blog do Roberto Leite

Assuntos de interesses multiplos e atuais.

JK/Lula.

JK/Lula.

Quando vejo o Lula se comparar com Deus, todo poderoso, não me importo muito porque levo em consideração o seu nível de conhecimento e de experiência e tomo esta comparação por total ignorância e falta de bom senso.

Quando o vejo se comparar a Getúlio Vargas, também não dou muita importância porque apesar de Getúlio ter sido um populista como o Lula, e um ditador como o Lula desejaria ser, a época é outra e não consigo ver outro Getúlio surgindo da maré do petismo. Fico até esperançoso que como Getulio Vargas, “ele saia da vida para entrar para a história”.

Mas eu realmente saio do sério quando vejo o apedeuta querer se comparar ao JK.

O JK saiu também de uma juventude humilde e humildemente percorreu todos os caminhos políticos até chegar à presidência da Republica por seu mérito próprio e baseado em sua carreira profissional e política. Humildemente percorreu toda a carreira administrativa política sendo prefeito governador e presidente, angariando com isto experiência administrativa e currículo político que o levou a desempenhar o seu papel como presidente e cumprir sua meta de governo que foi tirar o Brasil de uma vida provinciana, e colocar o Brasil entre as nações em franco desenvolvimento. O seu lema de crescer cinqüenta anos em cinco, pode até ser considerado exagerado por alguns analistas, mas ele plantou esta semente que germinou e mudou a cara do Brasil.

O Lula, com uma origem também humilde, optou pelo caminho sindical onde impera o peleguismo e o favoritismo, onde os líderes tiram vantagens do sofrimento de seus companheiros, usam e abusam do direito de ganhar sem trabalhar. Dentro deste populismo sindical, o Lula, tendo ampla oportunidade de se aplicar, estudar alguma carreira, aprender outros idiomas, optou para não fazer nada disto confiante em seu carisma inegável para camuflar o seu despreparo em qualquer das áreas administrativas e políticas. Prova disto é que em sua única aparição política de sua carreira pré-presidencial, foi como deputado constituinte onde passou praticamente despercebido e nem participou da faina congressista.

Ultimamente o Lula anda dizendo para se esperar o ano de 2010 para que ele seja realmente reconhecido como o salvador da pátria depois que o seu “PAC” for totalmente aplicado e começar a dar frutos. Até disse que pode registrar em cartório esta afirmação. Que coisa mais ridícula.

Já pensou se o JK em vez de encarar todas as obras que realizou dissesse a mesma coisa.

Hoje não teríamos Brasília, Três Marias, Furnas, Indústria automobilística, Belém /Brasília, Rio/Brasília, Fernão Dias, e outras coisas que o JK prometeu e fez sem registrar em cartório nenhuma promessa idiota.

O que o Lula deveria ter feito e registrado em cartório, foram suas promessas de campanha presidenciais no primeiro e segundo mandato de:

1. Abaixar o nível de tarifas com uma reforma tributária/fiscal. Não somente não registrou como não realizou. Ao contrário aumentou a carga tributária brasileira, que segundo ele em sua campanha já era insustentável para o povo brasileiro.

2. Prometeu reparar o sistema previdenciário, que segundo ele era falta de vontade política, pois o sistema tinha dinheiro sobrando, mas era desviado pela corrupção e má gestão. Não fez nada disto como em seu primeiro mandato o seu ministro da previdência o atual presidente do PT Ricardo Berzoini quis obrigar todos os previdenciários incluindo os inválidos e idosos a enfrentarem uma tremenda fila nos prédios do INSS para provarem que existiam. Uma grande covardia e falta de bom senso.

3. Melhorar o ensino básico porque era uma vergonha um professor primário ganhar em Pernambuco R$ 15,00 por mês. Realmente o salário dos professores melhorou um pouco e recentemente foi decretado um piso salarial depois de cinco anos de governo. Mas o ensino continua fraco e nos testes escolares o Brasil continua nos últimos lugares entre os países testados. As universidades consomem quase toda a verba do MEC e o ensino básico que é o alicerce de toda a educação fica com as migalhas.

4. E por aí vai, promessas e promessas, como o seu programa “Fome Zero”, que fez água e parou como o “Primeiro Emprego” que também não vingou. Como suas promessas de parar com o desmatamento da Amazônia e que em seu governo foi o maior em todos os tempos.

Não há e nem pode haver nenhum termo de comparação entre os dois governos.

Hoje pela manhã ao ler o Blog da Adriana –

http://www.prosaepolitica.com.br/index.php

Encontrei um artigo do Giulio Sanmartini, que cita outro autor sobre este mesmo tema.

Vou reproduzir os dois:

O álcool fala mais alto

(Giulio Sanmartini) Tenho me referido à má administração do uso do álcool por parte do presidente Lula, que muitas coisas do que diz não fazem sentido por esse motivo. Todavia, comecei a preocupar-me de estar exagerando, por isso transcrevo abaixo trechos de um artigo do jornalista Cláudio Lessa, que tem um magnífico currículo: âncora da Rede Globo, Voz da América, Rádio JB e corresponde durante vários anos na Casa Branca. Me parece que nosso pensamentos coincidem:

E por falar em Fazendão, não é que Sua Etílica Excelência voltou ao descaramento de se comparar com JK? Devia estar de fogo, mais uma vez, quando deixou a língua se contorcer mais uma vez em torno dessa lorota. Logo com JK, que construiu Brasília, abriu estradas (a gigantesca Belém-Brasília é apenas uma delas), modernizou a indústria, estimulou a manutenção de um ambiente social que acabou propiciando o surgimento de fenômenos culturais (como a Bossa Nova), fenômenos esportivos (a vitória da Copa de 58 e o triunfo da tenista Maria Ester Bueno) e, sobretudo não teve o desprazer de ver seus companheiros de política e governo nas páginas policiais por causa corrupção, a ponto de quase ficar sozinho no palácio de governo.

Já o falastrão nunca fez nada em dois mandatos (JK só teve um), a não ser viajar, feliz da vida, depois de comprar os votos de 11 milhões de famílias com o bolsa-esmola; abominar publicamente a leitura e qualquer tipo de estímulo à formação cultural organizada de um povo inteiro que precisa desesperadamente disso para seguir em frente no mundo globalizado; agir como um boçal ao fazer a apologia do fumo, sem mostrar que possui a consciência da dimensão do cargo que ocupa, especialmente numa época em que a ciência comprova (e os hospitais estão abarrotados de gente morrendo de câncer de pulmão e enfisema) a necessidade premente de se coibir o uso dessas substâncias venenosas, enquanto o seu próprio ministro da Saúde está empenhado numa campanha nacional nesse sentido. Se na era JK buscava-se a excelência, na era atual a palavra de ordem é “mediocrizar a qualquer custo”.

“Não há comparação possível entre as duas figuras.

20 set 2008 Posted by | ARTIGOS, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

O Grande comunicador?

O Grande comunicador?

Todos os dias, eu encontro nos jornais ou nas colunas políticas da rede, notícias sobre o grande comunicador Lula.

Em um artigo muito bom do Jabor, este disse que estamos diante de um fenômeno de comunicação que descobriu uma nova fórmula de aplicar os ensinamentos de Maquiavel – Mais refinado – Se isto for possível –

Eu fico então pensando:

“- Devo ser realmente insensível, pois não consigo sentir onde está o convencimento estratégico do Lula ou posso até estar vacinado contra este encantamento das covinhas sorridentes ou contra o medo de sua carranca raivosa.”

“-Devo estar realmente fora da realidade, pois não consigo encontrar nenhuma obra de médio para grande porte, que foi iniciada e terminada em seus governos. Ele já está no poder a mais tempo do que o JK a quem ele gosta de se comparar, mas o JK iniciou e entregou, várias obras de porte gigantesco, incluindo a nova capital, rodovias, usinas hidroelétricas, aeroportos, ETC. E olhe que o JK enfrentou várias crises políticas e oposição ferrenha.”

“- Não devo ser uma pessoa patriótica, pois não encontro nenhuma obra de cunho social, que tenha sido iniciada ou mantida em seu governo, que tenha causado impacto na vida social do meu país.”

O Brasileiro está pagando mais impostos do que nunca, a arrecadação está maior do que nunca e a renda média do trabalhador brasileiro está inferior no momento do que em 1997.

O tamanho e o inchaço do governo é descaradamente o maior da história. Pensando bem, esta é uma obra de grande porte que o governo Lula iniciou, mas que ainda não terminou. – “O inchaço do governo” – Continua crescendo.

Eu pessoalmente não vejo nesta situação nenhum mérito do governo do grande mentiroso. Se em meios as grandes crises internacionais, com uma taxa básica de juros muito maior, para conter e segurar a inflação, o cidadão brasileiro incluindo eu, estava ganhando mais em 1997 do que agora, como pode ser possível que os nossos cidadãos dêem uma avaliação tão positiva ao governo mais corrupto da história brasileira?

64% de aprovação.

Incrível mesmo.

Eu pequeno empresário, estou muito pior agora do que em 1997, e não aprovo este governo de engodos e mentiras.

Estou entre os 36% que desaprovam este governo, e com muito orgulho.

Vejam esta reportagem de hoje em ”Veja on Line” sobre o rendimento da população brasileira

Brasil

Pnad 2007

Renda do brasileiro sobe, mas é inferior à de 97

18 de Setembro de 2008

Com agência Reuters

O rendimento médio do trabalhador brasileiro aumentou em 2007 pelo terceiro ano, com alta de 3,2% frente a 2006, mas ainda não recuperou as perdas acumuladas nos últimos dez anos e está 5% abaixo do nível de 1997. Os dados constam da Pesquisa Nacional de Amostras por Domicílio (Pnad), divulgada pelo IBGE nesta quinta-feira.

O avanço de 3,2% foi menor que o observado em 2006 (7,5% ante 2005) e em 2005 (4,5% frente a 2004). “Isso pode estar relacionado com o aumento menor do salário mínimo em 2007”, explicou a economista do IBGE Márcia Quinstlr.

Segundo o IBGE, desde 2004 a renda do trabalhador brasileiro ocupado acumula crescimento de 15,6%. Em 2007, o rendimento nominal alcançou 956 reais – valor ainda abaixo do verificado em 1997, que era de 1.011 reais. “Os resultados da Pnad mostram que o patamar de rendimento médio real de 1997 ainda não foi retornado, embora tenha ocorrido ganho, especialmente entre 2004 e 2007”, informou o IBGE em relatório.

A alta do rendimento contribuiu para que o país registrasse em 2007 mais um pequeno avanço no índice de Gini, parâmetro internacional para avaliar as condições de vida da população. O indicador passou de 0,540 em 2006 para 0,528 em 2007. Quanto mais próximo de zero, melhor é a condição de vida de um cidadão. Em 2004, o Gini era de 0,547 e em 2005, de 0,543.

Apesar da melhora, a concentração de renda no país permaneceu bastante aguda no ano passado, segundo a pesquisa. “Os avanços mencionados, apesar de persistentes, são de baixo impacto no que se refere aos rendimentos mais baixos e mais elevados”, avaliou o documento.

Concentração – “A despeito da redução do Gini, se verificou que, em 2007, os 10% da população ocupada com mais baixos rendimentos detiveram 1,1% dos rendimentos do trabalho, enquanto aos 10% com os maiores rendimentos corresponderam 43,2% do total das remunerações”, acrescentou o relatório. Esse comportamento se mostrou praticamente inalterado em relação aos anos anterior.

O Grande comunicador acreditando no casamento gay

Candidata à sucessão do grande comunicador

Eta Brasil……

19 set 2008 Posted by | CRESCIMENTO ECONÔMICO, ECONOMIA, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

Peripécias da família real

Peripécias da família real

Na quarta feira dia 18 de setembro de 2008, o Diário Catarinense publicou uma reportagem sobre o novo escândalo rondando o bom(?) nome do Presidente Lula.

Apesar de um pouco mais afastado da família real, mas ainda fazendo muito parte dela, o genro do presidente, Marcelo Sato casado com a filha do Lula que foi renegada primeiro e depois admitida, Lurian Cordeiro, já teve em foco nos noticiários de suspeitas anteriores.

Obviamente nada foi comprovado porque nada foi apurado.

As primeiras denuncias pairaram sobre a Lurian que junto com a senadora Ideli Salvati (PT SC) formaram uma ONG denominada “Rede 13”. Esta ONG tinha como função principal a divulgação do programa chefe do primeiro governo(?) Lula, o “Fome Zero”.

Pelo que se tem notícia, o governo repassou uma verba inicial de 7,2 milhões para esta ONG, e a iniciativa privada contribuiu com mais uns 20 milhões. Nada desta verba foi devidamente contabilizada. O programa “Fome Zero” morreu de fome. Em meio do escândalo dos aloprados ou pouco antes, o churrasqueiro e quebra galhos do presidente o Chuveiro, digo Lorenzetti foi despachado em uma missão especial de enterrar a ONG “Rede 13” de forma definitiva e sem deixar rastros.

Dizem, obviamente sem comprovação definitiva, que o dinheiro desta ONG foi depositado em uma conta em Miami e ainda está por lá. Dizem também que parte deste dinheiro foi usada no escândalo dos aloprados. Este dinheiro dos aloprados se encontra ainda sem dono comprovado, e retido na Polícia Federal. (1,7 milhões de reais) Até que é pouco na monstruosa conjuntura de falcatruas que se empilharam durante esta governo(?).

A segunda notícia que eu fiquei sabendo, sobre a família da Lurian Cordeiro, foram os gastos com os cartões corporativos dos seguranças designados para sua proteção, onde incluíram materiais de construção e de academias etc.

A terceira notícia do envolvimento desta parte da família Lula, foi o arquivamento do suspeitíssimo caso do assassinato do prefeito Celso Daniel, onde sete das principais testemunhas pereceram em circunstâncias estranhas e extraordinárias. Este caso foi arquivado como um crime comum pela delegada Elisabete Sato. Ela é tia do marido da Lurian, o Marcelo Sato. Se tiverem curiosidade e tempo para lerem um pouco mais sobre o caso desta ação da delegada, podem ler aqui: http://www.reporterdiario.com.br/blogs/capitalsocial/?p=29

A matéria sobre o novo envolvimento da família Lula, em um novo escândalo pode ser lida parcialmente aqui, ou no site do “Diário Catarinense”:


http://www.clicrbs.com.br/blog/jsp/default.jsp?source=DYNAMIC,blog.BlogDataServer,getBlog&uf=2&local=18&template=3948.dwt&section=Blogs&post=104126&blog=24&coldir=1&topo=4023.dw

Tramita em sigilo nos porões da Polícia Federal de Itajaí um inquérito que pode complicar um deputado federal do PT e nada menos que um parente do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Flagrados em grampos da Operação Influenza, o deputado Décio Lima (PT-SC) e Marcelo Sato, genro do presidente Lula, foram levados a dar explicações à imprensa nesta segunda-feira sobre conversas mantidas com o empresário Francisco Ramos, proprietário da Agrenco do Brasil S.A e um dos 24 presos por fraudes no Porto de Itajaí em 20 de junho. Sobre Ramos recaem suspeitas de patrocinar vantagens — computadores, hospedagens em hotéis e jatos fretados — em troca da interferência da dupla junto a órgãos federais. A ação seria comprovada por trechos como o que Ramos justifica a aquisição de dois note books: “Um pro Décio (Lima) e um pro (Marcelo) Sato”. Questionado sobre a frase, o próprio empresário esclarece.

– O cara (não especifica se está falando de Sato ou de Lima) me põe na frente do presidente, do ministro… Ele vem com essa indireta. Sou obrigado a comprar.

As explicações do deputado Décio Lima você confere aqui.

http://www.clicrbs.com.br/blog/jsp/default.jsp?source=DYNAMIC,blog.BlogDataServer,getBlog&uf=1&local=1&template=3948.dwt&section=Blogs&post=104238&blog=24&coldir=1&topo=3951.dwt

Além de agrados tecnológicos, Lima ainda teria voado em jatos fretados por Ramos, como comprovariam fotos registradas por agentes federais no momento em que o parlamentar embarcava na aeronave.

Além disso, o inquérito reproduz uma troca de e-mails entre as secretárias da Agrenco e do gabinete de Lima informando horários de vôos e locais de embarque e desembarque do deputado, em avião fretado, de Navegantes a Brasília. A Agrenco diz como serão os detalhes vôo, com a observação: “Avião fica esperando sr. Décio Lima terminar compromisso”.

Já com o genro de Lula, a conversa é a hospedagem em um hotel. Em 17 de abril de 2008, às 11h18min, Sato pergunta em gravação telefônica a Ramos se pode deixar “um hotel reservado para nós”. Documento da PF aponta que foram reservadas duas vagas em um hotel para o genro de Lula, mas não especifica em que cidade é a hospedagem.

A investigação da PF sustenta que o marido de Lurian Cordeiro Lula da Silva, filha do presidente, e o parlamentar petista teriam facilitado o acesso do empresário a órgãos do governo federal entre 10 de dezembro de 2007 e 6 de janeiro deste ano. Além de Lima, o relatório cita Jefferson Reichel, assessor do deputado. Parte das interceptações revela que Ramos, ao fazer contato com Lima, Sato e Reichel, tinha interesse de agilizar processos que envolviam a Agrenco no governo federal. Ramos era o principal acionista da empresa, que almejava produzir biodiesel em Caarapó (MS). Para tanto, segundo o relatório da PF, Ramos contou com a ajuda do trio em contatos com o Ibama, Agência Nacional do Petróleo e Receita Federal.

De acordo com o relatório da polícia, Lima recebeu pedido da Agrenco para que a resolução 41 de 2004 da ANP fosse adaptada a fim de autorizar a produção de biodiesel pela empresa. Depois do contato, a Agrenco teria conseguido a licença para operação da indústria. A PF cita ainda o fato de que a Agrenco doou R$ 170 mil para a campanha do petista nas eleições de 2006. A exportadora de grãos é suspeita de, entre outras irregularidades, simular negócios com produtores de soja, comprando carregamentos que não existiam.

Contrariado pelo vazamento das informações, o delegado da PF em Itajaí, Roberto Mário da Cunha Cordeiro, abriu inquérito para apurar o responsável pela divulgação de trechos com mais de 100 telefonemas e e-mails interceptados com autorização da Justiça. Cordeiro se recusa a dar detalhes da investigação que vai até 4 de outubro.

— A única coisa que posso dizer é que os dois (Sato e Lima) não são suspeitos e não estão sob investigação — resguarda-se Cordeiro.

Construída na Procuradoria Especializada no Combate ao Crime Organizado de Santa Catarina, a investigação que embasou a Operação Influenza, de fato, não investiga Lima. Por ter foro privilegiado, o parlamentar só poderia ser inquirido após autorização do Supremo Tribunal Federal. Leia trechos da conversas registradas no inquérito da PF e a defesa de Sato aqui.

http://www.clicrbs.com.br/pdf/5084656.pdf

Mais detalhes sobre o caso nas próximas horas.

È muito evidente de que a nova Polícia Federal, que começou ser renovada no governo FHC, está fazendo o seu trabalho investigativo, prendendo muitos suspeitos nesta administração Lula. É também evidente que parte destas prisões se deve ao fato de que nunca se transigiu tanto e de tantas formas como nesta administração Lula. E continua evidente também que a Família Real (Lula), e sua corte mais chegada, protagoniza total ou parcialmente grande parte destes inquéritos que convenientemente nunca passam de sua primeira fase.

Mas o Titanic está fazendo água e com tantos vazamentos, pode até ser considerado insubmergível, mas vai afundar, pelo bem da democracia e pelo bem do Brasil.

Encontrei esta reportagem abaixo no Blog do Reinaldo de Azevedo.

Ela cobre parte do mistério da cobertura de teflon que se instalou sobre a figura Lula.

LULA E O FATOR PAULO LACERDA

Prestem bastante atenção ao que vai a seguir. A prisão de Romero Menezes, o nº 2 da Polícia Federal — não entro, agora, no mérito sobre culpa ou inocência — foi praticamente imposta a Luiz Fernando Corrêa, o atual diretor-geral. É na polícia, e não em outro lugar qualquer, que se atribui ao grupo de Paulo Lacerda, o diretor afastado da Abin (consta que definitivamente), a seqüência de eventos que resultou em tal desfecho. Menezes é aliado de Corrêa, que nunca chegou a ter o comando efetivo da corporação. A prisão de seu imediato o fragiliza ainda mais.

Lacerda já deixou claro que não pretende sair pela porta dos fundos — da Abin ou do governo. E ele tem, se querem saber, algumas medalhas no peito, com muitos serviços prestados ao petismo e, por que não dizer?, ao próprio Lula. Vamos lá:

– Qual foi o contratempo criado pela Polícia Federal na questão do mensalão? Zero! Nenhum!

– Qual foi o contratempo criado pela Polícia Federal na questão da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo? Zero! Nenhum!

– Qual foi o contratempo criado pela Polícia Federal na investigação do dossiê dos aloprados? Zero! Nenhum!

Quem era o diretor da Polícia Federal nesses três casos? Lacerda. Em compensação, ele tornou operativa a Polícia Federal de propaganda, aquela apta a cassar e caçar alguns ricos, o que permitiu a Lula anunciar o fim da impunidade dos poderosos. Como todos formos informados, Lula nunca soube de nada, não é mesmo? E Lacerda conferiu verossimilhança policial a essa versão.

A tendência, podem apostar, é a acomodação. O rearranjo terá de ser grande, profundo e subir alguns degraus na hierarquia. Qualquer que seja a direção da PF, uma coisa é certa: Tarso Genro não terá o comando dela. E, pois, Lula sentirá, cedo ou tarde, a necessidade de demiti-lo — ao menos da Justiça — se quiser que o órgão deixe de ser fonte de instabilidade. Mais: Lacerda quer o seu quinhão, nem que seja para exibir aos colegas.

O que isso quer dizer? Se não pode ter seu cargo de volta na PF ou na Abin, quer aliados seus em postos de chefia. Está com a vaidade ferida. E é um homem que sabe demais para permanecer como um canhão solto no convés. E acho que Lula acabará cedendo.

Vivemos o ponto extremo da balcanização dos órgãos de segurança do estado. E o motivo é um só. Nas democracias, polícias e órgãos de Inteligência exercem funções técnicas. Só as tiranias tornam a polícia um braço da política. O petismo resolveu inovar, tendo uma polícia politizada num regime democrático. O resultado é o que se vê.

Lula vai ter de ouvir a pauta de reivindicações de Lacerda. E sabe que vai. Mais do que isso: sabe por quê. E, suspeito, sabe que acabará cedendo.

18 set 2008 Posted by | ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

Brasil um país de todos!!!!!!

Brasil um país de todos!!!!!!

De acordo com as propagandas milionárias do governo federal, o Brasil é um país de todos.

Será?

O Daniel Dantas quebrou todos os recordes de velocidade na emissão de um HC não por uma comissão do Supremo, mas por um juiz que sem verificar qualquer possibilidade de periculosidade estando solto ( um criminoso com tremendo poder econômico que podia como pode prejudicar o andamento das investigações de seus crimes) deu não um HC mas dois seguidos e ainda disse que o juiz dando ordem de prisão estaria descumprindo uma ordem do supremo.

Para nós mortais comuns, o supremo deve ser uma espécie de Deus onipotente, que de acordo com o poder do capital fala mais alto em circunstâncias estranhas e específicas.

E veja esta reportagem de hoje sobre a justiça para todos no Brasil:

Homem acusado de roubar R$ 20 é condenado a 5 anos de prisão

A família e a defesa de Cleiton Aparecido alegam a inocência dele.

Assalto teria sido cometido por amigos da vítima, no ABC, em 2007.

Carolina Iskandarian Do G1, em São Paulo

Podem ler a reportagem completa aqui:

http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL756676-5605,00-HOMEM+ACUSADO+DE+ROUBAR+R+E+CONDENADO+A+ANOS+DE+PRISAO.html

E no Brasil de todos, ainda temos o MMM (Ministro Mantega Mentira) dizendo que o Brasil está blindado pelas ações pragmáticas do governo Lula está incólume contra os problemas da crise mundial.

E o Lula ordenou muito seriamente que o Bush conserte o seu problema porque o Brasil não tirou dinheiro emprestado para comprar casas nos Estados Unidos.

Como faz falta um pouco de educação primária.

Vejam também esta coluna do Sardenberg sobre a crise:

Crise afeta o Brasil, e muito

Carlos Alberto Sardenberg

Eis como a crise mundial chega ao Brasil, em primeiro lugar. Aliás, já chegou: pela falta e/ou encarecimento de capitais e financiamentos para novos investimentos.

Um exemplo que interessa diretamente: as empresas brasileiras que já ganharam licitações da Petrobrás para a construção de navios e sondas de exploração de petróleo estão, neste momento, negociando financiamentos de bancos internacionais.

Segundo reportagem do jornal “Valor Econômico” de hoje, bancos estrangeiros suspenderam, provisoriamente, por enquanto, operações para financiar R$ 12 bilhões – operações que já estavam em andamento.

Isso porque, no mercado internacional, a taxa de juros pela qual os bancos captam dinheiro subiu fortemente, pela simples razão de que há menos dinheiro disponível.

Eis um exemplo da alta dos juros. A companhia brasileira Braskem fechou recentemente um financiamento internacional, pagando taxa de juros de 1,75% ao ano acima da Libor, taxa de juros que os bancos cobram entre si no mercado de Londres. É a taxa de referência. Pois bem, no empréstimo que fez à seguradora AIG, o Fed, banco central dos EUA, cobrou Libor mais 8,5% ao ano.

Outro exemplo: o risco Brasil, que havia caído para 190 pontos, subiu para perto dos 350 pontos – isso significa que as empresas brasileiras, ao tomarem empréstimos externos, pagam agora a taxa de juros dos títulos americanos, mais 3,5% ao ano, contra 1,9% antes da crise.

Para um país que necessita de capitais para novos investimentos – e que não os tem no país – a crise financeira internacional afeta , e muito.

17 set 2008 Posted by | ABOBRINHAS, ÉTICA, Cinismo, ECONOMIA, GOVERNO, POLÍTICA | 1 Comentário

O povo sempre tem o presidente que……

O povo sempre tem o presidente que……

Passando os olhos pelas notícias na rede, depois de ver o treino da fórmula 1, encontrei estas duas referencias na coluna do Cláudio Humberto:

País de lorotas

Se JK fez Brasília em três anos, não custa perguntar: qual universidade, estrada, usina, hospital, qualquer coisa, construída na era Lula?

JK era outro

O deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) não agüenta a insistência de Lula de comparar-se a Juscelino Kubitschek: “A história não registra que JK tenha sido obrigado a demitir os principais auxiliares”.

Com referencia à primeira delas, podem procurar que não tem.

O Lula inaugurou algumas obras iniciadas no governo passado, como a estrada de Brasília/Goiânia, duplicação da Fernão Dias ( esta realmente não sei se inaugurou) e coisas assim. Mas obra iniciada e terminada nos dois governos Lula, isto não tem.

A especialidade dele é inaugurar canteiros de obra.

Na segunda referencia, com autoria dada pelo CH ao deputado baiano José Carlos Aleluia, é bem verdade o que foi dito apenas que não somente o JK, mas nenhum outro governante brasileiro teve que trocar seus principais colaboradores por ilegalidades cometidas.

E quero fazer uma observação, que apesar de não ser apenas minha, não encontra hospedagem na mídia nacional.

Vocês se lembram da luta do governo para manter a CPMF? Luta esta até irregular, usando os ministérios, principalmente o da Fazenda e o da Saúde, para mentirem descaradamente até fazendo ameaças pela não continuação da CPMF.

Pois uma das causas desta boa onda da economia é a ausência deste imposto nojento que punia principalmente os pobres. O governo nunca irá admitir isto, mas vários economistas podem confirmar esta situação.

Esta crise mundial que aos poucos nos vai atingindo já estaria a pleno vapor se existisse a CPMF.

E segue o mistério!!!!

Como pode ser possível esta aprovação recorde do Lula?

64% – Data Folha –

Será possível que somente eu esteja errado?

Será que o bom trabalho reconhecido seja: roubar, dar cobertura a criminosos, não fazer absolutamente nada, promover o imbecil do filho a empresário de sucesso com o dinheiro do erário, deixar a esposa

detonar o jardim tombado do Burle Max no palácio da alvorada com uma estrela do PT, passear pelo mundo com sua galega à custa do povo, falar abobrinhas e mentiras, se comparar idiotamente a líderes do passado, doar as coisas do povo brasileiro à Bolívia (Refinarias da Petrobrás), construir estradas e pontes na Venezuela, com o dinheiro do BNDES, que é dos trabalhadores (75% do BNDES é do FAT), perdoar dívidas nos países africanos, vender para a Argentina energia mais barata do que custa gerar, e dizer todos os tipos de grosserias aos seus auxiliares e ministros, e mais outras barbaridades?

Este é o Lula que eu vejo, e que nos moldes de uma nação decente, já estaria fora há muito tempo.

Eta Brasil…..

13 set 2008 Posted by | ABOBRINHAS, ÉTICA, CRESCIMENTO ECONÔMICO, GOVERNO, POLÍTICA | 1 Comentário

A esquizofrenia da obsessão

A esquizofrenia da obsessão

Quando eu estava cursando o quarto ano primário, no Grupo Escolar Barão Do Rio Branco em Belo Horizonte/MG, a minha professora, uma paulista muito simpática de Campos do Jordão, e que se chamava (ou chama) Dona Maria Passos, passou para a nossa turma como dever de féria de julho, uma composição com o título “A esquizofrenia da obsessão”.

Pode até parecer uma loucura, mas é a mais pura verdade.

Com esta incumbência em foco, fui logo perguntar para minha mãe o que era isto. Ela me sugeriu procurar no dicionário.

O melhor dicionário que havia na minha casa, era uma coleção do “Laudelino Freire”.

Grande e Novíssimo Dicionário da Língua Portuguesa (1939-1944), de publicação póstuma, em cinco volumes.

Não tenho mais acesso a este dicionário, e como tenho o Aurélio no computador vamos às definições sobre o tema de acordo com o tio do Chico Buarque:

Esquizofrenia

[De esquiz(o)- + -fren(o)- + -ia1.]

Substantivo feminino.

1.Psiq. Termo que engloba várias formas clínicas de psicopatia e distúrbios mentais próximos a ela (v. distúrbio esquizotípico); sua característica fundamental é a dissociação e a assintonia das funções psíquicas, disto decorrendo fragmentação da personalidade e perda de contato com a realidade.

Esquizofrenia hebefrênica. 1. Psiq. Forma de esquizofrenia observada, em geral, em adolescente, e que se caracteriza por distúrbios da afetividade, regressão e hipocondria; hebefrenia.

obsessão

[Do lat. obsessione.]

Substantivo feminino.

1.Impertinência, perseguição, vexação.

2.Psiq. Pensamento, ou impulso, persistente ou recorrente, indesejado e aflitivo, e que vem à mente involuntariamente, a despeito de tentativa de ignorá-lo ou de suprimi-lo; idéia fixa, mania.

Eu me recordo bem que cheguei à conclusão que o tema deveria se referir, a uma loucura temporária sobre um assunto qualquer, em que o indivíduo perdia o contato com a realidade, se dedicando a uma idéia sua sobre qualquer assunto, mas que obstruiria as outras visões sobre o mesmo assunto. Em resumo, uma espécie de mania temporária. Se esta mania persistisse, poderia ser considerada uma loucura.

Foi o que escrevi sobre o tema em pauta. Uma análise pessoal sobre o significado do título proposto. Não se esqueçam que eu tinha apenas 10 anos de idade.

Dona Maria Passos, aceitou a redação, mas se mostrou desapontada, pois não era o que tinha em mente.

Dos 45 alunos, apenas três entregaram os trabalhos

Até hoje penso nisto e não sei qual era a idéia de dona Maria Passos sobre este tema.

Aí penso no Brasil, o mesmo Brasil do Laudelino Freire, o mesmo Brasil do Aurélio Buarque de Holanda, o mesmo Brasil de dona Maria Passos, o mesmo Brasil seu e o meu.

Vejo na televisão, uma propaganda caríssima do Ministério da Educação sobre o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

Uma simpática e sorridente senhora aparece falando sobre este indicador, que em 2005 era de 3,8 e agora já está em 4,2 e que a meta almejada é de 6,0.

Enquanto fala, ela vai subindo uns degraus, e parece que a melhoria até o momento foi bem grande, mas não é. Prestem atenção de 3,8 para 4,2, é apenas um ganho de 0,4, mas na proporção do anuncio parece bem grande, e a distância da meta é proporcionalmente igual à distância percorrida nestes três anos. Mas, não é assim de 4,2 para 6,0 faltam 1,8 que significa 4,5 vezes o ganho em três anos. Neste ritmo levaríamos 13,5 anos para a meta de seis. Esta é mais uma propaganda enganosa e cara deste governo de mentiras.

Ficamos em ultimo lugar entre 56 países pesquisados sobre os conhecimentos do ensino médio, em quase todas as matérias, e nas matérias que não tiramos a pior nota ficamos bem próximas do final da escala.

O Brasil da atualidade, o mesmo Brasil do Pré-sal, o mesmo Brasil do futuro, o mesmo Brasil da erradicação da pobreza, está gastando com toda a educação pública, 2,5 do PIB (Produto Interno Bruto).

Os gastos com as propagandas enganosas com esta do IDEB somam três vezes mais do que o gasto com a educação básica.

Destes 2,5 do PIB (aproximadamente 62.000.000.000), 80% é gasto com a educação universitária, ou seja, 50 bilhões de reais. ( aí estão incluídos os cartões corporativos, as mordomias, e os desvios de praxe) Com a educação básica apenas esta merreca de 12 bilhões de reais.

Como poderemos esperar que o Brasil melhore, se os estudantes que chegam à universidade mal sabem ler e escrever?

Este governo está gastando muito com o ensino universitário (este dá votos), quando os alunos que lá chegam não foram preparados para absorver os ensinamentos universitários. Para se evitar uma reprovação geral, as universidades têm que abaixar o nível e formar estes ignorantes que serão o futuro do Brasil. Qual futuro?

O presidente Lula, umas das vítimas deste descaso escolar, não para de propagar o futuro do Brasil. Ele sim foi vítima do descaso, mas poderia ter se aplicado melhor, pois teve ampla oportunidade para isto, mas optou para continuar ignorante.

E apregoa aos quatro ventos o quanto está gastando com as universidades.

E o ensino básico senhor presidente? Este mesmo que lhe faltou e ainda faz falta quando em público sem nenhum pejo, recita estas abobrinhas que lhe parecem engraçadas, mas matam de vergonha os ex-alunos de dona Maria Passos, assim como matam de vergonha esta aluna da UFRG do curso de direito que escreveu a redação abaixo que me foi enviada por Email pelo meu amigo o Dr. João.

REDAÇÃO DE ESTUDANTE CARIOCA VENCE CONCURSO DA UNESCO COM 50.000 PARTICIPANTES


Imperdível para amantes da língua portuguesa, e claro também para Professores. Isso é o que eu chamo de  jeito mágico de juntar palavras simples para formar belas frases.   REDAÇÃO DE ESTUDANTE CARIOCA VENCE CONCURSO DA UNESCO COM 50.000 PARTICIPANTES


Tema:‘Como vencer a pobreza e a desigualdade’

Por Clarice Zeitel Vianna Silva

UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro – Rio de Janeiro – RJ


‘PÁTRIA MADRASTA VIL’

Onde já se viu tanto excesso de falta? Abundância de inexistência. .. Exagero de escassez… Contraditórios? ? Então aí está! O novo nome do nosso país! Não pode haver sinônimo melhor para BRASIL.
Porque o Brasil nada mais é do que o excesso de falta de caráter, a abundância de inexistência de solidariedade, o exagero de escassez de responsabilidade.
O Brasil nada mais é do que uma combinação mal engendrada – e friamente sistematizada – de contradições.
Há quem diga que ‘dos filhos deste solo és mãe gentil.’, mas eu digo que não é gentil e, muito menos, mãe. Pela definição que eu conheço de MÃE, o Brasil  está mais para madrasta vil.
A minha mãe não ‘tapa o sol com a peneira’. Não me daria, por exemplo, um lugar na universidade sem ter-me dado uma bela formação básica.
E mesmo há 200 anos atrás não me aboliria da escravidão se soubesse que me restaria a liberdade apenas para morrer de fome. Porque a minha mãe não iria querer me enganar, iludir. Ela me daria um verdadeiro Pacote que fosse efetivo na resolução do problema, e que contivesse educação + liberdade + igualdade. Ela sabe que de nada me adianta ter educação pela metade, ou tê-la aprisionada pela falta de oportunidade, pela falta de escolha, acorrentada pela minha voz-nada-ativa. A minha mãe sabe que eu só vou crescer se a minha educação gerar liberdade e esta, por fim, igualdade. Uma segue a outra… Sem nenhuma contradição!
É disso que o Brasil precisa: mudanças estruturais, revolucionárias, que quebrem esse sistema-esquema social montado; mudanças que não sejam hipócritas, mudanças que transformem!
A mudança que nada muda é só mais uma contradição. Os governantes (às vezes) dão uns peixinhos, mas não ensinam a pescar. E a educação libertadora entra aí. O povo está tão paralisado pela ignorância que não sabe a que tem direito. Não aprendeu o que é ser cidadão.
Porém, ainda nos falta um fator fundamental para o alcance da igualdade: nossa participação efetiva; as mudanças dentro do corpo burocrático do Estado não modificam a estrutura. As classes média e alta – tão confortavelmente situadas na pirâmide social – terão que fazer mais do que reclamar (o que só serve mesmo para aliviar nossa culpa)… Mas estão elas preparadas para isso?
Eu acredito profundamente que só uma revolução estrutural, feita de dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efeitos, possa acabar com a pobreza e desigualdade no Brasil.
Afinal, de que serve um governo que não administra? De que serve uma mãe que não afaga? E, finalmente, de que serve um Homem que não se posiciona?
Talvez o sentido de nossa própria existência esteja ligado, justamente, a um posicionamento perante o mundo como um todo. Sem egoísmo. Cada um por todos…
Algumas perguntas, quando auto-indagadas, se tornam elucidativas. Pergunte-se: quero ser pobre no Brasil? Filho de uma mãe gentil ou de uma madrasta vil? Ser tratado como cidadão ou excluído? Como gente… Ou como bicho?


Premiada pela UNESCO, Clarice Zeitel, de 26 anos,
estudante que termina faculdade de direito da UFRJ em julho, concorreu com outros 50 mil estudantes universitários.
Ela acaba de voltar de Paris, onde recebeu um prêmio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) por uma redação sobre ‘Como vencer a pobreza e a desigualdade’ .

A redação de Clarice intitulada `Pátria Madrasta Vil´ foi incluída num livro, com  outros cem textos selecionados no concurso. A publicação está disponível no site da Biblioteca Virtual da Unesco.

Se este tema da obsessão fosse dado nos tempos atuais eu certamente escreveria sobre a obsessão pelo poder do presidente Lula e da esquizofrenia para conseguir isto a todos os custos passando pelas mentiras, ridículos e tudo o mais, sem se importar realmente com o futuro da nação que sem dúvida nenhuma espera que algum mandatário se preocupe realmente com a educação básica, o que o Lula desconhece e por isto não está nem aí.

blog do Roberto Leite › Criar Novo Texto — WordPress

10 set 2008 Posted by | ARTIGOS, CRONICAS, EDUCAÇÃO, GOVERNO, POLÍTICA | Deixe um comentário

   

%d blogueiros gostam disto: