhar.

OS ALGEMADOS DE LÁ E DE CÁ !

Mais
OS ALGEMADOS DE LÁ E DE CÁ
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR39zBDvidI/AAAAAAAAATo/WTPa1uAhf0A/s640/0%252C%252C27771867-FMM%252C00.jpg
Raj Rajaratnam, fundador do Galleon Group,
ganhou ilicitamente 36 milhões de dólares na venda e compra de ações usando informação privilegiada.
(EUA). ALGEMADO !
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR399fITq_I/AAAAAAAAAUo/a6OYqxUgnA8/s640/madoff.jpg
O juiz Denny Chin, do Tribunal de Manhattan, decretou a prisão imediata do investidor Bernard Madoff (foto) até a divulgação da sentença, em 16 de junho.
Se confirmada a sentença, Madoff pode pegar até 150 anos de prisão (a penalidade máxima para o caso) por uma colossal fraude de US$ 50 bilhões.
ALGEMADO!
http://1.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR39zsEesaI/AAAAAAAAATs/sin3Y2WAREw/s640/7126a5d2335011f9ce127eda4ae9_grande.jpg
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR3-A_MIVDI/AAAAAAAAAVE/A2-fuSH4rm8/s640/Robert+Rizzo.jpg
Robert Rizzo, uma espécie de gerente administrativo da cidade que, com ganhos duas vezes maiores que o do presidente Barack Obama, foi o pivô de um caso de corrupção na cidade de Bell, Califórnia.
ALGEMADO!
Scott Sullivan, ex-chefe-financeiro da WorldCom, 47 anos, foi condenado a cinco anos de prisão após ser considerado mentor da fraude contábil de US$ 11 bilhões na empresa (EUA).
ALGEMADO!
http://3.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR393UycVOI/AAAAAAAAAUA/dwULikGExao/s640/article-1334432-01384C290000044D-719_634x494.jpg
http://4.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR398EmDLTI/AAAAAAAAAUc/6vhK6OMlgXY/s640/intro.jpg
Kenneth Lay  envolvido numa das maiores fraudes financeiras da história dos Estados Unidos, na qual se criou sociedades financeiras que serviram para a Enron dissimular a magnitude de suas perdas e fazer o mercado financeiro acreditar que o grupo estava financeiramente saudável.
ALGEMADO!
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR392cyBN8I/AAAAAAAAAT4/5Cmh1JPckWk/s640/Andrew+Fastow.jpg
http://4.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR393B3zh-I/AAAAAAAAAT8/3qn4oXMcIL8/s640/Andrew+Fastow2.jpg
Andrew Fastow, comparsa de Kenneth Lay, considerado o cérebro de uma das maiores fraudes financeiras da história dos Estados Unidos, foi sentenciado nesta terça-feira a seis anos de prisão, quatro a menos que o máximo permitido, depois de se declarar culpado em um acordo feito com a promotoria.
ALGEMADO!
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR3-Cj_J6aI/AAAAAAAAAVU/6l7Ph09MhaQ/s640/skilling3.jpg
http://4.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR3-CAwtohI/AAAAAAAAAVQ/SBHtbkXGIVs/s640/skilling.jpg
Jeffrey Skilling  é comparsa de Andrew Fastow e Kenneth Lay nas fraudes financeiras .
(EUA). ALGEMADO !
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR394RLdVkI/AAAAAAAAAUI/O-co_axx7jI/s640/EllisonCuffs.jpg
http://1.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR398n43ycI/AAAAAAAAAUg/gve0YHdMot8/s640/keith+ellison+dep+americano.jpg
O congressista Keith Ellison é preso depois de cruzar uma linha de policiais em protestos diante da embaixada do Sudão (EUA).
ALGEMADO!
http://1.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR3-Bt1SLjI/AAAAAAAAAVI/WZjCAAv-m0w/s640/rove_arrested.jpg
Karl Rove, um dos principais assessores políticos do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, envolvido com a revelação do nome de uma agente secreta americana.
ALGEMADO!
Os assessores daqui não…
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR399-OpI3I/AAAAAAAAAUs/M33lphvztvY/s640/Michael+jackson.jpg
Michel Jackson.
ALGEMADO!
http://3.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR397hsa8GI/AAAAAAAAAUY/Ww_WAx_1nTo/s640/hilton_arrest_cuffs_x17.jpg
Paris Hilton.
ALGEMADA!
Russel Crowe.
ALGEMADO!
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR39_siSbWI/AAAAAAAAAU4/kQkAZtpI_Tw/s640/o-j-simpson-algemado.jpg
O. J. Simpson. ALGEMADO! (e depois absolvido…)
http://4.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR391_Dxv6I/AAAAAAAAAT0/yttm5OFu2yw/s640/algemados-randy-quaid-e-a-mulher-evi-quaid-sao-escoltados-de-um-tribunal-em-santa-barbara-na-california-2642010-1272389946227_560x400.jpg
O ator Quaid e sua esposa foram acusado por Rancho San Ysidro, dono de um hotel em Santa Bárbara (EUA),
de não terem pago 10.000 dólares em contas de hotel.
ALGEMADOS!
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR394G7KScI/AAAAAAAAAUE/0U8JDZy4Bbo/s640/cheney-arrest.jpg
Até os velhinhos…
ALGEMADOS!
http://1.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR396Ty7LHI/AAAAAAAAAUU/0qJKNhQeTvQ/s640/Handcuffs.bmp
Adolescentes?
ALGEMADOS!
Os daqui o estatuto da ECA não permite…pode causar trauma nos pequeninos…
http://1.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR39-TVrjnI/AAAAAAAAAUw/wlwZ0z59sbU/s640/mickey.jpg
Mickey Mouse,
ALGEMADO!
http://4.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR39-1I8aMI/AAAAAAAAAU0/jEECaa5s7aI/s640/O+homem+aranha+foi+preso.jpg
Homem Aranha,
ALGEMADO!
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR39__5ZhMI/AAAAAAAAAU8/TR2nN2lDDS4/s640/peter+pan.jpg
Ah, não… Peter Pam?
ALGEMADO!
Um dos três porquinhos, coitado!
ALGEMADO!
O porquinho daqui não…
http://3.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR3945OOcAI/AAAAAAAAAUM/drKKHjwq57U/s640/ex-presidente+de+Taiwan+Chen+Shui-bian.jpg
A justiça de Taiwan condenou o ex-presidente Chen Shui-bian à prisão perpétua.
O ex-líder foi declarado culpado por corrupção e – porca miséria! – foi  ALGEMADO!
O daqui , mesmo roubando o crucifixo não…
E no Brasil, hein?
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR4GlHlj7GI/AAAAAAAAAVg/hPJltkcAPsg/s320/Gilmar-2.jpg
“A Corte jamais validou esta prática, que viola a presunção da inocência e o princípio da dignidade humana”. Gilmar Mendes
http://1.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR4JZ1PzOdI/AAAAAAAAAV8/ZKliVHAuCwU/s320/eros-grau-stf.jpg
“[O uso de algemas] é uma prática aviltante que pode chegar a equivaler à tortura,
por violar a integridade física e psíquica do réu”. Eros Grau
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR4JXlQoonI/AAAAAAAAAV0/WrESU4I7104/s320/carlosayresbrito1.jpg
“O que se provoca [com as algemas] é um estado de exacerbação,
um agravo no estado de privação da liberdade de locomoção.
As algemas, quando usadas desnecessariamente, se tornam expressão de descomedimento por parte das autoridades e caracterizam abuso de poder”.
Carlos Ayres Brito
http://3.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR4JbAa0a8I/AAAAAAAAAWA/Nl-aQrKbYTI/s320/Marco-Aur%25C3%25A9lio-001.jpg
“É hora de este Supremo Tribunal Federal (…) inibir uma série de abusos notados,
tornando clara até mesmo a concretude da lei reguladora do abuso de autoridade”.
Marco Aurélio
Se você não sabe o que é concretude, procure no Aurélio forense…
http://1.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR4JYX0HHQI/AAAAAAAAAV4/ogagOFZmZdI/s320/carmen-lucia-ministra-11-11-09.jpg
“A prisão há de ser pública, mas não há de se constituir em espetáculo.
Menos ainda, espetáculo difamante e degradante para o preso, seja ele quem for.
Menos ainda, se haverá de admitir que a mostra das algemas, como símbolo público e emocional de humilhação de alguém, possa ser transformado em circo de horrores numa sociedade que quer sangue, porque cansada de ver sangrar.
Não é com mais violência que se cura violência. Não é com mais degradação que se chegará a honorabilidade social.” Carmem Lúcia
O TROFÉU”Argumento Espetaculoso” vai para a… Ministra Carmem Lúcia!!!
Já no quesito HIPOCRISIA, houve empate técnico.
No Brasil só funciona o “princípio da dignidade humana” para a RALÉ (PPP) deste país…como o 3P abaixo
video
CONCLUSÃO: o Estado Democrático e de Direito vale apenas para a PLUTOCRACIA.
http://3.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR--GlkeuUI/AAAAAAAAAWI/D_SjPGgEMyQ/s640/danieldantas.jpg
VAMOS RIR….
http://2.bp.blogspot.com/_bXxTXRHLt3U/TR4GmZ5igGI/AAAAAAAAAVs/agfhUdNacO0/s640/gilmar_mendes_ri.jpg
VAMOS GARGALHAR …
PARA REFLEXÕES!
No mundo inteiro (exceto neste lindo e romântico Brasil), as ALGEMAS são usadas de forma INDISCRIMINADA.
Ou seja, não há discriminação de cor, classe social, credo, sexo, faixa etária, nacionalidade, profissão, etc.

17 ago 2011 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, AUTORITARISMO, ÉTICA, Cinismo, GOVERNO, POLÍTICA | 1 Comentário

Carta ao Jobim

Eu realmente nunca gostei muito do Jobim.

Sempre o achei muito convencido, dono da verdade, mas depois que soube que ele modificou a constituição depois de aprovada em congresso, e cinicamente diz que foi para ficar melhor, eu perdi todo o respeito por este cidadão que de cidadania não entende nada.

E foi presidente do supremo!!!!!. Eta Brasil

Como aluno da escola de direito, sua maior façanha foi roubar um sino centenário, apenas por gozação e falta de respeito. Moleque.

Em suas palavras adicionadas à constituição, causou um enorme prejuízo à nação e um grande favor aos bancos privados que se deleitaram por não ter de cumprir um pagamento devido e que devido a intervenção do Jobin ganharam fortunas.

Nunca ficou provado nada contra o Jobim, mas se justifica a pergunta:

E qual foi a parte do Jobim?

Agora leiam esta carta que faz um bom resumo de sua atuação na pasta da defesa.

Foi escrita por quem entende do riscado.

“Carta ao Senhor Jobim

 Fonte: Luiz Gonzaga Schroeder Lessa, 12 de agosto de 2011.

Como era natural, o senhor se foi, sem traumas, sem solavancos, substituído quase que por telefone, não durando mais do que cinco minutos o seu despacho de despedida com a presidente, que, de forma providencial, já tinha até o seu substituto definido. Surpreso? Nem tanto.

Substituição aceita com a maior naturalidade, pois ela é parte da rotina militar.

O senhor talvez esperasse adesões e simpatias que não ocorreram, primeiro, pela disciplina castrense e, depois, pelo desgaste acumulado ao longo dos seus trágicos 4 anos de investidura no cargo de ministro da defesa. E como um dia é da caça e outro do caçador, o senhor foi expelido do cargo de forma vergonhosa, ácida, quase sem consideração a sua pessoa, repetindo os atos que tantas vezes praticou com exemplares militares que tiveram, por dever de ofício, a desventura de servir no seu ministério (veja que omiti a palavra comando, porque o senhor nunca os comandou).

O desabafo à revista Piauí, gota d’água para a sua saída, retrata com fidelidade e até mesmo estupefação o seu ego avassalador, que julgava estar acima de tudo e de todos, a prepotência, a arrogância e a afetada intimidade com os seus colaboradores no trato dos assuntos funcionais, o desconhecimento dos preceitos da ética e do comportamento militar, a psicótica necessidade de se fantasiar de militar, envergando uniformes que não lhe cabiam não apenas por seu tamanho desproporcional, mas, também, pela carência de virtudes básicas, como se um oficial-general se fizesse unicamente pelos uniformes, galões e insígnias que usa, esquecendo que a sua verdadeira autoridade emana dos longos anos de serviços prestados à Nação e da consideração e do respeito que nutre pelos seus camaradas. O senhor, de fato, nunca a entendeu e nunca foi compreendido e aceito pela tropa, por faltar-lhe um agregador essencial – a alma de Soldado.

Sua trajetória no Ministério da Defesa foi a mais retumbante desmistificação daquilo que prometeu realizar.

Infelizmente, as Forças Armadas ficaram piores, ainda mais enfraquecidas. Suas promessas de reaparelhamento e modernização não se realizaram. Continuam despreparadas para cumprir as suas missões e, na realidade, são forças desarmadas, só empregadas no cumprimento de missões policiais, muito aquém das suas responsabilidades constitucionais.

A Marinha poderá até apresentar um saldo positivo no seu programa de submarinos, mas a força de superfície está acabada, necessitando de urgente renovação, que não veio. A Aeronáutica prossegue sonhando com os modernos caças com que lhe acenaram, programa que desafia a paciência e aguarda por mais de 10 anos. O Exército parece ser o que se encontra em pior situação no tocante ao seu equipamento e armamento, na quase totalidade com mais de 50 anos de uso. Nem mesmo o seu armamento básico, o fuzil, teve substituto à altura. Evolução tecnológica, praticamente, nenhuma. O crônico problema salarial que, por anos, atormenta e inferioriza os militares que são tratados quase como párias, não teve uma programação que pretendesse amenizá-lo. A Comissão da Verdade, em face da sua dúbia atitude, é obra inconclusa, que tende a se agravar como perigoso fator desagregador da unidade nacional

O que fez o senhor ao longo desses quatro últimos anos para reverter essa situação, Sr Jobim. Nada! Só palavrório, discursos vazios, promessas que não se cumpriram, enganações e mais enganações. Mas sempre teve a paciência, a lealdade e a fidelidade dos Comandantes de Força.

A Estratégia Nacional de Defesa é o maior embuste que tenta vender. Megalômana, sem prazos e recursos financeiros delimitados por específicos programas governamentais, é um documento político para ser usado ou descartado ao sabor das circunstâncias, como atualmente ocorre, quando é vítima dos severos cortes orçamentários impostos às Forças Armadas, que inviabilizam os seus sonhos de modernização. Mal sobram recursos necessários para a sua vida vegetativa.

O caos aéreo que prometeu reverter com a modernização da infra-estrutura aeroportuária só fez crescer e ameaça ficar fora de controle.

Você (como gosta de chamar os seus oficiais-generais) foi um embuste, Jobim.

Por tudo de mal que fez à Nação, enganando-a sobre o real estado das Forças Armadas, já vai tarde. Vamos ficar livres das suas baboseiras, das suas palavras ao vento, das suas falácias, das suas pretensões de efetivamente comandar as Forças Armadas, mesmo que para isso tivesse que usurpar os limites constitucionais.

Você parte amargando a compreensão de que nada mais foi do que um funcionário “ad nutum”, como todos os demais, demitido por extrapolar os limites das suas atribuições. A contragosto, é forçado a admitir que o verdadeiro comandante das Forças Armadas é a Presidente Dilma que, sem cerimônia, não tem delegado essa honrosa missão exercendo-a, por direito e de fato, na plenitude da sua competência.

Você acusou o golpe. Não teve, nem sequer, a disposição de transmitir o cargo que exerceu. Faceta da sua personalidade que a história saberá julgar.

Como no Brasil tudo o que está ruim pode ficar ainda pior, vamos ter que aturar o embaixador Amorim, que por longos 8 anos deslustrou o Itamaraty e comprometeu a nossa tradicional e competente diplomacia. Sem afinidade com as Forças, alheio aos seus problemas e necessidades mais prementes, com notória orientação esquerdista, só o tempo dirá se a sua indicação valeu a pena.

No fundo, creio mesmo que só ao Senhor dos Exércitos caberá cuidar das nossas Forças Armadas.”

(*)Coronel de Engenharia Hiram Reis e Silva

Professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA)

Presidente da Sociedade de Amigos da Amazônia Brasileira (SAMBRAS)

Vice-Presidente da Academia de História Militar Terrestre do Brasil/Rio Grande do Sul

Membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS)

Colaborador Emérito da Liga de Defesa Nacional

Site: http://www.amazoniaenossaselva.com.br

E–mail: hiramrs@terra.com.br

17 ago 2011 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, APAGÃO AÉREO, ÉTICA, Cinismo, GOVERNO | Deixe um comentário

O Homem De R$ 1 Bilhão

É um exemplo para todos. É o Bill Gates brasileiro.

Reportagem da “Isto É”

O Homem De R$ 1 Bilhão


Poucos entendem como o ex-corretor de imóveis e hoje senador Gim Argello conseguiu ampliar seu patrimônio em 10 mil vezes em pouco mais de 25 anos

De Sérgio Pardellas e Hugo Marques:

Na primeira semana deste mês, o senador Gim Argello (PTB-DF) desembarcou na ante-sala da Presidência do Senado exibindo um indisfarçável sorriso no rosto.

Diante dos olhares de expectativa de parlamentares do PMDB, entre os quais os senadores Renan Calheiros (AL) e Wellington Salgado (MG), Argello justificou tamanha felicidade: “Alcancei meu primeiro bilhão de reais”, disparou, para a surpresa dos colegas.

Aos 47 anos, Argello personifica o milagre de Brasília. A capital federal não possui indústrias, grandes multinacionais nem de longe é o coração econômico do País. Mas é uma cidade onde as pessoas usam a proximidade com o poder como trampolim para o mundo dos grandes negócios.

Esse é o caso do senador do PTB, que, depois do escândalo do mensalão do DEM, desponta entre os prováveis candidatos ao governo do Distrito Federal em 2010. À ISTOÉ, em entrevista rápida, Argello nega o que vem afirmando aos colegas senadores.

Argello iniciou a carreira empresarial há 25 anos, como corretor de imóveis. Tinha um patrimônio que não chegava aos R$ 100 mil, ou seja, 10 mil vezes inferior ao que ele anda alardeando pelos corredores do Senado. Graças à bem-sucedida atividade de corretagem, ele conseguiu multiplicar seus bens por três em menos de uma década.

Mas foi com a política que viu seu patrimônio crescer de forma meteórica. Desde que foi eleito deputado distrital pela primeira vez em 1998, Argello não parou de acumular bens. Em 2006, o parlamentar declarou à Justiça Eleitoral patrimônio que somava R$ 805.625,09.

Mas só a sua casa de 872 metros quadrados, na Península dos Ministros, área mais nobre de Brasília, localizada próxima à residência do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), está avaliada em R$ 5 milhões.

Segundo apurou ISTOÉ, o senador do PTB também é proprietário de rádios, jornais e uma franquia da Empresa dos Correios e Telégrafos Setor Comercial Sul (SCS).

Dona de uma extensa carteira de clientes, a agência dos Correios, de acordo com especialistas do setor, ostenta um faturamento anual de cerca de R$ 100 milhões, o mais alto entre as 27 franquias da ECT no Distrito Federal.

O mais impressionante, é o cinismo e a credulidade dos eleitores.

Jim Argello é senador “REPONE”. Isto quer dizer que é representante de porra nenhuma, pois não recebeu um só voto dos moradores e eleitores do DF. De alguma forma, comprou a primeira suplência do ex-governador Joaquim Roriz, e quando este renunciou para evitar a cassação, ocupou com desenvoltura o posto de representante, sem ter sido eleito. Temos que mudar este sistema pois em uma democracia não se pode comprar o posto de representante popular sem ter sido votado.

Depois desta reportagem da Isto É, dizem que o Argello despachou uma quadrilha de empregados para comprar todas as revistas na praça, para impedir que seus eleitores não desconfiassem que fosse alguma coisa além de honesto.

Eu não sei, mas não compro revistas e leio tudo on line, e esta reportagem saiu no blog do Noblat, e com direção da Isto É, portanto pode e deve ser verdadeira.

Este senhor, já foi investigado por grilagem de terras, sonegação de impostos, outros delitos que deram em nada como de praxe em Brasília.

Agora quero fazer um comentário sobre um bilhão de reais em 25 anos:

25 anos somam aproximadamente 9.100 dias.

Para se acumular um patrimônio destes, o singelo corretor Argello teria de honestamente acrescentar ao seu patrimônio inicial de 100.000 reais, a pequena quantia de 100.000,00 (Cem mil reais) por dia, durante estes 25 anos ou 9.130 dias, sem faltar um só dia, sábado domingo e feriados.

É mole ou isto é honestamente possível?

Agora para finalizar, quero fazer uma distinção entre uma pessoa de sucesso como o Argello, e um verdadeiro empresário de poder fazer inveja realmente a Bill Gates, Steve Jobs, Larry Eller, todos juntos. É o nosso ilustre deputado federal pelo estado do Pará – Jader Barbalho – que antes da eleição de 2006, declarou seu patrimônio pessoal em quatro Bilhões de reais – conservador de acordo com a VEJA

Segui sua carreira política e de acordo com sua declaração de renda quando começou em 1974, ele tinha como patrimônio um veículo VW modelo 1972. Morava de aluguel. Desde este tempo se passaram 32 anos.

Fazendo-se as contas este embaixador do sucesso empresarial teria de acrescentar por dia ao seu patrimônio a singela quantia de R$ 340.000,00 (trezentos e quarenta mil reais) por dia (11.680 dias, ou sejam 32 anos) para estar neste patamar de enriquecimento.

02 jan 2010 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, Cinismo, GOVERNO, POLÍTICA, REFORMA POLÍTICA | 4 Comentários

A cura do Câncer

A cura do Câncerdilminha

A Dilma Roussef, aparentemente conseguiu se livrar do câncer linfático que de alguma forma adquiriu nos caminhos pela vida.

Mas este câncer que pode ser curado com as maravilhosas técnicas da medicina moderna, não é nada comparado com o câncer da personalidade dela que ela trouxe do berço, e que apesar de muito bem maquiado ainda encontra sempre algum buraco para aparecer sem a maquiagem.

Sua operação plástica, suas seções de botox, seu novo penteado, podem amainar um pouco as expressões de amargura e de desprezo pelas pessoas que a cercam, mas alguma coisa sempre transparece.

As mentiras dela, como no caso da funcionária da receita, não precisam de confirmação, estão totalmente espelhadas em sua expressão.

Existe um fato sobre esta pessoa, em que eu participei um pouco. Apenas como observador e que vou relatar:a casa de deus

Quando a Dilma era a Ministra das Minas e Energia, eu fui contratado para fazer um serviço de aterramento e revisão do sistema de telefonia do ministério que estava dando muitos problemas.

Para concluir esta tarefa se fez necessário alcançar um pilar da estrutura metálica que estava a quase seis metros de altura e a minha escada não chegava a tanto.

Informado que na garagem do ministério havia muitas escadas bem altas, me dirigi a este local para tentar conseguir este instrumento.

Este dia era um sábado à tarde, e não havia quase nenhum movimento na garagem, apenas uns quatro motoristas de plantão.

Ajudado por um deles localizei as escadas, levei uma delas para a sala de telefonia, e com isto consegui concluir o trabalho de aterramento.

Ao devolver a escada, comecei a conversar com os motoristas e perguntei inocentemente qual era o motorista designado para a ministra.

Com surpresa fui informado de que a ministra não tinha nenhum motorista designado, pois, nunca se dava com nenhum deles. E mais, que sempre se dirigia a eles com palavras de baixo calão, e muito ofensivas e que quase sempre ao retornar de alguma viagem exigia a retirada do motorista da frota do ministério e este tinha que ser temporariamente removido para outro local até a dengosa ministra se esquecer dele.

Depois desta conversa comecei a ver a ministra com outros olhos e enxergar nela uma pessoa que se encontrava muito longe da população que pagava e paga até hoje o salário dela.nosso petróleo

E como pode uma pessoa destas ter a pretensão de ser a maior mandatária deste país?

Bem para os que tiverem alguma dúvida da personalidade que ela trouxe do berço, e que definitivamente não vai mudar, leiam abaixo este pequeno e resumido currículo que anda circulando na internet:

Pequena biografia da Dilma

Circula na Internet um resumo biográfico de Dilma Roussef, ministra da Casa Civil, que o presidente Lula da Silva quer empurrar goela abaixo dos brasileiros como sua sucessora. Infelizmente a mídia não divulga essas informações, deixando a população na ignorância. Eis o texto, sem autor assinando, que se espalha pela net:

O pai dela – Pétar Russév (mudado para Pedro Roussef) -, filiado ao Partido Comunista búlgaro, deixou um filho (Luben) lá na Bulgária e veio dar com os costados em Salvador, depois Buenos Aires e, ao fim e ao cabo, fez negócios em São Paulo. Encantou-se com a professorinha de 20 aninhos, Dilma Jane da Silva (rica filha de fazendeiro), e com ela casou e viveu em Belo Horizonte, tendo três filhos: Igor, Dilma – a guerrilheira – e Lúcia. Igor morreu em 1977.

Era uma família “Bon vivant”, com casa enorme, três empregadas, refeições servidas à francesa, com guarnições e talheres específicos. Tinham piano e professora particular de francês. Dilma, primeiro entrou numa escola de freiras – Colégio Sion – e, depois, no renomado Estadual Central. Nas férias, iam de avião para Guarapari/ES e ficavam no Hotel Cassino Radium. Dilma, ainda jovem, entrou para o

POLOP – Política Operária – e depois se mudou para o COLINA – Comando de Libertação Nacional -. Apaixonou-se e casou-se com Cláudio Galeno Linhares, especialista em fazer bombas com os pós e líquidos da farmácia de manipulação do seu pai.a realidade atual

Sua primeira aula de marxismo foi-lhe dada por Apolo Heringer e, pouco depois, estava em suas mãos o livrinho: “Revolução na Revolução”, de Régis Debray, francês que se mudou para Cuba e ficou amigo do Fidel e mais tarde, acompanhando Guevara, foi preso na Bolívia. Aos 21 anos, Dilma partiu para o RJ a fim de se esconder dos militares, após o frustrado assalto ao Banco da Lavoura de Sabará. No Rio, ainda casada, apaixonou-se por Carlos Franklin Paixão de Araújo, o chefe da dissidência do Partidão; então, chegou, de chofre, e disse para o marido: “Estou com o Carlos!”.

Carlos vivia antes com a geógrafa Vânia Arantes e, sedutor, já havia tido outras sete mulheres, aos 31 aos de idade. Com ele, Dilma participou da fusão COLINA/VPR (esta do Lamarca), que deu origem, em Mongaguá, à Vanguarda Armada Revolucionária-Palmares, cujo estatutominha casa meu avião

dizia: Art.1º – A Vanguarda Armada Revolucionária-Palmares é uma organização político-militar de caráter partidário, marxista-leninista, que se propõe a cumprir todas as tarefas da guerra revolucionária e da construção do Partido da Classe Operária, com o objetivo de tomar o poder e construir o socialismo.”

Foi em Mongaguá, litoral paulista, que se traçou o plano da “Grande Ação”, que se deu em 18 de julho de 1969, com o assalto e roubo do cofre da casa da amante do Ademar de Barros, em Santa Teresa/RJ, que lhes  rendeu 2,5 milhões de dólares, cofre aberto em Porto Alegre, com maçarico, pelo metalúrgico Delci. Mas a organização se dividiu entre “basistas” – que defendiam o trabalho das “massas” e junto às “bases”, e os “militaristas”, que priorizavam a imediata e constante luta armada comunista. A disputa pelo butim dolarizado foi ferrenha! Dilma era chamada de “Joana D’Arc da subversão”. Então foi para São Paulo onde dividia um quarto com Maria Celeste Martins, hoje sua assessora imediata no Planalto.cabidão

Dedurada por José Olavo Leite Ribeiro – mantinha com ela três contatos semanais -, foi presa, armada, em um bar da Rua Augusta, juntamente com Antônio de Pádua Perosa; depois, entregou à polícia seu amigo Natael Custódio Barbosa. Enquanto isso, o Carlos Araújo teve um romance tórrido com a atriz e terrorista Bete Mendes, da TV Globo.

Dilma saiu do presídio em 1973 e foi para Porto Alegre e, reatar com o marido infiel. Mas hoje, Carlos Araújo mora sozinho com dois vira-latas (Amarelo e Negrão), numa casinha às margens da lagoa do Guaíba, em Porto Alegre. Ele tem enfisema pulmonar e está com 71 anos.

Diz que é feliz, mesmo a ex-esposa sendo Ministra e candidata do apedeuta/fronteiriço à Presidência da República.

Eis aí uma “síntese sintético-resumida” da vida da Dilminha que, logo….logo…será apresentada pelo Lula como a “da paz e do amor”.

Quem sabe, antes, possa dar tempo de dar uma chegada a um “Camp Quest” qualquer dawkinsiano por certo, para, cética e racionalmente, ficar com a “mente ainda mais aberta”, em cursilho prepararatório para a Presidência da República. E em se tratando deste povinho brasileiro

(batuque, bola, bolsa e bunda), tudo se pode esperar, infelizmente.

E agora?

Será que esta pessoa que alem de déspota, irritada, psicopata, mentirosa compulsiva, como no caso de suas graduações, merece a chance de ser uma candidata?

O congresso, que deveria representar o povo e os estados deveriam se manifestar, e impugnar esta candidatura antes que ela tenha chance de crescer.

Mas o congresso……… está um congesso e não fará nada e então cabe a nós que pagamos seus salários mostrar que não concordamos com esta baderna.

o carnaval da dilma

04 set 2009 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ÉTICA, ELEIÇÕES, GOVERNO, POLÍTICA | 3 Comentários

O Lula e Maquiavel!!!!

O Lula e Maquiavel!!!!não me abandone sarney

Outro dia, conversando com amigos sobre a estratégia do governo para a eleição de “Dilma Rousifu”, começou a surgir em nossas mentes, uma possibilidade ainda não veiculada em nenhuma mídia sobre a possibilidade do Lula entregar passivamente o poder, possivelmente para uma oposição, e com seus 84% de popularidade.

E o desgaste sofrido com a permanência do Sir Ney, que claramente foi uma iniciativa do executivo.

E este agora com este desgaste com as mentiras da Dilma.

Isto não condiz, com uma possibilidade de uma eleição majoritária a pouco mais de um ano.

Não faz sentido, a situação de se expor desta forma, e ter a pretensão de eleger sua candidata.

E está mais do que comprovado que a transferência de votos e popularidade é uma tarefa muito difícil e quase impossível de se concretizar.

Para acabar com este preâmbulo, resta apenas dizer que um possível candidato, o José Serra que ainda não se manifestou como tal, anda disparado na frente de qualquer simulação de intenção de votos e que a Dilma, que realmente progrediu um pouco, ainda não mostrou a que veio.

E então, como se equaliza esta questão?você não presta

E foi então que apareceu uma possibilidade que contempla todas estas situações, e coloca em perspectiva, todos estes desmandos e erros do executivo.

Vamos enumerar as possibilidades antes das conclusões.

1. O Lula não quer, e não pode deixar o poder, por razões óbvias:

a. Com uma popularidade de 84%, seria um desperdício, apenas colocar o rabo entre as pernas e ir-se embora.

b. Com tantas maracutaias e pendências abertas, com o súbito enriquecimento de sua família, seria um tremendo risco entregar o governo ao inimigo que poderia abrir inquéritos, e causar muita dor de cabeça.

c. O Lula não vai arriscar tentar um plebiscito ou referendo em favorecimento de um terceiro mandato, pois o risco de ser considerado um golpe é grande como aconteceu em Honduras.

2. Se não está disposto a entregar democraticamente o mandato, como vai conseguir eleger seu candidato, que no momento é candidata e não consegue decolar?

a. A Dilma não decola.

b. A transferência de popularidade é coisa incerta.o remédio

c. O desgaste no congresso é coisa inexplicável.

d. E o desgaste na receita, é inaceitável em começo de campanha.

3. E então qual seria o plano?

a. O Sarney, aliado inconseqüente, teria de ser mantido como presidente do congresso e terceiro na fila presidencial. (Por isto o risco do desgaste)

b. A Dilma será a candidata, e o Lula se afasta da presidência em março e compõe a chapa como vice da Dilma.

c. Deste modo, não existe problema de transferência de votos, pois o próprio Lula é o candidato.

d. Procurando superficialmente pelas possibilidades jurídicas desta possibilidade, (Não sou jurista), não encontro nenhuma razão constitucional ou legal que impeça o presidente de se afastar da presidência e se tronar vice em alguma chapa.

e. O atual vice está mais com um pé na cova do que fora, e no caso de não poder assumir, entra então a necessidade de manter o Sarney, pois o vice do Sarney é o Marconi Perilo que é da oposição, e como presidente assumido poderia causar dificuldades para este plano.

  1. f. A Dilma também não está lá estas coisas de saúde, e se o plano der certo, ela se afastaria deixando o Lula mais quatro anos e com caminho livre para as eleições de 2014, pois não seria considerado presidente, mas sim vice e poderia continuar no poder.

4. Foram estas as considerações a que chegamos para explicar estes atos aparentemente tresloucados da atual administração, mas que se olhados do ângulo certo podem mostrar um tremendo plano muito maquiavélico, que deixa aparente sem sombra de dúvidas as mãzinhas do senhor José Dirceu e do Marco Aurélio Garcia.

Que tal, temos agora começar a lutar para impedir a concretização deste plano que nada mais é do que um golpe disfarçado de democracia nos mesmos moldes de um referendo, mas com mais peculiaridades, aproveitando as brechas da legislação brasileira. o placar

29 ago 2009 Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, AUTORITARISMO, ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA, Reforma eleitoral, REFORMA POLÍTICA | 6 Comentários

O Brasil e a saúva II.

desordem

Este post foi escrito e publicado em junho de 2007, e continua muito atual. As coisas e os fatos sim mudaram, mas para pior. Os personagens ficaram desde então mais ousados, o cinismo aumentou, e as maracutaias estão a céu aberto.  Os políticos estão tratando povo como idiotas, o povo está tratando os políticos como se fossem de outro país.

As notícias, as entrevistas, são reais e estão acontecendo no Brasil.

Não é possível que os cidadãos que estão pagando por tudo isto estejam observando tudo como se estivesse acontecendo na China, no Iraque ou mesmo em Israel.

Quando um político diz em alto e bom tom que está se lixando para a opinião pública e sai rindo, é um sinal de que algo está muito errado.

Este tal de Paulo Duque, de 81 anos de idade, com cara de mascate, é o suplente do suplente, não recebeu nem um simples voto, e já anuncia antes de conhecer todos os fatos que irá arquivar todas as denúncias contra seu patrão o Zé Sir Ney.

Bem leiam o artigo abaixo com mais de dois anos de publicação, assim como os artigos no conteúdo que são de outros autores e julguem vocês mesmos se algo está diferente ou pior

etica e decouro

O Brasil e a saúva.

Ou o Brasil acaba com a Saúva ou a Saúva acaba com o Brasil.

Esta frase, de autor desconhecido, era propagada com afinco nos anos 60, e hoje está comprovado que era um equívoco total por parte dos pesquisadores.

Leiam sobre a saúva aqui:o senhor dos pasteis

http://fgaia.org.br/texts/brasil.html

Atualmente, existe uma linha de pensamento que até explora a possibilidade de que a frase seja de autoria de uma campanha dos produtores de agrotóxicos para justificar a venda dos seus produtos.

Agora, eu vou aproveitar esta frase equivocada para construir outra parecida, mas que não vai estar nunca equivocada, e vai permanecer atual para sempre.

Retirando-se a presunção aqui vai:

“Ou o Brasil acaba com a corrupção endêmica ou a corrupção acaba com o Brasil.”

O Lula em vez de mandar investigar a fundo o mensalão, abraçou o Roberto Jefferson e disse que confiaria sua vida à ele.

Disse algo parecido com ocaso do Palocci.

Agora vem falando o mesmo do seu irmão Vavá pela segunda vez, pois este já foi investigado por tráfico de influência e a investigação foi “influenciada” pelo ex-ministro da justiça.

Agora vem o caso do Renan Calheiros, que em uma averiguação fajuta pelo congresso, apresentou provas de que financeiramente poderia estar bancando a sua ex-amante e sua filha com esta. Este não é o caso, poderia é claro que poderia, pois ganha suficiente para isto. Mas se faria é outra coisa, pois a ganância não tem limites e como a revista veja publicou, o congresso tem é que vasculhar os extratos bancários dos dois para ver se saiu de um para ir para no outro. Existem inúmeras maneiras de se fazer isto, e uma delas é pelos pagamentos do CPMF. Pelo menos este imposto indecente deveria servir para algo decente.

Acorda Brasil, isto tem que acabar senão estamos perdidos.

Onde tem fumaça, certamente tem fogo.

Uma coisa o Brasil tem de sobra, são bons escritores e jornalistas falando sobre este assunto.sessão aberta

Liam o artigo do Jarbas logo abaixo:

Opinião: Endemia da ladroagem

Jarbas passarinho escreve:

Ao pregar diante de Dom João IV e sua corte, na Igreja da Misericórdia, o padre Vieira iniciou audaciosamente o sermão dizendo ser a Capela Real, e não aquela a que assomara, porque falaria de coisas atinentes à Sua Majestade Real e não de piedade, pois nem os reis podem ir ao paraíso sem levar consigo os ladrões, nem os ladrões podem ir ao inferno sem levar, com eles, os reis.

Louvado em São Tomás de Aquino e Santo Agostinho, vergastou os grandes que sabia ladrões, parte deles na Corte Real. Sem nomear quem quer que fosse, muitos que o ouviam sabiam ser seus alvos. Como vários santos trataram de ladrões protegidos pelos reis, advertiu: “O que vemos praticar em todos os reinos do mundo é, em vez de os reis levarem consigo os ladrões ao paraíso, os ladrões são os que levam consigo os reis ao inferno”.

Concluídas as invectivas, disse estar respondendo a Sua Majestade, que lhe perguntava se havia ou não conveniência de unirem-se as duas capitanias, do Maranhão e do Pará, em um só governo ou em dois. Menos mal – disse ele – será melhor um ladrão que dois, já que é mais difícil achar dois homens de bem.

Temos, hoje, 27 governadores e 38 ministros de Estado. Padre Vieira teria de mudar seus exemplos, pensando quão difícil é indicar não dois, mas muitos homens de bem para assessorarem Suas Excelências, sem o receio de desagradáveis procedimentos que os levem, junto com os protegidos, ao inferno. Há que fugirem de tal futuro os três poderes da República, bem assim as organizações sindicais patronais, até de terceiro grau, a representar milhares de empresários.

O quadro atual da desalentadora corrupção, que parece endêmica, bem mereceria uma defesa de tese de doutorado, receita para prevenir, evitar e impedir que o inferno do padre Vieira venha a ter dificuldade de alojá-los, tantos são. A triste realidade brasileira pode ser objeto não das increpações substantivas do padre Vieira, mas as adjetivas de seu contemporâneo Souza Macedo, o verdadeiro autor de A arte de furtar.

Não temos reis para ouvir, ao lado de seus ladrões, fingindo não saber nada, mas render-se aos indícios escandalosos de desonra, de pérfido exemplo, sobretudo para os jovens. São tantos, de pertinente autoridade não honrada, que, parodiando Norberto Bobbio, já não despertam a “santa indignação” que os provocava o furto do dinheiro público.

Repetir-se-ia, séculos depois, a engenhosa imaginação de Machado ao comparar as diversas fraudes com a conjugação dos tempos e modos do verbo rápio, de que derivam nosso rapinar e o substantivo rapina. Furtam pelo modo indicativo presente, quando, noviços, louvam os veteranos nas lições de como furtar nas licitações; pelo modo imperativo, mandando terceiros receber a propina depositada nos bancos ou no cofre das secretárias dos grandes empresários, e especialmente o imperativo negativo, ao bradarem, ofendidos, nunca terem recebido propina nem conhecerem sequer o propinador; pelo conjuntivo, lobistas experientes, que conjuntam a sua argúcia ao cabedal de magistrados, negociando suas sentenças, ou ao parlamentar zeloso e habilidoso a aprovar emendas para obras em que tem generosa participação e, descarado, ainda tenta chantagear o governo a cuja bancada pertence; pelo modo permissivo porque permitem que se furte, desde que se reparta o furto; pelo modo infinitivo, quando acha pouco e pede mais; e finalmente furtam pelo modo mais-que-perfeito, construindo pontes que ligam o nada ao nada coniventes com governador.

Mas o que essa novela Gautama mais estranha são os substantivos cuja significação varia com a mudança do gênero, em que Zuleide muda em Zuleido, original na troca e nada original na arte de furtar. Tantos se anteciparam, a ele, como os graúdos petistas, por exemplo, que surrupiaram, através de um intermediário experimentado na profissão de fraudador, muitos milhões de reais e quase mais ninguém se lembra disso. Talvez porque foram modestos e não furtaram o bilhão e meio de reais que o masculino de Zuleide amealhou em inocentes relações com seis ministérios e dezenas de honestos representantes de nosso povo.

Jarbas Passarinho foi ministro, senador, governador e é escritor

Agora, temos um excelente artigo do Laurence:ame-o ou...

Por Laurence Bittencourt Leite, jornalista

A política brasileira caberia num romance de Dostoievski, mas não certamente em “Crime e Castigo”. Aqui só há o crime. Lembrei-me dessa frase lendo a primorosa crônica do jornalista Woden Madruga do último sábado sobre a “mentira” no nosso mundo (ou seria submundo?) político. Lembrei-me também que no Brasil nunca (já imagino os defensores!) ganhamos um prêmio Nobel. Vale acrescentar: em nada. Nadica de nada. Talvez muitos quisessem acabar até mesmo com a Física e a Química porque seus cientistas criaram a energia a vapor que criou a revolução industrial. Quanta, quanta picaretagem. Mas haveria um Nobel que se fosse instituído nós seriamos imbatíveis: Nobel de corrupção. Nesse nós somos Phd, com todos os “méritos”. Nesse nós exportamos “tecnologia”. O crime da corrupção, esse, esse é o nosso grande “patrimônio cultural”, acrescido do dificílimo mérito de não haver o castigo.

Lembro agora que na década de 80, Henry Kissinger, em entrevista a jornalistas brasileiros, disse que o Brasil era o maior potencial econômico do mundo. Sequer falava-se em China ou Índia. Percebam. No entanto, outra figura notável, essa do mundo das letras, Stefan Zweig escreveu um livro chamado “Brasil, o país do futuro”. O primeiro, Kissinger, hoje, ninguém mais fala. E Zweig suicidou-se. Como acréscimo aconselho a leitura do livro biográfico do jornalista Alberto Dines sobre Zweig chamado “Morte no paraíso”. O paraíso, claro, é o Brasil. O paraíso fiscal, o paraíso das incoerências, da corrupção.

Mas numa coisa eu posso concordar tanto com Kissinger quanto com Zweig. Nossas riquezas são imensas, inúmeras. Mas estão enterradas. De que valem? A questão é que para desenterrá-las nos falta cabeça. Falta “cérebro” para explorá-las. Não conheço nenhuma árvore, que sozinha produza papel, é preciso a parte do homem, para explorar a árvore, que se faz o papel que se faz o jornal, por exemplo. Mas nosso cérebro só funciona quando é para a exploração política. Exploração, mentira e corrupção. Ai, ele é imbatível. Eis a nossa civilização. Uma civilização sem culpa.

E qual a raiz a sociológica ou psicológica para não mentir? Sem dúvida, o medo da punição. Esse é outro nosso grande mérito: nós abolimos a punição. Somos um país livre. É outro nosso paradoxo. Aqui se muda de ideologia como se muda de roupa. Aqui se muda de partido sem nenhum constrangimento. E nesse momento, eu fico me perguntando para aqueles que defendem a sociedade: onde está a força da nossa sociedade para punir a mentira, o excesso? Essa sociedade é uma miragem? Ou justamente pelo (excesso) de miséria se torna manipulável? Algo natural ou premeditado?

Aqui o que temos é o Estado gastador, assistencialista e provedor. Que vai entregar casa, comida e roupa lavada. Mas sem acabar com a miséria. Percebem a contradição? É a saída marota? Os pobres se avolumam com seus pedidos porque a idéia não é acabar com a miséria e sim “explorar” a miséria. A nossa política se faz com o assistencialismo que nunca termina com a miséria. É o Estado gerador da dependência.mamando

O incrível é que passamos mais de vinte anos de ditadura militar combatendo e criticando a dependência educacional, a dependência financeira, a dependência econômica da miséria, dos pobres ingnorantes e miseráveis. O combate, Jesus, hoje sabemos, era apenas para mudar de “dono” do Estado, ou de “dono” do poder. Resolver e acabar com a miséria pela geração de emprego e trabalho eles não querem nunca. Eles vivem de “dar” as coisas, mas esse “dar” é com o dinheiro dos outros, e pressupõe a continuação, a perpetuação da miséria. Pobre dependência.

Quem foi mesmo que disse que o homem se tornava homem quando recebia seu primeiro salário? Ah sim, foi Sartre. Ok. Mas repito: o nosso Nobel disparado seria o da corrupção. Esse é nosso eternamente.

Se não houver uma reforma política profunda, feita e comandada

pelos eleitores, a tendência é de um quadro pior no futuro

próximo, e de uma revolução violenta e sangrenta para tirar do

poder estes verdadeiros sanguesugas e carrapatos que não

querem largar o conforto de sugar o sangue dos brasileiros sem

serem importunados

cosa nostra

07 ago 2009 Posted by | ABOBRINHAS, ABUSOS LEGISLATIVOS, ARTIGOS, ÉTICA, Crimes e emntiras, GOVERNO, POLÍTICA | 3 Comentários

%d blogueiros gostam disto: