blog do Roberto Leite

Assuntos de interesses multiplos e atuais.

Vamos ver o podemos fazer…..

Vamos ver o podemos fazer…..sem-nada.jpg

O presidente Lula, em um discurso inflamado no ano passado, disse simplesmente que os serviços custam caro e para termos serviços temos que pagar impostos.

Disse também em outra ocasião que contratar funcionários, é necessário para o Brasil poder crescer.

Disse também em outra ocasião que o serviço de saúde pública brasileira está perto da perfeição.

Disse também em outra de suas investidas anacrônicas que o brasileiro tem mania de falar mal do Brasil, e que ele nunca viu um suíço falar mal da Suíça.

incompetencia.jpgenergia.jpglula-e-fidel.jpg

Esta foi mesmo para arrebentar, os suíços falam em geral três idiomas, o alemão, o francês e o italiano e o nosso apedeuta não consegue nem se expressar corretamente em português, como poderia entender quando um suíço falasse mal de seu país?

 

E o Brasil, está quase igual à Suíça, em matéria de segurança, ensino e educação.

nao-ha-riscos.jpg

Os serviços realmente custam caro, mas depois que estes ficaram comandados por incompetentes políticos, que são apontados para os cargos como pagamento de dívidas políticas, como o recente ministro de Minas e Energia, os serviços ficam além de caros muito a desejar.

 

E vai faltar energia sim.riscos-no-brasil.jpg

Fruto de incompetência e falta de investimentos.

 

A saúde quase perfeita do presidente deve ser o tratamento do seu vice José de Alencar no hospital particular. Porque não foi ele para a fila de um hospital público para sentir na pele o poder da saúde quase perfeita.

E as pequenas cirurgias de embelezamento da família real?

Será que foram feitas no Hospital de Base em Brasília?

E as contratações sem fim de pessoal para prestar serviço à família real?

A Lurian Cordeiro tem à sua disposição sete carros da secretaria da presidência.

Para quem não conhece. Ela é a filha do Lula de outra mulher, antes dele conhecer a galega.

Foi descoberta pela campanha política do Collor de Melo, e desde então reconhecida pelo Lula. (antes o Lula negava a paternidade)

No primeiro governo Lula, ela ( a Lurian) fundou a ONG “Rede 13”, para divulgar a campanha “Fome Zero” e recebeu do governo 7,2 milhões de reais. Entre outras doações particulares, se especula que esta ONG arrecadou perto de 20 milhões de reais.lobao.jpgcabelo-no-ze.jpg

Depois de três meses, sem prestar contas, a ONG foi desarticulada pelo Churrasqueiro do Presidente, o Lorenzetti. E o dinheiro? Sumiu.

Por ser ela, parente direta do presidente, ela realmente pela constituição tem o direito a segurança paga pelo governo, mas com o devido comedimento e bom senso e não este exagero de proteção como se estivéssemos no Iraque.chapeuzinho.jpg

Deve ser estes serviços que o presidente considera muito bom, o de segurança de seus parentes mais próximos.

Pelo valor que nós o brasileiros pagamos de impostos, deveríamos todos ter serviços semelhantes, escolas semelhantes e uma saúde pública de dar inveja à Suíça.

Mas o contrato foi descumprido e pagamos, mas não levamos nada.

Devemos seguir o exemplo do Rio de Janeiro, e parar de pagar pelos serviços não recebidos até que o governo entenda que tem que trabalhar para entregar o que está estipulado no contrato social que é a base do sistema democrático.

O edital de hoje no Jornal do Brasil on Line está descrevendo justamente isto.

Espera mais um ano que eu vou ver…ministerio.jpg

“Espera mais um ano que eu vou ver/ Vou ver o que posso fazer/ Não posso resolver neste momento/ Pois não achei o teu requerimento” (Noel Rosa)

A inépcia do nosso setor público para atender às necessidades da população causa espanto até aos mais néscios e provoca justa revolta em quem é medianamente esclarecido. E não é de hoje, como podemos ver pela crítica irreverente, contundente e inteligente de Noel Rosa à nossa burocracia, feita há mais de 70 anos. Desde então – aliás, a rigor, desde que Cabral aqui aportou – as coisas têm sido assim.

Passa o tempo, passa a chuva e passa o vento, passam céu, terra e mar, passam bois e boiadas, e, todo início de ano, é mais do mesmo, ou seja, esperanças que se esvaem com um novo aumento de tributos. O pacote anunciado no primeiro dia útil deste ano pela trinca Lula, Mantega e Bernardo para compensar parte da perda de receita causada pela extinção da CPMF foi mais um préstito de mentiras, sofismas, falácias e desprezo pelo cidadão, precedido por requintes de chantagem. À evidência, governadores e prefeitos mostram comportamentos sistematicamente semelhantes. Definitivamente, os homens do setor público só pensam em arrecadar, arrecadar e arrecadar.culpa-do-povo.jpg

Quando o presidente “dêfte paíf” inaugura o ano com novos ônus – com o tônus de velhas falácias – para empresas e consumidores; quando seu ministro da Fazenda afirma sem quaisquer pudores que as reiteradas promessas de que tal não iria suceder só valiam para o ano que se encerrou; quando a prefeitura do Rio insiste em manter ligados os pardais durante a noite e em cobrar o IPTU como se vivêssemos na mais absoluta normalidade urbana; quando os reajustes do IPVA são calculados sobre valores claramente superestimados dos veículos; quando tamanhas absurdidades e outras acontecem, somos levados a cantarolar o samba do Poeta da Vila, com a certeza de que o principal “requerimento” dos cidadãos – o de serem tratados com respeito pelo poder público – mais uma vez, não será atendido. Talvez, no ano que vem…rerlacionamento.jpg

Enquanto o setor público sofrer de gigantismo crônico; enquanto pencas de ministérios e bateladas de secretarias inúteis continuarem existindo nas três esferas de governo, com o único fito de acomodar afilhados políticos em cargos sustentados pelos exangues contribuintes; enquanto prefeitos e governadores insistirem em empurrar uns para os outros a culpa pela incapacidade comum a todos eles, o brasileiro comum permanecerá sendo esbulhado, tungado, logrado e humilhado. Como mudar isto?

O boicote legal ao IPTU, em que algumas associações de moradores do Rio defendem o depósito do imposto em juízo ou apenas depois das eleições pode até soar como insubordinação civil, mas é moralmente correto. Com efeito, se pagar tributos é uma obrigação, lembremos que lhe deve corresponder um direito, que vem sendo continuamente descumprido, representado, no caso do IPTU, por condições de ordem urbana aceitáveis. Ora, da mesma forma que, quando alguém paga por um novo sofá a uma loja e esta não faz a entrega, fica configurado um caso claro de descumprimento de contrato, quando o Estado recolhe recursos de impostos e não os devolve aos contribuintes na forma de bens e serviços públicos, também está, obviamente, descumprindo um acordo tácito, sobre o qual se baseia o próprio contrato social e que é um dos fundamentos da democracia representativa. Portanto, Justiça neles, porque não estão cumprindo com a obrigação moral que assumiram de zelar pelo bem comum!

A população carioca parece estar despertando para a verdadeira cidadania, algo que há muito se espera em nosso país. Oxalá os contribuintes façam o mesmo em todo o Brasil, premendo municípios, Estados e União para que adotem um comportamento digno. Será o justo troco dos tiranizados: “Agora, corriola, vocês é que esperem mais um ano que nós vamos ver o que podemos fazer”…

[ 21/01/2008 ] 02:01

21 jan 2008 - Posted by | ABUSOS LEGISLATIVOS, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, ÉTICA, GOVERNO, POLÍTICA

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: