blog do Roberto Leite

Assuntos de interesses multiplos e atuais.

A Venezuela.

A Venezuela.

mudo-e-obediente.jpg

Vou descrever abaixo, minha experiência pessoal de viver na Venezuela:

Era o ano de 1980, e como gerente internacional de uma empresa americana que vendia e prestava serviços aos produtores de petróleo, tive que contrair moradia na Venezuela por aproximadamente oito meses.

Eles estavam iniciando a exploração de um novo campo de gás na região de Maracaíbo, perto da Colômbia e os nossos produtos eram necessários e também a proximidade de um agente da empresa para as emergências que poderiam aparecer.

A primeira surpresa foi quando fui alugar um apartamento em Maracaíbo para morar durante a estadia.

O agente imobiliário me levou para ver um apartamento em um prédio perto do centro em uma área de boa vizinhança. Era um bom apartamento, que parecia novo e em fase de acabamento. Faltavam os apagadores e tomadas com os respectivos espelhos, não tinha nenhuma louça nos banheiros ou na cozinha, não tinha lustres ou janelas e portas internas. Tinha piso de cerâmica, porta da frente e da área de serviço. Eu perguntei quando seria terminado para eu poder morar, e o agente imobiliário me disse que era assim mesmo. Eu alugava daquele jeito, colocava o que faltava por minha conta, e quando saísse, poderia levar comigo o que havia colocado e instalado.

Eu não entendi e o agente explicou que antigamente se alugava completo, mas ao sair, os inquilinos levavam tudo e não havia como recuperar, então houve uma mudança de atitude dos locadores e alugavam sem as partes que poderiam ser removidas facilmente.

Desisti, apesar de mais caro fui morar em um hotel.

Segunda surpresa

O lago de Maracaíbo é um belo lago. Estava totalmente poluído com petróleo. A poluição era tanta que não havia nenhum vestígio de vida aquática no lago. Eu perguntei aos engenheiros da estatal que me acompanhavam, na época creio que era Petroven, a razão de tal descaso. Eles então responderam, que os poços de petróleo dentro do lago, haviam centenas deles, eram fluentes, quer dizer que fluíam sem auxilio de bombeamento. Eram, no entanto poços pequenos e de pouca pressão. Os venezuelanos que os engenheiros chamavam de índios, iam de canoa e roubavam as válvulas dos poços, para vender na Colômbia, e deixavam os poços fluindo dentro do lago poluindo tudo.

Certo dia, antes de eu ir morar na Venezuela, mas passando por lá a trabalho, fui convidado a participar de uma festa em casa de um dos engenheiros responsáveis pela área de Maracaíbo. Colaborei com um litro de Uísque Escocês e fui à festa. Eles estavam celebrando, a chegada de uma geladeira nova, importada dos EEUU. Era tope de linha, da marca Maitag, e era no momento a melhor que se poderia comprar no mercado americano. A propaganda dela dizia que era para durar 40 anos sem manutenção.

Foi uma boa festa.

Um ano depois, já morando na Venezuela, fui convidado novamente pelo mesmo engenheiro, que na época já era meu amigo, para outra festa em sua casa. Desta vez para celebrar a inauguração de outra geladeira.

Ao chegar, vi a geladeira do ano anterior encostada no quintal, totalmente destruída. E estavam inaugurando uma nova, igualzinha, à do ano anterior que deveria durar 40 anos.

Durante a minha estadia, eu alugava carros para deslocamento para os locais de trabalho. O carro preferido eram as caminhonetes tipo “Pick up”. Eu alugava uma Chevrolet, parecida com a nossa Silverado. O aluguel destas caminhonetes era cinco vezes mais caro do que nos EEUU. Perguntei a razão deste alto custo e eles responderam que era por causa dor roubos. De fato em menos de um ano em que morei no país, foram roubadas 16 destes carros alugados, que depois de roubados trafegavam livremente na Colômbia com as mesmas placas venezuelanas.

Quando cheguei para morar na Venezuela, estava governando o país, Carlo Andrés Peres, que tinha uma tremenda fama de corrupto e mantinha uma policia federal com a sigla PTJ que tinha poderes totais sobre os cidadãos.

Depois deste presidente foi eleito em 1984 um médico pediatra de nome Jaime Lusinchi, que também praticou os maiores desatinos de corrupção. Dizem os Venezuelanos que ele comprava algo para o país, em dobro, e sempre ficava com um para ele. Teve um caso com uma amante que foi um tremendo escândalo. Quando acabou seu mandato foi substituído pelo Andrés Peres, que neste novo mandato cometeu os maiores desatinos ainda, e que resultou na eleição de Hugo Chavez.

Eu pessoalmente achei os Venezuelanos muito orgulhosos e bairristas. O único país da América latina que nunca visitei a trabalho foi o Paraguai. De todos os países os mais bairristas e pedantes e orgulhosos, foram igualmente os Argentinos e os Venezuelanos. Com uma diferença marcante, os argentinos têm muito mais educação do que os venezuelanos.

Esta é a minha opinião baseada em minha experiência própria em visita a estes países.

Estou plenamente consciente de que a generalização é discriminativa, e que existem muitos cidadãos destes países que não se encaixam nesta descrição e quando falei sobre bairrismo e orgulho, foi o sentimento geral que tive em visita ao país.

Sendo este artigo sobre a minha experiência na Venezuela, quero terminar dizendo que os poucos pontos citados das surpresas que tive ao tentar entender o povo venezuelano, não fico surpreso da atitude do Hugo Chavez.

A sua arrogância, o seu despreparo, é condizente de suas atitudes e da personalidade do povo Venezuelano.

Deveria o Brasil, apenas reforçar seus exércitos nas fronteiras, e ignorar este caudilho imbecil, parar de fomentar obras para a Venezuela através do BNDES, e esperar que ele se enrole em sua própria corda e se enforque.

Querer ajudar um povo que sente prazer em comemorar a destruição em um ano de um produto que poderia durar 40 anos, é jogar conversa fora. Este povo tem o que merece e vai se destruir só.

Para terminar, quero enfatizar o que é comentário corrente na Venezuela:

O seu maior herói, o Simon Bolívar, em que quer se espelhar o Hugo detestava a Venezuela e mudou-se para a Colômbia onde viveu melhor e onde faleceu.

pirata-chaves.jpg

Deve ter sido por causa do tal povinho de lá.

04 jun 2007 Posted by | ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, AUTORITARISMO, GOVERNO | 5 Comentários

   

%d blogueiros gostam disto: